Comida Kosher – O que é, Benefícios, Dieta e Receitas

Especialista:
atualizado em 16/04/2020

A comida Kosher não é vegetariana, porém, o consumo de carne deve seguir uma série de regras tanto na produção quanto no preparo dos pratos. Além disso, a carne não pode ser misturada em nenhum momento com leite e derivados, nem durante o armazenamento.  O Kosher, também conhecida como Kasher, e é a alimentação que segue as regras descritas no Torá – o livro sagrado dos judeus e é aderido até os dias de hoje.

Com a correria do dia-a-dia, muitas pessoas acabam optando por refeições não saudáveis. Geralmente, o horário de almoço no trabalho não é o suficiente para ir para casa e fazer uma refeição saudável, e acabam optando por se alimentarem na rua, onde nem sempre tem alimentos adequados para o consumo. Uma opção para ter um almoço mais saudável é passar a levar marmitas para o trabalho. Descubra como fazer uma marmita saudável para a sua dieta.  

Alguns alimentos como limão, gengibre, canela e linhaça, em geral, não são muito fáceis de serem utilizados em sopas, mas tem propriedades tão incríveis para a queima de gordura que ignorá-los é quase um pecado. Utilizar esses ingredientes em sucos também é uma forma de eliminar o peso. Conheça os alimentos e dicas que secam barriga de um jeito rápido. 

A Dieta Dukan é uma dieta proteica e foi criada pelo médico francês Pierre Dukan. Alguns famosos têm aderido a essa tática por ser dividida em 4 partes: duas para emagrecer e duas para manter o peso perdido. Aprenda e conheça os alimentos e suas fases da dieta Dukan.

Com um cardápio rico, porém, seguindo regras tradicionais, a dieta Kosher vem ganhando a cada dia mais adeptos. Cheia de benefícios e deliciosa, vale a pena passar a fazer parte de nossas receitas do dia a dia. Nos Estados Unidos, apenas 20% dos consumidores da comida Kosher são judeus, e ainda assim o consumo por lá cresce a cada dia. 

O que é a comida Kosher?

Poderemos encontrá-la também como Kasher. De acordo com um estudo antigo publicado pelo Journal of the American Dietetic Association, a palavra Kosher é derivada do hebraico “kashér” que significa ser puro ou adequado para consumo. A comida Kosher é a forma como a cultura judaica determina que seja sua alimentação. As origens dessas normas foram extraídas do Torá, que é seu livro sagrado. O significado é “adequado”. Conforme a tradução, também poderemos encontrar como sinônimo a palavra “permitido”.

A comida Kosher para alguns judeus não é só uma forma de comer saudável, mas sim um ato de reverência e de adesão à tradição religiosa. Apesar da tradição, não são todos os judeus que seguem a dieta Kosher. 

Como funciona a dieta Kosher?

Há algumas regras a serem seguidas. Na dieta Kosher, as regras rígidas indicam os alimentos que são permitidos e proibidos e também como eles devem ser produzidos, processados e preparados.

Os judeus são muito cuidadosos e preocupados com o sofrimento dos animais a serem abatidos para seu consumo. Além do mais, a higiene está acima de tudo. As carnes permitidas são de vaca, carneiro e cabras. As aves domésticas são permitidas, como frangos, perus, faisão, patos e gansos. Os porcos e coelhos estão fora, por não serem ruminantes e não terem o casco fendido.

Após o abate dos animais, eles deverão ser lavados para que não haja resíduos de sangue. Também os subprodutos do sangue, como morcela, molho pardo e afins, não deverão ser consumidos.

Os peixes com escamas e barbatanas poderão fazer parte da dieta Kosher, porém, crustáceos e moluscos deverão ser excluídos.

As verduras deverão ser lavadas minuciosamente, pois nenhum inseto ou larva pode ser ingerido como comida Kosher, pois são considerados impuros.

Na páscoa, há algumas restrições adicionais como a proibição de grãos fermentados como o trigo, a aveia, a cevada e o centeio.

Regra principal

Uma das regras principais e curiosas da comida Kosher está na proibição de se misturar, numa mesma refeição, ou durante o preparo, carne ou frango com leite e derivados.

Devemos entender que não misturar significa, inclusive, separar as panelas, louças, talheres, e até mesmo a pia. Utensílios utilizados para carnes não deverão ser usados com o leite e derivados, e vice-versa.

Isso quer dizer que nossa deliciosa pizza de frango com catupiry está fora da dieta Kosher, como um churrasco acompanhado de pudim de leite como sobremesa, entre tantas outras receitas do nosso dia a dia, como um bife na manteiga.

Há três categorias principais de alimentos Kosher que são a carne (ou fleishig), os laticínios (ou milchig) e o pareve. A carne engloba todos os animais mamíferos e as aves e também tudo o que é derivado deles como os ossos ou o caldo. Nos laticínios estão presentes o leite e derivados como o queijo, a manteiga e o iogurte. Na pareve são incluídos todos os outros alimentos que não estão nos outros grupos como peixes, ovos e alimentos vegetais.

A carne e os laticínios não podem ser consumidos juntos em nenhuma refeição, mas os itens que pertencem ao pareve são considerados alimentos neutros que podem ser consumidos em qualquer combinação – desde que não tenham sido processados nos mesmos equipamentos ou com os mesmos utensílios que os usados para a carne e para os laticínios.

Caso você queira comer carne e laticínios, a dieta Kosher orienta que é preciso esperar um certo período de tempo entre uma refeição e a outra, período este que pode variar de 1 a 6 horas.

Alimentos neutros 

Na comida Kosher, há alimentos que são considerados neutros (chamados pareve ou parve). Como já mencionamos, esses são os alimentos que não contêm carne de mamíferos ou aves, nem leite e derivados.

Podemos entender como “pareve” os ovos, peixes, verduras, os cereais, os grãos, as massas, chás, café, etc.

Em uma dieta Kosher, esses alimentos neutros são coringas nas refeições e podem ser consumidos sem restrições ao longo do dia.

Certificação

Não basta que você analise os ingredientes nos rótulos dos alimentos para saber se eles são comida Kosher. Todos esses alimentos precisam passar por uma verificação de um Rabino ortodoxo, só então, serão liberados para venda.

A certificação serve então para ter certeza de que o alimento que você está adquirindo cumpre todos os requisitos necessários para ser considerado um alimento Kosher. Depois de passar por todo um processo de análise técnica, órgãos de certificação Kosher geram um símbolo que quando presente no alimento indicam que ele faz parte da dieta Kosher.

Benefícios da comida Kosher

Sob o ponto de vista nutricional, não há diferenças, mas os reais benefícios estão diretamente ligados à saúde, confiança e segurança, devido aos rigorosos padrões impostos para aprovação dos alimentos para venda. Vejamos:

1. Comida mais saudável

Quando uma empresa busca um certificado Kosher em seu rótulo, ela precisa concordar com visitas surpresa de uma autoridade Kosher. Além do mais, precisa aderir às regras, sem exceção, inclusive aceitando o fato de que o estabelecimento será vistoriado constantemente, o que obriga a empresa a manter suas instalações extremamente limpas, sob o risco de perder a certificação.

Certificado Kosher

2. Qualidade superior dos alimentos

Os animais, antes do abate, são selecionados por uma autoridade no assunto, que descarta animais com qualquer sinal de doença, fraturas ou ferimentos. Toda carne Kosher é completamente salgada antes de ser colocada à venda. Isso também reduz a proliferação de micro-organismos. Jamais haverá contaminação por coliformes fecais em alimentos Kosher.

Como os insetos não fazem parte da dieta kosher, frutas e legumes certificados são inspecionados para que não haja contaminação por insetos ou larvas durante a colheita e o processo de venda.

Ou seja, qualquer comida Kosher certificada pode ser consumida com tranquilidade pois nunca haverá qualquer tipo de contaminação.

3. Confiabilidade

Um dos principais motivos para o disparo na venda de comida Kosher está diretamente ligado à confiabilidade. De acordo com um relatório da Mintel (empresa americana de pesquisa de mercado), 62% dos consumidores acreditam que sua qualidade é melhor, enquanto 51% confiam em sua salubridade. Isso tudo se deve aos rigorosos critérios Kosher para aprovação dos alimentos.

Ainda segundo o relatório da Mintel, acredita-se que os alimentos Kosher são mais naturais, orgânicos e com menos conservantes.

Mesmo os veganos e vegetarianos são adeptos desse tipo de alimentação, pois sabem que não haverá vestígio de carnes misturadas e escondidas no preparo, porém ausentes no rótulo. Eles saberão que um alimento Kosher rotulado como “pareve” estará 100% isento de carne e leite, já que na comida Kosher não há nenhum risco de contaminação cruzada de equipamentos usados para processar carne ou laticínios pois todos eles são separados. 

Os intolerantes à lactose também compram comida Kosher sem medo, tendo absoluta certeza que não há absolutamente nada de leite e derivados em seu preparo.

  • Os peixes permitidos pela dieta Kosher são menos contaminados por intoxicação através de mercúrio, devido à barreira que as escamas e barbatanas criam;
  • Outro exemplo: frutas, legumes, verduras, grãos e etc deverão ser rigorosamente inspecionados e lavados, porque as leis judaicas proíbem o consumo de insetos.

Receitas da culinária Kosher

Muito falamos até aqui, mas, será que as receitas Kosher são gostosas? Obviamente, todos os produtos, quando preparados por judeus, terão certificação, mas vale a pena provarmos as iguarias, inclusive com nossos produtos tradicionais. Vamos dar uma olhada:

1. Brownie de Mocha

Essa receita é utilizada na Páscoa judaica e não leva farinha.

Ingredientes:

  • 1 xícara de açúcar cristal;
  • 6 ovos – separar claras e gemas;
  • 3 colheres de sopa de manteiga;
  • 170 gramas de chocolate meio amargo;
  • 3 colheres de sopa de café solúvel;
  • 1 colher de sopa de baunilha;
  • 1 pitada de sal.

Preparo:

Primeiramente, divida o açúcar pela metade e bata uma parte dele com as gemas, e a outra com as claras.

Você deve derreter o chocolate com a manteiga. A seguir, misture tudo e junte os demais ingredientes.

Asse em forno médio, préaquecido, por aproximadamente 45 minutos.

Ingredientes da calda:

  • 100 gramas de chocolate meio amargo;
  • 3 colheres de sopa de manteiga;
  • ½ xícara de creme de leite fresco;
  • 1/3 de xícara de açúcar cristal;
  • 1 colher de sopa de café solúvel;
  • 2 colheres das de chá de extrato de baunilha;
  • 1 pitada de sal.

Preparo da calda:

Pique o chocolate e derreta com a manteiga. A seguir, vá misturando os demais ingredientes. Sirva quente sobre o bolo.

2. Kiguel

Ingredientes:

  • Meio quilo de talharim cozido al dente, em água e sal;
  • 3 ovos inteiros;
  • 2 colheres de sopa de açúcar;
  • 2 maçãs ácidas raladas;
  • 1 colher de sobremesa de canela em pó;
  • 3 colheres de sopa de óleo;
  • Caldo de 2 limões;
  • 100 gramas de uvas passas pretas, sem sementes;
  • 3 colheres de sopa de geleia de cor escura (ameixa, morango, uva, etc).

Preparo:

Unte uma forma refratária retangular com óleo e reserve.

Escorra o macarrão, passe por água fria.

A seguir, bata os ovos grosseiramente e misture ao macarrão, e vá adicionando os demais ingredientes, misturando tudo muito bem.

Levar ao forno préaquecido a 200º por aproximadamente 15 minutos, a seguir, diminua a chama e deixe assar mais um pouco até que a superfície esteja bem douradinha.

Sirva depois de frio, cortado em cubos.

Temos comida Kosher no Brasil?

Embora não faça parte de nossa cultura, já poderemos encontrá-la nos grandes centros, com relativa facilidade. Em São Paulo, temos uma colônia judaica bastante considerável, portanto, não haverá problemas quanto à procura. Para as outras regiões, basta procurar na internet por “comida Kosher no Brasil”. Haverá uma disponibilidade grande de produtos online e lojas físicas. Temos inclusive produtos certificados.

Considerações finais

A comida Kosher ainda é uma novidade no Brasil, e seguramente, pouca gente fora da colônia judaica a consome, porém, nada impede que passemos a incorporar esses alimentos em nossa vida.

Embora nossas regras industriais quanto à alimentação sejam diferentes, desde que haja a certificação Kosher, existe a indicação de que houve um controle bem maior em relação ao alimento.

Caso haja facilidade de encontrá-los e os preços não sejam exorbitantes, passar a consumi-los é uma garantia de um produto de melhor qualidade.

Fontes consultadas:

Referências adicionais:

Você conhece e já viu produtos da comida Kosher em mercados ou vendas perto da sua região? Conhece ou é um adepto desta dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (14 votos, média: 4,21 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

4 comentários em “Comida Kosher – O que é, Benefícios, Dieta e Receitas”

  1. Se vc ler sobre o abate Kosher vai ver que é bem contraditório essa preocupação toda…. os animais são sangrados sem insensibilização prévia ou seja morrem sentindo dor. Para eles doenças como brucelose, tuberculose entre tantas outras não tem importância, isso é preocupação com higiene?

  2. Talvez não consumir carne com leite, esteja relacionado com a diminuição da absorção de ferro pelo organismo, provocado pelo cálcio existente no leite.
    Desconheço hábito alimentar baseado em carne de urubu, provavelmente pela dieta do mesmo. Os mariscos são despoluidores dos mares, ingerindo lixo e frutos de decomposição marinha. Apesar de deliciosos, não deve ser tão saudável ingerir mariscos que são os “urubus dos mares”, para quem faz uma dieta tão rigorosa e detalhista.
    Aqui fica minha opinião. Também faço uma dieta rigorosa. Não uso açúcar e nem adoçantes, pouquíssimo sal, só consumo carne magra, uso alimentos integrais e nada industrializado. Diariamente como frutas. Parabéns pelo artigo que proporcionou-me mais conhecimentos sobre a dieta Kosher.

    • Algumas coisas ficam mais claras, só ler a Bíblia no antigo testamento, esse é o livro da Torah.
      Os comentários anteriores são muito rasos, não tratasse de fundamentalismo mas de mandamento divino.
      Tudo é uma questão de respeito a Deus.