Carne Cupim Faz Mal? Engorda? Calorias e Dicas

Especialista:
atualizado em 01/07/2020

Confira se comer a carne cupim faz mal e veja se esse corte de carne engorda de acordo com suas calorias, além de dicas para consumi-lo.

Ele marca presença nos churrascos entre família e amigos e passeia nas mãos dos garçons pelos corredores e entre as mesas nas churrascarias. Mas você sabia que o cupim é um corte de carne que também pode ser preparado na panela de pressão, ao molho, na manteiga, com ervas e com vinho tinto, por exemplo?

O cupim é originário da parte dianteira do boi, logo atrás do pescoço do animal, na parte chamada corcova. A carne possui uma gordura que fica entre o corte, nas suas fibras musculares, apontada como responsável por conferir maciez e sabor a ela.

Entretanto, antes que todo esse sabor e maciez cheguem ao prato, essa carne que requer um longo período de cozimento.

Mas você já parou para pensar se a carne cupim faz mal? Afinal, como mencionado acima, ela apresenta bastante gordura. Isso quer dizer que ela engorda, também?

Falando nisso, vale a pena saber quais são os melhores cortes de carne vermelha magra e conhecer uma lista com todos os tipos de carnes magras para sua dieta.

Será que a carne cupim faz mal?

O cupim é um das partes do boi que apresenta o maior teor de adiposidade, ou seja, de gorduras, o que exige que o corte de carne seja consumido com moderação.

Tanto que um dos maiores especialistas em carnes do Brasil, Marcos Bassi, já contou que não comercializava e nem servia o cupim, mesmo se tratando de uma carne saborosa. Conforme Bassi, a gordura do corte é muito intensa, e não superficial como a da picanha, que pode ser removida.

Por isso, ao lado da picanha, o cupim é um dos piores cortes de carne, já que ambos são extremamente gordurosos.

No entanto, assim como acontece com toda carne dianteira do boi, o cupim não é composto somente por gorduras saturadas. Mas quanto será de gordura que o cupim pode conter?

Por exemplo, uma porção de 100 g de cupim temperado da marca Swift apresenta 21 g de gorduras totais, dos quais 9,8 g são gorduras saturadas. Já as mesmas 100 g do cupim maturatta da marca Friboi são compostas por 23,4 g de gorduras totais, dos quais 10,8 g são correspondentes às gorduras saturadas.

Para saber com exatidão o teor de gorduras totais e gorduras saturadas do seu cupim, verifique as informações contidas na tabela nutricional que é encontrada na embalagem do produto.

No entanto, com base nesses valores, já é possível perceber que o cupim apresenta uma quantidade considerável de gorduras totais e gorduras saturadas, não é mesmo? Será que isso quer dizer que a carne cupim faz mal e engorda mesmo?

Qual é o problema com as gorduras saturadas?

É algo que nós precisamos conhecer para entender com mais profundidade se ou como a carne cupim faz mal.

A Associação Americana do Coração recomenda limitar a ingestão de gorduras saturadas e afirma que décadas de ciência sólida mostraram que elas podem aumentar os níveis do colesterol ruim e trazer um risco mais elevado de desenvolver doenças cardiovasculares.

Por sua vez, a Harvard Health Publishing (Publicação de Saúde de Harvard, tradução livre) da Escola Médica da Universidade de Harvard, dos Estados Unidos, classificou as gorduras saturadas como “gorduras do meio” – entre as ruins, que são as gorduras trans, e as boas, as gorduras monoinsaturadas e as gorduras poli-insaturadas.

Segundo a publicação, uma dieta rica em gorduras saturadas pode aumentar os níveis totais de colesterol pendendo a balança para o colesterol ruim, que estimula obstruções nas artérias do coração e de outras localidades do organismo.

A Harvard Health Publishing destacou ainda que uma meta-análise de 21 estudos afirmou que não existem evidências suficientes para concluir que as gorduras saturadas aumentam os riscos de desenvolvimento de doença cardíaca, porém, que substituir essas gorduras pelas gorduras poli-insaturadas pode diminuir os riscos do aparecimento da doença no coração.

Dois outros estudos importantes indicaram que trocar as gorduras saturadas pelas gorduras poli-insaturadas ou por carboidratos ricos em fibras é a melhor forma de diminuir os riscos de ter doença cardíaca, entretanto, substituir as gorduras saturadas por carboidratos altamente processados poderia resultar no efeito contrário, completou a publicação.

De qualquer maneira, é importante saber que a recomendação da Associação Americana do Coração é que o consumo de calorias oriundas das gorduras saturadas não corresponda a mais do que 5% a 6% da ingestão total de calorias em um dia.

Por exemplo, para quem segue uma dieta de 2 mil calorias diárias, isso significa não consumir mais do que 120 calorias provenientes das gorduras saturadas a cada dia, o que corresponde a um limite diário de 13 g de gorduras saturadas por dia, esclareceu a organização.

Bem próximo do valor que uma porção de 100 g de cupim pode conter, não é mesmo? Portanto, é realmente muito importante ter controle e moderação na hora de comer o cupim.

O cupim engorda?

Agora que vimos se a carne cupim faz mal, será que ela também pode favorecer o aumento de peso? Bem, dependendo da maneira pela qual ela for consumida, pode sim.

Uma porção de 100 g de cupim temperado da marca Swift possui 252 calorias, enquanto 100 g do cupim maturatta da marca Friboi carregam 272 calorias.

Ou seja, se uma pessoa perder a linha e consumir uma quantidade exagerada da carne cupim pode ocorrer um acúmulo de calorias e, consequentemente, o ganho de peso corporal.

Uma recomendação para tornar um churrasco mais magro é evitar carnes gordas como o cupim, trocando-o por opções mais leves como peixe e frango, por exemplo. Que tal conhecer algumas receitas de churrasco light?

O cupim é considerado um perigo não somente para quem se encontra acima do peso, como também para as pessoas que sofrem com colesterol elevado ou hipertensão arterial.

Fique de olho em todo o contexto

Falando nos churrascos, é nosso dever lembrar que além de trazer o cupim, esses eventos costumam ser regados a outras carnes gordurosas, além de bebidas como cerveja e refrigerante.

Ou seja, nos churrascos os estragos no peso podem ser significativos não apenas por culpa do cupim. Por isso, além de maneirar na porção deste corte de carne quando for a um evento do tipo, a pessoa que deseja ou necessita emagrecer ou manter um peso saudável precisa manter o controle em relação a todas as outras tentações que desfilarão no decorrer do churrasco.

Além de saber se a carne cupim engorda

Quem tem o objetivo de emagrecer ou não engordar também precisa certificar-se de que toda a dieta seja controlada, nutritiva, equilibrada, saudável e voltada para essa meta.

Vamos pensar juntos: não vai surtir muito efeito se controlar na hora de consumir a carne cupim e dar uma segurada nos churrascos, porém, consumir calorias e açúcar em excesso nas outras refeições por meio de massas com molhos gordurosos, refrigerantes, sorvetes e outras guloseimas, não é mesmo?

Como pode ser difícil passar por esse processo por conta própria, é aconselhável procurar o auxílio de um bom nutricionista que saberá indicar um programa alimentar que se encaixe na sua rotina, não te faça passar por privações sofridas e forneça os nutrientes e a energia que o seu organismo requer para funcionar apropriadamente, ao mesmo tempo em que te ajuda a atingir os seus objetivos em relação ao peso corporal.

Tenha em mente que este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir as recomendações profissionais e qualificadas do nutricionista.

Referências Adicionais:

Você já imaginava que a carne cupim faz mal e engorda? Consome com frequência esse corte? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo muito solicitada para palestras, consultoria a empresas e atendimento personalizado para atletas, pessoas com condições especiais de saúde e pessoas que desejam melhorar a forma física de forma saudável. É a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España). É também membro da International Society of Sports Nutrition. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma. Dra. Patricia Leite é uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento.

Deixe um comentário