Peixe é remoso?

Especialista da área:
atualizado em 08/10/2021

O peixe é um alimento super saudável, excelente fonte de vitaminas, minerais e gorduras boas, além de possuir diversas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Este alimento proporciona vários benefícios para a saúde, como o fortalecimento do sistema imunológico, melhoria da memória e prevenção de doenças cardiovasculares e da osteoporose.

O peixe é um alimento de fácil digestão, oferece uma proteína de excelente valor biológico, e, ao contrário das outras carnes, não é rico em gordura saturada, possuindo menos calorias e sendo um bom aliado no processo de redução de peso.

  Continua Depois da Publicidade  

Mas será que mesmo sendo tão nutritivo, esse alimento pode fazer mal de alguma maneira? Por exemplo, você já ouviu falar que peixe é remoso?

Mas antes, o que são alimentos remosos?

filet de peixe cru

Quando queremos saber se o peixe é remoso, precisamos entender o que são alimentos remosos, não é mesmo?

De acordo com a cultura popular brasileira, remoso ou reimoso é o termo atribuído a alimentos ricos em gordura hidrogenada (trans), proteínas ou gordura animal, que prejudicam o organismo e facilitam o processo inflamatório, principalmente na pele.

No entanto, diferentemente do alimento portador de alergênicos, que desencadearia uma reação alérgica, independente do estado de saúde, o alimento remoso é considerado prejudicial apenas quando a pessoa possui uma doença infecciosa ou ferimentos que estão sujeitos a infecções, como uma lesão, cirurgia recente, colocação de um piercing ou uma tatuagem. Acredita-se que eles podem interferir no processo de cicatrização e retardar a cura.

Os alimentos remosos mais conhecidos são:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Carne de porco, pato e carneiro;
  • Fast food em geral;
  • Chocolate ao leite;
  • Frutos do mar em geral e
  • Ovos.

E então, será que o peixe é remoso?

Consideram-se remosos, os peixes que não possuem escamas, os chamados peixes de couro. Os peixes de couro são espécies carnívoras e costumam se alimentar de restos de peixes mortos e do dejeto orgânico do fundo de rios e mares.

Além disso, muitos peixes são contaminados por metais pesados como chumbo, cobre e mercúrio nas águas. Com o agravamento da poluição, essa contaminação, infelizmente se torna muito comum e, portanto, o consumo desses peixes pode agravar os problemas de saúde das pessoas portadoras de doenças infecciosas ou inflamatórias.  

Alguns peixes remosos são o viola, tubarão, peixe-serra, peixe-porco, moréia, peixe-espada, enguia, cavala, cavalinha, caçonete, cação, bonito, bagre, arraia, vongole, anjo, entre outros. 

Os peixes de dieta restritiva, como os peixes cascudos, caranguejos e camarões, também são considerados remosos. A dieta desses peixes está associada a itens em decomposição que normalmente possuem bastante bactérias e toxinas, como o mercúrio. As bactérias são destruídas durante o cozimento destes peixes, porém, as toxinas não.  

Outro problema são as reações alérgicas ou sensibilidade ao alimento, uma vez que parte dos alimentos reimosos pode conter alérgenos. 

De acordo com o Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia (ACAAI, sigla em inglês), ao contrário de outras alergias que se manifestam em bebês e crianças pequenas, os adultos também devem ficar atentos aos sintomas de alergia alimentar ao peixe, que pode aparecer especificamente na idade adulta.  

  Continua Depois da Publicidade  

Segundo a organização, os sintomas da condição podem ser de nível leve a severo e incluem:

  • Urticária e erupção cutânea;
  • Náusea, cólicas estomacais, indigestão, vômito e diarréia;
  • Nariz entupido ou escorrendo, espirros e asma;
  • Dores de cabeça e
  • Anafilaxia em casos extremos (trata-se de uma emergência médica potencialmente fatal, que pode fazer com que o corpo entre em choque)

Se você experimentar qualquer um dos sintomas descritos acima ou ainda qualquer outro sinal de reação alérgica depois que comer algum tipo de peixe, procure imediatamente o auxílio médico, mesmo que o problema em questão não aparente ser grave. Isso é fundamental para confirmar se você realmente possui alergia a este alimento, e se for o caso, receber o tratamento adequado.

A questão da contaminação por metais pesados

peixe cavala

A ingestão frequente de alimentos contaminados pode sobrecarregar o trabalho do fígado e atrapalhar o funcionamento equilibrado do organismo.

O mercúrio é um dos integrantes do grupo que merece a nossa atenção, por ser o principal dos metais pesados presentes na água e o que possui maior grau de toxicidade.

Os efeitos do acúmulo de mercúrio no organismo incluem alterações no sistema nervoso central como delírios, alucinações e pensamentos suicidas, baixa na imunidade e alterações renais.

Por conta do risco de carregar mercúrio e outras toxinas, a Food and Drug Administration (Administração de Medicamentos e Alimentos – agência reguladora e fiscalizadora da área de saúde dos Estados Unidos, FDA, sigla em inglês) recomenda que crianças pequenas, mulheres em idade de engravidar e mulheres que amamentam evitem peixe-batata (tilefish/malacanthidae), espadarte (peixe-espada), tubarão e cavala-verdadeira (king mackerel).

  Continua Depois da Publicidade  

Embora outros peixes menores não deixem de conter mercúrio, eles apresentam a substância em menor quantidade, devendo ser consumidos de maneira equilibrada na dieta.

O mercúrio e a gravidez

As gestantes precisam tomar um cuidado especial para não acumularem mercúrio no corpo. Especialistas alertam que a ingestão de muito mercúrio pode causar danos ao sistema nervoso do bebê que se encontra em desenvolvimento. Entre os peixes que devem ser evitados durante a gravidez, estão, o atum, cação e o peixe-espada.

Portanto, se você está grávida, consulte o seu médico para saber quais peixes você pode consumir e quais você deve evitar durante este período, bem como para saber acerca da quantidade e frequência máxima que eles podem ser ingeridos.

Ao comprar um peixe ou comer o alimento em um restaurante, certifique-se de que se trata de um produto de boa procedência, que obedece às regras sanitárias e está livre de contaminações.

Fontes e referências adicionais

Você já tinha ouvido falar que peixe é remoso? Já teve algum problema consumindo ele? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

Deixe um comentário

2 comentários em “Peixe é remoso?”

  1. UM AMIGO COMEU UM PEIXE DE RIO E FICOU CEGO. ESTAVA COM OS OLHOS INFLAMADOS. VALDERI ATE HOJE PÉ CEGO..
    QUAIS PEIXES TEM ESSE PODER

    Responder