Como Saber Se Tenho Diabetes? Sintomas, Teste e Exames

Especialista:
atualizado em 02/07/2020

Muitas pessoas se perguntam “como saber se tenho diabetes” ao conhecer todos os cuidados que um diabético precisa ter na vida. Veja os sintomas, o teste e os exames que precisam ser feitos a seguir.

A diabetes é uma doença comum e séria que atinge 1 a cada 11 pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde. “Como saber se tenho diabetes” é uma pergunta comum entre pessoas que passam a manifestar certos sintomas, ou que possuem familiares com a mesma condição, já que a hereditariedade é um dos fatores de risco.

O fato é que existem certas formas de se identificar a doença, começando pelas autoanálises, que podem ser percebidas quando os primeiros sintomas se manifestam, e confirmando-se por meio de teste e exames. O exame de sangue é a forma mais assertiva e segura de saber se uma pessoa possui diabetes ou não.

Aproveite e aprenda também qual é a relação entre diabetes e obesidade, e confira como e se a diabetes é hereditária mesmo.

Sintomas de Diabetes

Atualmente, identifica-se 3 tipos de diabetes: tipo 1, que torna uma pessoa dependente de insulina e que é caracterizada pela destruição autoimune das células beta do pâncreas; tipo 2, que representa cerca de 90% dos casos e advém da resistência que o organismo tem à insulina; e a diabetes gestacional, que se manifesta durante a gestação e que ocorre quando há a elevação dos níveis de glicose na corrente sanguínea.

Alguns sintomas são comuns nos três casos, e outros mais específicos. Conheça os principais sintomas que podem ser indicativos para a manifestação da doença se você procura entender como saber se tenho diabetes.

1. Vontade de urinar frequentemente

Normalmente, uma pessoa que se alimenta e consome líquidos regularmente urina entre quatro e sete vezes por dia. No entanto, pessoas com diabetes podem ter vontade de urinar mais vezes.

Isso ocorre porque o corpo reabsorve a glicose durante o trânsito nos rins. Quando o nível de glicose no sangue está alto, os rins não conseguem processar isso, fazendo com que o seu corpo produza mais urina do que o comum, para que o açúcar seja eliminado por meio dessa excreção.

A micção frequente é um dos primeiros sintomas que costuma se manifestar em diabéticos, e um dos mais fáceis de serem notados.

2. Sede e boca seca

Pelo fato de uma pessoa diabética urinar muito, seu corpo torna-se desidratado se não aumentar o consumo de água. Em decorrência disso, o indivíduo passa a sentir mais sede e a boca fica mais seca do que o normal.

Além disso, a desidratação pode se refletir também na pele, que pode vir a se tornar mais seca que o habitual, ou até mesmo descamar.

Micção frequente e sensação de boca seca é uma combinação de sintomas que já apontam a doença e requerem um exame laboratorial para que o diagnóstico possa ser feito adequadamente.

3. Fadiga

O organismo trabalha de forma que os alimentos ingeridos sejam processados e convertidos em glicose, que, por sua vez, será utilizada como fonte de energia.

No entanto, as células precisam de insulina para absorver a glicose. Isso quer dizer que quando o organismo não produz a quantidade adequada de insulina, ou até mesmo quando as células são resistentes a ela, a glicose não consegue penetrar e, portanto, não há a produção energética, deixando as pessoas diabéticas com mais fadiga e famintas.

4. Visão embaçada

Outro sintoma comum que pode se manifestar em pessoas com diabetes é a visão embaçada. Isso pode ter diversas origens.

O mais comum é o edema macular, ou seja, quando a mácula – parte da retina que permite a visão central nítida – incha devido a vazamentos de fluidos. Além da visão embaçada, o edema macular pode desencadear visões onduladas ou até mesmo alteração na percepção de cores.

A retinopatia proliferativa também pode se ocorrer em pessoas com diabetes. Trata-se de um quadro que que se instaura quando os vasos sanguíneos vazam para o centro do olho. Isso faz com que a visão fique embaçada ou você tenha a sensação de estar vendo manchas.

Além disso, o glaucoma é outro problema que pode desencadear visão embaçada, devido aos danos que são causados no nervo óptico por causa da pressão ocular. De acordo com o National Eye Institute, pessoas com diabetes têm o dobro de chances de desenvolverem glaucoma.

5. Dificuldade nas cicatrizações

Outro sintoma que se manifesta mais comumente em diabéticos é a dificuldade do corpo em cicatrizar feridas. Isso advém do excesso de glicose no sangue, que prejudica o sistema imunológico e a diminuição da circulação sanguínea.

Havendo um menor fluxo sanguíneo, os vasos doentes tendem a ter mais dificuldades para cicatrizar. Além disso, a grande quantidade de açúcar no sangue diminui a performance dos glóbulos brancos – células de defesa – no corpo humano, dificultando o processo de cicatrização.

Sintomas de diabetes tipo 1

Enquanto alguns sintomas podem se manifestar em ambos os tipos de diabetes, alguns outros são mais específicos. Alguns dos sintomas da diabetes tipo 1 incluem:

  • Perda de peso não intencional;
  • Dor de estômago e vômitos;
  • Respiração pesada;
  • Fome mesmo após se alimentar corretamente;
  • Sede excessiva;
  • Micção frequente;
  • Alteração frequente de humor;

Sintomas de diabetes tipo 2

Já as pessoas que são acometidas pela diabetes tipo 2 podem ter, além dos sintomas comuns, outros danos, como:

  • Formigamento/dormência nos pés ou pernas;
  • Formação de manchas escuras na pele, principalmente em regiões próximas ao pescoço, axila ou virilha;
  • Infecções frequentes, principalmente as epiteliais e vaginais.

Sintomas de diabetes gestacional

Diabetes gestacional é um quadro que se manifesta em mulheres grávidas, que é desencadeado em decorrência do aumento de glicose na corrente sanguínea durante a gravidez.

Assim como os sintomas das outras variedades dessa condição, as mulhers que são acometidas pela diabetes gestacional podem ter sintomas como:

  • Inchaço nas pernas e pés;
  • Urina frequente;
  • Ganho de peso acima do esperado, tanto da mãe quanto do bebê.

Quando uma mulher grávida é identificada com diabetes gestacional, é importante monitorar os níveis de glicose no sangue frequentemente, cerca de cinco vezes ao dia, para assegurar que a quantidade de açúcar no organismo está adequada e não haverá complicações.

Como saber se tenho diabetes mesmo? Como é diagnosticada?

Embora os sintomas evidenciem que um quadro de diabetes pode ter se instaurado em uma pessoa, é necessário que o diagnóstico seja feito por meio de exames laboratoriais solicitados por seu médico.

Dessa maneira, o quadro, além de ser identificado, poderá receber o tratamento adequado para o tipo de diabetes. Conheça os principais exames:

1. Glicemia em jejum (FPG)

Para que a diabetes possa ser diagnosticada, efetivamente, o indivíduo precisa recorrer a um dos exames mais comuns nesse contexto: glicemia em jejum, que deve ser feito com o paciente submetido a, no mínimo, 8 horas de jejum.

A facilidade de utilização do método e o baixo custo do exame tornaram-no o principal meio de diagnóstico de diabetes.

Nesse exame, os níveis de açúcar no sangue são examinados. Se o teor for superior a 126mg por 100ml de sangue, a doença é diagnosticada. No entanto, quando os números apontam entre 110 e 125, então pede-se o teste oral de tolerância à glicose.

2. Teste Oral de Tolerância à Glicose – TOTG

Teste Oral de Tolerância à Glicose é o nome que se dá ao exame que é popularmente conhecido como exame de curva glicêmica. Trata-se de um teste que pode ser solicitado para ajudar no diagnóstico, e que toda a gestante deve fazer no segundo trimestre de gestação.

Para que a análise seja possível, o paciente deve ingerir 75 gramas de glicose diluída em água ou suco. Após o tempo de absorção do organismo – cerca de duas horas – o exame de sangue é feito para avaliar os resultados.

Quando os valores estão acima de 200, a doença é diagnosticada. Já nos casos em que os valores apontam entre 140 e 199, identifica-se um quadro de pré-diabetes.

3. Teste Aleatório de Glicose Plasmática

Também conhecido como Teste Random, o Teste Aleatório de Glicose Plasmática é feito de forma que a glicose no sangue é analisada, sem considerar o horário e a última refeição consumida.

Se os valores apontarem igual ou superior a 200mg/dl, a doença é identificada. Em conjunto com análise de outros sintomas, esse exame é utilizado para diagnosticar diabetes do tipo 1 e 2 em pacientes.

Embora os sintomas permitam uma identificação prévia do quadro, somente o exame laboratorial pode confirmar o diagnóstico, que deve ser dado por um médico. Nesses casos, ele irá prescrever os novos cuidados a serem adotados, novos hábitos e tratamentos adequados.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já se perguntou como saber se tenho diabetes? Já percebeu algum dos sintomas e pretende fazer um teste? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário