Glicemia Baixa Pode Matar? Sintomas, Causas e Cuidados

A glicemia baixa é uma complicação da diabetes que, além de causar sintomas extremamente desagradáveis como tontura, náusea e confusão mental, pode ser uma condição muito perigosa para a saúde.

Abaixo, vamos esclarecer se a glicemia baixa pode matar, além de mostrar os principais sintomas, causas e cuidados necessários para evitar e tratar essa condição que aflige tantos diabéticos diariamente.

Diabetes

A diabetes é uma doença crônica que atinge milhões de brasileiros. Basicamente, ela tem a ver com problemas no hormônio chamado insulina. Quando o organismo funciona normalmente, o pâncreas libera insulina, hormônio que permite que o corpo retenha os nutrientes como estoque de energia ou use os açúcares e gorduras ingeridos pela dieta como fonte de energia, regulando os níveis de glicose no sangue.

Porém, nem sempre isso acontece da maneira esperada, e aí surge a diabetes.

  • Diabetes tipo 1: Na diabetes do tipo 1, as células beta no pâncreas responsáveis pela produção de insulina são atacadas pelo próprio sistema imunológico do corpo. Dessa forma, o organismo se torna incapaz de produzir insulina em quantidades suficientes. Esse tipo de diabetes é tratado através de injeções de insulina e afeta cerca de 10% da população mundial.
  • Diabetes tipo 2: Nesse tipo de diabetes, o pâncreas produz a insulina, mas a quantidade é inadequada ou o corpo se torna resistente a ela. Em ambos os casos, a glicose não é capaz de ser processada de modo eficaz pelo organismo, causando picos de açúcar alto no sangue. Esse é o tipo mais comum de diabetes no mundo e pode ser tratada através de alterações na dieta e no estilo de vida, além do uso de medicamentos para controlar o índice glicêmico.

Glicemia baixa

A glicemia baixa, conhecida também como hipoglicemia, é um termo médico usado para designar a glicemia perigosamente baixa no organismo.

Pessoas com diabetes têm um risco maior que outras pessoas de sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) ou derrame. Um derrame ocorre quando existe um bloqueio ou rompimento de veias que levam sangue até o cérebro. Esse bloqueio de suprimento sanguíneo pode causar a morte de células cerebrais, causando danos permanentes no órgão.

Em casos graves, os sintomas de hipoglicemia podem ser muito parecidos com o de um AVC, mesmo não sendo um AVC verdadeiro. Isso significa que a hipoglicemia pode imitar os sintomas de um AVC e causar danos cerebrais devido ao que se chama de acidente vascular cerebral hipoglicêmico. Esse é um dos pontos importantes para mais abaixo entendermos se a glicemia baixa pode matar.

Como saber se você tem glicemia baixa? Valores de referência

Existem valores de referência para diagnosticar um caso de glicemia baixa. Quando estamos em jejum, é normal que os níveis de glicose fiquem mais baixos em uma quantidade que varia de 70 a 100 miligramas por decilitro de sangue.

Normalmente, níveis de glicose no sangue abaixo de 70 miligramas por decilitro de sangue indicam hipoglicemia, principalmente se eles forem observados ao longo do dia entre as refeições. Essa condição pode e deve ser tratada através de medicamentos prescritos e exercícios físicos adequados para a sua condição.

Porém, existem casos em que os níveis de glicose podem ficar mais baixos do que 18 miligramas por decilitro de sangue. Isso é extremamente perigoso e pode causar uma falha de energia no cérebro que pode ser confirmado por um exame como um eletroencefalograma, que mede a atividade elétrica no órgão. Nesse caso, a glicemia baixa pode matar, pois ocorre a morte de neurônios no cérebro e muitos danos cerebrais permanentes que, eventualmente, podem levar à morte.

Sintomas

Os sintomas de glicemia baixa aparecem assim que os níveis de glicose no sangue caem e eles podem variar de pessoa para pessoa. Algumas podem ter sintomas leves ou moderados, enquanto outras podem não sentir nada.

Os principais sintomas mais leves ou moderados de glicemia baixa incluem:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Dor de cabeça;
  • Suor excessivo;
  • Instabilidade de humor ou irritabilidade;
  • Visão embaçada;
  • Problemas de memória;
  • Fadiga;
  • Sonolência;
  • Tontura;
  • Palidez;
  • Problemas de coordenação motora;
  • Alterações no batimento cardíaco como batimento irregular ou rápido demais;
  • Fraqueza sem razão aparente;
  • Formigamento e dormência no corpo;
  • Dificuldade de concentração e ausência de clareza nos pensamentos;
  • Alterações de humor;
  • Dores musculares.

Os sintomas mais graves de hipoglicemia incluem:

  • Desmaios e episódios de inconsciência;
  • Convulsões ou movimentos bruscos involuntários;
  • Incapacidade de se alimentar ou ingerir bebidas;
  • Coma.

Quando ocorre um episódio de hipoglicemia grave, geralmente a pessoa precisa da ajuda de outras ao redor, já que não tem consciência para se defender sozinho. Essa condição é mais comum em pessoas com diabetes do tipo 1, mas também pode ocorrer em indivíduos que apresentam diabetes do tipo 2.

Além disso, quando o índice glicêmico fica muito baixo, o indivíduo pode sofrer um choque insulínico que resulta em um coma. Isso pode causar danos permanentes ao sistema nervoso incluindo danos cerebrais. Como já foi mencionado acima, os sintomas mencionados acima são muito semelhantes ao de uma pessoa que está tendo um acidente vascular cerebral e, além disso, quem é diabético pode ter um risco maior de desenvolver problemas cardiovasculares.

É possível também apresentar alguns sintomas de hipoglicemia durante o sono. Alguns sintomas desse tipo incluem:

  • Chorar ou ter muitos pesadelos durante a noite, o que indica instabilidade no humor;
  • Suor excessivo que deixa o pijama ou as roupas de cama úmidas ou até mesmo molhadas;
  • Sentimento de cansaço, irritação ou confusão mental logo após acordar.

Causas

Normalmente, a hipoglicemia se manifesta em pessoas que já têm diabetes. A glicemia baixa pode ser causada por diversos fatores, dentre eles destacam-se:

  • Doença hepática: Se o fígado estiver doente, a liberação de glicose pelo órgão pode ser prejudicada, causando episódios de glicemia baixa.
  • Problemas no pâncreas: Alterações no pâncreas como a presença de um tumor ou defeito metabólico pode resultar na liberação de muita insulina. Além disso, o pâncreas é responsável por avisar o fígado de que o corpo precisa de mais glicose. Se essa comunicação é falha, o fígado não vai cumprir o seu papel e essa falha vai resultar em níveis baixos de glicose sanguínea.
  • Consumo abusivo de álcool: O consumo de álcool prejudica a manutenção dos níveis de glicose no sangue, principalmente se você ingerir a bebida alcoólica com o estômago vazio. Além disso, o álcool pode ser perigoso para diabéticos, já que o efeito da bebida pode mascarar alguns sintomas da hipoglicemia, aumentando o risco de complicações.
  • Medicamentos para diabetes: Algumas vezes, a hipoglicemia pode ser um efeito colateral da insulina ou de outros medicamentos usados no tratamento de diabetes. Geralmente, os remédios que mais causam hipoglicemia como um efeito adverso são os da classe das sulfonilureias e das meglitinidas. Se isso acontecer por causa de um medicamento, é preciso conversar com um médico para alterar a dose ou trocar o medicamento.
  • Falta de carboidratos: Quando você ingere alimentos ricos em carboidratos, o sistema digestivo decompõe esses açúcares em amido e glicose. A glicose entra direto na corrente sanguínea e eleva o nível de glicose no sangue. Assim, a glicemia baixa pode ser o resultado de uma ingestão insuficiente de carboidratos na dieta.
  • Refeições pouco frequentes: Quem tem diabetes precisa estar atento à alimentação. Ao mesmo tempo que é preciso controlar níveis altos de glicose no sangue, o contrário também não é desejado. Ao pular ou atrasar muito uma refeição, a glicose pode ficar perigosamente baixa no sangue, principalmente se você já toma algum medicamento para controlar o açúcar sanguíneo. Por isso que muitas vezes os diabéticos acordam se sentindo mal pela manhã, devido ao período prolongado sem comer enquanto estava dormindo.
  • Atividade física em excesso: Praticar atividades físicas sempre é bom. Porém, diabéticos precisam ter cuidado. Aumentar o nível de exercícios físicos pode esgotar seu estoque de energia e reduzir o nível de glicose no sangue, e tal efeito pode perdurar por até 24 horas após a atividade. Assim, é importante avisar o seu instrutor de treino que você tem diabetes para que ele possa passar um treino adequado à sua condição.
  • Hipoglicemia idiopática: Algumas pessoas podem ter glicemia baixa devido a uma condição chamada de hipoglicemia idiopática que ainda não tem causa definida.

Então a glicemia baixa pode matar?

A glicemia baixa é um dos problemas mais difíceis de enfrentar quando se trata de diabetes, principalmente para pessoas que têm diabetes do tipo 1.

Os episódios de glicemia baixa podem afetar negativamente a qualidade de vida dos pacientes além de causar sintomas que, quando graves, podem sim causar a morte, principalmente se acontecerem no meio da noite ou quando o indivíduo estiver sozinho.

