Como Plantar Rúcula em Casa – Passo a Passo e Cuidados

Especialista da área:
atualizado em 02/03/2020

Aprenda como plantar rúcula em casa com um passo a passo desde o plantio e o cultivo até a colheita e confira mais cuidados para os melhores resultados.

  Continua Depois da Publicidade  

A rúcula é fonte de nutrientes importantes para o nosso organismo funcionar apropriadamente, ao mesmo tempo em que apresenta uma quantidade bem baixa de calorias. Existem inúmeros benefícios da rúcula e suas propriedades para a saúde que vale a pena conhecer.

De acordo o Banco de Dados Nacional de Nutrientes do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, uma porção de duas xícaras com aproximadamente 40 g de rúcula contém somente 10 calorias e carrega doses de cálcio, vitamina A, vitamina B9, vitamina C e vitamina K.

Entretanto, para quem é mais ligado em um estilo de vida saudável, não basta somente incluir alimentos como a rúcula na dieta. É necessário garantir que eles sejam alimentos 100% orgânicos e livres de agrotóxicos.

Pensando nisso, vale a pena aprender como plantar rúcula em casa, não é mesmo?

Mas qual é o problema com os agrotóxicos?

Antes de conhecermos alguns métodos de como plantar rúcula em casa, vale a pena conhecermos quais problemas já foram atribuídos aos tais agrotóxicos.

De acordo com o portal do Ministério da Saúde, os agrotóxicos são definidos no Brasil por Lei, como “produtos e agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao uso nos setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas, nativas ou implantadas, e de outros ecossistemas e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos; substâncias e produtos, empregados como desfolhantes, dessecantes, estimuladores e inibidores de crescimento”.

O portal do Ministério da Saúde também informa que o uso contínuo, indiscriminado e inadequado dessas substâncias é considerado um relevante problema ambiental e de saúde pública.

Segundo o portal, “os efeitos à saúde humana, decorrentes da exposição direta ou indireta aos agrotóxicos podem variar de acordo (com) a toxicidade, tipo de princípio ativo, dose, tempo de exposição e via de exposição”.

Estudos realizados pelo aluno de doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Ensp/Fiocruz), Cleber Cremonese, indicaram que parte dos agrotóxicos pode desregular o sistema endócrino, alterando os níveis de hormônios sexuais e provocando efeitos prejudiciais, especialmente para o sistema reprodutor.

  Continua Depois da Publicidade  

Essas reações podem incluir câncer de mama, câncer de ovário, câncer de testículo, câncer de próstata, desregulação do ciclo menstrual, infertilidade, baixa na qualidade do sêmen e malformação de órgãos reprodutivos. Confira uma lista e análise das doenças causadas por agrotóxicos nos alimentos.

Em suas pesquisas, Cremonese avaliou moradores de Farroupilha (RS) – em um primeiro estudo, ele trabalhou com homens e mulheres adultos, trabalhadores rurais e seus familiares, que tinham entre 18 a 69 anos; no segundo ele analisou jovens das zonas rurais e urbanas com idade entre 18 a 23 anos.

Para chegar aos resultados apontados, o doutorando coletou amostras de sangue e sêmen e aplicou questionários.

Ele concluiu que seus estudos sugerem que as exposições crônicas aos agrotóxicos interferem na regulação dos hormônios sexuais nos adultos e na qualidade do sêmen dos jovens nas regiões onde o estudo foi conduzido.

Cleber afirmou ainda que o uso dos agrotóxicos já foi associado a outros problemas de saúde como doenças neurodegenerativas como Parkinson, distúrbios cognitivos, transtornos psiquiátricos, alterações respiratórias e imunológicas, problemas no fígado e nos rins e complicações na gestação como aborto, malformações congênitas e baixo peso ao nascer.

O doutorando defende intervenções de curto, médio e longo prazo para diminuir ou minimizar os problemas e doenças causadas pelos agrotóxicos à saúde dos grupos de risco em relação aos efeitos dessas substâncias.

Por isso tudo, vale a pena conhecer também os alimentos com mais agrotóxicos no Brasil e sempre tentar comprá-los orgânicos.

Como plantar rúcula em casa

– Como plantar rúcula em vaso

  1. O cultivo da rúcula pode ser feito em pequenos vasos, que devem ter furinhos no fundo, e recomenda-se o uso de terra adubada ou esterco de boi para o cultivo da planta;
  2. Cobrir o fundo do vasinho com uma manta apropriada. Então, misturar a terra adubada com o esterco e preencher o vasinho;
  3. Após, cavar um buraquinho raso na terra dentro do vaso e espalhar as sementes de rúcula. Cobrir as sementes com uma camada bem fininha de terra.
  4. O próximo passo é regar com o auxílio de um borrifador, para que as sementes não desçam e atinjam o fundo do vaso, o que as impediria de germinar. Acredita-se que a germinação da rúcula demora entre quatro a sete dias e que a sua colheita pode acontecer em aproximadamente 40 dias.

– Como plantar rúcula na água (com vaso autoirrigável de garrafa pet)

Materiais necessários: garrafas pet de 2 litros, barbante de poliéster ou algodão, faca ou furadeira, tesoura, pedra mármore, mudinhas de rúcula na sementeira e substrato rico em material orgânico (composto por 1 parte de substrato, ¼ de parte de húmus, ¼ de parte de esterco de curral, ¼ parte de esterco de aves, ¼ de parte de torta de mamona e 1/8 de parte de farinha de ossos);

  Continua Depois da Publicidade  

  1. Cortar a garrafa pet ao meio. Com bastante cuidado para não se machucar, furar a tampinha da garrafa com o auxílio da faca ou da furadeira e passar um pedaço de 20 cm de barbante por esse furo, deixando uma metade do barbante para cima e outra metade para baixo;
  2. Tampar a primeira metade da garrafa com a tampinha furada com barbante, deixando metade do barbante para dentro e metade para fora, conforme demonstra o vídeo de baixo;
  3. Fazer um acabamento nessa primeira metade da garrafa pet: realizar pequenos cortes e dobrar, como o vídeo abaixo ensina, para que não se tenha uma superfície cortante, que poderia danificar a planta;
  4. Adicionar um pouquinho de pedra mármore no fundo primeira metade da garrafa pet, na parte da tampinha, para melhorar a drenagem;
  5. Então, acrescentar o substrato até quase encher, deixando um espaço até a borda, como apresentado no vídeo de baixo. Tirar a mudinha de rúcula da sementeira, plantar no vaso de garrafa pet e completar com mais substrato;
  6. Colocar um pouco de água na segunda metade da garrafa pet (a parte de baixo), que funcionará como uma espécie de reservatório. Posicionar a primeira metade da garrafa, já preparada com o substrato e a muda de rúcula, de cabeça para baixo dentro do reservatório;
  7. Irrigar a planta. Deixar o vasinho de garrafa pet em um local que receba sol direto, porém, não muito forte, e trocar a água quando ela ficar turva.

Outras dicas

  • O solo adequado para o plantio da rúcula é de textura média, pouco ácido e rico em matéria orgânica;
  • Os locais mais indicados para o cultivo da verdinha são os que apresentam temperaturas amenas. Ela cresce bem em um clima que fica entre 15º e 18º. Por outro lado, as temperaturas mais elevadas fazem com que as suas folhas fiquem menores e com uma textura inadequada para a comercialização, embora não seja impossível plantar a rúcula em locais quentes;
  • É fundamental não descuidar da irrigação da rúcula, que deve ser regada todos os dias pela manhã. Entretanto, vale a pena saber que ela não deve estar em um local encharcado, já que muita água prejudica a hortaliça e favorece o surgimento de doenças.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já sabia como plantar rúcula em casa? Pretende começar a fazer o cultivo da sua própria rúcula orgânica? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário