Melatonina Faz Mal? Efeitos Colaterais e Cuidados

A melatonina é um hormônio naturalmente produzido pelo nosso corpo que atua na regulação do nosso sono. Um sono reparador e de qualidade é essencial para manter a saúde em dia. Assim, às vezes, pessoas com problemas para dormir são orientadas a usar melatonina na forma de suplemento dietético para pegar no sono mais facilmente.

Apesar de o hormônio ser muito importante para a regulação do sono, há uma certa preocupação em relação ao uso da substância como suplemento, já que são poucas as pesquisas que existem sobre a eficácia do hormônio e também sobre seus efeitos colaterais a médio e longo prazo.

Desta forma, nosso objetivo é trazer informações confiáveis e mostrar se o consumo de melatonina faz mal ou não e se há efeitos colaterais potencialmente graves à saúde desencadeados por ela.

Melatonina

Produzida pelas glândulas pineais no cérebro principalmente durante a noite, a melatonina é um hormônio conhecido popularmente como hormônio do sono. A produção de melatonina ocorre principalmente a noite porque sua síntese é estimulada pela ausência ou redução da luz diurna, o que serve para preparar o corpo para dormir. Já a luz diurna ou a luz artificial suprime a liberação da melatonina, impedindo que você sinta muito sono durante o dia.

Assim, a melatonina é essencial para manter o ritmo circadiano, ou seja, manter o relógio biológico regulado.

De acordo com um estudo de 2015 publicado no periódico científico Neurochirurgie, o sono não é a única função do corpo que é afetada pelos níveis de melatonina. O hormônio também atua nas defesas antioxidantes do corpo e ajuda a regular a pressão sanguínea, os níveis de cortisol, a temperatura corporal e a função imunológica e sexual.

Isso significa que a falta de melatonina em quantidades adequadas pode prejudicar não só o ciclo normal de sono, mas também todas as funções mencionadas acima.

Segundo uma pesquisa publicada em 2013 na revista PLoS One, os suplementos dietéticos de melatonina são usados para ajudar os indivíduos a pegar no sono além de melhorar a qualidade e aumentar a duração dele. Porém, a melatonina não é tão eficaz como alguns medicamentos usados no tratamento de distúrbios do sono e, por isso, seu uso nem sempre surte efeito em todas as pessoas.

Em alguns países como nos Estados Unidos, a melatonina pode ser obtida sem receita. Já em outras países como a Austrália e alguns países da Europa, o uso da melatonina só é permitido mediante apresentação de receita médica. No Brasil, o hormônio é permitido e pode ser encontrado em algumas farmácias.

Benefícios da melatonina

De acordo com estudos científicos, a melatonina pode ser útil o tratamento de distúrbios do sono como a insônia ou para auxiliar pessoas que sofrem com alterações de fuso horário – como tripulantes de aviação ou pessoas que viajam muito a trabalho, por exemplo.

Os principais benefícios relacionados ao uso de melatonina como um suplemento incluem:

1. Promoção do sono

Estudos mostram que o uso de suplementos de melatonina pode ser útil para pessoas que apresentam alterações no ritmo circadiano, como aquelas que são expostas a mudanças de fuso horário constantes ou que trabalham no turno da noite.

A melatonina também pode ser um bom suplemento para pessoas com níveis baixos do hormônio, como aqueles que sofrem de esquizofrenia.

De acordo com um estudo publicado em 2012 no periódico Drugs & Aging, 2 miligramas de melatonina administrado de 1 a 2 horas antes de dormir em pacientes insones com mais de 55 anos de idade foram capazes de melhorar a qualidade e a duração do sono em comparação com um placebo.

O estudo também comprovou que a dose utilizada no teste não causa efeitos adversos como dependência, abstinência, insônia rebote ou tolerância à substância.

2. Redução de sintomas negativos da menopausa

Mulheres na menopausa sofrem alguns sintomas desagradáveis que podem incluir problemas para dormir e alterações de humor.

O uso de suplementos de melatonina parece ajudar a melhorar o humor e a reduzir sintomas de depressão.

3. Auxílio no tratamento de alguns tipos de câncer

Muitos estudos mostram que níveis baixos de melatonina podem ter relação com um risco de câncer de mama. Segundo uma pesquisa de 2014 publicada na revista científica PLoS One, a melatonina pode ser capaz de inibir o crescimento de tumores de mama e evitar a produção de novas células.

Um estudo com mulheres que tomavam o quimioterápico tamoxifeno para o tratamento de câncer de mama que não apresentavam melhora mostrou que após a adição de melatonina no tratamento, os tumores reduziram de tamanho em mais de 28% das mulheres que participaram do estudo.

Homens com câncer de próstata apresentam níveis baixos de melatonina no organismo. De acordo com dados de uma pesquisa publicada em 2000 no periódico Oncology Reports, a melatonina pode inibir de forma significativa a proliferação de células cancerosas na próstata.

Dessa forma, o suplemento pode ser um complemento terapêutico em alguns casos de câncer.

4. Alívio do zumbido

O zumbido é uma condição em que um ruído ou zumbido é sentido nos ouvidos. Geralmente, os sintomas desaparecem sozinhos, mas pessoas que sofrem de zumbido por tempo prolongado podem ter complicações de saúde como transtornos de ansiedade e depressão.

Algumas pesquisas indicam que a melatonina pode ser usada como um tratamento natural para este problema.

Uma pesquisa de 2011 publicada no periódico Annals of Otology, Rhinology and Laryngology feita com 61 indivíduos mostrou que o uso de 3 miligramas de melatonina todas as noites durante 1 mês foi capaz de reduzir de forma significativa o zumbido. Além disso, o suplemento ajudou a melhorar a qualidade de sono de pessoas que sofriam com zumbido crônico.

5. Saúde cardíaca

Estudos sugerem que a melatonina apresenta propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes que ajudam a proteger o coração. O hormônio também pode ajudar a reduzir a pressão arterial sanguínea e a regular o colesterol.

Segundo estudo publicado no periódico científico Expert Opinion on Investigational Drugs em 2012, tais propriedades que preservam a saúde do coração têm a ver com a ação antioxidante que elimina os radicais livres que podem comprometer a função cardíaca.

6. Alívio de disfunção da bexiga

Receptores de melatonina são encontrados em órgãos como a bexiga e a próstata para evitar elevações nos níveis de malondialdeído, que é um composto marcador de estresse oxidativo. Por meio desse mecanismo, a disfunção da bexiga é reduzida, bem como problemas como a bexiga hiperativa podem ser evitados.

Segundo estudo de 2015 publicado no periódico Current Urology, evidências indicam que um desequilíbrio nos níveis de melatonina pode causar um efeito negativo sobre a disfunção da bexiga.

Outro estudo publicado no Korean Journal of Physiology & Pharmacology em 2012 mostra que a melatonina ajuda a melhorar o sono e a diminuir a micção noturna. Assim, o hormônio aumenta a capacidade da bexiga e reduz o volume de urina liberado durante a noite devido aos efeitos da melatonina no sistema nervoso central.

7. Redução do “jet lag”

O “jet lag” nada mais é do que um distúrbio de sono temporário que atinge pessoas que viajam longas distâncias e ficam submetidas a mudanças de fuso horário. Isso causa uma alteração no ciclo de sono e de vigília que ficam fora de sincronia no novo destino.

Nesses casos, usar suplementos de melatonina pode ajudar a ajustar o ciclo do sono, evitando problemas para dormir.

De acordo com um estudo de revisão publicado em 2002 no periódico Cochrane Database of Systematic Reviews, a melatonina é eficaz na prevenção e na redução do “jet lag” e o hormônio é seguro quando usado a curto prazo em doses de 0,5 a 5,0 miligramas.

8. Alívio de dores crônicas

Pessoas que têm dores crônicas, como é o caso de indivíduos diagnosticados com fibromialgia, podem ter uma redução nos sintomas com o uso de melatonina.

Um estudo de 2011 publicado no Journal of Pineal Research realizado com 101 pacientes com fibromialgia indica que os sintomas da doença são reduzidos significativamente quando uma dose de melatonina é tomada isoladamente ou em conjunto com o remédio antidepressivo fluoxetina.

Outras pesquisas também sugerem que a melatonina pode auxiliar na redução de dores crônicas sentidas em crises de enxaqueca.

9. Estímulo ao sistema imunológico

Uma pesquisa de 2013 publicada na revista científica International Journal of Molecular Sciences indica que a melatonina age como uma substância estimulante quando há uma condição imunossupressora no organismo. Ela também pode se comportar como um composto anti-inflamatório quando existe uma resposta imune intensificada no organismo para ajudar no combate à inflamação.

Deste modo, a melatonina pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico, prevenindo e combatendo diversas doenças devido aos seus efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes.

10. Alívio do estresse

Quando estamos estressados, a melatonina diminui durante a noite e aumenta durante o dia. Isso acontece porque durante o estresse, o hormônio cortisol é liberado em maiores quantidades.

A melatonina em concentrações adequadas pode ajudar a aliviar sintomas de estresse e da ansiedade como a sonolência, a insônia, a inquietação e a fadiga noturna, além de melhorar o humor e a função cerebral.

11. Bom para crianças autistas

Pesquisa vêm mostrando que a melatonina pode ajudar crianças que sofrem com problemas de desenvolvimento como o autismo, por exemplo.

Uma revisão publicada em 2011 no periódico Published in Developmental Medicine and Child Neurology analisou 35 estudos sobre o uso de melatonina por crianças com distúrbios do espectro autista como o autismo, a síndrome de Rett e a síndrome de Asperger, por exemplo. De acordo com essa análise, a suplementação com melatonina pode melhorar o sono e a melhorar o comportamento durante o dia dessas crianças.

Efeitos colaterais

Apenas alguns poucos estudos já investigaram a segurança e eficácia da melatonina. Embora nenhum deles tenha mostrado efeitos colaterais graves, alguns especialistas demonstram uma preocupação com a possibilidade de que a produção natural de melatonina pelo organismo seja prejudicada por causa da suplementação a longo prazo.

Segundo estudo de 2016 indexado no periódico científico Clinical Drug Investigation, os efeitos colaterais observados para a melatonina foram semelhantes aos efeitos causados por um placebo, indicando que os efeitos adversos observados como dor de cabeça, náusea, agitação ou tontura não podem ser atribuídos ao uso de melatonina.

Ainda assim, algumas pesquisas levantam alguns pontos que devem ser estudados com mais afinco, mas que podem sugerir que o uso de melatonina pode causar alguns problemas, tais como:

1. Redução da temperatura corporal

Um estudo de 2001 publicado no periódico Clinical Neuropharmacology mostra que a melatonina pode provocar uma pequena queda na temperatura corporal. Em geral, isso não é motivo de preocupação, mas algumas pessoas que apresentam dificuldade em se manter aquecidas podem ter problemas.

2. Diluição do sangue

Em 2008, um estudo publicado na revista Journal of Pineal Research atestou que a melatonina pode diminuir a coagulação do sangue, deixando-o mais fino e aumentando o risco de sangramentos. Assim, é importante tomar cuidado com a dosagem do suplemento principalmente se o indivíduo fizer uso de remédios anticoagulantes como a varfarina, por exemplo, ou precisar se submeter a uma cirurgia.

3. Interação com outros medicamentos

Segundo uma pesquisa publicada em 2008 no periódico Human Psychopharmacology, tomar medicamentos para dormir como o Zolpidem junto com suplementos de melatonina pode potencializar os efeitos colaterais do Zolpidem relacionados à memória e ao desempenho muscular.

Dessa forma, mais estudos ainda são necessários para entender melhor se a utilização de melatonina faz mal à saúde de alguma maneira.

Cuidados

– Seguir as dosagens recomendadas

A dose padrão de melatonina pode variar de 1 a 10 miligramas por dia dependendo do distúrbio do sono a ser tratado.

O uso do suplemento deve ser sempre feito de acordo com as instruções encontradas no rótulo do produto ou seguindo as recomendações médicas.

