Prolina: O Que é, Para Que Serve e Alimentos Ricos

Também conhecida como L-prolina por sua estrutura molecular, a prolina é um aminoácido indispensável para a síntese de colágeno.

Entre outras funções, o colágeno é essencial para a saúde da pele, ossos, tendões e também dá suporte para o tecido muscular. A prolina tem ainda atuação preventiva nas lesões e doenças do sistema cardiovascular.

Confira outros benefícios da prolina para a saúde e a boa forma e também algumas fontes naturais do aminoácido.

O que é prolina?

Como é produzida pelo próprio corpo a partir do ácido glutâmico, a prolina é considerada um aminoácido não essencial, ou seja, não é necessário obter prolina através da dieta.

Apesar disso, consumir alimentos ricos em prolina é uma maneira indireta de aumentar a síntese de colágeno, a proteína mais abundante do corpo humano e que sustenta os mais diversos tecidos. Nada menos que 25% de todas as proteínas corporais são formadas por colágeno.

Para Que Serve

Em conjunto com a lisina (aminoácido essencial que pode ser encontrado em abundância no feijão e nas proteínas de origem animal), a prolina é precursora da hidroxilisina e da hidroxiprolina, dois aminoácidos utilizados pelo corpo para a síntese de colágeno.

Além de oferecer sustentação (a tal firmeza) à pele, o colágeno é uma proteína que também participa da formação do músculo cardíaco, dos tendões e ligamentos.

Cerca de 15% de todo o colágeno do nosso corpo é composto por prolina, de maneira que uma dieta com alimentos ricos em prolina pode ser benéfica não só para melhorar a aparência da pele como também para prevenir e acelerar a cicatrização de lesões articulares em praticantes de atividade física.

Benefícios

Embora seja um nutriente ainda pouco conhecido do grande público, a prolina traz uma série de benefícios para quem está de olho não só no espelho como também na saúde de maneira geral.

1. Mantém a Saúde da Pele

photos.demandstudios.com-getty-article-214-134-dv1503014_XS

O estilo de vida moderno certamente não é algo que favoreça a saúde da pele, mesmo para quem ainda não passou dos 30 anos.

Alimentação rica em gorduras e açúcar (e pobre am antioxidantes naturais produzidos pelas plantas), álcool e sol em excesso, cigarro e o estresse contribuem para a formação de compostos que degradam o colágeno e deixam a pele sem vida e com marcas de expressão.

Ao estimular a produção de colágeno, a prolina minimiza esses danos causados pelos radicais livres e mantém a pele com aspecto jovem e saudável.

2. Combate o envelhecimento

Infelizmente, antes mesmo do final de nossa terceira década de vida já começamos a perder anualmente cerca de 1% de todo nosso colágeno. E esse efeito se acelera ainda mais após a menopausa, quando a queda na produção de estrógeno reduz a síntese e o reparo do colágeno.

O resultado você já sabe: pele sem elasticidade, flácida e com mais rugas. Além de evitar os “destruidores” naturais do colágeno (radicais livres gerados pelo excesso de sol, tabagismo e má alimentação, entre outros), acrescentar prolina à dieta pode ser uma das maneiras de combater o envelhecimento natural da pele.

Isso porque, como já vimos, a prolina atua diretamente na síntese de colágeno, e maiores concentrações do aminoácido na circulação podem estimular a síntese da proteína responsável pela sustentação e firmeza da pele.

Além de acrescentar diversas fontes de prolina ao cardápio, certifique-se também de incluir mais vitamina C na sua dieta, pois o nutriente também é indispensável para a síntese de colágeno.

3. Melhora a cicatrização

Após ferimentos ou lesões (como as musculares) o corpo aumenta naturalmente a produção de prolina, a fim de estimular a síntese de colágeno e acelerar a cicatrização.

Uma deficiência de prolina no organismo pode retardar a cicatrização e até mesmo deixar marcas no local lesionado, o que nos leva a concluir que uma suplementação com prolina pode ser interessante para quem passou por cirurgia ou então está sofrendo com algum tipo de lesão nos tendões, ligamentos ou músculos.

4. Pode prevenir lesões

download

Aqui mais uma vez temos a atuação indireta da prolina, que forma o colágeno e garante músculos íntegros e articulações mais firmes e flexíveis. Estudos indicam que atletas que se exercitam de maneira intensa podem se beneficiar de um maior consumo de prolina – seja através de alimentos ricos em prolina ou de suplementos.

Uma das explicações para tal efeito seria o fato da prolina ajudar tanto na prevenção da perda de massa muscular com o fortalecimento das cartilagens e articulações que são mais intensamente exigidas durante os exercícios.

5. Saúde do sistema cardiovascular

Além de fortalecer o músculo cardíaco, a prolina também tem um papel importante na prevenção da arteriosclerose, condição que se caracteriza pelo endurecimento da parede das artérias.

Responsáveis pelo transporte de oxigênio e outros nutrientes até os tecidos, as artérias se tornam rígidas após um grande acúmulo de gordura em suas paredes. Isso resulta em uma maior dificuldade dos vasos para se expandirem e se contraírem durante os batimentos cardíacos, o que por sua vez pode causar uma redução no fluxo sanguíneo.

Ao fortalecer a parede das artérias, a prolina facilita a eliminação do excesso de gordura depositada no interior dos vasos e melhora a passagem de sangue.

De maneira indireta, portanto, a prolina pode ajudar não só a melhorar o fluxo de sangue para os músculos (o que se traduz em mais nutrientes para as fibras musculares), como também prevenir complicações cardíacas como o enfarte.

Onde é encontrada

unflavored-gelatin

Alguns dos alimentos ricos em prolina que você pode garantir que estejam em seu cardápio para aumentar seu consumo diário de prolina:

  • Gelatina (sem açúcar e sem sabor): 1230mg/colher
  • Proteína isolada da soja (4.700 mg a cada 100 g de produto)
  • Ovo (490 mg/ unidade)
  • Queijo cottage (1,28 g/100g)
  • Leite desnatado (6,8 g por copo)
  • Carnes magras (o frango fornece 900mg/100g)
  • Peixes (o atum contém aproximadamente 1.300mg/150g)
  • Nozes (285mg/30g)
  • Gérmen de trigo (160mg/ colher)
  • Whey protein (3.5 g / 100g)
  • Farinha de trigo integral (1.100 mg/ 100 g)
  • Aveia (400mg/porção de 50g)

Outros alimentos com bom teor de prolina: aspargo, abacate, feijão, arroz integral, soja, espinafre e algas marinhas.

Deficiência

De maneira geral, o corpo é capaz de produzir toda a quantidade de prolina de que necessita diariamente para garantir a síntese de colágeno e a manutenção dos tecidos.

Algumas pessoas, no entanto, podem apresentar deficiência do nutriente – como os vegetarianos ou pessoas com baixo consumo de proteína na dieta – de maneira que uma suplementação talvez se faça necessária.

A orientação nesse caso é conversar com um médico ou nutricionista para verificar a melhor maneira de preencher as necessidades diárias individuais de prolina.

Suplementação

images

Para quem resolveu fazer suplementação com prolina mediante orientação de um médico ou nutricionista, a sugestão é tomar entre 500 e 1.000mg do aminoácido diariamente, sempre em combinação com um suplemento de vitamina C.

Aqueles que têm histórico de problemas renais ou hepáticos devem evitar a suplementação com prolina ou qualquer outro aminoácido sem prescrição médica.

Efeitos Colaterais

A menos que esteja consumindo uma quantidade exagerada de suplementos de prolina, é muito pequena a probabilidade de que você venha a apresentar um excesso do aminoácido na circulação. Apenas consumir alimentos ricos em prolina muito possivelmente não irá elevar de maneira perigosa os níveis do aminoácido no sangue.

Caso esteja extrapolando nos suplementos de prolina, seus rins e seu fígado, que são os responsáveis pela excreção dos subprodutos da metabolização das proteínas, podem sofrer uma sobrecarga.

Você já sabia o que é e para que serve a prolina? Acredita que precisa aumentar sua ingestão de alimentos ricos neste aminoácido? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média: 4,13 de 5)
Loading...

5 comentários em “Prolina: O Que é, Para Que Serve e Alimentos Ricos”

Deixe um comentário