Gabapentina Engorda? Para Que Serve, Posologia e Efeitos Colaterais

Especialista:
atualizado em 04/09/2017

A Gabapentina é um medicamento de uso oral, adulto e pediátrico para pacientes a partir dos 12 anos de idade. Ela é encontrada em embalagens contendo 30 cápsulas de 300 mg e 400 mg e a sua venda é permitida somente mediante a apresentação de receita médica.

Para que serve Gabapentina? 

De acordo com a bula do remédio disponibilizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ele é indicado para o tratamento de dor neuropática em adultos, que acontece por conta de lesão e/ou mau funcionamento dos nervos ou do sistema nervoso.

Gabapentina também pode ser utilizada como terapia adjunta em casos de crises epilépticas parciais (convulsões) em pacientes a partir dos 12 anos de idade.

Gabapentina engorda?

É possível afirmar que Gabapentina engorda porque uma das reações adversas associadas ao uso do medicamento que aparece descrita na bula é justamente a elevação do peso. Além disso, o aumento do apetite, que pode levar ao aumento de peso, é outra reação que aparece na bula como possível de ser experimentada pelos pacientes que fazem uso do medicamento.

Por outro lado, também existem chances de que o remédio resulte em uma diminuição do peso. Outro efeito colateral que aparece descrito em sua bula é a anorexia. Trata-se de um distúrbio alimentar em que há uma diminuição grave do peso, acima do que é considerado saudável.

A doença faz com que a pessoa se enxergue como alguém acima do peso mesmo quando seu peso está abaixo do ideal e pode levar até mesmo ao óbito. 20% dos casos do distúrbio alimentar resultam em morte.

Nos dois casos, especialmente no caso da anorexia que é um distúrbio grave, é fundamental buscar ajuda do médico para saber como proceder em relação ao tratamento com o medicamento.

E nada de usar Gabapentina achando que pode emagrecer com ele. Além de haver a chance de ter o efeito contrário, já que vimos também que a Gabapentina engorda em algumas situações, a perda de peso que ele promove é muito arriscada e traz consigo a possibilidade de uma série de outros efeitos colaterais, como veremos no tópico a seguir.

Outros efeitos colaterais de Gabapentina

Agora que já entendemos se Gabapentina engorda ou não, vamos conhecer outras reações adversas que o medicamento pode trazer. Conforme informações da bula disponibilizada pela Anvisa, o remédio pode causar os seguintes efeitos colaterais:

  • Mal estar;
  • Fadiga;
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nas costas;
  • Dor abdominal;
  • Edema (inchaço) facial;
  • Infecção viral;
  • Dor;
  • Sintomas de gripe;
  • Lesão acidental;
  • Edema generalizado;
  • Dor no peite;
  • Vasodilatação;
  • Palpitação;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Boca seca;
  • Garganta seca;
  • Vômito;
  • Náusea;
  • Flatulência;
  • Má digestão;
  • Prisão de ventre;
  • Diarreia;
  • Anormalidades dentárias;
  • Gengivite;
  • Pancreatite;
  • Diminuição de leucócitos e/ou plaquetas;
  • Redução na contagem de glóbulos brancos;
  • Púrpura (manchas por conta do extravasamento de sangue na pele);
  • Edema periférico;
  • Hiperglicemia;
  • Hipoglicemia;
  • Icterícia;
  • Elevação dos testes de função hepática;
  • Hepatite;
  • Aumento do tamanho das mamas;
  • Hipertrofia das mamas;
  • Fratura;
  • Dor muscular;
  • Dor nas articulações;
  • Zumbido no ouvido;
  • Confusão mental;
  • Alucinação;
  • Amnésia;
  • Confusão mental;
  • Sonolência;
  • Insônia;
  • Nervosismo;
  • Tremor;
  • Tontura;
  • Vertigem;
  • Alteração do humor;
  • Falta de coordenação dos movimentos;
  • Dificuldade de articular as palavras;
  • Aumento da atividade motora em todo o corpo;
  • Espasmos musculares;
  • Contrações musculares;
  • Aumento, diminuição ou abolição dos reflexos;
  • Coordenação anormal;
  • Depressão;
  • Instabilidade emocional;
  • Movimentação involuntária dos olhos;
  • Pensamento anormal;
  • Abalos musculares;
  • Ansiedade;
  • Hostilidade;
  • Alteração da marcha;
  • Queda;
  • Perda de consciência;
  • Diminuição da visão;
  • Visão dupla;
  • Visão anormal;
  • Tosse;
  • Faringite;
  • Rinite;
  • Pneumonia;
  • Escoriação;
  • Acne;
  • Prurido (coceira);
  • Dispneia (falta de ar);
  • Erupção cutânea;
  • Eritema multiforme (lesões avermelhadas e salientes na pele);
  • Síndrome de Stevens-Johnson (reação alérgica grave);
  • Angioedema (inchaço em decorrência de uma reação alérgica);
  • Urticária;
  • Impotência;
  • Infecção do trato urinário;
  • Insuficiência renal aguda;
  • Incontinência urinária;
  • Disfunção sexual.

Ao experimentar uma ou mais dessas ou de outras reações indesejáveis, informe o seu médico a respeito do problema para saber como deve proceder.

Contraindicações de Gabapentina

O medicamento não deve ser usado por pessoas que sofram com hipersensibilidade a qualquer um dos componentes de sua fórmula. Mulheres grávidas, que estejam planejando ficar gestantes ou engravidem durante o tratamento devem informar ao médico a respeito da gestação.

Mulheres que estejam amamentando também devem relatar ao médico e só podem utilizá-lo com estrita orientação e observação do profissional, tendo em vista que o remédio é eliminado no leite materno.

Durante o tratamento com Gabapentina, o paciente também não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem sofrer prejuízos. As atividades só podem ser retomadas após o médico atestar que o medicamento não está afetando as habilidades do paciente.

O médico também deve ser informado a respeito de todos os medicamentos que a pessoa tome ou possa começar a utilizar para verificar se não existem riscos de interação entre a Gabapentina e o remédio em questão.

Posologia de Gabapentina

A bula do medicamento informa que a dose eficaz tanto para a epilepsia em pacientes a partir de 12 anos de idade quanto para os adultos com dor neuropática fica entre 900 mg e 3600 mg por dia, com a sugestão de 300 mg três vezes ao dia.

Para os casos de epilepsia, o intervalo entre as doses não deve ser maior do que 12 horas, como forma de evitar a reincidência das convulsões.

Pessoas com insuficiência renal podem precisar de ajuste da dose. Para os pacientes que fazem hemodiálise, a bula recomenda uma dose de ataque de 300 mg a 400 mg e, depois, doses de 200 mg a 400 mg depois de cada quatro horas de hemodiálise.

Entretanto, a dosagem indicada para cada caso deve ser feita de modo individual, sendo determinada e ajustada pelo médico conforme o caso e a necessidade de cada paciente. O profissional pode recomendar que a pessoa comece com 300 mg por dia e aumente gradativamente até os 900 mg, fazendo ajustes conforme a resposta do paciente.

Assim, nada de se automedicar ou tomar uma quantidade diferente da passada pelo médico. Para garantir a segurança do seu tratamento, siga todas as orientações do profissional em relação ao horário e a duração do uso do remédio. Se não fizer isso, colocará a sua saúde em risco.

Você já foi receitado este medicamento e tinha receio de tomar pois acreditava que a Gabapentina engorda? Já experimentou esse efeito com a ingestão do remédio? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (110 votos, média: 3,94 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário