5 Maneiras Saudáveis de Lidar Com a Tensão da Pandemia

Especialista:
atualizado em 15/06/2020

A COVID-19, a doença causada pelo novo coronavírus, pode ser devastadora para a saúde física, mas a pandemia também pode causar estragos na saúde mental. Os riscos de contrair a doença, a necessidade de tomar inúmeras medidas de prevenção e ficar muito tempo isolado em casa, o que o novo coronavírus pode fazer no organismo e as dificuldades financeiras trazidas pela crise da COVID-19 deixam muitas pessoas apreensivas, assustadas, ansiosas, nervosas, estressadas e com medo.

Para lidar com todo esse desgaste emocional, alguns podem recorrer a hábitos nada saudáveis como se encher de guloseimas e fast-food, abusar do álcool durante a quarentena, render-se ao sedentarismo ou dormir mal por passar madrugadas em claro para ver séries ou jogar on-line, o que prejudica a imunidade, algo essencial na luta contra o novo coronavírus.

Assim, por mais difícil que pareça é muito importante buscar maneiras saudáveis para tentar aliviar ao menos um pouco da tensão experimentada em um momento de pandemia e saber como preservar a saúde mental durante a quarentena.

1. Manter os vínculos com outras pessoas

É possível encontrar conforto ao manter o contato por telefone, chamadas de vídeo ou mensagens com os familiares e amigos.

Segundo o professor associado do Departamento de Psiquiatria e diretor assistente do Centro de Estudo de Estresse Traumático da Universidade de Serviços Uniformizados dos Estados Unidos, Joshua Morganstein, apenas escutar outra pessoa pode ajudar a se acalmar.

“Coisas que nós sabemos que ajudam as pessoas durante desastres e eventos adversos, que as ajudam a se sentir mais seguras e calmas incluem reforçar as sensações de conexão social, melhorar o senso de confiança na comunidade e aprimorar o senso de esperança e otimismo”, acrescentou Morganstein.

Morganstein afirmou ainda que as pessoas que acreditam que vivem em comunidades mais fortes apresentam índices mais baixos de estresse pós-traumático após desastres. Segundo o professor, construir comunidades fortes pode ter um impacto significativo na saúde mental de uma maneira positiva para toda a sociedade.

2. Autocuidado

Isso significa incluir na rotina diária atividades saudáveis que melhorem a saúde mental, de acordo com a psiquiatra Shaili Jain, que também é autora do livro “The Unspeakable Mind: Stories of Trauma and Healing from the Frontlines of PTSD Science” (A Mente Indizível: Histórias de Trauma e Cura das Linhas de Frente da Ciência do Estresse Pós-Traumático, tradução livre).

“Seja meditação, yoga, mindfulness (atenção plena), dar caminhadas, escutar música, cozinhar uma bela refeição ou ler um livro. Quaisquer que sejam as suas estratégias saudáveis para lidar (com a situação), você precisa dobrá-las e fazê-las pelo menos uma vez por dia”, recomendou Jain.

Esses cuidados e outras distrações saudáveis são opções muito melhores para relaxar de toda a tensão da pandemia do que alternativas não saudáveis como abusar da comida ou álcool, fumar, entre outras.

3. Limitar o tempo que passa vendo o noticiário

É muito importante assistir ao noticiário para se manter atualizado com o cenário da pandemia que muda a todo o momento e ficar muito ciente dos cuidados que precisam ser tomados ao longo do período.

Entretanto, passar o dia todo em frente à televisão ou na internet apenas conferindo as notícias pode sobrecarregar a mente.

“Às vezes as pessoas não conseguem se afastar (das notícias). Fique informado, mas escolha a fonte de notícias que você gosta e certifique-se de ter porções de tempo em que fica livre da notícia e da COVID para deixar o seu cérebro descansar e se distrair. Não assista antes de dormir ou na frente das crianças”, aconselhou Jain.

Por exemplo, você pode escolher alguns momentos específicas do dia para se atualizar com as notícias, como a hora do almoço, o final da tarde ou os momentos em que as crianças estiverem brincando em um cômodo longe de você ou tirando a soneca da tarde (para quem tem filhos). Depois que tiver se inteirado dos últimos acontecimentos, pode passar para um conteúdo ou atividade que te ajude a relaxar e distrair.

Tome cuidado ainda com as fake news sobre o novo coronavírus nas quais você não deve acreditar, pois além de colocarem a sua saúde em risco, essas mentiras podem te trazer estresses e medos desnecessários. Escolha se informar por meio de fontes confiáveis.

4. Lembrar que vai passar

Por mais que a pandemia do novo coronavírus esteja se estendendo já há alguns meses, uma hora ela vai passar. Ter em mente que logo tudo isso vai ter ficado para trás e será apenas uma história de superação a ser contada pode ajudar a ter algum conforto.

5. Buscar ajuda

Embora essas e outras estratégias possam ser úteis, em alguns casos elas podem não ser suficientes para que uma pessoa consiga por conta própria diminuir a sobrecarga que o momento causa à saúde mental ou abandonar comportamentos não saudáveis aos quais aderiu para relaxar de toda a tensão.

Quando isso acontecer, é fundamental procurar o auxílio de um psicólogo. Nos lugares em que o atendimento presencial ainda não foi permitido ou nos casos de pessoas que não podem ou preferem não sair de casa devido ao risco de contaminação pelo novo coronavírus, alguns psicólogos têm feito atendimento via chamada de vídeo (telemedicina).

Segundo a psiquiatra Shaili Jain, existem bons dados para dar suporte à ideia de que o tratamento do estresse pós-traumático (que pode ser experimentado em virtude da pandemia do novo coronavírus) através da telemedicina pode ser tão efetivo quanto o tratamento feito pessoalmente.

Você tem sofrido muito com a tensão e preocupações durante a pandemia do novo coronavírus? Como ter lidado com elas? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Rafael Ferreira de Moraes

Dr. Rafael Moraes formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy em 2013. Pós-graduado em Psiquiatria pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde atuou nos atendimentos ambulatoriais da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e Casa de Medicina da PUC-Rio. Atualmente, exerce sua especialidade em três municípios do estado do Rio de Janeiro: Teresópolis, Magé e Rio de Janeiro, capital. Dr. Rafael é a promessa da Psiquiatria atual, jovem, que preza pelo acolhimento ao paciente unido ao que há de mais recente nesta área em constante evolução. Para mais informações, entre em contato com ele em sua conta oficial no Instagram (@rafafmoraes)

Deixe um comentário