Porém, se o controle da doença for feito de modo adequado e a pessoas souberem o que fazer quando a glicemia estiver baixa, é improvável que a pessoa morra durante uma crise hipoglicêmica.

Cuidados

Para evitar que ocorram episódios de glicemia baixa que podem colocar sua saúde e sua vida em risco, são recomendados os seguintes cuidados e precauções:

1. Uso de medicamentos

Se você é um diabético que usa insulina, sulfonilureia ou meflitinida, tenha mais cuidado com o seu tratamento para prevenir possíveis casos de hipoglicemia. Para isso, alimente-se com frequência, não exagere nas atividades físicas e esteja sempre atento a possíveis sintomas de glicemia baixa.

2. Verifique sempre os níveis de glicose no sangue

  Continua Depois da Publicidade  

Monitorar o nível de glicose no sangue pode ser uma boa medida preventiva, principalmente se você toma os medicamentos mencionados anteriormente. Já existem nas farmácias medidores de glicose portáteis através dos quais você pode medir o seu nível de açúcar no sangue mesmo estando longe do consultório médico. Porém, é importante seguir a recomendação médica quanto à frequência com a qual você deve verificar a glicose sanguínea.

3. Desconhecimento da condição

Em alguns casos, os diabéticos não sentem ou não são capazes de reconhecer os sintomas da hipoglicemia. Se esse for o caso, pode ser necessário medir a glicose no sangue com mais frequência do que outras pessoas para que a glicemia baixa não passe desapercebida e prejudique sua saúde.

4. Hipoglicemia constante

Algumas pessoas têm o que se chama de hipoglicemia inconsciente ou com frequência. Nesses casos, é possível conversar com um médico par adquirir um monitor contínuo de glicose. Esse aparelho verifica os níveis de glicose no sangue em horários pré-determinados ao longo do dia e da noite. Além disso, ele soa um alarme ao notar que a glicose no sangue está caindo ou está em níveis muito baixos. Isso é muito útil principalmente se você sofrer de glicemia baixa durante o sono.

5. Coma com frequência

Um plano alimentar adequado para diabetes é fundamental no tratamento da condição e essencial para prevenir casos de hipoglicemia. O indicado é se alimentar regularmente incluindo sempre boas fontes de carboidratos que ajudam a manter os níveis de glicose no sangue adequados.

Além disso, para evitar episódios hipoglicêmicos durante o sono, não é recomendado que diabéticos durmam com o estômago completamente vazio.

6. Faça exercícios físicos com cautela

Como já foi discutido acima, a atividade física intensa pode diminuir a glicose presente no sangue. Assim, é importante fazer exercícios mais leves respeitando seus limites e, se possível, verificar o seu índice glicêmico antes, durante e logo após a atividade física para ver se aquela atividade está de acordo com suas limitações. Outra dica interessante é nunca fazer exercícios com a barriga vazia para evitar que a glicose sanguínea caia muito durante a atividade.

7. Tenha snacks à disposição

Ao sentir qualquer sintoma de glicemia baixa, consuma alguma fonte de carboidrato o mais rápido possível. Pode ser uma bala, uma barra de cereais, um biscoito, uma fruta ou qualquer outro alimento fácil de transportar na bolsa para casos emergenciais. Existem também pastilhas de glicose disponíveis na farmácia que servem para o mesmo fim. Ingerir uma fonte de carboidrato simples faz com que ocorra um pico de glicose no sangue, controlando o episódio de hipoglicemia rapidamente e evitando a ocorrência de complicações.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que a glicemia baixa pode matar? Possui diabetes tipo 1 ou tipo 2? Já sentiu estes sintomas ligados à hipoglicemia? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

4 comentários em “Glicemia Baixa Pode Matar? Sintomas, Causas e Cuidados”

  1. Tenho 31 anos, tenho diabetes melitus tipo 1, desde os 22 anos. Porém tive uma menina há 6 anos linda e perfeita, mas tenho crises descompensada de hipoglicemia chega diariamente a 15, 16. Estou com muito medo de sofrer danos cerebral, pois os sintomas são iguais ao do AVC .

  2. Tenho 43 anos estou com a glicemia 78 isso é normal estou um pouco preocupada, ando sintindo muita dores de cabeça.

  3. Estou tendo picos de hipoglicemia muito baixas após as refeições, fiz cirurgia bariátrica há 3 anos, porém de um ano pra cá se saio da dieta recomendada pela nutricionista isso acontece estou preocupada pois a glicose vai pra menos de 30 o que fazer já que ela baixou por conta da refeição?

  4. Sinto esses sintomas citados acima,fiz o exame e deu que estou com a glicemia baixa , porém estou grávida de 38 semanas e estou muito preocupada.