Cabergolina

Cabergolina Engorda ou Emagrece? Para Que Serve e Posologia

Cabergolina é um medicamento que deve ser vendido somente com a apresentação da receita médica. Mas você sabe para que serve esse remédio?

Ele é indicado para tratar o aumento da prolactina, que é o hormônio responsável para produção de leite materno, e disfunções associadas a esse aumento como amenorreia (ausência de menstruação), oligomenorreia (diminuição do fluxo ou da frequência da menstruação), anovulação (ausência de ovulação) e galactorreia (produção de leite fora do período da gestação e da lactação, que é o aleitamento).

O medicamento também é utilizado para a inibição da lactação fisiológica imediatamente após o parto – que é a interrupção da produção de leite em mães que já começaram a amamentar – e para a supressão da lactação já estabelecida – que é a interrupção da lactação em mães que já iniciaram a amamentação.

Além disso, Cabergolina pode ser usada em pacientes com adenomas hipofisários (tumores benignos da hipófise), secretores da prolactina (micro e macroprolactinomas), hiperprolactinemia idiopática (aumento dos níveis de prolactina no sangue sem motivo aparente) ou síndrome da sela vazia (ausência da hipófise, que é a glândula produtora da prolactina) com hiperprolactinemia associada.

As informações são da bula do remédio disponibilizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Cabergolina engorda ou Cabergolina?

Para saber se Cabergolina engorda, precisamos analisar o que a sua bula diz. E de acordo com o documento, não podemos afirmar que Cabergolina emagrece ou engorda porque ele não informa a respeito de efeitos colaterais que possam provocar diretamente o ganho ou a perda de peso.

Entretanto, como você irá conferir no tópico a seguir, a bula informa que o medicamento pode provocar o inchaço no corpo. O documento não especifica a região do corpo no qual esse inchaço pode acontecer, entretanto, sabemos que quando o corpo encontra-se inchado, ele fica mais volumoso.

No entanto, caso você engorde ou emagreça ao longo do tratamento, converse com o seu médico para saber o que pode ter causado isso e o que fazer a respeito. Lembre-se ainda deque não somente o aumento de peso, mas também a sua diminuição pode trazer problemas para a saúde.

Efeitos colaterais de Cabergolina 

Agora que já analisamos se é verdade que Cabergolina engorda ou emagrece, podemos conferir que, conforme as informações da bula da Anvisa, Cabergolina pode provocar os seguintes efeitos colaterais:

  • Hipotensão postural – queda da pressão arterial ao levantar de uma posição sentada ou deitada;
  • Tontura/vertigem;
  • Dor de cabeça;
  • Náusea;
  • Dor abdominal;
  • Palpitação;
  • Dor epigástrica – dor na parte superior e na parte central do abdômen;
  • Sonolência;
  • Epistaxe – sangramento no nariz;
  • Hemianopsia – alteração da visão;
  • Hipotensão assintomática (diminuição da pressão arterial) durante os três a quatro primeiros dias pós-parto;
  • Desmaio;
  • Vermelhidão no corpo;
  • Cefaleia – dor de cabeça;
  • Indigestão;
  • Gastrite;
  • Fraqueza;
  • Cansaço;
  • Prisão de ventre;
  • Vômito;
  • Dor no peito;
  • Rubores;
  • Depressão;
  • Parestesia – sensação anormal na pele;
  • Pressão baixa em pacientes sob tratamento prolongado;
  • Vasoespasmo digital – palidez nos dedos;
  • Cãibras nas pernas;
  • Diminuição dos valores de hemoglobina em mulheres com amenorreia durante os primeiros meses depois do retorno da menstruação;
  • Agressividade;
  • Alopecia – perda de pelos;
  • Elevação da creatinina fosfoquinase sanguínea (exame do rim);
  • Delírios;
  • Dispneia – dificuldade para respirar;
  • Edema – inchaço;
  • Fibrose – formação de tecido cicatricial;
  • Função hepática anormal;
  • Reação de hipersensibilidade;
  • Transtornos de controle de impulsos de hipersexualidade;
  • Aumento da libido;
  • Jogo patológico – vício em jogo;
  • Transtorno psicótico;
  • Erupção cutânea – alteração na pele;
  • Distúrbio respiratória;
  • Insuficiência respiratória;
  • Valvulopatia – alteração na válvula do coração.

Nos casos em que experimentar qualquer uma dessas reações adversas ou qualquer outro tipo de efeito colateral, o paciente deve informar rapidamente o médico a respeito do problema para saber como deve proceder.

Contraindicações e cuidados com Cabergolina 

Pacientes com hipersensibilidade (reação alérgica) à cabergolina, qualquer componente da fórmula do medicamento ou qualquer alcaloide do ergot não devem fazer uso do medicamento.

O uso do remédio também não pode ser feito por mulheres que estejam amamentando, já que ele previne a lactação e pode ser excretada no leite, provocando reações adversas graves nas crianças que estejam sendo amamentadas.

Ele não deve ser utilizado ainda pelas pessoas com históricos de distúrbios fibróticos retroperitoneal, pulmonar e cardíaco (endurecimento de órgãos ou estruturas como o coração e o pulmão), incluindo valvulopatias, que são doenças da válvula do coração.

Por conta disso, o paciente precisa informar ao médico que acompanha o seu tratamento com Cabergolina caso tenha ou já tenha tido sintomas de problemas cardíacos e/ou respiratórios. Outra recomendação importante é que o usuário faça uma avaliação cardiovascular (do coração e dos vasos sanguíneos) antes de começar a se tratar com o medicamento.

Já as mulheres que estejam grávidas devem utilizar Cabergolina somente quando houver a orientação do médico. Como o medicamento tem açúcar, ele deve ser utilizado com cuidado por pessoas diagnosticadas com diabetes.

Além disso, é fundamental informar ao médico a respeito do uso de qualquer outro tipo de remédio ou suplemento para que ele verifique se não existem riscos de interação entre Cabergolina e a substância em questão. As informações são da bula do medicamento disponibilizada pela Anvisa.

Posologia de Cabergolina 

Antes de tudo, é essencial ter em mente que somente o médico que prescreveu o uso de Cabergolina e é responsável pelo tratamento que pode definir a dosagem diária do remédio, os horários de ingestão, o período de utilização do medicamento e todos os demais aspectos referentes ao tratamento.

A bula de Cabergolina alerta que ela deve ser administrada via oral, preferencialmente com as refeições, e que o tratamento com o remédio não deve ser interrompido sem o conhecimento do médico.

Para os casos de tratamentos hiperprolactinêmicos, a dose recomendada costuma ser de 1 mg por semana que pode ser administrada em uma ou duas doses, porém, ela pode ser alterada de acordo com o caso de cada paciente (que somente o médico pode avaliar) e aumentada mensalmente conforme a eficácia, informou a bula.

Já para a inibição da lactação, o documento traz a indicação de 1 mg em dois comprimidos de 0,5 mg em dose única no primeiro dia pós-parto. Nos casos de supressão da lactação, a recomendação é 0,25 mg a cada 12 horas durante dois dias.

Para as pessoas que sofrem com a insuficiência hepática, a bula determina que medicamento seja utilizado em doses menores.

Referências adicionais: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=27552492016&pIdAnexo=4194243

Você conhece alguém que tenha utilizado e afirme que Cabergolina engorda? Tem receio de utilizar este medicamento por conta desses possíveis efeitos colaterais? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (18 votos, média: 3,78 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*