Elixir de Inhame – Para Que Serve e Como Tomar

Especialista:
atualizado em 20/02/2020

De coloração amarelada, o elixir de inhame é um tratamento fitoterápico que promete principalmente a eliminação de toxinas do organismo e o alívio das dores provocadas por cólicas ou reumatismo, além de ser um facilitador da digestão. Abaixo, você verá os reais benefícios do elixir de inhame, quais os cuidados você deve ter ao utilizá-lo e como tomar para obter os melhores resultados.

Também conhecido pelo nome de elixir de inhame-da-costa, o elixir de inhame é um “medicamento” líquido, de coloração amarela e que é comercializado em frascos. Sua composição conta com a polpa do inhame, a salsa, a vitamina A, a vitamina B6 e a vitamina C.

O inhame é um tubérculo extremamente gostoso, saudável e versátil. O inhame é bom para a saúde feminina, contra o câncer e até ajuda a evitar a anemia por ser uma grande fonte de ferro, mineral que participa do processo de transporte de oxigênio, realizado pelas hemácias. E não é só isso, descubra os maiores benefícios do inhame, para que ele serve e suas principais propriedades.

Apesar de todos esses benefícios, o mais conhecido é o seu potencial na gravidez. O preparo do chá de inhame ajuda a estimular a ovulação devido à alta presença de ácido fólico. Você vai gostar de saber mais sobre as maravilhas do chá de inhame, além de aprender uma receita excelente com dicas imperdíveis.

Além de ser considerado um incrível alimento e ser bom para o estímulo da ovulação, ainda é delicioso e versátil, podendo ser utilizado em receitas salgadas como, por exemplo, em purês, escondidinhos e em doces, como sorvetes e até sucos. O suco de inhame possui uma grande quantidade de fibras que auxiliam o sistema digestivo e ainda mantém você saciado por muito tempo. Conheça as 8 melhores receitas de suco de inhame com limão.

Para que serve o elixir de inhame? 

Agora que já conhecemos o que é esse produto, podemos seguir em frente e saber a quais usos ele já foi associado.

Entretanto, antes disso, precisamos informar que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda do produto porque a sua fórmula contém quantidades elevadas de álcool.

O produto chamado de Elixir de Inhame Goulart teve o seu registro suspenso no Brasil no ano de 2006.

Ainda assim, o medicamento pode ser encontrado em algumas lojas de produtos naturais. Porém, o fato de a Anvisa ter retirado a comercialização do elixir de inhame pode significar que o seu consumo não é seguro e/ou eficiente e quem decide utilizar, faz por sua conta e risco, sabendo que isso pode provocar problemas para a saúde, além de poder não trazer o resultado desejado.

Porém, a título de curiosidade, vamos conhecer algumas das serventias já atribuídas ao produto.

Na internet é possível encontrar relatos a respeito do uso do elixir de inhame para engravidar. A justificativa é que o medicamento possui uma composição rica em vitamina B6, um nutriente que auxilia a regulação dos níveis de progesterona, facilitando assim a ovulação.

Níveis baixos de progesterona podem fazer com que a mulher tenha dificuldades para engravidar ou suportar o período completo de uma gestação. No entanto, não existem pesquisas que comprovem a eficácia do elixir de inhame para engravidar.

Mulheres que sofrem com dificuldades para ficarem grávidas devem procurar o auxílio do médico ginecologista. O profissional é quem pode examinar a mulher, descobrir as causas do problema e indicar o tratamento adequado para que ela tenha maiores chances de engravidar.

Além disso, o elixir de inhame já foi associado a usos como a facilitação da digestão, a eliminação de toxinas por meio do suor e da urina, a limpeza da pele com a diminuição do aparecimento da acne, o alívio de inflamação das articulações causadas pelo reumatismo e pela artrite, a redução das dores provocadas por cólicas e facilitação da digestão de alimentos gordurosos.

O produto também é conhecido por possuir efeitos depurativos (que auxiliam a limpeza), analgésicos, anti-inflamatórios, antiespasmódicos, antirreumáticos e diuréticos.

O elixir de inhame também é utilizado em casos de furúnculos e abcessos, para fortalecer os gânglios linfáticos, em casos de asma e espasmos musculares, para aumentar a urina por conta de seu efeito diurético e para o tratamento de sintomas da Tensão Pré-Menstrual (TPM).

Entretanto, não há como garantir que nada disso funcione e que vale a pena utilizar o produto, principalmente porque, como já vimos por aqui, o produto foi proibido pela Anvisa. Portanto, se você sofre com qualquer um desses problemas, consulte o seu médico para descobrir qual é a melhor forma de tratá-lo.

Cuidados com o elixir de inhame

Se mesmo sabendo que a Anvisa proibiu a comercialização do elixir de inhame, você resolver teimar e decidir que quer comprar e utilizar o medicamento, ao menos preste atenção quanto aos cuidados que se deve ter ao usá-lo.

O produto é contraindicado para crianças com menos de 14 anos de idade e mulheres que estejam grávidas ou encontrem-se em fase de amamentação de seus bebês.

Em alguns casos, o remédio pode provocar efeitos colaterais como náuseas e dores de estômago.

Por mais que seja apresentado como um produto natural, o elixir de inhame ainda é um medicamento e, portanto, deve ser utilizado somente com a indicação e o acompanhamento do médico, que é quem pode determinar se o remédio realmente é apropriado para o caso em questão e se não trará nenhum prejuízo à saúde do paciente.

Como tomar o elixir de inhame 

A recomendação popular é tomar duas colheres de sopa do elixir de inhame diariamente – uma na hora do almoço e outra antes do jantar. A ingestão diária do medicamento não deve ultrapassar as três colheres e o tratamento com o remédio não pode durar mais do que três meses.

Entretanto, vale a pena relembrarmos que o produto não tem a sua venda liberada pela Anvisa, o que faz com o que o seu consumo seja arriscado. Assim, não deixe de refletir bem e conversar com o médico para ver se realmente vale a pena fazer o seu uso.

Fitoterápicos funcionam?

Um estudo da renomada revista científica Nature publicado em 1990 questionou a eficácia dos fitoterápicos como o elixir de inhame. Apesar de antigo, o estudo é pertinente até os dias de hoje.

A busca por remédios naturais é válida, mas é importante questionar a eficácia e os reais benefícios da fitoterapia na vida das pessoas. Muitas das opções naturais aclamadas pela medicina alternativa não têm nenhuma comprovação científica contundente.

Segundo a Dra. Elizabeth Williams, editora da revista científica Phytotherapy Research, muita gente vê o natural como seguro e a verdade é que nem sempre isso é verdade. Existem muitas substâncias tóxicas na natureza e é importante conduzir estudos detalhados sobre as espécies para entender os seus benefícios e também seus riscos.

As substâncias naturais encontradas nos fitoterápicos em geral têm sim o seu valor, mas a questão é que elas precisam ser estudadas e bem compreendidas antes de ser usada para fins terapêuticos, especialmente para tratamentos de longo prazo.

Inhame – o tubérculo

Ao invés de apostar suas fichas em um remédio fitoterápico que não tem benefícios comprovados cientificamente nem é aprovado pela Anvisa, por que não confiar no que a natureza nos oferece e conhecer alguns benefícios do inhame.

A inclusão do inhame na sua alimentação pode trazer uma série de nutrientes além de fibras dietéticas. Em uma xícara de inhame cozido, há cerca de 5 gramas de fibras, 37 gramas de carboidratos, 2 gramas de proteínas e quantidades significativas de vitamina C.

Outros nutrientes que o inhame oferece são vitaminas como a vitamina E, a vitamina A, a vitamina C, a vitamina K, o folato e várias vitaminas do complexo B. Quanto aos minerais, o inhame pode fornecer um alto teor de manganês, cobre e potássio além de outros minerais importantes como o cálcio, o ferro, o magnésio, o sódio, o fósforo, o zinco, o cobre e o selênio. 

Conclusão

Os mesmos nutrientes presentes no elixir de inhame estão presentes no tubérculo com a vantagem de muitos outros nutrientes adicionais e de se tornar fonte de energia para suas atividades diárias. 

Não é por que o elixir de inhame é composto por ingredientes naturais que ele é seguro. Os estudos sobre o uso dele na medicina são escassos e é melhor evitar usa-lo sem indicação ou acompanhamento médico.

E se você estiver precisando tratar alguma condição para a qual o elixir de inhame parece ser uma solução, vá até um médico e veja se há opções de tratamento mais seguras para você. Problemas de fertilidade, por exemplo, são assuntos complexos que precisam ser avaliados detalhadamente por um médico. Se você buscar fazer um diagnóstico e buscar orientação especializada, provavelmente você vai ter melhores resultados do que usando o elixir de inhame.

Mas se ainda assim quiser apostar suas fichas no elixir de inhame, vá com cautela e procure assistência médica se notar qualquer efeito colateral.

Fontes consultadas:

Você já tinha ouvido falar no elixir de inhame e para que serve esse produto? Tem curiosidade de experimentá-lo para algum desses propósitos mencionados? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (268 votos, média: 3,97 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário