13 Alimentos Afrodisíacos para Aumentar a Libido

Afrodisíaco é qualquer substância que contenha propriedades estimulantes sexuais e pessoas do mundo todo recorrem a elas para aumentar a libido, ajudar a superar a impotência, aumentar a excitação, desejo e muito mais. Por exemplo, os europeus consomem ostras, os asiáticos, chifres de rinocerontes, e os brasileiros apostam nas garrafadas, que são bebidas à base de cachaça e plantas medicinais como a catuaba, marapuama, guaraná, ovos de codorna, amendoim, entre outras.

Embora alguns optem por remédios prescritos, consumir alimentos afrodisíacos pode ajudar a aumentar a libido e impulsionar a sua vida sexual.

Alimentos afrodisíacos

O nome afrodisíaco é uma homenagem a Afrodite, a deusa grega do amor, beleza e fertilidade. Essas substâncias estimulantes podem ter origem animal ou vegetal e são usadas principalmente para aumentar a libido, a potência ou o prazer sexual.

Embora os alimentos afrodisíacos já sejam utilizados há séculos, milhares de pessoas continuam fascinadas por eles, e por esse motivo muitos cientistas tentam provar sua ligação com o aumento do desempenho sexual. Confira a seguir os alimentos que demonstram efeitos afrodisíacos.

1. Salmão

Inúmeras pesquisas associaram a vitamina D a níveis mais altos de testosterona, um hormônio sexual fundamental para homens e mulheres, e taxas mais baixas de depressão, ambos ligados ao aumento da libido. Outras pesquisas também relacionam os baixos níveis de vitamina D à redução do desejo e da satisfação sexual, além de orgasmos menos satisfatórios entre as mulheres.

Embora exista uma discussão constante entre os especialistas sobre a quantidade de vitamina D que as pessoas realmente precisam, ou se os suplementos de vitamina D são relevantes, um ponto é comum entre eles: o salmão selvagem é uma dos poucos alimentos na dieta rico em vitamina D, sem contar sua quantidade e qualidade de ácidos graxos ômega-3 saudáveis ​​para o coração e o fato de ser uma excelente fonte de proteína – ou seja, só existirão ganhos em adicionar esse alimento à sua dieta.

2. Maca

A maca é um dos poucos alimentos afrodisíacos que é apoiado pela ciência. Ela é chamada popularmente de “Viagra peruano”, tem uma raiz doce e pertence à família de vegetais crucíferos, que inclui o brócolis, couve-flor, repolho, couve de Bruxelas, e muitos outros.

Alguns estudos para analisar seus efeitos foram realizados em camundongos e ratos, e os resultados mostraram que sua ingestão aumentou a libido e função erétil. No entanto, a maca demonstra ter efeitos no aumento da libido de humanos também, e esse fato foi evidenciado em quatro estudos relevantes que relataram que os participantes experimentaram um aumento no desejo sexual após o seu consumo.

Outro estudo menor apontou que o vegetal pode ajudar a reduzir a perda de libido em pessoas que tomam medicamentos antidepressivos e experimentam esse efeito colateral.

Durante a maioria dos estudos, os participantes consumiram entre 1,5 e 3,5 gramas diariamente pelo período de 2 a 12 semanas. Também foi percebido que as pessoas toleraram bem a ingestão e que apresentaram poucos efeitos colaterais, mas não existe até o momento uma dosagem segura definida e a análise dos seus efeitos a longo prazo.

3. Tribulus

O Tribulus terrestris é comumente usado para ajudar a melhorar o desempenho atlético, a infertilidade e a perda da libido, e existem algumas pesquisas em animais e humanos para confirmar os seus efeitos.

Um estudo realizado com mulheres com disfunção sexual relatou que 88% delas apresentaram um aumento da satisfação sexual após a ingestão de 250 mg de Tribulus por dia, durante 90 dias. Além disso, um grupo de pesquisadores examinou os efeitos do Tribulus em mulheres com disfunção sexual. Após quatro semanas, as mulheres que receberam 7,5 mg do extrato por dia relataram níveis significativamente mais altos de desejo, excitação, lubrificação e satisfação com o orgasmo.

Já os estudos realizados com animais mostraram que houve um aumento da produção de espermatozoides em ratos que receberam suplementos de Tribulus. Porém, mais pesquisas são necessárias para avaliar a dosagem ideal, bem como os efeitos dos suplementos de Tribulus em homens.

4. Ginkgo Biloba

A ginkgo biloba é uma árvore milenar usada no tratamento de várias condições de saúde, mas ela é também a base para um suplemento de ervas que atua como afrodisíaco, ajudando a relaxar os vasos sanguíneos e aumentar o fluxo sanguíneo.

Um pequeno estudo realizado para evidenciar o potencial das ervas provenientes de ginkgo biloba  mostrou que a ingestão diária de 60 a 120 mg foi capaz de ajudar a reduzir a perda da libido causada pelo uso de antidepressivos em cerca de 84% dos participantes. Tanto os homens quanto as mulheres que participaram relataram uma melhora no aumento de desejo, excitação e capacidade de atingir o orgasmo depois; no entanto, as mulheres experimentaram resultados mais potentes do que os homens.

Outro estudo de acompanhamento não observou melhorias em um grupo similar de participantes que tomaram ginkgo biloba, por esse motivo mais pesquisas são necessárias para confirmar os reais efeitos.

Assim como outras ervas citadas até aqui, ele é geralmente bem tolerado, mas pode interagir com medicamentos anticoagulantes. Sendo assim, se você estiver tomando remédios que afinam o sangue, fale com seu médico antes de tomar ginkgo biloba.

5. Ginseng vermelho

O ginseng vermelho é considerado uma erva popular na medicina chinesa. Entre as suas indicações está o tratamento de baixa libido e função sexual.

Embora alguns estudos já tenham sido realizados para observar e descobrir o seu real potencial, alguns especialistas questionam a exatidão desses estudos e reforçam que mais pesquisas são necessárias antes que afirmações definitivas sejam feitas.

Os resultados de estudos obtidos até aqui mostraram que a ingestão de 1,4 a 3 gramas de ginseng vermelho ingeridos diariamente pelo período de 4 a 12 semanas por homens foi duas vezes mais eficaz para tratar a disfunção erétil, e que nas mulheres que estão na menopausa ele foi capaz de melhorar a excitação sexual.

O uso de ginseng vermelho não apresentou muitos efeitos colaterais, no entanto, mesmo sendo natural, ele pode interagir com medicamentos que afinam o sangue e também com aqueles que são destinados para o tratamento de cânceres sensíveis a hormônios. Para algumas pessoas ele também causou dores de cabeça, prisão de ventre e pequenos episódios de distúrbios estomacais.

6. Feno grego

As sementes de feno grego são populares nos pratos do sul da Ásia, mas ele também é comumente usado na medicina ayurvédica como um tratamento anti-inflamatório que estimula a libido. O principal motivo de sua recomendação entre os alimentos afrodisíacos é que a erva parece conter compostos que o corpo pode usar para produzir hormônios sexuais, como o estrogênio e a testosterona, o que aumenta a libido.

No entanto, o fato de influenciar os hormônios o torna impróprio para pessoas que fazem tratamentos para cânceres sensíveis a hormônios e também para aqueles que usam anticoagulantes.

Um estudo pequeno apontou que os participantes homens que receberam 600 mg de extrato de feno grego por dia durante seis semanas relataram um aumento da excitação sexual e no número de orgasmos. Outro pequeno estudo investigou os efeitos da ingestão de 600 mg de extrato de feno grego tomados diariamente por mulheres que se queixavam de ter baixo desejo sexual. Os resultados mostraram um aumento relevante no desejo sexual e também na excitação sexual.

O feno grego não apresenta muitos efeitos colaterais, mas foi observado que para algumas pessoas ele causou um pequeno desconforto estomacal.

7. Pistache

O consumo de pistache atravessa muitas gerações. Há relatos que as pessoas o consomem desde 6.000 aC.

Sua composição é bastante rica – ele contém proteínas, fibras e gorduras saudáveis e ajuda a baixar a pressão arterial, controlar o peso, reduzir o risco de doença cardíaca e também reduzir os sintomas da disfunção erétil e aumenta a libido.

Muitos especialistas indicam que esses efeitos podem estar relacionados à sua capacidade de melhorar o colesterol no sangue e estimular um melhor fluxo sanguíneo por todo o corpo.

Um pequeno estudo realizado com homens induziu o consumo de 3,5 gramas de pistache por dia, durante três semanas. Os participantes experimentaram um aumento do fluxo sanguíneo para o pênis e ereções mais firmes. Porém, o estudo não comparou os resultados com um grupo que não consumiu, e essa questão dificultou a interpretação dos resultados. Sendo assim, mais estudos são necessários antes de determinar se o pistache está mesmo entre os principais alimentos afrodisíacos.

8. Açafrão

O açafrão é uma especiaria muito utilizada na culinária, mas o que muitos não sabem é que ele é popular por suas potenciais propriedades afrodisíacas, especialmente em indivíduos que tomam antidepressivos.

Além disso, ele também é recomendado como um remédio natural para tratar a depressão, reduzir o estresse e melhorar o humor, e sabemos que essas condições podem impactar diretamente no interesse sexual.

Um estudo observou dois grupos de homens: um deles fez a ingestão de 30 mg de açafrão diariamente por quatro semanas e outro consumiu apenas o placebo. Os resultados mostraram que o grupo que consumiu o açafrão experimentou melhorias mais relevantes na função erétil.

As mulheres também são beneficiadas, segundo outro estudo. Durante a pesquisa, aquelas que consumiram açafrão apresentaram níveis mais altos de excitação e maior lubrificação, se comparadas com o grupo do placebo. Porém, as propriedades afrodisíacas do açafrão foram relevantes apenas em pessoas que sofrem de depressão. Infelizmente para aqueles que não sofrem os resultados das pesquisas foram inconsistentes.

9. Ostra

O uso das ostras como alimentos afrodisíacos é feito desde a época da Roma antiga. Existem indicações que além de suas propriedades nutricionais, o seu formato também pode aumentar a libido.

Primeiramente, as ostras são ricas em zinco, um mineral essencial para o bom funcionamento do sistema reprodutor masculino, segundo um estudo realizado em 2016 e publicado pela revista Scientific Reports. 

Além disso, George Fisher, que é PhD e professor de química na Universidade Barry, na Flórida, realizou pesquisas com o alimento e descobriu que as ostras e outros moluscos bivalves contêm aminoácidos, especificamente um chamado ácido d-aspártico, que é capaz de estimular a função sexual. Uma pesquisa de acompanhamento mostrou que o ácido d-aspártico pode aumentar a testosterona em homens, fato que contribui diretamente com o aumento da libido.

No entanto, a quantidade recomendada do alimento para que seus efeitos sejam experimentados não foi relatada.

10. Pimentas

Algumas pimentas contêm capsaicina, um composto químico e o componente ativo das pimentas “quentes”. Ela tem sido associada à melhora da saúde vascular e ao aumento da testosterona nos homens, fatores que poderiam melhorar indiretamente a libido.

Segundo Dolores Lamb, PhD, vice-presidente de pesquisa em urologia da Weill Cornell Medicine e pesquisadora de motivação sexual e alimentos afrodisíacos, a pimenta pode estimular a liberação de substâncias químicas ligadas ao prazer, como endorfinas.

Isso significa que a ingestão de alguns tipos de pimentas na sua alimentação pode impulsionar a libido.

11. Gengibre africano

O gengibre africano é um alimento se mostrou capaz de aumentar a libido masculina. Segundo um estudo publicado em 2010, o gengibre mostra-se capaz de ativar algumas enzimas no organismo, especialmente as conhecidas coletivamente como óxido nítrico sintase, que são responsáveis por suportar a função sexual.

Já outro estudo, esse realizado com ratos, mostrou que o gengibre foi eficaz para aumentar a excitação e estimulação sexual.

Além disso, os consumidores de gengibre podem beneficiar a saúde de outras formas, pois seu uso é indicado para tratar dor muscular e menstrual, reduzir o risco de doenças cardíacas, diabetes e obesidade.

12. Melancia

A fruta é uma das mais requisitadas do verão, principalmente por ter uma quantidade de água relevante e refrescar o corpo. Segundo um estudo recente realizado pela Texas A & M University, a composição da melancia é repleta de fitonutrientes, entre eles o licopeno e citrulina, que demonstram relaxar os vasos sanguíneos de forma semelhante ao Viagra, e por isso está entre os alimentos afrodisíacos.

Embora essa notícia seja mais animadora para os homens, os autores do estudo afirmam que esse efeito de relaxamento também pode aumentar a libido em mulheres.

Dolores Lamb também afirma que comer um pedaço de melancia com as próprias mãos pode fazer com que sua cor estimule o inconsciente e gere um estímulo no aumento da libido, porque ela pode provocar “mensagens de duplo sentido”, servindo como um estimulante.

13. Chocolate

Chocolate é um alimento apreciado por grande parte da população mundial, e embora não exista nenhum estudo que apresente evidências definitivas sobre os seus efeitos afrodisíacos, é conhecido como capaz de aumentar os hormônios de bem-estar. Isso acontece porque a fenetilamina, o estimulante que é liberado em nossos cérebros quando nos apaixonamos e o triptofano, que ajuda a produzir serotonina, são encontrados no chocolate.

Journal of Sexual Medicine publicou um estudo mostrando que existe uma associação entre o consumo de chocolate e um aumento na libido feminina, mas os pesquisadores concluíram: “Em nossa amostra, as mulheres que relataram consumo de chocolate tiveram maiores pontuações na função sexual feminina do que mulheres que não comem chocolate. No entanto, quando os dados são ajustados para a idade, as pontuações são semelhantes, independentemente do consumo de chocolate”.

Porém, quando for comer um chocolate para esta finalidade, opte por um escuro, minimamente processado e que tenha pelo menos 70% de cacau. O chocolate amargo é benéfico para a saúde, porque sua composição contém antioxidantes que não são encontrados no chocolate ao leite.

Considerações finais

A ingestão desses alimentos afrodisíacos demonstra ser segura e apresenta poucos efeitos colaterais. Porém, não esqueça que alguns apresentaram interações com medicamentos anticoagulantes e com remédios destinados para o tratamento do câncer, então não deixe de conversar com o seu médico antes de usar.

A baixa libido também pode ser resultado de alguma condição de saúde e de problemas psicológicos, e nesses casos é importante que um profissional especializado seja consultado para direcionar um diagnóstico preciso e um tratamento adequado.

Também considere que associar a ingestão de alimentos afrodisíacos para aumentar a libido com atitudes simples como vestir algo que te faz sentir bem e sexy, estar bem descansado e eliminar distrações e condições estressantes pode trazer impactos muito relevantes no aumento da libido e fazer maravilhas na sua vida sexual.

Referências adicionais:

Você já conhecia quais eram os principais alimentos afrodisíacos que existem? Pretende aumentar o consumo deles para aumentar a libido? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

3 comentários em “13 Alimentos Afrodisíacos para Aumentar a Libido”

Deixe um comentário