Anfepramona Emagrece Mesmo?

Especialista:
atualizado em 28/10/2019

A anfepramona é um fármaco muito conhecido por inibir o apetite e recomendado no tratamento de curto prazo da obesidade. Você descobrirá a seguir se a anfepramona emagrece mesmo e verá uma análise completa sobre como ele atua no seu corpo, seus benefícios e efeitos colaterais.

O desejo de um corpo esbelto e a busca cada vez maior por métodos diferentes para a perda de peso, adotados muitas vezes na espera de fórmulas milagrosas e pouco esforço, levam cada vez mais pessoas a recorrerem a medicamentos que os ajudem a alcançar estes objetivos de forma rápida. Por isso é importante compreender como funcionam os remédios disponíveis no mercado, evitando excessos e malefícios.

Além disso, também vale a pena conhecer os alimentos que podem suprir essa finalidade, como é o caso dos alimentos que dão saciedade e emagrecem rapidamente e das receitas de sucos que emagrecem.

A anfepramona é um componente base de alguns dos fármacos cuja função é ajudar no emagrecimento ao inibir o apetite. Também possui inúmeros efeitos colaterais que não podem ser ignorados por aqueles que fazem uso desses medicamentos.

Existem também outras alternativas nessa mesma linha como os 10 remédios para emagrecer sem receita mais vendidos, que podem ser essenciais se você está buscando remédios e suplementos para emagrecer.

Entretanto, a dúvida permanece: a anfepramona emagrece mesmo?

A anfepramona

Também conhecida como dietilpropiona, a anfepramona (que é um cloridrato) é um fármaco anorexígeno com efeitos estimulantes, agindo no Sistema Nervoso Central de forma a inibir o apetite. Utilizada principalmente para o tratamento de curto prazo da obesidade, a anfepramona está no mercado brasileiro há mais de trinta anos. É um medicamento anfetamínico e, portanto, tem consequências semelhantes – ainda que menores – aos da anfetamina.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) havia proibido o comércio desta substância em 2011. Porém, um projeto de lei contrário a esta medida foi aprovado no Senado em setembro de 2014, permitindo que remédios que tivessem a anfepramona e alguns outros fármacos pudessem ser prescritos e comercializados novamente.

Como funciona?

A anfepramona age diretamente na liberação da noradrenalina, neurotransmissor responsável, entre outras coisas, pela sensação de saciedade. Ou seja, ao atuar no hipotálamo, a substância tem efeito anorexígeno-saciogênico. Como serve de estimulante ao Sistema Nervoso Central, pode elevar a pressão arterial.

É um medicamento que leva à dependência, provoca alterações psíquicas e gera tolerância – ou seja, são necessárias doses cada vez maiores para se ter o mesmo efeito quanto maior o tempo de uso. Segundo um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), a tolerância aos efeitos da droga podem ocorrer entre 6 a 12 semanas.

A anfepramona deveria ter papel somente coadjuvante ao tratamento da obesidade (ou seja, deveria ser acompanhada de uma dieta de restrição calórica, de atividades físicas e reeducação comportal). Por todos estes motivos, porém, ela tem sido desviada de seu uso clínico, servindo para o uso recreacional e mesmo o dopping em esportes.

Uso recreativo e malefícios

O uso constante e ininterrupto da anfepramona causa dependência química, especialmente porque a eficácia diminui com o tempo e por gerar sensação de euforia e bem-estar. É possível que haja superdosagem do medicamento, cuja manifestação mais grave é a psicose. Diminuição da concentração, fraqueza e mudanças na personalidade também são efeitos decorrentes do uso prolongado da anfepramona.

A anfepramona emagrece mesmo?

Ainda que seus efeitos sejam grandemente potencializados quando o tratamento para obesidade envolve a adoção de novos hábitos alimentares e comportamentais, além da prática de exercícios físicos, a anfepramona emagrece mesmo. Como demonstrado por estudos científicos, a anfepramona é um dos mais potentes medicamentos no tratamento da obesidade, levando a grades perdas de peso em torno de 84 dias estudados – em uma faixa que variou de 9,7 até 17,5 kg.

Por isso, seu consumo é maior nos meses precedentes ao verão aqui no Brasil, atingindo o pico máximo de venda em outubro. Isto ocorre porque as pessoas querem emagrecer rapidamente e sem esforço, e muitas vezes recorrem indiscriminadamente a medicamentos como este, sem perceberem os riscos que correm.

Entretanto, nunca é demais repetir: não existem fórmulas mágicas, e qualquer medicamento deve ser prescrito e, salvo em casos de prescrição médica, acompanhados de boa alimentação e atividade física regular.

Indicações

Os únicos casos em que a anfepramona é recomendada são:

  • Obesidade exógena;
  • Sobrepeso patológico.

Esta substância tampouco deve ser utilizada sem ampara de dieta saudável e exercícios, ainda que seja verdade que a anfepramona emagrece mesmo.

Contraindicações

A anfepramona é contraindicada em casos de hipertensão grave, arteriosclerose grave, arritmias, hipertireoidismo, glaucoma, insuficiência renal e/ou hepática, pacientes com histórico de distúrbios psiquiátricos, epilepsia e alcoolismo crônico. Tampouco é recomendado a crianças com menos de 12 anos e idosos. Não se deve utilizar a anfepramona em caso de alergia a esta substância, e muito menos em concomitância ao Inibidores da Monoamina Oxidase (IMAOs).

Em caso de gravides ou aleitamento, o fármaco também é contra-indicado, uma vez que a anfepramona é eliminada no leite materno. Ainda é preciso cuidado ao consumir este medicamento caso você faça uso de certos anti-histamínicos, alguns analgésicos, drogas para tratamento de depressão e diabetes.

Reações adversas e efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns são a boca seca, insônia, vertigens, nervosismo e irritabilidade, cefaleia, manifestações depressivas, constipação, hipertensão, taquicardia, tremores e ansiedade.

A anfepramona ainda poderá induzir resultados positivos nos testes de dopping, e portanto deve ser utilizada com cautela por esportistas.

Portanto, antes de começar qualquer terapia contra a obesidade que seja baseada em anfepramona, é necessário consultar um médico, que conseguirá prover as informações sobre a dosagem específica ao seu caso, os efeitos colaterais e todos os riscos potenciais do uso deste medicamento.

Para aqueles que buscam somente uma maneira rápida de perder um pouco de peso, deve-se ter em mente que o processo de emagrecimento, para ser saudável, é gradativo e aliado a uma alimentação balanceada e exercício físicos regulares. A anfepramona emagrece mesmo, mas só deve ser utilizada quando prescrita.

Fontes adicionais:

Você tem vontade de experimentá-la, ou a anfepramona foi devidamente indicada por um médico para que você consiga perder peso? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (209 votos, média: 3,78 de 5)
Loading...
Sobre Julio Bittar e Dra. Patricia Leite

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Depois disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas, e só então ele é publicado no site. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário