Dieta para Ansiedade – Alimentos e Dicas

Especialista:
atualizado em 14/04/2020
Sentir-se ansioso é definitivamente algo muito desagradável. A ansiedade é descrita como a resposta natural do corpo em relação ao estresse e como um sentimento de medo ou apreensão por conta de algo que ainda não aconteceu. Pode ser por conta do primeiro encontro romântico com o “crush”, de uma prova na faculdade, de uma entrevista de emprego, de uma apresentação importante no trabalho ou do primeiro dia de aula, por exemplo. Considera-se normal sentir-se ansioso em frente a novidades como as descritas acima. Além disso, a ansiedade normal é aquela que é desagradável, porém, motiva a pessoa a se esforçar e melhorar, vem e vai embora e não interfere no dia a dia. Entretanto, quando os sentimentos de ansiedade são extremos, têm uma duração maior do que seis meses e interferem na vida da pessoa, pode ser que ela tenha um distúrbio de ansiedade. A condição traz uma sensação de medo o tempo todo, que é intensa e em alguns casos, debilitante, podendo impedir a pessoa de fazer as coisas que gosta e precisa. Porém, a recomendação é já conversar com o médico se os sintomas de ansiedade forem severos ou durarem mais do que duas semanas. Em geral, alguns sintomas da ansiedade incluem: dificuldade para dormir, aumento da frequência cardíaca, inquietação e dificuldade para se concentrar. De acordo com a Associação Psiquiátrica Americana, as mulheres têm uma tendência maior do que os homens de sofrer com um distúrbio de ansiedade. Além disso, quem possui a condição também pode estar deprimido. Porém, diferentes pessoas podem sentir a ansiedade de diferentes maneiras e experimentar sinais como “borboletas no estômago”, pesadelos, pânico, pensamentos e memórias dolorosas que não se pode controlar e uma sensação geral de medo e preocupação.

A dieta para ansiedade

Primeiramente, se você se identificou com as características do distúrbio de ansiedade, é fundamental que você procure ajuda médica especializada como um psicólogo ou psiquiatra para tratar corretamente o seu problema. Entretanto, isso não significa que uma dieta para ansiedade não possa ter a sua utilidade para lidar com o problema. Em seu artigo publicado no blog de saúde da Universidade de Harvard, a médica e instrutora em psiquiatria da instituição Uma Naidoo explicou que terapias específicas e o uso de medicamentos podem amenizar a ansiedade. Naidoo contou ainda que em seu consultório, ao explicar as opções de tratamento para lidar com o problema, ela também fala a respeito da importância da dieta para ansiedade. Essa dieta para ansiedade abordada pela médica inclui seguir uma alimentação balanceada, tomar uma quantidade suficiente de água para manter-se hidratado e limitar ou evitar o consumo de álcool e cafeína, mas também vai além disso. Por exemplo, uma das estratégias ensinadas por ela é a de optar por carboidratos complexos que são processados no organismo mais lentamente e, por consequência, auxiliam a manter mais estáveis os níveis de açúcar no sangue. E o que isso tem a ver com a ansiedade? De acordo com a médica, isso cria uma sensação mais calma.

Os alimentos que podem ajudar a reprimir a ansiedade 

A médica e instrutora em psiquiatria de Harvard Uma Naidoo também falou a respeito de alguns alimentos que podem ser úteis no combate à ansiedade. Vamos descobrir quais são eles? – Alimentos ricos em magnésio Ela contou sobre a descoberta de que dietas pobres em magnésio aumentaram comportamentos associados à ansiedade em ratos. Por isso, Naidoo apontou que alimentos ricos em magnésio podem contribuir para que uma pessoa se sinta mais calma. Alguns exemplos de fontes do nutriente são: vegetais verdes folhosos como espinafre e acelga, legumes, nozes, sementes e grãos integrais. – Alimentos com zinco  A médica também afirmou que alimentos ricos em zinco como ostras, caju, fígado, bife e gema de ovo também já foram associados à diminuição da ansiedade. – Alimentos antioxidantes De acordo com Naidoo, acredita-se também que a ansiedade esteja relacionada com o chamado baixo estado antioxidante total. Assim, a médica explicou que é evidente que enriquecer a dieta para ansiedade com alimentos fontes de antioxidantes possa ajudar a amenizar os sintomas desses distúrbios. A especialista apresentou uma lista com alguns dos alimentos classificados como ricos em antioxidantes pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. São eles:
  • Feijão preto;
  • Frutas como maçã, ameixa, ameixa seca, ameixa preta, amora, morango, uva-do-monte (cranberry), framboesa e mirtilo;
  • Nozes e nozes-pecã;
  • Especiarias: cúrcuma (contendo o ingrediente ativo curcumina) e gengibre – elas também possuem propriedades antiansiedade.
– Ômega 3 A instrutora em psiquiatria de Harvard também relatou que um estudo de 2011 realizado em estudantes de medicina foi um dos primeiros a identificar que o ômega 3 pode ajudar a diminuir a ansiedade. Entretanto, Naidoo esclareceu que a pesquisa utilizou suplementos de ácidos graxos ômega 3 em suas análises. Antes de aderir a esse tipo de suplemento para auxiliar a sua dieta para ansiedade, procure antes o conselho do médico. – Probióticos Um estudo publicado no jornal Psychiatry Research (Pesquisa de Psiquiatria, tradução livre) sugeriu a existência de uma ligação entre os alimentos probióticos e a diminuição da ansiedade social. Segundo Naidoo, os picles com probióticos, além de outros alimentos ricos em probióticos como chucrute e kefir, foram associados com um menor número de sintomas. – Aspargos A médica contou também que, baseando-se em pesquisas, o governo chinês aprovou a utilização de um extrato de aspargo como um alimento natural e funcional e como um ingrediente para bebidas justamente por causa das propriedades antiansiedade do vegetal. – Alimentos com vitaminas do complexo B A instrutora em psiquiatria da Universidade de Harvard também indicou os alimentos ricos em vitaminas do complexo B como abacate e amêndoas para uma dieta para ansiedade.

A importância de não pular as refeições 

Em seu artigo no blog de saúde da Universidade de Harvard, a médica e instrutora em psiquiatria da instituição, Uma Naidoo, também explicou como pular as refeições pode prejudicar em relação à ansiedade. Conforme Naidoo, isso pode provocar quedas nas taxas de açúcar no sangue, que podem fazer com que a pessoa fique nervosa/agitada/trêmula, o que pode agravar uma ansiedade já existente.

Considerações 

Converse com o seu médico a respeito de como deve ser a sua dieta para ansiedade e que mudanças você deve fazer em relação a seus hábitos alimentares para favorecer a evolução do seu tratamento.

Vídeo:

Gostou das dicas? Fontes e Referências Adicionais: https://www.health.harvard.edu/blog/nutritional-strategies-to-ease-anxiety-201604139441

O que você achou dessas dicas de dieta para ansiedade? Você acredita que sofre com esses distúrbios? Já foi diagnosticado por um médico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário