Miojo

Glutamato Monossódico – O Que é, Para Que Serve e Alimentos

O glutamato monossódico é um aditivo alimentar bastante controverso no meio científico e da nutrição, dividindo opiniões de especialistas e pesquisadores.

Alguns estudiosos acreditam que o glutamato monossódico pode trazer diversos malefícios para a saúde, principalmente se consumido por crianças, enquanto outros especialistas afirmam que esta é uma substância inofensiva para a nossa saúde.

A verdade é que este aditivo alimentar está presente na maioria dos alimentos processados que consumimos e por isso é importante entendermos o que é, para que serve e como o glutamato monossódico pode afetar o nosso organismo.

Por isso, vamos dar algumas informações sobre ele, relatar o que foi descoberto em alguns estudos e indicar os alimentos com maior teor de glutamato monossódico em sua composição. 

Mas afinal, o que é o glutamato monossódico?

Descoberto por um professor de química no Japão, no ano de 1908, o glutamato monossódico é um tipo de sal feito a partir do ácido glutâmico. Este tipo de sal é responsável pelo sabor “umami”.

Talvez você não saiba, mas o paladar humano pode identificar cinco tipos de sabores. São eles o salgado, o doce, o amargo, o azedo e o umami, gosto descoberto por este professor japonês, Kikunae Ikeda.

O umami é identificado no nosso paladar através da língua por receptores específicos do aminoácido glutamato. Este aminoácido é muito presente em diversos alimentos, como alguns tipos de queijo, cogumelos, tomates e até no leite materno.

Foi através de uma experiência com um ingrediente rico em glutamato e a adição de sódio que o professor Ikeda criou o glutamato monossódico e passou a comercializar este tipo de tempero, hoje conhecido no mundo inteiro como Ajinomoto. 

Para que serve?

A presença do glutamato monossódico em alimentos processados é muito grande, pois este aditivo é responsável por realçar e melhorar o sabor dos alimentos, principalmente em produtos enlatados, sopas instantâneas, miojo e carnes processadas.

Isso é necessário porque os alimentos industrializados muitas vezes perdem o seu sabor original, já que, ao serem processados, eles perdem importantes nutrientes e muitas substâncias que dão o seu sabor característico.

É por isso que a maioria dos produtos que compramos contêm a adição de glutamato monossódico e, mesmo sem saber, consumimos diariamente este aditivo.

Alimentos com o maior índice de glutamato monossódico

Como dissemos, a maioria dos produtos que compramos em supermercados vai conter alguma dose de glutamato monossódico, mas vamos apresentar uma lista com os alimentos que contém o maior índice deste polêmico aditivo:

  • Salgadinhos;
  • Enlatados;
  • Alimentos congelados;
  • Molhos industrializados;
  • Laticínios pasteurizados e leite em pó;
  • Carnes processadas, como presunto, mortadela, salame, entre outros.

Alimentos que contêm glutamato monossódico naturalmente

Existem alguns alimentos naturais que contêm glutamato, que, ao ser combinado com sódio, cria naturalmente o glutamato monossódico no nosso organismo. No entanto, os valores desta substância, quando ingerida através destes alimentos naturais, são muito menores do que quando ela é adicionada como aditivo.

Alimentos naturais que podem criar o glutamato monossódico naturalmente são o tomate, a uva, a batata, a ervilha, os cogumelos e alguns tipos de queijo, como o parmesão e o roquefort.

A não ser que você tenha sensibilidade ou alergia ao glutamato monossódico, você não deve evitar o consumo destes alimentos naturais, já que eles vão oferecer outros nutrientes importantes para a sua saúde. Se você se preocupa com o consumo do glutamato monossódico, o melhor é diminuir o consumo dos alimentos industrializados.

Efeitos colaterais

Existe muita polêmica sobre o uso do glutamato monossódico na alimentação, já que algumas pessoas relatam efeitos colaterais indesejados, entre eles fraqueza, náusea, dores no peito, dor de cabeça, suor excessivo, palpitações, dormência e pressão no rosto, entre outros sintomas preocupantes.

No entanto, as pesquisas feitas para investigar os efeitos do glutamato monossódico no corpo humano ainda não encontraram evidências concretas de que ele seja realmente o causador destes problemas.

Pesquisas apontam que algumas pessoas podem ter reações alérgicas ao glutamato monossódico e por isso sofrem destes sintomas. É importante prestar atenção caso esses sintomas apareçam depois de comer algum alimento que contenha glutamato monossódico. Alérgicos devem evitar o consumo deste aditivo.

Estudos

A maioria dos estudos que apontam os malefícios do glutamato monossódio foram feitos em animais e por isso alguns especialistas afirmam que não há confirmações de que o composto faz mal também para seres humanos. No entanto, há muita polêmica sobre este assunto, já que alguns especialistas afirmam que o glutamato monossódico é muito perigoso para a saúde.

Uma pesquisa realizada com 71 pessoas com boa saúde ofereceu cápsulas de glutamato monossódico e placebo para verificar suas reações físicas. Os sintomas negativos foram sentidos tanto pelas pessoas que ingeriram o glutamato monossódico, quanto pelas que tomaram o placebo.

Outro estudo, maior e mais recente, feito em 2000, estudou 130 pessoas que diziam sentir reações adversas ao consumir alimentos que contêm glutamato monossódico. Elas também ingeriram placebo ou cápsulas com a substância em questão para verificar se o causador das alergias e sintomas adversos era de fato o glutamato monossódico.

Os resultados foram similares aos da primeira pesquisa, indicando que tanto com o placebo quanto com as cápsulas de glutamato monossódico, as pessoas tinham as reações. Ao realizar o teste com os alimentos com altas doses do composto, os efeitos colaterais foram muito maiores, mas ainda assim com resultados inconclusivos.

Cuidados e dicas

Todo e qualquer aditivo alimentar pode trazer malefícios para a nossa saúde. Nos dias de hoje é muito comum que as pessoas se alimentem basicamente de produtos industrializados e consumam pouquíssimos alimentos naturais.

Isso por si só já é bastante prejudicial para a nossa saúde. Independente do que dizem sobre o glutamato monossódico, o fato principal é que ele está presente nestes alimentos processados e industrializados e isso já deveria ser um motivo para evitar este consumo.

Manter uma alimentação saudável é fundamental para evitar doenças e sintomas desagradáveis e, por isso, indicamos que sua alimentação seja baseada muito mais em produtos naturais do que produtos industrializados.

Você tem o costume de consumir alimentos processados e industrializados que contêm glutamato monossódico? Pretende reduzi-los por conta dos potenciais riscos à saúde? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)




ARTIGOS RELACIONADOS

3 comentários

  1. Depois de saber que o glutamato monossódico faz muito mal a nossa saúde, eu vou evitar consumir estes alimentos industrializados.

  2. Flávio Antônio das Neves

    Melhor é comprar (ou fazer) uma farinhazinha de mandioca e acrescentar alguns temperinhos como pimenta, cebola, alho e salsinha. Muito mais garantido e melhor.

  3. Olá, sou o Rodolfo e queria dar um depoimento aqui. Há 3 anos comecei a sentir uma fraqueza sem causa aparente. Em janeiro de 2017 abandonei a academia depois de 4 anos ininterruptos por conta desta mesma fraqueza. Já fiz diversos exames para obter um diagnóstico e… nada. Antes de ontem ao pegar o Aji-sal (Ajinomoto) para fazer o almoço tive um “insight”: e se for esse produto que está me causando essa fraqueza extrema? Desliguei o fogão e vim pesquisar na internet, onde me deparei com vários artigos sobre o tema. Ainda não falei com nenhum médico sobre o uso do glutamato monossódico por mais de 15 anos. De qualquer forma, decidi parar de usar pra ver seu meu corpo reage bem depois de abandonar o produto. Gostaria de conhecer pessoas que porventura estejam passando pelos mesmos sintomas que eu e que fazem uso do glutamato em suas diferentes apresentações.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*