– Não oferecer melatonina para as crianças

Embora não seja indicado o uso de suplementos de melatonina em crianças, há estudos que identificaram que alguns pais têm administrado a melatonina aos seus filhos para ajudá-los a dormir.

No entanto, os especialistas são muito relutantes sobre isso. Apesar de não existir um motivo específico para não permitir o uso de melatonina por crianças, essa faixa etária é muito sensível pois tratam-se de bebês e crianças em fases de crescimento e desenvolvimento e os efeitos que a melatonina pode causar neles não são conhecidos.

Desta forma, é indicado esperar até que estudos de longo prazo sejam publicados. Grávidas, lactantes e adolescentes também não devem usar esse tipo de suplemento.

– Usar o suplemento durante a noite

Os suplementos de melatonina só devem ser usados durante a noite, pois se usados durante o dia podem causar sonolência diurna.

Mesmo tomando o suplemento apenas a noite, algumas pessoas demoram mais para processar a substância do que outras. Assim, pessoas com uma taxa lenta de depuração da melatonina também podem apresentar sonolência diurna como uma espécie de efeito colateral.

Melatonina faz mal?

O uso a curto prazo da melatonina não faz mal, no entanto, o uso a longo prazo não é indicado pois ainda não existem estudos detalhados sobre os efeitos do suplemento ao longo do tempo no organismo.

Embora não tenham sido comprovados totalmente, o uso de melatonina pode causar efeitos adversos como tontura, náusea, dor de cabeça e sonolência diurna. Outros efeitos colaterais em potencial incluem tremores, ansiedade, sintomas de depressão, desorientação e pressão arterial sanguínea baixa.

Não há como afirmar com base nos estudos existentes se a melatonina faz mal ou não. Assim, a única coisa que podemos fazer é tomar precauções para evitar o uso sem necessidade desse hormônio, principalmente por períodos prolongados.

Há outra forma de aumentar a melatonina sem o uso de suplementos?

Se for detectado que seu corpo não está produzindo melatonina o suficiente, saiba que é possível aumentar os níveis de melatonina sem a necessidade de suplementação.

Algumas dicas que podem ajudar a aumentar a produção do hormônio naturalmente incluem:

  • Apagar as luzes do ambiente perto da hora de dormir;
  • Evitar assistir televisão, usar o computador ou mexer no celular durante a noite já que de acordo com estudo publicado em 2014 no periódico Photochemistry and Photobiology, a luz artificial em excesso pode reduzir a produção de melatonina pelo cérebro;
  • Ativar a luz noturna do celular e de outros equipamentos eletrônicos que apresentarem essa opção;
  • Praticar exercícios físicos durante o dia ajudam a regular o ritmo circadiano e regular a produção de melatonina;
  • Diminuir ou eliminar o uso de substâncias como o tabaco, a cafeína e o álcool que podem interferir negativamente na produção de melatonina;
  • Ingerir alimentos como a aveia, a cereja, a banana, o abacaxi, a cevada e as nozes podem ajudar a aumentar a produção de melatonina naturalmente;
  • Aumentar a exposição à luz natural do dia durante a manhã e a tarde para estimular e fortalecer o ciclo vigília-sono ajuda a regular a produção de melatonina segundo artigo publicado em 2014 na revista International Journal of Molecular Sciences;
  • Ter um horário aproximadamente fixo para dormir e acordar, o que auxilia na regulação da síntese de melatonina pelo corpo.

Apesar de não existir nenhum efeito colateral grave relacionado ao uso de melatonina, a falta de evidências científicas sobre os seus efeitos a longo prazo faz com que seja mais seguro no momento não usar esse tipo de suplemento a menos que extremamente necessário.

Você pode até tentar experimentar a melatonina se o seu médico sugerir o uso do hormônio a curto prazo para te ajudar a lidar com seu distúrbio do sono, mas o uso por períodos longos de tempo deve ser questionado já que mais estudos ainda são necessários para investigar a real influência da melatonina artificial no organismo.

Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que o uso de melatonina faz mal? Conhece alguém que tenha usado e sentido efeitos colaterais? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário