Alcaçuz

12 Benefícios da Alcaçuz – O Que é, Para Que Serve, Chá e Dicas

Embora alcaçuz nos faça lembrar de algo extremamente doce que é usado na composição de diversos produtos como balas, chicletes, adoçantes, bebidas adoçadas e doces em geral, na verdade ela é uma raiz que pode ser muito benéfica para a nossa saúde.

Trata-se de uma erva encontrada principalmente em países da Europa e da Ásia e que é usada há milhares de anos para tratar problemas de saúde devido às suas propriedades medicinais.

Vamos deixar um pouco de lado o alcaçuz usado nos doces e vamos falar sobre os benefícios da alcaçuz original para a saúde, como fazer o seu chá e para que serve.

Alcaçuz – O que é?

A alcaçuz, cujo nome científico é Glycyrrhiza glabra, é uma planta que pertence à família de plantas Fabaceae que pode atingir cerca de 1 a 2 metros de altura. O nome da espécie deriva do grego, em que Glycyrrhiza significa “raiz doce”.

De fato, as raízes da planta são mais doces do que o açúcar comum e concentram os seus compostos ativos que são muito utilizados para dar sabor na indústria de alimentos e na indústria farmacêutica. Além disso, a planta apresenta propriedades medicinais interessantes para nossa saúde.

Na antiguidade, os egípcios adoravam usar a raiz de alcaçuz pra preparar chás. Eles acreditavam que o chá era capaz de curar qualquer doença e era muito utilizado para tratar problemas de saúde.

Outra variedade de alcaçuz é o alcaçuz chinês, cujo nome científico é Glycyrrhiza uralensis e apresenta praticamente os mesmos benefícios da alcaçuz de outra espécie. Na medicina tradicional chinesa, essa erva era muito usada para tratar doenças devido as suas propriedades anti-inflamatórias.

Nutrientes

Basicamente, a raiz de alcaçuz é composta por 4 classes de substâncias responsáveis pelas suas propriedades medicinais.

  • Flavonoides: compostos como a glabridina, que são responsáveis pela pigmentação da planta e pelos seus efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios;
  • Cumarinas e estilbenoides: compostos polifenóis como a licochalcone A que apresentam propriedades anti-inflamatórias, anticancerígenas e bactericidas;
  • Triterpenoides: substâncias esteroidais que participam da regulação hormonal.

A alcaçuz ou raiz de alcaçuz contém diversos nutrientes importantes para a manutenção da nossa saúde, incluindo uma ampla gama de vitaminas, minerais e fitonutrientes antioxidantes.

Ele é uma ótima fonte de vitaminas como a vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina), vitamina B3 (niacina), vitamina B5 (ácido pantotênico) e vitamina E (tocoferol). Também é rica em minerais como o fósforo, o ferro, o magnésio, o zinco, o cálcio, a colina, o potássio, o silício e o selênio.

Quanto aos fitonutrientes, a alcaçuz contém ainda betacaroteno, glicirrizina, glabridina, isoliquiritigenina, timol, fenol, quercetina e ácido ferúlico, dentre outros componentes.

Tipos de alcaçuz

A alcaçuz está disponível em duas formas: uma que contém glicirrizina, que é a alcaçuz selvagem, e outra que não contém esse componente e é chamada de alcaçuz DGL. Mas qual é a diferença?

A sigla DGL remete ao inglês e significa deglycirrhizinated, ou seja, não contém glicirrizina em sua composição. A glicirrizina é o principal componente da alcaçuz. Ela, por sua vez, é composta por ácido glicirrízico, que no nosso organismo é convertido em ácido glicirretínico, substância que faz com que os níveis de cortisol no nosso corpo aumentem.

Apesar da presença de glicirrizina trazer benefícios, ela também pode aumentar o risco de efeitos colaterais da alcaçuz, como o aumento do cortisol associado ao maior risco de desenvolver hipertensão, por exemplo.

Dessa forma, a alcaçuz DGL se torna uma alternativa que traz menos riscos para a saúde devido à ausência da glicirrizina, retendo a maioria das propriedades da alcaçuz selvagem.

Para que serve

A alcaçuz pode ser tomada por via oral para tratar vários problemas de saúde, principalmente aqueles que envolvem distúrbios no sistema digestivos como úlceras estomacais, azias, cólicas e gastrites crônicas.

Também há relatos de que a raiz de alcaçuz pode ser útil para tratar dores de garganta, tosses, bronquite e infecções causadas por bactérias ou vírus como herpes, AIDS e hepatite, além de melhorar condições inflamatórias que afetam a pele como eczema e psoríase e diminuir a oleosidade do cabelo.

A alcaçuz também é usada para ajudar no tratamento da doença de Addison, promover o alívio de sintomas da menopausa e da tensão pré-menstrual e melhorar condições como osteoporose, artrite reumatoide, diabetes, alguns tipos de câncer, lúpus, distúrbios hepáticos, osteoartrite, malária, tuberculose, potássio alto no sangue, problemas na saúde bucal, depressão, odor corporal, intoxicação alimentar, erupções cutâneas, colesterol alto, síndrome da fadiga crônica, dentre outros.

Ela também pode ser usada para ajudar a regular a função das glândulas suprarrenais, responsáveis pela produção e liberação de hormônios importantes para o organismo, tais como os hormônios que ajudam a regular o estresse.

Na indústria alimentícia, o xarope extraído de alcaçuz é muito utilizado para adocicar alimentos, bebidas e medicamentos.

É importante ressaltar que alguns benefícios da alcaçuz ainda não são totalmente comprovados pela ciência e que mais estudos já estão sendo realizados para atestar ou não a eficácia da raiz. Vamos dar uma olhada nesses benefícios?

Benefícios da alcaçuz

1. Anti-inflamatório natural e combate a resfriados e tosses

Diversos estudos atestam que a alcaçuz apresenta atividade anti-inflamatória. Dessa forma, ela ajuda a proteger o corpo de doenças autoimunes e de processos inflamatórios.

Extratos de alcaçuz parecem ser eficazes no tratamento e alívio de sintomas da artrite reumatoide devido às suas propriedades anti-inflamatórias. As pesquisas sugerem que a planta atua reduzindo os níveis de citocinas pró-inflamatórias (substâncias que sinalizam respostas imunes e causam a dor), aliviando a dor e o inchaço nas articulações.

A alcaçuz também ajuda a melhorar o mecanismo de defesa imunológica do organismo, estimulando a ação de células imunológicas que combatem vírus e bactérias que causam a gripe, por exemplo.

A planta também alivia dores de garganta e tosse, ajudando a expelir o muco acumulado na região. Além disso, suas propriedades calmante e anti-inflamatórias ajudam a promover um alívio rápido e eficaz de desconfortos associados a gripes, resfriados, tosses e dores na garganta.

2. Redução de risco de doenças cardiovasculares

Em estudo publicado em 2016 na revista Food & Nutrition Research, foi observada uma redução nos níveis de colesterol total, colesterol do tipo LDL e na pressão arterial em indivíduos que consumiram alcaçuz DGL durante um ano.

Isso ocorre porque a alcaçuz é rica em compostos antioxidantes que ajudam a manter níveis saudáveis de colesterol. O flavonoide glabridina, por exemplo, previne o acúmulo de colesterol do tipo LDL e ajuda a reduzir o risco de desenvolvimento de doenças como a aterosclerose. O efeito antioxidante também serve para prevenir o estresse cardiovascular em pessoas com diabetes.

Em outro estudo feito com ratos que sofreram ataque cardíaco publicado na Toxicology and Industrial Health em 2015, benefícios da alcaçuz anti-inflamatórios e antioxidantes ajudaram a mitigar os danos causados no tecido cardíaco e aceleraram a recuperação dos animais.

Porém, tais resultados não podem ser considerados para a alcaçuz selvagem, que contém glicirrizina e ácido glicirrízico, que podem fazer com que o organismo libere mais potássio, aumentando a pressão arterial sanguínea e piorando ou causando problemas cardíacos.

3. Perda de peso

De acordo com estudo feito com animais e publicado em 2015 na revista Journal of Nutritional Science and Vitaminology, os flavonoides encontrados na alcaçuz ajudam a promover a perda de peso devido ao aumento da queima de gordura durante atividades físicas leves.

Além disso, outro estudo de 2016 publicado na Molecular Nutrition & Food Research mostrou que o pó da raiz de alcaçuz é eficaz na redução do ganho de peso e no acúmulo de gordura.

Dessa forma, a alcaçuz pode ser útil para prevenir problemas de saúde como a obesidade devido à presença de flavonoides, que além de promover a queima de gordura durante exercícios físicos, evitam o acúmulo de tecido adiposo e reduzem os níveis de triglicerídeos e de colesterol no organismo.

4. Proteção da saúde do cérebro

Segundo estudo de 2008 publicado no periódico científico Life Sciences, um dos principais flavonoides encontrados na alcaçuz, a glabridina é responsável por auxiliar na proteção do cérebro, principalmente se o órgão já foi lesionado por causa de um acidente vascular cerebral.

Estudos mostram que uma injeção de glabridina em ratos que sofreram um AVC reduz de forma significativa o dano cerebral, prevenindo a morte de células cerebrais e reduzindo os danos causados ao DNA. Além disso, o flavonoide ajuda a aumentar a quantidade de antioxidantes no cérebro, que são muito úteis para prevenir estresses oxidativos no órgão.

Além de células cerebrais já lesionadas, a alcaçuz pode prevenir danos em células saudáveis que podem causar o declínio da função cognitiva com o passar dos anos ou devido a complicações da diabetes, por exemplo. Pesquisas indicam que a administração oral de glabridina é capaz de reverter problemas relacionados ao aprendizado e à memória.

Por fim, há benefícios da alcaçuz também para ajudar a proteger o cérebro de doenças degenerativas como o mal de Alzheimer, a demência e a esclerose múltipla devido às suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que protegem os neurônios de danos.

5. Ajuda na prevenção e tratamento de câncer 

Embora ainda não seja aprovada para tratamento, a alcaçuz pode ajudar no tratamento de câncer de mama e de próstata, segundo a American Cancer Society.

A explicação para isso está na composição da raiz de alcaçuz. Ela contém compostos antioxidantes e anti-inflamatórios que previnem a proliferação das células cancerosas e combatem processos inflamatórios, podendo inclusive causar a morte celular dessas células.

De acordo com estudos publicados no Journal of Agricultural and Food Chemistry em 2004, a alcaçuz evita a proliferação de células de vários tipos de câncer. Além disso, estudo publicado no mesmo ano pela revista Cancer Science afirma que flavonoides como a isoliquiritigenina ajudam a suprimir a transformação de células saudáveis em células cancerosas, processo chamado de carcinogênese, e podem induzir a apoptose, fenômeno de morte celular de células danificadas.

Apesar de promissores, os estudos ainda são limitados e precisam ser melhor avaliados para confirmar esses benefícios da alcaçuz.

6. Tratamento de distúrbios intestinais, estomacais e úlceras

A raiz de alcaçuz é muito usada para aliviar problemas gastrointestinais como em casos de intoxicação alimentar, gastrite, úlceras estomacais e azia. Nesses casos, a planta é capaz de reparar mais rapidamente o revestimento do estômago e evitar o desconforto devido as suas propriedades anti-inflamatórias.

De acordo com estudo de 2011 publicado no Evidence-based Complementary and Alternative Medicine, pacientes com dispepsia, uma infecção que afeta o trato digestivo, apresentaram melhora nos sintomas como náuseas, indigestão e dores de estômago após tratamento com extrato de alcaçuz.

Além disso, podem existir benefícios da alcaçuz no tratamento de aftas, que são pequenas úlceras que ocorrem nos tecidos da boca e da gengiva. Estudos mostram que aplicar extrato de alcaçuz na área com aftas pode reduzir a dor e a inflamação.

Quando o tratamento é necessário por tempo prolongado, principalmente de úlceras gástricas, o ideal é optar pela alcaçuz DGL, que é um pouco menos efetiva que a alcaçuz selvagem, mas que causa menos efeitos colaterais.

7. Redução de sintomas da menopausa e da TPM e tratamento da síndrome do ovário policístico

A alcaçuz é uma ótima alternativa natural para a terapia de reposição hormonal adotada por mulheres na menopausa. De acordo com estudo publicado na Health Care for Women International em 2014, a alcaçuz é mais eficaz do que a terapia de reposição hormonal quanto à redução da duração das ondas de calor. Isso porque substâncias como a glabridina, a glabrena e a liquiritigenina presentes na alcaçuz têm efeito similar ao do hormônio estrogênio, o que ajuda a reduzir sintomas comuns da menopausa.

A planta pode também ser usada para promover alívio aos sintomas da TPM. A presença de fitoestrogenos em sua composição ajuda a aumentar os níveis de progesterona no organismo, o que ajuda a aliviar cãibras e outros desconfortos durante a menstruação.

Também devido ao efeito similar ao do estrogênio, a alcaçuz pode ajudar a tratar e reduzir os sintomas da síndrome do ovário policístico em mulheres. Além disso, o ácido glicirretínico presente na alcaçuz selvagem ajuda a reduzir os níveis de testosterona e a induzir a ovulação regular.

8. Redução da fadiga

Como já sabemos, a alcaçuz aumenta os níveis do hormônio cortisol no organismo. O aumento do cortisol, apesar de poder causar problemas como o estresse e desencadear a hipertensão arterial, pode também aumentar os níveis de energia no corpo.

Isso porque, segundo estudo publicado em 2010 na revista Molecular and Cellular Endocrinology, a alcaçuz ajuda o corpo a regular de forma mais eficiente o cortisol, permitindo que as glândulas suprarrenais tenham uma pausa em suas atividades e melhorando a resposta do organismo ao estresse.

Além desse efeito, o flavonoide glabridina foi capaz de reduzir a fadiga induzida por exercício físico em camundongos. Nesse estudo publicado em 2010 no African Journal of Tradicional, Complementary and Alternative Medicines, quanto maior a dose administrada de glabridina, mais tempo os camundongos conseguiam continuar nadando e menos marcadores específicos de fadiga foram observados no organismo dos animais.

O ácido glicirrízico também ajuda a reduzir os sintomas da síndrome da fadiga crônica e da fibromialgia.

9. Tratamento de infecções e fortalecimento do sistema imunológico

Estimular o sistema imunológico é mais um dos benefícios da alcaçuz, além de apresentar propriedades antioxidantes, antivirais, antibacterianas e antifúngicas essenciais para o combate a infecções.

O ácido glicirrízico encontrado na alcaçuz selvagem é bastante eficaz no controle da proliferação de bactérias, sendo capaz de inibir diversas espécies do microrganismo.

Segundo estudo publicado em 2010 na revista científica Iranian Journal of Pharmaceutical Research, não só as raízes são antibacterianas, mas também suas folhas apresentam ação bactericida contra estafilococos e cândida.

Estudos também indicam que a alcaçuz é útil no tratamento da tuberculose pulmonar devido à sua ação antibacteriana. Por causa da sua ação antimicrobiana, a alcaçuz também parece ser eficaz no alívio de sintomas de gripe e hepatite. Tudo isso ajuda a fortalecer o sistema imune e ajuda o organismo a combater infecções com mais facilidade.

10. Saúde do fígado

Estudos mostram que há benefícios da alcaçuz também para a saúde do fígado. A presença de glicirrizina ajuda a tratar distúrbios hepáticos, a reduzir a toxicidade e a estabilizar a condição normal de funcionamento do órgão.

De acordo com estudo de 2010 publicado na Free Radical Biology and Medicine, devido ao seu efeito antioxidante, o flavonoide isoliquiritigenina também parece ajudar na proteção das células do fígado contra lesões induzidas por uma dieta rica em gorduras não saudáveis ou pelo estresse oxidativo.

A alcaçuz também pode ser eficaz para melhorar o funcionamento do fígado de pessoas que têm hepatite B causada por vírus.

11. Alívio de problemas respiratórios

Já foi dito acima que a alcaçuz pode ser útil no alívio de dor de garganta e resfriados. Ela também promove alívio para infecções respiratórias causadas por vírus ou bactérias. Basicamente, atua como um agente expectorante auxiliando da eliminação de muco e outras substâncias nocivas presentes nos brônquios ou nos pulmões. Também há indícios de benefícios da alcaçuz no tratamento da asma.

12. Saúde da pele e do cabelo

Também há benefícios da alcaçuz para a beleza. Ela trata condições de pele como eczema, psoríase e pé-de-atleta. Estudos também mostram que o uso tópico de extrato de alcaçuz na pele pode ajudar a reduzir o inchaço e a coceira na região.

Também é possível observar um efeito clareador da pele e seus efeitos antioxidantes protegem a pele de danos causados pela radiação ultravioleta do sol e pelo estresse oxidativo.

A planta também promove cabelos mais bonitos e saudáveis devido à redução da oleosidade e à eliminação de caspas. Além disso, a alcaçuz inibe o hormônio di-hidrotestorena, relacionado com a perda de cabelo e casos de calvícies em homens.

Outros benefícios da alcaçuz

Há estudos em desenvolvimento que indicam que a alcaçuz também pode ser eficiente para:

  1. Ajudar pessoas com distúrbios do sono a dormir mais rapidamente e ter um sono de qualidade;
  2. Reduzir os níveis de açúcar sanguíneo e inibir a resistência à insulina em diabéticos;
  3. Aumentar a produção de espermatozoides e ajudar no tratamento da infertilidade masculina;
  4. Fortalecer o sistema imunológico de pessoas que sofrem de doenças autoimunes ou infecções como a AIDS;
  5. Desintoxicar o corpo através de suas propriedades laxantes e efeitos antioxidantes que ajudam o organismo a eliminar substâncias nocivas ou tóxicas;
  6. Tratar problemas de fertilidade em mulheres causados por desequilíbrios hormonais;
  7. Reduzir sintomas de depressão e o estresse devido ao seu teor nutritivo que regula a produção hormonal e protege a saúde do cérebro;
  8. Prevenir e tratar problemas dentários como a cárie e a gengivite devido ao seu efeito antimicrobiano;
  9. Aliviar dores devido ao seu efeito antiespasmódico, que ajuda a aliviar cãibras abdominais e musculares, além de dores nas articulações.

Como usar

A alcaçuz está disponível em várias formas: em extratos líquidos, em pó, em cápsulas, em folhas secas e na forma mais natural, que é a raiz.

– Extrato líquido

Essa é a forma mais encontrada de alcaçuz e mais frequentemente usada como componente de doces e bebidas. O consumo do extrato de alcaçuz não deve ultrapassar a dose de 30 miligramas por mL de ácido glicirrízico devido ao risco de efeitos colaterais.

– Pó

O pó de alcaçuz pode ser encontrado em algumas lojas de produtos naturais. Ele pode ser consumido por via oral ou aplicado diretamente sobre a pele para tratar inflamações como eczema ou acne. A dose indicada é de no máximo 75 miligramas por dia segundo diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

– Chá

O chá de alcaçuz é uma bebida que pode ser preparada a partir das folhas secas da planta ou da própria raiz.

Basta ferver meio litro de água e adicionar um punhado de folhas secas de alcaçuz ou alguns pedaços cortados da raiz de alcaçuz (cerca de 15 gramas). Deixe fervendo por pelo menos 10 minutos. Depois disso, desligue o fogo e deixe a mistura em infusão por mais 10 minutos. Por fim, coe a bebida e o chá está pronto!

Cuidado apenas para não exagerar no consumo. A dose máxima recomendada de extrato de raiz de alcaçuz são de 6 a 18 gramas diárias para evitar os efeitos adversos da glicirrizina. Já o alcaçuz DGL não deve conter mais do que 2% de glicirrizina em sua composição e não é indicado consumir mais do que 5 gramas por dia.

Efeitos colaterais

Mesmo plantas benéficas e consideradas seguras como a alcaçuz podem causar efeitos adversos se usadas continuamente ou de maneira exagerada. Os principais efeitos colaterais da alcaçuz têm a ver com a presença de ácido glicirrízico. Para evitar a maioria dos efeitos adversos mencionados a seguir, basta usar a alcaçuz DGL, que não contém a substância.

Os efeitos colaterais do uso de alcaçuz a longo prazo e em grandes quantidades incluem:

  • Aumento dos níveis de cortisol, o hormônio do estresse.
  • Pressão arterial elevada;
  • Oscilações no índice glicêmico;
  • Metabolismo mais lento de medicamentos causando acúmulo do fármaco no organismo e aumento do risco de efeitos adversos;
  • Redução do teor de potássio no sangue causando fraqueza muscular ou problemas cardíacos;
  • Ritmo cardíaco irregular;
  • Problemas na gestação como gravidez mais curta e contrações precoces;
  • Aumento da retenção de líquidos;
  • Inchaço.

Mulheres grávidas devem evitar o consumo de alcaçuz, já que ele pode induzir o parto prematuro e até causar um aborto. Também não é indicado o consumo por pessoas com problemas cardiovasculares, hepáticos, renais ou que estão fazendo tratamento para câncer de mama, câncer uterino, câncer de ovário, endometriose ou mioma uterino devido ao efeito estrogênico da alcaçuz, que pode causar alterações hormonais e prejudicar o tratamento.

Dicas e cuidados

Uma dica essencial consiste na escolha correta da alcaçuz. Se você precisa tratar condições causadas por micro-organismo como gripes e infecções, é essencial buscar pela alcaçuz selvagem que contém a glicirrizina, que é principal substância responsável pela ação antimicrobiana da alcaçuz. Se optar pela alcaçuz DGL, as propriedades antimicrobianas da planta são drasticamente reduzidas devido à ausência da glicirrizina.

A alcaçuz pode interagir de forma prejudicial à saúde com medicamentos diuréticos e corticosteroides como a prednisona. Assim, sempre converse com um médico antes de começar a usar a alcaçuz para evitar interações medicamentosas.

Usando a erva com moderação, é possível aproveitar todos os benefícios da alcaçuz para a saúde sem riscos nem complicações. E claro, sem esquecer de manter uma dieta equilibrada e praticar atividades físicas frequentemente.

Referências adicionais:

Você já imaginava que existiam tantos benefícios da alcaçuz para a saúde e boa forma? Já consumiu essa planta medicinal de alguma forma? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*