6 Remédios Caseiros para Hipertireoidismo – Cuidados e Dicas

Antes de aderirmos aos remédios caseiros para hipertireoidismo, que não é uma doença simples, é fundamental saber se eles realmente podem funcionar e, principalmente, se são seguros. Conheça a seguir 6 remédios caseiros para hipertireoidismo, com seus cuidados e dicas.

Assim como acontece com os cuidados com a alimentação para hipertireoidismo, conhecer os remédios caseiros associados ao tratamento da doença é extremamente útil para os pacientes que foram diagnosticados com a condição.

  Continua Depois da Publicidade  

Sobre o hipertireoidismo

O hipertireoidismo é um problema de saúde caracterizado pela produção excessiva do hormônio tiroxina (T4) por parte da glândula tireoide.

A doença pode causar sintomas como: perda de peso intencional, batimento cardíaco rápido e/ou irregular, palpitação, aumento do apetite, nervosismo, ansiedade, irritabilidade, tremor, transpiração, mudanças nos padrões menstruais, aumento da sensibilidade ao calor, mudanças intestinais, alargamento da glândula tireoide (inchaço na base do pescoço), fadiga, fraqueza muscular, dificuldade para dormir, pele fina e cabelos frágeis e finos.

Pessoas mais velhas têm maior tendência para não apresentar os sinais da doença ou de ter apenas sinais sutis como aumento do ritmo cardíaco, intolerância ao calor e cansaço durante atividades corriqueiras.

Os fatores de risco para o desenvolvimento do hipertireoidismo são: ser do sexo feminino, histórico familiar, especialmente de doença de Graves, e histórico pessoal de doenças como diabetes do tipo 1, anemia perniciosa e insuficiência adrenal primária (doença de Addison).

A maioria das pessoas costuma responder bem ao tratamento da condição, entretanto, se ela for ignorada pode se tornar uma doença séria. Complicações como problemas no coração, osteoporose, problemas nos olhos, vermelhidão e inchaço na pele (geralmente dos pés e canelas) e crise tireotóxica (intensificação dos sintomas do hipertireoidismo, que gera febre, pulso, rápido e delírio, exigindo cuidado médico imediato) estão associadas à condição. As informações são da Mayo Clinic, organização da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares dos Estados Unidos.

6 remédios caseiros para hipertireoidismo

Por conta do potencial de se tornar um problema perigoso de saúde, conforme acabamos de aprender, uma vez que o hipertireoidismo é diagnosticado, ele precisa ser tratado direitinho de acordo com as recomendações passadas pelo médico.

De acordo com a Mayo Clinic, o tratamento indicado para lidar com a doença pode incluir o uso de iodo radioativo, medicamentos antitireoidianos e betabloqueadores, além de procedimentos cirúrgicos, em alguns casos.

Portanto, quem foi diagnosticado com a doença jamais deve substituir o tratamento prescrito pelo médico apenas pelo uso de um remédio caseiro porque isso pode ser bastante perigoso para a saúde.  Os remédios caseiros para hipertireoidismo que você vai conhecer na listinha a seguir servem apenas como complemento e devem ser utilizados sempre de acordo com a orientação médica:

1. Prática regular de exercícios físicos

Segundo a Mayo Clinic, de modo geral, os exercícios ajudam a pessoa a sentir-se melhor, beneficiam em relação à tonificação muscular e ao sistema cardiovascular e podem auxiliar a diminuir o apetite e aumentar a energia.

Alguns exercícios com peso são indicados para as pessoas que sofrem com a doença de Graves – uma doença autoimune que é uma das causas do hipertireoidismo – porque auxiliam a manter a densidade óssea, explicou a organização.

  Continua Depois da Publicidade  

2. Não fumar

A Mayo Clinic alertou que o hábito de fumar já foi relacionado ao desenvolvimento da oftalmopatia de Graves (doença que atinge as órbitas e está associada ao hipertireoidismo da doença de Graves), além de poder agravar a condição depois do tratamento.

