Dieta para Colite – Alimentos e Dicas

A colite é descrita como uma inflamação que afeta o revestimento interior do cólon e pode ser provocada por uma série de fatores como infecção, doença inflamatória intestinal, síndrome do intestino irritável, medicamentos, intoxicação alimentar ausência de fluxo sanguíneo e a passagem de radiação para o intestino grosso, por exemplo.

Existem diversos tipos de colite, os principais são: colite pseudomembranosa, enterocolite, doença de Crohn, colite por citomegalovírus, colite isquêmica e colite ulcerativa.

Os sintomas da condição dependem do fato que a causou e podem incluir: dor abdominal, cólica, diarreia com ou sem sangue nas fezes, febre, calafrios, fadiga, desidratação, inflamação no olho, inchaço na articulação, afta, inflamação na pele, dilatação abdominal, necessidade constante de evacuar e aumento da flatulência.

As informações são do médico e professor do Departamento de Medicina da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, Benjamin Wedro.

O tratamento para colite

De acordo com o médico Benjamin Wedro, o tratamento da doença varia conforme a causa e é geralmente focado no alívio dos sintomas, em cuidados de apoio, na manutenção de uma hidratação apropriada e no controle da dor.

Algumas infecções bacterianas causadoras da colite podem ser superadas sem a utilização de antibióticos, porém, existem casos em que esse tipo de medicamento é prescrito para tratar as causas infecciosas da doença.

Existem algumas medidas caseiras que o paciente diagnosticado com a doença deve adotar para auxiliar o seu tratamento e recuperação. São elas: manter a saúde de todo o corpo, procurar ter um peso saudável, não fumar, evitar o consumo em excesso de bebidas alcoólicas, ter uma boa hidratação e seguir uma boa dieta para colite.

É fundamental que o paciente siga corretamente todas as instruções do médico em relação ao tratamento da colite porque quando não tratada ela pode gerar complicações (que dependem de sua causa de origem) como sangramento, perfuração no cólon, ulceração e megacólon tóxico (que pode ser letal).

Como funciona a dieta para colite? 

Uma das atitudes que a pessoa com colite deve tomar para beneficiar o seu tratamento é cuidar da alimentação. Mas como será que é uma dieta para colite?

Não existem alimentos que provocam a colite ulcerativa, por exemplo, mas alguns deles podem desencadear crises, o que faz com que valha a pena prestar bastante atenção naquilo que se come quando se tem a doença.

De acordo com a Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD), cada indivíduo é diferente e deve ser tratado conforme os seus hábitos, preferência e estado atual de sua doença intestinal, como o caso de uma colite.

Ou seja, a dieta para colite ideal varia de pessoa para pessoa e deve ser feita sempre com um acompanhamento profissional, que orientará quais são os melhores parâmetros alimentares para cada quadro.

Assim, o que vamos trazer são algumas recomendações gerais a título de informação, mas que não substituem a prescrição de uma alimentação específica que deve ser determinado pelo médico ou nutricionista.

No documento da ABCD, encontramos algumas orientações básicas a respeito de dieta para doenças intestinais, como é o caso da dieta para colite. São elas:

  1. Fazer refeições com porções pequenas;
  2. Fazer entre cinco a seis refeições diariamente;
  3. Comer devagar;
  4. Mastigar bem os alimentos;
  5. Substituir o açúcar por adoçante;
  6. Dar preferência à ingestão de líquidos nos intervalos das refeições;
  7. Beber no mínimo 2 litros de líquidos diariamente;
  8. Preparar os alimentos cozidos, grelhados ou assados;
  9. Utilizar uma quantidade pequena de gordura para preparar os alimentos.

Além disso, o principal foco da dieta para colite é ter baixas quantidades ou resíduos de fibras para facilitar a digestão, evitando inflamações locais, e evitar o desgaste excessivo do intestino que seria exigido para a digestão das fibras.

A recomendação é que as pessoas com a doença consumam, no máximo, 15 g de fibras diariamente.

Alimentos que podem ser ingeridos nas doenças intestinais

Segundo a ABCD, alguns dos alimentos que podem ser ingeridos por quem tem doenças intestinais como a colite são:

  • Carne magra, peixe sem pele, ave sem pele;
  • Leite sem lactose e com baixos teores de lactose;
  • Pão francês, pão de forma, broa de milho, torradas;
  • Bolachas não recheadas;
  • Frutas como maçã sem casca, goiaba sem casca, pera sem casca, banana-maçã, banana-nanica, caju e limão, que podem ser consumidas cruas, cozidas ou na forma de sucos;
  • Legumes como cenoura, chuchu, abobrinha e chuchu devem ser ingeridos cozidos;
  • Pepino, espinafre cozido, abóbora e alface;
  • Feculentos como batata, cará, inhame, mandioquinha e mandioca devem ser consumidos cozidos;
  • Leguminosas como feijão, ervilha, grão-de-bico, lentilha e soja devem ser ingeridos somente sem os respectivos caldos;
  • Doces: dar preferência aos que não contenham açúcar;
  • Ovos, que podem ser mexidos, pochê, cozidos ou na forma de omelete;
  • Cereais como arroz refinado e macarrão com molho sem condimentos;
  • Grãos com baixa contagem de fibras e cereais secos com menos de 0,5 g de fibras por porção;
  • Bebidas como água, chá e limonada – conforme o greenMe a Associação Dietética Americana recomenda ingerir no mínimo oito copos de água diariamente para evitar a desidratação;
  • Sal;
  • Temperos naturais;
  • Azeite de oliva;
  • Vinagre.

Os alimentos que não devem ser ingeridos nas doenças intestinais 

De acordo com a ABCD, alguns dos alimentos que devem ser evitados por pacientes diagnosticados com doenças intestinais como a colite. São eles:

  • Leite integral e leite achocolatado;
  • Iogurte;
  • Leite condensado e creme de leite;
  • Queijos amarelos como muçarela e prato;
  • Queijos parmesão, cheddar e roquefort;
  • Frios como presunto e peito de peru processado;
  • Margarina e manteiga;
  • Molhos picantes como os de tomate ou pimenta;
  • Açúcar em grande quantidade;
  • Açúcar refinado;
  • Doces como chocolate, goiabada e marmelada;
  • Verduras folhosas;
  • Nozes, pipocas e outras sementes;
  • Frutos secos como ameixa seca;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Café;
  • Cacau;
  • Carnes gordurosas;
  • Carne vermelha;
  • Vegetais crus;
  • Vegetais flatulentos como cebola, brócolis, repolho e alho;
  • Condimentos picantes como páprica, orégano, pimenta-do-reino, pimentas em geral, mostarda e ketchup.

As informações são da Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD).

Você já foi diagnosticado com essa condição? Seu médico recomendou algum tipo de dieta para colite? Que alimentos precisa retirar ou incluir na sua alimentação? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (20 votos, média: 4,25 de 5)
Loading...

1 comentário em “Dieta para Colite – Alimentos e Dicas”

Deixe um comentário