Rosa-Canina – O Que é, Benefícios e Para Que Serve

Rosa-mosqueta, rosa-selvagem, rosa-silvestre, rosa-de-cão, rosa-primitiva, rainha das flores, rosa-bandalha, roseira-brava ou rosa-canina. O que é que todos esses nomes representam?

Estamos falando de um tipo de roseira que pode ser encontrada que vem da Europa, da Ásia e da África e que é conhecida por trazer as seguintes propriedades:

  • Adstringentes;
  • Antiescorbúticas;
  • Aromáticas;
  • Calmantes;
  • Cicatrizantes;
  • Diuréticas;
  • Emolientes – que amaciam e mantêm o nível adequado de umidade na camada mais externa da pele;
  • Tônicas para o sangue e para os rins;
  • Anti-inflamatórias;
  • Laxantes;
  • Diuréticas;
  • Antioxidantes;
  • Estimulantes para o sistema imunológico;
  • Afrodisíacas;
  • Antibacterianas;
  • Sedativas;
  • Expectorantes;
  • Carminativas – que favorecem a eliminação dos gases intestinais;
  • Antiviróticas;
  • Antissépticas;
  • Antiespasmódicas.

Para que serve – Os benefícios da rosa-canina

Agora que já sabemos o que é a rosa-canina e conhecemos as suas propriedades, chegou a hora de conhecermos alguns dos benefícios que são atribuídos a ela. Confira na lista abaixo:

1. Fonte de nutrientes

A roseira é conhecida por ser fonte de alguns nutrientes importantes para o funcionamento do organismo. A lista com esses componentes inclui carotenoides, ferro, cálcio, magnésio, fósforo, potássio, vitamina A, vitamina C, vitamina E e vitamina K.

2. Auxílio ao tratamento da hipovitaminose

Justamente pelo fato de ser rica em vitamina C é que a rosa-canina pode ser utilizada como auxiliar do tratamento de um quadro de hipovitaminose C, também conhecida pelo nome de escorbuto. A condição é causada pela falta de vitamina C no organismo.

A doença pode trazer problemas como: cansaço, dor muscular, manchas roxas, na pele, inchaço, sangramento nas gengivas, recorrência de infecções e perda de dentes.

3. Combate a retenção de líquido

A rosa-canina é diurética, o que significa que ela estimula a eliminação de água por parte do corpo através da urina. Isso é útil para pessoas que sofrem com a retenção de líquido (que é quando existem um excesso de água no organismo), uma condição conhecida por causar inchaço no corpo.

4. Ação antioxidante

Ela também é composta por diversas substâncias que carregam efeito antioxidante. Essa lista inclui: vitamina A, vitamina C, betacaroteno, licopeno, luteína e zeaxantina. Os antioxidantes são importantes para combater os radicais livres, compostos maléficos que causam inflamação e estão associados a doenças como o câncer e ao envelhecimento precoce.

5. Saúde cardiovascular

Os antioxidantes da roseira auxiliam a diminuir a inflamação no organismo e a manter a integridade dos vasos sanguíneos. O resultado disso é a diminuição das chances de desenvolvimento de doença no coração.

6. Melhoria do sistema imunológico

A rosa-canina contribui também com o trabalho do sistema imunológico graças ao seu teor de vitamina C. Isso porque o nutriente estimula e apoia a imunidade do organismo ao deixar os glóbulos brancos mais agressivos, rápidos e eficientes para responder à presença de vírus e bactérias.

7. Auxílio ao tratamento da osteoartrite

Pesquisas já mostraram que o uso de produtos coma  rosa-canina duas vezes ao dia durante três a quatro meses resultou na diminuição de dores e rigidez associadas à osteoartrite.

Cuidados com a rosa-canina

A roseira pode causar reações alérgicas, irritações, náusea, vômito, diarreia, prisão de ventre, azia, cólicas estomacais, dor de cabeça e dificuldades para dormir.

Não se tem informação suficiente sobre a segurança da rosa-canina para mulheres grávidas e que estejam em fase de amamentação. Assim, a orientação é que elas não usem a planta. Ela também deve ser evitada por quem tem anemia falciforme.

Por conter um composto químico chamado rugosin E, a planta pode desacelerar a coagulação sanguínea, fazendo com que a rosa-canina aumente o risco de sangramento em pessoas que já sofrem com distúrbios hemorrágicos.

Ainda por conta da substância, é aconselhável interromper o uso da planta duas semanas antes de se submeter a uma cirurgia.

A vitamina C da roseira ainda pode atrapalhar o controle da diabetes, porém, esse é um ponto de discordância entre os especialistas. Portanto, se você tem diabetes, consulte o seu médico antes de usar a planta.

O alto teor do nutriente também pode aumentar os riscos de desenvolvimento de cálculo renal e de deficiência em glucose-6-fosfato desidrogenase, que é uma deficiência enzimáica genética.

Antes de usar a rosa-canina para auxiliar o tratamento de qualquer tipo de condição de saúde, não deixe de consultar o seu médico. Além disso, não deixe de seguir o tratamento já indicado por ele, usando-a somente como um complemento.

Também converse com o profissional caso esteja utilizando algum tipo de medicamento para saber se não existem riscos de interação entre a rosa-canina e o remédio em questão.

Você já conhecia para que serve a rosa-canina? Já experimentou o chá desta planta medicinal? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média: 4,25 de 5)
Loading...

Deixe um comentário