3. Cuidados com os olhos

Para quem sofre com problemas nos olhos decorrentes da doença de Graves, recomenda-se usar óculos de sol para proteger os olhos contra o sol e o vento e elevar a cabeceira da cama, o que pode ajudar a diminuir o inchaço e amenizar a pressão nos olhos.

Outras sugestões da organização são: usar colírios para aliviar o ressecamento e o comichão nos olhos, usar um gel lubrificante para os olhos na hora de dormir como forma de evitar o ressecamento da córnea ou aplicar uma compressa fria que também pode promover alívio. Na hora de escolher um colírio ou gel lubrificante para os olhos, procure a orientação de um oftalmologista.

4. Ajuga (Bugleweed/Lycopus virginicus)

Um artigo divulgado na publicação Clinical Botanical Medicine (Medicina Botânica Clínica, tradução livre) sugeriu que a planta possui atividade supressora em relação à glândula tireoide.

Entretanto, não existem evidências suficientes para confirmar se a Lycopus virginicus realmente pode ser um tratamento eficiente e seguro para o hipertireoidismo. Além disso, o uso de longo prazo da bugleweed pode provocar um alargamento da glândula tireoide, que já é um dos sintomas do hipertireoidismo. A ajuga é contraindicada para quem sofre com o bócio (glândula tireoide alargada) ou com o hipotireoidismo.

Por isso, antes de usar um suplemento ou qualquer outro produto à base da planta para tentar ajudar o tratamento do hipertireoidismo é fundamental conversar com o médico. A bugleweed também é contraindicada para os pacientes que estão recebendo tratamentos para a tireoide.

Ainda que as plantas como a ajuga sejam produtos naturais, elas também podem provocar efeitos colaterais, ter contraindicações e fazer mal ao serem usadas ao lado de determinados medicamentos, suplementos e outras plantas.

Por exemplo, a Lycopus virginicus não pode ser usada durante a gravidez e amamentação, exige cautela por parte das pessoas com diabetes e precisa ter o seu uso interrompido pelo menos duas semanas antes da data marcada para a realização de uma cirurgia.

5. Erva-cidreira (Melissa officinalis)

Acredita-se que a planta possa funcionar como um tratamento para a doença de Graves porque ela, teoricamente, diminui o hormônio estimulante da tireoide (TSH). No entanto, faltam pesquisas e evidências para confirmar essa afirmação.

Com isso, antes de usar qualquer produto à base da erva-cidreira, o paciente com hipertireoidismo precisa consultar o médico para saber se a planta pode ser eficiente e segura para o seu quadro em particular.

O uso da erva-cidreira pode ser desaconselhado para quem sofre com doença na tireoide porque existe a preocupação que a planta possa alterar a função da glândula e interferir com a terapia de reposição hormonal da tireoide.

A erva-cidreira também exige cuidados por parte das mulheres grávidas, das mulheres que amamentam e das pessoas que sofrem com a diabetes. A utilização da planta precisa ser interrompida duas semanas antes da data marcada para a realização de uma cirurgia.

  Continua Depois da Publicidade  

6. Óleos essenciais

O óleo essencial de lavanda e/ou o óleo essencial de sândalo podem diminuir as sensações de ansiedade e auxiliar uma pessoa a sentir-se calma, o que pode ser útil em relação ao nervosismo e à insônia, dois possíveis sintomas do hipertireoidismo.

Entretanto, além desses potenciais benefícios, não existem pesquisas o suficiente para embasar a ideia de que os óleos essenciais podem contribuir com o tratamento do hipertireoidismo. Portanto, antes de usar um produto do tipo para lidar com o seu quadro da doença, consulte o seu médico para saber se isso é realmente indicado e seguro para você.

Referências Adicionais:

Você já conhecia os 6 remédios caseiros para hipertireoidismo? Pretende experimentar algum? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Felipe Santos e Dra. Patrícia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário