Tribulus Terrestris – Para Que Serve e Como Tomar

Especialista:
atualizado em 18/12/2019

Tribulus Terrestris é uma erva medicinal que promete ser afrodisíaca e aumentar a testosterona do homem, sendo mais consumida como Suplemento, em formato de cápsulas. Você descobrirá a seguir sobre a sua origem, para que ele serve, como tomar sem ir além da sua segurança e muito mais.

Trata-de de uma erva daninha encontrada em países da Europa, Ásia, África e Austrália. Por muito tempo ela foi usada como um medicamento natural para estimular o desejo e o desempenho sexual. Além de entender como o Tribulus terrestres atua aumentando a libido e melhorando problemas como a impotência sexual e a disfunção erétil, você também vai conhecer outros benefícios relacionados à saúde urogenital, ao aumento da força muscular e à saúde cardiovascular.

Lendo seus benefícios, é muito comum a comparação do tribulus com a maca peruana, que é uma planta muito famosa (geralmente, comercializada em formato de suplemento) e que também é muito conhecida pelas suas funções de estímulos sexuais. Descubra qual é a melhor opção e se é possível tomá-los juntos.

No quesito “sexual”, além da tribulus, existem também diversas outras alternativas naturais para aumentar a libido como alimentos e chás. Conheça 5 chás afrodisíacos e 13 alimentos que aumentam a libido que não podem faltar no seu dia a dia.

Tribulus terrestris – onde e como encontrar?

Hoje em dia não é difícil encontrar suplementos de Tribulus terrestris. Aliás, essa é a forma mais fácil de encontrar a planta. Ela está disponível em cápsulas que facilitam muito o uso da planta.

A origem do Tribulus Terrestris

A origem de seu nome científico vem do grego “tríbulo” que designa estrepe, uma arma espinhosa de quatro pontas. Isso porque, após a florada da planta – as flores são amarelas e pequenas, com até 1 cm – originam-se frutos que soltam sementes duras em formato de espinhos, que facilmente podem furar pneus de bicicletas de quem se aventura em trilhas, patas de animais ou os pés de quem prefere um contato mais íntimo com a natureza andando descalço. O terrestris se deve à sua característica de planta rasteira, crescendo horizontalmente, junto ao solo.

Bastante conhecido pelo seu nome científico, o que não é muito comum entre plantas medicinais, Tribulus também é chamado de videira da punctura, abrolhos, abre olhos, cabeça de cabra, entre outros nomes regionais.

Como toda planta, Tribulus contém uma série de fitoquímicos, porém, acredita-se que aqueles responsáveis pelos seus efeitos biológicos sejam da classe das saponinas, mas especificamente uma saponina esteroidal chamada protodioscina, cujos efeitos vamos entender melhor a seguir.

Para quem o Tribulus terrestris é indicado?

A libido ainda não é totalmente explicada pelos cientistas, mas sabemos que o desejo sexual é algo muito forte nas primeiras décadas de vida e que tende a diminuir ao longo dos anos.

Nos homens, a produção de testosterona – que é o hormônio masculino mais importante para a função sexual – começa a cair por volta dos 35 anos de idade. Já as mulheres podem ter uma queda na libido conforme seu período mais fértil vai passando, mas a libido só é afetada mesmo pela menopausa quando os níveis do hormônio estrogênio caem.

Tais fatores podem ter um impacto no desejo sexual, mas há pessoas que respondem de um modo diferente e continuam com o mesmo interesse pelo sexo. Além disso, muitos outros fatores além dos físicos como condições emocionais e estresse precisam ser considerados.

Ainda que nem todo mundo sofra com a redução da libido, é normal que as prioridades mudem ao longo da vida e que o sexo não seja mais uma delas. Também é verdade que problemas como disfunção erétil ocorrem com mais frequência em homens mais velhos. Mas independentemente da sua idade, se você não está satisfeito com o seu desempenho sexual, o Tribulus terrestris pode te dar uma força e aumentar a libido além de trazer outros benefícios para a saúde.

Para que serve o Tribulus terrestris?

Atualmente, Tribulus terrestris tem sido usado como suplemento alimentar natural para aumentar os níveis de testosterona, ganho de massa muscular e força. É vendido em cápsulas, extrato seco e até mesmo chás. Muitas polêmicas envolvem a efetividade da planta para esses efeitos em humanos e é isso que vamos tentar esclarecer a seguir. Vejamos a seguir os benefícios do tribulus terrestres, como tomar e os possíveis efeitos colaterais.

1) Aumento dos Níveis de Testosterona

Muitos estudos tem tentado demonstrar a capacidade de Tribulus terrestris em aumentar os níveis de testosterona em homens e mulheres, por ser a esperança de conseguir um suplemento que tenha esse benefício, para atletas e não atletas, sem efeitos colaterais e de forma natural. Afinal, a testosterona é fundamental no desempenho físico, resistência e ganho de massa muscular.

Uma pesquisa de uma universidade da Lituânia foi feliz neste ponto. Ao suplementar atletas por 20 dias, 1 cápsula 3 vezes ao dia, cada cápsula contendo 625 miligramas de um extrato com concentração de saponinas em 40%, encontrou significativo aumento nos níveis de testosterona sanguínea. Porém o aumento aconteceu apenas nos primeiros 10 dias de suplementação, enquanto nos outros 10 dias não houve alteração. Se esse efeito realmente ocorre, pode ser através do aumento de outros hormônios que estimulam a produção de testosterona, como hormônio luteinizante (LH) ou hormônio folículo estimulante (FSH).

Além disso o efeito de elevação nos níveis de testosterona também parecem ser dose dependente, ou seja, doses muito baixas ou muito altas não têm efeito.

Um estudo em primatas demonstrou que a aplicação de protodioscina isolada injetável levou a um aumento agudo de 52% na testosterona sérica, porém esse valor voltou ao normal após 90 a 180 minutos. Nesse mesmo estudo, uma administração de 5 a 10 mg/kg por 8 semanas em coelhos e ratos, levou ao aumento de di-hidrotestosterona, um metabólito ativo da testosterona, sem alterar os níveis do hormônio, enquanto em ratos castrados verificou-se o aumento da testosterona circulante em 25%.

Estudos científicos que comprovam a eficácia do Tribulus terrestris

Outro estudo importante, mostrou aumentos significativos de testosterona ao suplementar ratos menos ativos sexualmente (e comparação a outros ratos quando expostos a fêmeas receptivas). Doses de 50 e 100mg/kg do extrato do fruto de Tribulus terrestris levaram a um aumento nos níveis de testosterona de 30% e 55% respectivamente.

Um estudo em humanos saudáveis demonstrou um aumento da testosterona ou hormônio luteinizante usando suplementação de 200mg por dia de um extrato contendo 60% de saponinas.

Em mulheres, uma dose de 450mg por dia não apontou qualquer alteração nos níveis hormonais.

Em resumo, muitos estudos em animais e alguns em humanos foram realizados sem levar a conclusões definitivas sobre esse ponto. O que parece ocorrer e o que muitos especialistas acreditam, é que a ação de Tribulus terrestris é adaptogênica, ou seja, ele teria ação significante apenas enquanto atua na restauração de condições de equilíbrio do organismo.

O declínio hormonal acontece em ambos os sexos. Estudos indicam que após os 30 anos há um declínio de 1 a 2% ao ano das taxas hormonais no corpo masculino. Isso quer dizer que aos 80 anos um homem terá apenas 50% dos hormônios que tinha com 20 anos de idade. Devido a isso, é muito importante conhecer mais sobre a reposição hormonal masculina e como você pode se beneficiar dela.

2) Influência sobre o desempenho muscular

Não se observou alterações na captação de glicose pelo tecido muscular esquelético em estudo em ratos diabéticos com uma dose de extrato alcoólico de Tribulus terrestris de 50mg/kg. Entretanto, mais estudos devem ser realizados.

Estudos em humanos que tentaram demonstram uma melhora na força e resistência muscular não tiveram sucesso. Foram usadas doses de 3.21mg/kg (45% de saponinas) e 450mg (60% saponinas), ambas em pessoas do sexo masculino, treinadas ou atletas.

Portanto, apesar de todas as alegações práticas e especulações de que a suplementação com Tribulus possa aumentar a capacidade física por melhorar o desempenho muscular, ainda não conseguiram ser provadas pelos cientistas e exigem uma maior investigação.

3) Benefícios para diabetes

Estudos em modelos animais com diabetes induzida por estreptozocina, o uso de Tribulus terrestris na dose 2g/kg demonstrou um efeito igual à dose de 10mg/kg de glibenclamida (um importante medicamento utilizado no controle do diabetes) na normalização dos níveis séricos de AST (uma enzima hepática) e ainda foi mais eficaz em normalizar os níveis de ALT (outra enzima hepática) e creatinina. Exames histológicos demonstraram um menor dano tissular no fígado, indicando o efeito protetor da planta.

Além disso, uma outra pesquisa demonstrou um aumento nos níveis de insulina no sangue de ratos diabéticos com uma dose de 50mg/kg do extrato hidroalcoólico.

Os mecanismos dos efeitos antidiabéticos ainda são desconhecidos.

4) Aumento da libido

Experimentos em ratos, mostraram que uma suplementação de 5 mg por kg de peso corporal, por 8 semanas, levaram a um aumento na expressão de receptores de andrógenos no hipotálamo, além de um indicativo de aumento na atividade da enzima Óxido Nítrico Sintase (NOS), e consequentemente na produção de NO, uma molécula importante no mecanismo de ereção. Esses resultados indicam que a ação de aumento da libido promovida pelo Tribulus terrestris pode estar relacionada a uma ação no sistema nervoso central, aumentando a sensibilidade à sinalização hormonal e não a uma ação androgênica intrínseca.

Estudos em humanos provaram a ação de Tribulus em melhorar o bem-estar sexual e a ereção, corroborando o emprego da erva na medicina tradicional popular para essa finalidade.

Uma pesquisa publicada em 2014 no Journal of Faculty of Pharmacy mostrou que um suplemento contendo Tribulus aumentou o desejo, a excitação e até a satisfação sexual em mulheres com baixa libido.

Alguns estudos – como o publicado em 2016 no Journal of Ethnopharmacology – mostraram que homens com desejo sexual reduzido que consumiram de 750 a 1.500 miligramas de Tribulus terrestris diariamente durante dois meses apresentaram um aumento de 79% do desejo sexual.

Apesar desses resultados, algumas evidências apontam que Tribulus pode ter nenhuma ou pouca ação sobre a melhora da fertilidade ou sobre a disfunção erétil em alguns homens. Mais estudos são necessários.

5) Aumento do apetite

Estudos realizados em ratos usando doses de 2,5; 5 e 10 mg/kg de extrato de Tribulus terrestris mostrou aumento de peso em todos os casos, com o mais pronunciado tendo ocorrido com a dose 5 mg/kg. Porém o estudo não identificou se esse aumento de peso foi devido ao aumento de ingestão alimentar.

Um outro estudo em ratos com depressão induzida, a suplementação com doses de 750 a 2.250 mg/kg não levou à melhora do baixo apetite induzido pelo estresse.

Assim, não podemos afirmar que a suplementação com Tribulus leve ao aumento de apetite, mais estudos devem ser conduzidos.

6) Efeitos analgésicos

Um estudo em camundongos demonstrou que uma injeção de extrato de Tribulus terrestris de 100mg/kg foi a dose mais eficaz em reduzir a dor induzida quimicamente ou pelo calor, podendo, inclusive, ser comparado com medicamentos já utilizados como analgésicos. Em ratos diabéticos o resultado também foi positivo, reduzindo a hiperanalgesia induzida pela doença.

7) Antidepressivo

Em um estudo realizado com ratos portadores de depressão induzida por estresse crônico, altas doses do extrato (2250 mg/kg) com alta concentração de saponinas (80%), demonstraram ser eficazes na redução total de indicadores séricos da doença (corticosterona, hormônio adrenocorticotrópico e fator de liberação de corticotropina). Uma dose de 750 mg/kg teve a mesma eficácia de um medicamento usualmente utilizado no tratamento da depressão, a fluoxetina (1.8 mg/kg).

8) Benefícios ao coração

Estudos in vitro – como o publicado em 2002 no periódico científico Journal of Chinese Medicinal Materials – foram capazes de demonstrar a capacidade de Tribulus terrestris em reduzir em 20 a 30% o dano causado por infarto do miocárdio, ou seja, menos tecido lesado foi observado na presença do extrato em concentrações bastante baixas. A ação é atribuída à presença de uma outra saponina, a tribulosina, que bloqueia vias de sinalização de morte celular nos cardiomiócitos (células musculares do coração). Acredita-se que a suplementação via oral também tenha benefícios em proteger as células cardíacas.

Em homens hipertensos, a ingestão de Tribulus terrestris também indicou uma pequena diminuição no ritmo cardíaco.

9) Redução da pressão arterial

Um estudo publicado em 2003 na revista científica Life Sciences envolvendo ratos naturalmente hipertensos, mostrou que o extrato liofilizado dos frutos de Tribulus (10 mg/kg) foi capaz de reduzir a pressão sanguínea por normalizar a atividade da ECA (enzima conversora de angiotensina), um dos principais alvos terapêuticos de fármacos anti-hipertensivos. A atividade inibidora da ECA foi detectada também in vitro.

Já em ratos saudáveis, não houve alterações da pressão sanguínea em estado de repouso, e apresentou uma pequena elevação durante a ereção, que foi dose dependente, aumentando a pressão de 6 a 11% com doses de 2,5 a 10 mg/kg.

Em pesquisa em humanos hipertensos, o extrato do fruto de Tribulus terrestris a uma dose de 2g resultou em uma redução da pressão sistólica na primeira semana (4 a 4,3%), porém ao fim de quatro semanas observou-se um aumento de até 10,7%. A pressão diastólica reduziu cerca de 8% depois das quatro semanas de tratamento. O fato de os indivíduos do estudo apresentarem pressão acentuadamente alta, faz com que os resultados devam ser observados com cuidado. Além disso observou-se um efeito diurético, aumentando o volume de excreção urinária, o que pode indicar um efeito secundário sobre os rins.

Assim, podemos concluir que a planta apresenta uma tendência em reduzir a pressão arterial, porém os estudos disponíveis são insuficientes para uma definição final sobre o assunto.

10) Redução do colesterol

Um estudo utilizando 3g por dia do extrato aquoso ou dos frutos de Tribulus durante 4 semanas resultou em uma redução de até 10% no colesterol total, enquanto o placebo reduziu aproximadamente 2%.

Uma pesquisa de 2016 publicada no Journal of Evidence-Based Complementary Alternative Medicine também indica que o Tribulus terrestris pode ajudar na redução do colesterol e também no controle da glicemia em mulheres diabéticas.

Os resultados mostram uma potencial ação da erva sobre o colesterol e devem ser realizados estudos mais profundos.

11) Benefícios para as mulheres

Acredita-se que os efeitos adaptogênicos se estendam também às mulheres.

Alguns estudos apontaram normalização da ovulação, aumento da fertilidade e redução de sintomas pré e pós-menopausa. Além disso, na melhora da libido, Tribulus terrestris demonstrou ser mais efetivo do que terapias de reposição hormonal tradicionais.

Assim, pela praticamente inexistente ocorrência de efeitos colaterais, vale a experiência de iniciar a suplementação com a erva e identificar a resposta de cada organismo.

Como tomar Tribulus terrestris?

Vamos entender agora exatamente como tomar tribulus terrestris para melhores resultados e sem efeitos colaterais:

Variações entre os extratos

Por mais que sejam da mesma família ou espécie, diferentes origens de ervas implicam em concentrações diferentes em seus ativos, como ocorre, por exemplo, com a mesma uva para produção de vinho cultivada em diferentes lugares do mundo. O mesmo acontece com o Tribulus, cuja concentração de saponinas pode variar de região para região e com quais partes da planta são utilizadas na produção do extrato.

A concentração de protodioscina é que determina a força e quantidades a serem consumidas do extrato, uma vez que esse é o agente ativo. Extratos originários da Turquia, Macedônia e Bulgária têm apresentado concentrações mais elevadas, enquanto China e Vietnã apresentaram concentrações significativamente menores.

Por isso, quando possível, é importante investigar a origem do suplemento utilizado e qual a sua concentração de saponinas.

O ideal é buscar por extratos que forneçam no mínimo uma concentração de saponinas entre 40 e 45%, e 6% de protodioscina.

Quais as doses recomendadas?

Como vimos com todos os experimentos realizados, uma dosagem específica para determinados efeitos é difícil de determinar, além das variações nas concentrações de saponinas entre as diferentes origens, fabricantes, etc, que influenciam na dose necessária. Entretanto, a dose geralmente recomendada e bastante segura de Tribulus terrestris é de 85 a 250mg 3 vezes por dia.

Mais estudos são necessários para estabelecer valores com maior assertividade.

Tome a cápsula apenas com um copo de água. A influência da ingestão próxima a refeições ainda não foi definida.

Segurança e Toxicidade – Efeitos Colaterais do Tribulus terrestris

Efeitos colaterais graves não foram reportados quando ingerido nas doses recomendadas como suplemento alimentar. Entretanto, alguns estudos em animais sugerem uma alteração de coordenação muscular após a ingestão de quantidades muito elevadas da planta. O consumo concomitante a estimulantes como cafeína, guaraná e outros, deve ser evitado pois pode potencializar o efeito de Tribulus que por si só já pode levar a distúrbios do sono.

Apesar de fabricantes alegarem que o consumo de Tribulus terrestris não afeta exames antidoping, especialistas afirmam que pode alterar a taxa testosterona/epitestosterona na urina, gerando risco de teste positivo para drogas androgênicas.

Pessoas com distúrbios hormonais ou doenças influenciadas por hormônios como câncer de mama e de próstata devem evitar o consumo de Tribulus.

Testes com animais indicam uma relação entre a ingestão de Tribulus e problemas com o desenvolvimento fetal, portanto mulheres grávidas e amamentando não devem fazer uso da erva.

Aparentemente não existem interações entre Tribulus e alimentos, outros fitoterápicos ou suplementos. Porém ele pode interagir com alguns medicamentos, pessoas que fazem uso de betabloqueadores, digoxina, bloqueadores de canal de cálcio, diuréticos e medicamentos para diabetes, devem evitar o uso de Tribulus ou no mínimo consultar seu médico antes de qualquer decisão.

Conclusão

O caso Tribulus terrestris ainda permanece sem um completo esclarecimento, mas com um potencial muito grande. Resultados de estudos divergem em alguns aspectos, em outros já mostraram fortes resultados e muitas pessoas alegam que seu uso na prática traz muitos benefícios. O ponto favorável é que até o momento os efeitos adversos identificados são mínimos. Consulte o seu médico e nutricionista caso deseje iniciar a suplementação com a erva e verifique qual será a sua resposta individual.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:
  1. “Tribulus terrestris”.
  2. Neychev, Vladimir Kostadinov, and Vanyo Ivano Mitev. “The aphrodisiac herb Tribulus terrestris does not influence the androgen production in young men.” Journal of ethnopharmacology 101.1 (2005): 319-323.
  3. Kevalia, Jignesh, and Bhupesh Patel. “Identification of fruits of Tribulus terrestris Linn. and Pedalium murex Linn.: A pharmacognostical approach.” Ayu 32.4 (2011): 550.
  4. Olas, Beata, et al. “Evaluation of polyphenolic fraction isolated from aerial parts of Tribulus pterocarpus on biological properties of blood platelets in vitro.” Platelets 24.2 (2013): 156-161.
  5. Temraz, Abeer, et al. “Steroidal saponins from the aerial parts of Tribulus alatus Del.” Phytochemistry 67.10 (2006): 1011-1018.
  6. El-Tantawy, Walid H., Abeer Temraz, and Omayma D. El-Gindi. “Free serum testosterone level in male rats treated with Tribulus alatus extracts.” International braz j urol 33.4 (2007): 554-559.
  7. Gauthaman, Kalamegam, Adaikan P. Ganesan, and R. N. V. Prasad. “Sexual effects of puncturevine (Tribulus terrestris) extract (protodioscin): an evaluation using a rat model.” The Journal of Alternative & Complementary Medicine 9.2 (2003): 257-265.
  8. Wang, Zhe, et al. “Effect of tribulus terrestris saponins on behavior and neuroendocrine in chronic mild stress depression rats.” Journal of Traditional Chinese Medicine 33.2 (2013): 228-232.
  9. Ranjithkumar, Ravichandran, et al. “Standardized Aqueous Tribulus terristris (Nerunjil) Extract Attenuates Hyperalgesia in Experimentally Induced Diabetic Neuropathic Pain Model: Role of Oxidative Stress and Inflammatory Mediators.” Phytotherapy Research 27.11 (2013): 1646-1657.
  10. Mazaro‐Costa, Renata, et al. “Medicinal plants as alternative treatments for female sexual dysfunction: utopian vision or possible treatment in climacteric women?.” The journal of sexual medicine 7.11 (2010): 3695-3714.
  11. Zhang, Shuang, Hong Li, and Shi-jie Yang. “Tribulosin protects rat hearts from ischemia/reperfusion injury.” Acta Pharmacologica Sinica 31.6 (2010): 671-678.
  12. Sharifi, Ali M., Radbod Darabi, and Nasrin Akbarloo. “Study of antihypertensive mechanism of Tribulus terrestris in 2K1C hypertensive rats: role of tissue ACE activity.” Life sciences 73.23 (2003): 2963-2971.
  13. Amin, A. M. R., et al. “The protective effect of Tribulus terrestris in diabetes.” Annals of the New York Academy of Sciences 1084.1 (2006): 391-401.
  14. Singh, Surender, Vinod Nair, and Yogendra K. Gupta. “Evaluation of the aphrodisiac activity of Tribulus terrestris Linn. in sexually sluggish male albino rats.” Journal of pharmacology & pharmacotherapeutics 3.1 (2012): 43.

Você tem vontade ou a necessidade de tomar Tribulus Terrestris por algum destes motivos acima? Ficou claro para que serve e como tomar? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (79 votos, média: 4,13 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário

34 comentários em “Tribulus Terrestris – Para Que Serve e Como Tomar”