Doritos Engorda? Faz Mal? Calorias e Análise

Especialista:
atualizado em 20/12/2019

Criado no ano de 1965 nos Estados Unidos e lançado em 1986 no Brasil, o Doritos é um salgadinho que se encontra disponível nos sabores jalapeño e limão, queijo temperado, queijo nacho, taco mexicano, steak grill e dippas (tortillas de milho).

O produto pode ser encontrado em pacotes de 22 g, 30 g, 55 g, 90 g, 100 g, 110 g, 170 g, 200 g e 400 g.

Doritos engorda?

Que o salgadinho é delicioso, você provavelmente já sabe. Mas será que é verdade que Doritos engorda? Vamos descobrir isso agora, iniciando a nossa análise pelo aspecto calórico do lanchinho.

Segundo a tabela nutricional do produto disponibilizada pela Pepsico, empresa de alimentos e bebidas da qual Doritos faz parte, somente uma porção de 25 g do salgadinho – que é correspondente a uma xícara e meia – apresenta aproximadamente 125 calorias.

O alto valor calórico que grande parte das versões do produto oferecem é um indício de que comer Doritos engorda, sim. Para você ter uma ideia, ao comer um pacote de 100g, você ingere 500 calorias, que representam um total de 25% de todas as calorias ingeridas no dia de uma pessoa que segue uma dieta de 2 mil calorias diárias. Para quem consome 2,5 mil calorias diariamente, a proporção é de 20%.

Muita coisa, não é mesmo? Especialmente se pensarmos que a quantidade de 100 g não constitui uma porção tão grande para uma pessoa e que o salgadinho não é exatamente nutritivo, tendo em vista que não possui fibras, vitaminas ou minerais em sua composição. Trata-se de um produto que não supre as necessidades nutricionais do corpo, fazendo com que seja necessário consumir outros alimentos, aumentando assim o consumo calórico.

O salgadinho é “viciante”

Outro ponto que reforça a tese de que Doritos engorda é o fato dele ser viciante, ou seja, fica difícil contentar-se com somente uma porção de 25 g, que é um pacotinho pequeno. O mais comum é o consumo de um pacote do tamanho tradicional, o que pode causar um acúmulo mais elevado de calorias.

O cientista de alimentos e autor do livro “Why Humans Like Junk Food” (Por que Seres Humanos Gostam de Comer Besteira, tradução livre), Steven A. Witherly afirmou ao The New York Times que Doritos é o arquétipo (modelo, padrão) dos alimentos processados viciantes.

De acordo com o New York Post, o lanchinho foi desenvolvido de modo que o consumidor nunca se sinta satisfeito com a quantidade consumida. A receita do produto traz uma combinação de sabores, sem que nenhum seja dominante ao outro.

O resultado disso é que o chamado sensor específico de saciedade, ou seja, a sensação de saciedade atribuída a um sabor específico, é evitada. Outro fator é a presença dos ácidos lático e cítrico na composição do salgadinho. Essas substâncias fazem que a saliva flua, o que estimula a impulsão por comer.

Tudo isso indica que mesmo que as versões menos calóricas ou quantidades pequenas de Doritos sejam escolhidas, as chances de que a pessoa não se sinta satisfeita e tenha o desejo de comer mais porções do salgadinho são grandes. Isso resulta em uma ingestão alta de calorias que, consequentemente, reflete em peso extra.

Doritos faz mal? 

Além de que o consumo de Doritos engorda, também é possível afirmar que o salgadinho pode trazer malefícios à saúde do organismo humano. E aqui vai a explicação de tal afirmação:

A questão do sódio

Na tabela a seguir, você pode conferir o teor de sódio encontrado em cada porção de 25 g das versões do salgadinho Doritos:

Versão de Doritos Teor de sódio por 25 g
Doritos Jalapeño e Limão 213 mg
Doritos Queijo Temperado 51 mg
Doritos Queijo Nacho 123 mg
Doritos Taco Mexicano 151 mg
Doritos Steak Grill 201 mg
Doritos Dippas (tortillas de milho) 88 mg

O sódio é um nutriente que atua no auxílio à contração muscular e à transmissão de impulsos nervosos, regulação da pressão arterial, equilíbrio dos fluidos corporais e manutenção de níveis regulares de pH sanguíneo, o que é um indicador da boa saúde.

Para um adulto saudável, a quantia ideal indicada de ingestão nutriente é de 2,300 mg diariamente. Já para quem sofre com hipertensão, esse número cai para 1,500 mg. E sabe por que existem esses limites? É que ao ser consumido em excesso, o mineral faz bastante mal à saúde.

Quando esses limites de ingestão são ultrapassados, a pessoa pode sofrer com problemas como hipertensão, retenção de água, aumento do volume sanguíneo – o que dá mais trabalho para o coração na hora de mover esse sangue e gera mais pressão às artérias -, doença no coração, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca.

Como observamos na tabela, Doritos serve quantias consideráveis de sódio em suas versões. E se levarmos em conta as informações a respeito do fator viciante do produto, podemos concluir que não é pouco provável que sejam consumidas mais que as 25 g de uma porção.

Resultado: o teor de sódio ingerido também aumentará, trazendo o risco de que o limite recomendado de consumo seja ultrapassado, prejudicando a saúde. 

Aditivos e os efeitos de curto e longo prazo 

O Doritos possui aditivos e ingredientes conhecidos por causar inflamação no organismo. E esta inflamação pode ser a raiz de diversos problemas graves de saúde como diabetes, doenças mentais, enxaqueca, doença celíaca, dores no corpo, asma e artrite.

O salgadinho pode trazer efeitos colaterais a curto e longo prazo. Desidratação, reação alérgica e hiperatividade em crianças são classificadas como de curto prazo. Já as listadas como reações de longo prazo são a obesidade, a hipertensão, a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson.

Glutamato monossódico  

Um dos componentes encontrados é o glutamato monossódico, um ingrediente utilizado para realçar o sabor de produtos industrializados. Um dos problemas do composto é 21% de sua composição corresponde ao sódio, que como já vimos, faz mal à saúde.

O ingrediente está associado a uma condição chamada síndrome do restaurante chinês ou complexo dos sintomas do glutamato monossódico. Ainda que seja pequeno o número de pessoas que experimentou o problema que pesquisas científicas não puderam comprovam a existência de uma relação entre o aditivo e tais problemas, é importante saber que a condição reúne uma série de sintomas.

Entre eles estão a falta de sensibilidade, palpitações cardíacas, dor de cabeça, suadeira, sonolência, dificuldade para respirar, ruborização, pressão ou tensão no rosto, dormência, queimação ou formigamento na face, pescoço, entre outras regiões do corpo, dor no peito, náusea e fraqueza.

Um estudo realizado pelo neurocirurgião Russel Blaylock classificou o aditivo como uma excitotoxina, uma substância que causa uma excitação muito grande nas células do corpo, de modo que elas são danificadas e podem até morrer.

O resultado disso pode ser o aparecimento ou a piora de dificuldade na aprendizagem e o surgimento da doença de Alzheimer, doença de Parkinson e esclerose lateral amiotrófica – que degenera o sistema nervoso, causando uma paralisia motora progressiva e irreversível.

De acordo com o que Blaylock afirmou em sua pesquisa, existem tecidos que respondem à presença do glutamato não somente no cérebro, onde ele age transmitindo impulsos nervosos, como também em outros tecidos do corpo.

Segundo ele, a absorção fora da normalidade dos receptores do glutamato já foi associada a problemas neurológicos e animais que receberam injeções contendo o componente experimentaram danos nas células nervosas de seus cérebros.

Blaylock ainda explicou que quando há um excesso no consumo de alimentos com excitotoxinas, como é o caso do glutamato monossódico, esses receptores são estimulados demais e causam arritmias cardíacas.

Pior ainda se o consumidor em questão sofrer com baixas doses de magnésio em seu organismo. Nesse caso, os receptores ficam bastante sensíveis e até mesmo doses pequenas das excitotoxinas podem desencadear tal reação.

Por outro lado, há controvérsias quanto às conclusões do cientista, pois acredita-se que o glutamato utilizado como aditivo alimentar tenha pouco ou nenhum efeito no cérebro humano, pelo fato de não ser capaz de quebrar a barreira de sangue do cérebro, pelo menos não em grandes quantidades.

Existem ainda outros prejuízos à saúde que já forma relacionados ao glutamato de sódio, como obesidade, danos aos olhos, depressão fadiga e desorientação.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já imaginava que o biscoito Doritos engorda e faz mal à sua saúde? É uma das pessoas viciadas no salgadinho? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (5 votos, média: 4,80 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

4 comentários em “Doritos Engorda? Faz Mal? Calorias e Análise”

  1. O que fico mais pasmo é que assim como o biscoito Doritos existem dezenas, centenas de alimentos mais bebidas mais remédios que fazem mal. A sociedade médica sabe disso bem como os políticos, os empresários que exploram esse tipo de comércio e ninguém faz nada. Há um conluio tácito. Impressionante a prostração ou desleixo ou irresponsabilidade de todos.
    Por que tal coisa acontece e todos tratamos isso como normal. Faz parte da vida. Se não for assim não movimenta a economia trazendo riqueza e trabalho. Sei não . Tudo orquestrado.
    As pessoas não pensam. Consomem por impulso. A conta chega e vem pesada com doenças precoces, mortes crescentes e que poderiam ser evitadas. Em suma, Tudo Dominado.

  2. VERDADE SABEMOS DE TUDO ISSO, MAS SE COMPARARMOS A ALGUEM QUE FUMA 5 CARTEIRAS DE CIGARROS POR DIA, SABEREMOS QUE O SALGADINHO É UM NUTRIENTE, E COM CERTEZA NAO TEM
    4.800 SUBSTANCIAS DESCONHECIDAS QUE NEM TEM O CIGARRO,EXEMPLO, VENENO PARA RATOS, MONOXIDO DE CARBONO,ACETONA,E OUTRAS FORMAS QUE FAZEM O CIGARRO DEIXAR ALGUEM QUE NÃO FUMA DESORIENTADO,ENTÃO DIGO O SALGADINHO É OTIMO PARA QUEM O USA AS VEZES, EU TENHO 51 ANOS E NÃO TENHO PROBLEMAS COM SAUDE.