O que são antissépticos – Para que servem

Especialista da área:
atualizado em 23/09/2021

Antissépticos são compostos químicos que matam ou retardam o crescimento de microrganismos nocivos, como bactérias, vírus, fungos e outros germes, na superfície da pele e mucosas.

  Continua Depois da Publicidade  

Portanto, os antissépticos são usados para limpar a pele antes de procedimentos médicos e cirúrgicos, e tratar feridas no corpo. Por exemplo, antes de tomar uma vacina ou de fazer um procedimento invasivo como a inserção de um cateter, por exemplo, o local é desinfetado com um antisséptico.

limpando ferida

Algumas pessoas também usam os antissépticos na forma de sprays ou enxaguantes bucais para ajudar a tratar infecções na garganta ou na boca.

Um exemplo muito presente de antisséptico em nossas vidas é o álcool em gel, mas existem vários outros tipos. Na impossibilidade de lavar as mãos com frequência com sabão comum, usar um antisséptico como o álcool em gel pode ser uma alternativa prática e eficaz para se proteger.

Tipos de antissépticos

Todos os antissépticos têm um objetivo em comum, que é desinfetar a pele e mucosas. Mas existe um tipo de antisséptico mais adequado para cada uso. Em geral, eles são divididos de acordo com sua estrutura química e os mais conhecidos são:

Clorexidina

enxaguante bucal

A clorexidina é mais eficiente para eliminar bactérias e desinfetar feridas em geral. Porém, a substância não é útil para matar vírus ou fungos. Aliás, alguns antissépticos combinam as propriedades da clorexidina com os benefícios do álcool para que o produto tenha uma ação mais eficaz.

Vários enxaguantes bucais contêm clorexidina. Geralmente, eles servem para reduzir a placa bacteriana e ajudar no tratamento de doenças como gengivite e periodontite. Porém, é importante utilizar esse tipo de enxaguante sob orientação de um dentista, já que seu uso prolongado pode causar manchas nos dentes e mudanças no paladar.

  Continua Depois da Publicidade  

Peróxido ou permanganato

Ambos compostos estão presentes em antissépticos para a pele e também na composição de alguns enxaguantes bucais.

O peróxido de hidrogênio, popularmente conhecido como água oxigenada, é utilizado para desinfecção de feridas, entretanto não costuma mais ser  indicado pelos médicos já que existem antissépticos mais seguros hoje em dia. A saber, o peróxido de hidrogênio pode causar irritações e queimaduras na pele quando usado em altas concentrações. Além disso, inalar o vapor do peróxido pode irritar as vias respiratórias.

Já o permanganato de potássio, por exemplo, é um antisséptico considerado seguro para desinfetar lesões e até mesmo para ajudar no tratamento da candidíase e da catapora. 

Álcool

álcool em gel

O álcool etílico e o álcool isopropílico são os antissépticos mais comuns. Eles têm ação antimicrobiana e, portanto, são capazes de eliminar bactérias, vírus e fungos, especialmente quando usados em concentrações iguais ou superiores a 70%.

Atualmente, o álcool etílico líquido ou em gel vem sendo nosso aliado na higienização frequente das mãos. Além disso, esse álcool também serve para limpar o cordão umbilical nos primeiros dias de vida de um bebê e para limpar feridas na pele.

Iodopovidona

Esse antisséptico é uma solução marrom que é útil para limpar a pele logo depois de uma cirurgia ou para ajudar a tratar pequenas lesões na pele. 

  Continua Depois da Publicidade  

Porém, ele só deve ser usado quando indicado por um médico, já que a iodopovidona contém iodo, que é uma substância que algumas pessoas têm hipersensibilidade. 

Diferença entre antissépticos e desinfetantes

Às vezes, ocorre uma confusão entre os termos desinfetante e antisséptico. Na verdade, ambos servem para desinfecção. Mas a diferença é que os antissépticos são próprios para uso na pele enquanto que os desinfetantes servem para superfícies e objetos em geral.

Por não entrarem em contato direto com a pele, os desinfetantes costumam ter uma concentração mais alta de ingredientes ativos. Dessa forma, eles podem causar efeitos adversos e toxicidade em algumas pessoas. É por esse motivo que precisamos usar luvas para proteger as mãos da ação dos desinfetantes domésticos.

Antissépticos são seguros?

desinfetando a mão

Como os antissépticos são dermatologicamente testados, eles são seguros para uso tópico na pele. Porém, é importante ler os rótulos para saber a forma correta de uso. Alguns antissépticos, como a água oxigenada, por exemplo, precisam ser diluídos em água antes do uso. Outros não podem ser aplicados nas mucosas, nos olhos, em queimaduras ou em feridas abertas. 

Sendo assim, siga as recomendações constantes nos rótulos dos produtos antes de usá-los para reduzir o risco de irritações na pele. Além disso, procure um médico em caso de lesões na pele que não parecem melhorar com o uso de um antisséptico.

  Continua Depois da Publicidade  

Por último, para a higienização e desinfecção das mãos, o álcool em gel 70% é o mais eficiente e seguro. Mas sua mão pode ficar um pouco ressecada com o uso contínuo deste produto. Portanto, não se esqueça de hidratar o corpo bebendo bastante água e usando um creme hidratante de sua preferência.

Fontes e referências adicionais

Você sabia a diferença entre um antisséptico e um desinfetante? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Nenhum voto ainda)
Loading...
Sobre Dr. João Hollanda

Dr. João Hollanda é Médico Ortopedista - CRM-SP 113136. Formou-se pela Santa Casa de São Paulo, com especialização em cirurgia do joelho. É também médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino desde 2016 e médico voluntário do Grupo de Traumatologia do Esporte da Santa Casa de São Paulo desde 2010. Tem experiência de trabalho prévio com a Confederação Brasileira de Vela, Cisne Negro Companhia de Dança, Escola de Dança do Teatro Municipal de São Paulo, Equipe de Ginástica Artística de Guarulhos. Já trabalhou como Médico nos Jogos Panamericanos Rio 2007, e foi Médico do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Trabalhou junto a organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão e no Haiti, e junto a organização Expedicionários da Saúde no Haiti. Dr. João Hollanda é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos. Você pode entrar em contato com o Dr. João através de seu site.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário