Como jogar muito videogame atrapalha a sua saúde

Especialista:
atualizado em 15/09/2020

Durante a pandemia do novo coronavírus, em que precisamos ficar mais em casa do que o normal, alguns recorrem aos videogames ou jogos eletrônicos para passar o tempo. Mas não são só as crianças e adolescentes; o número de adultos que gostam dos jogos não é baixo.

Entretanto, como você deve bem saber, tudo em excesso faz mal. Portanto, passar muito tempo jogando videogame ou jogos eletrônicos também traz prejuízos para a saúde. Acompanhe nove maneiras de como jogar demais atrapalha a saúde. É o que você confere na lista a seguir:

1. Causa dores

Os movimentos repetitivos ao jogar podem causar dor e limitação, especialmente nos punhos e nos dedos. Aliás, dores de cabeça e nas articulações são os primeiros sinais de que o uso de aparelhos eletrônicos passou da conta.

O exagero com os eletrônicos é um fator de risco para o desenvolvimento de cefaleias (dores de cabeça). Cientistas relatam que o uso excessivo e simultâneo de diferentes eletrônicos é fator de risco para se desenvolver dores musculoesqueléticas.

2. Má postura

Postura

A relação entre o uso excessivo dos jogos e a postura ruim reside na tensão que os ombros sofrem, assim como no muito tempo que a pessoa permanece na mesma posição enquanto joga. Conheça exercícios para melhorar a postura.

3. Problemas de audição

Usar fones de ouvido com volume alto enquanto joga pode causar problemas de audição em longo prazo. O mesmo serve para ouvir música alta no fone.

4. Problemas de visão

Além disso, passar bastante tempo em frente às telas para jogar e a falta de lubrificação dos olhos por piscar menos podem causar irritação e até problemas na visão.

5. Depressão e ansiedade

Depressão

Talvez uma pessoa resolva jogar para se distrair e aliviar a depressão e ansiedade. Entretanto, o uso prolongado de eletrônicos também tem uma associação com o aumento das taxas de depressão e ansiedade.

6. Alteração do sono

Estudos apontaram que jogar videogame no período da noite atrasa e encurta o sono. Além disso, pesquisadores observaram que pessoas que jogaram jogos estimulantes antes de dormir relataram uma sonolência menor antes de deitar-se.

Houve ainda uma diminuição do sono REM, uma fase de sono profundo. Conforme o Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e AVC dos Estados Unidos, o sono REM ocorre 90 minutos depois de pegar no sono.

Por fim, essas alterações no sono por jogar muito podem resultar em fadiga, estresse e no aparecimento de dores crônicas.

7. Vícios

Em casos extremos, jogar muito videogame ou jogos eletrônicos pode se tornar um vício, com associação à diminuição da vida social real, do convívio com outros pessoalmente.

8. Sedentarismo e problemas decorrentes

Jogar demais também tem uma relação com a redução dos níveis de exercícios físicos, com o aumento da obesidade e as queixas de cansaço.

9. Estresse

Passar horas sem dormir para jogar estressa o organismo. Além disso, um estudo apontou que os sons e músicas dos jogos podem estimular a liberação do cortisol, que é o hormônio do estresse.

Então, devo parar de jogar?

O recado não é parar de jogar, mas sim aprender a jogar com moderação. Até porque os videogames e jogos eletrônicos não são 100% negativos. Uma revisão sistemática aponta que pessoas que jogam videogame têm melhor capacidade cognitiva em comparação a quem não joga.

Os games oferecem uma melhora significativa da atenção, dos processamentos visuais e espaciais e das funções executivas, principalmente da memória operacional.

Jogar com moderação significa não exagerar no tempo que passa com os games e preservar a saúde física e mental, explicou a mestra e doutora em ciências da saúde. O videogame não pode ser motivo para dormir mal, deixar de fazer exercícios e comer besteiras.

Além disso, deve-se redobrar os cuidados com as crianças, reduzindo o tempo de exposição dos pequenos aos jogos, para que seja seguro e saudável.

Fontes e referências adicionais:

Você tem usado o tempo em casa durante a quarentena para jogar mais video game? Acredita que, por isso, tem tido mais problemas de saúde? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é Médico Ortopedista - CRM-SP 113136. Formou-se pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Tem experiência de trabalho prévio com a Confederação Brasileira de Vela, Cisne Negro Companhia de Dança, Escola de Dança do Teatro Municipal de São Paulo, Equipe de Ginástica Artística de Guarulhos. Já trabalhou como Médico nos Jogos Panamericanos Rio 2007, e foi Médico do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Trabalhou junto a organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão e no Haiti, e junto a organização Expedicionários da Saúde no Haiti. Dr. João Hollanda é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

Deixe um comentário