Epocler ou Engov – Qual Tomar?

Especialista:
atualizado em 03/02/2020

Quando uma dor ou outro tipo de incômodo surge, como a ressaca, é normal ter que decidir se você irá tomar Epocler ou Engov. Pensando nisso, no artigo de hoje, a gente resolveu abordar algumas questões que podem te ajudar na hora de tomar a decisão de escolher entre um e outro.

Já adiantamos que uma semelhança entre os dois é que ambos podem ser a alternativa buscada por quem sofre com uma ressaca. Mas aqui você encontra o que é bom para ressaca realmente.

A finalidade dos medicamentos

O primeiro ponto que vamos destacar para tentar te ajudar a escolher entre Epocler ou Engov é a qual finalidade cada um deles se destina. Assim, você pode determinar qual deles pode suprir melhor as suas necessidades.

Pois bem, Epocler (citrato de colina + betaína monoidratada + racemetionina) é apresentado como um remédio composto por três aminoácidos que é indicado para o tratamento de distúrbios metabólicos hepáticos, ou seja, referentes ao fígado.

O medicamento atua principalmente evitando o acúmulo de gordura no fígado e auxiliando a remover restos metabólicos e outras toxinas. Ele começa a fazer efeito aproximadamente uma hora depois da ingestão.

Do outro lado temos o Engov (maleato de mepiramina + hidróxido de alumínio + ácido acetilsalicílico + cafeína), cuja indicação refere-se ao alívio dos sintomas de dores de cabeça e alergias. Aproveite que está aqui para conhecer outros remédios para dor de cabeça.

O produto é descrito como um analgésico, cujo tempo de início de ação varia de acordo com o histórico de cada paciente. Por exemplo: no caso das cefaleias (um tipo de dor de cabeça), o efeito esperado do medicamento aparece em 60 minutos.

Os efeitos colaterais de Epocler e Engov

Não gosta de sofrer reações adversas ao tomar um medicamento? Então conhecer os efeitos colaterais que os remedinhos podem provocar é algo útil na hora de escolher entre Epocler ou Engov.

Pois bem, as reações adversas de Epocler são descritas como raras, ou seja, atingem entre 0,01% e 0,1% dos usuários e podem incluir: coceira; dor de cabeça; distúrbios gástricos como náuseas e pirose (azia).

Engov é considerado seguro quando usado nas doses recomendadas, porém, um de seus componentes, a cafeína, pode causar insônia, agitação e excitação como sintomas iniciais, que podem progredir até leve delírio, zumbidos, tremor e tensão muscular, taquicardia e respiração acelerada.

Outra de suas substâncias é o maleato de mepiramina, que pode provocar a sedação. Engov também é composto por ácido acetilsalicílico e hidróxido de alumínio que em dosagens elevadas podem provocar, respectivamente, necrose papilar renal e constipação intestinal (prisão de ventre), especialmente em pacientes que sofrem com problemas renais agudos.

Ao experimentar qualquer um desses efeitos colaterais ou qualquer outro tipo de reação adversa ao usar Epocler ou Engov procure rapidamente o auxílio médico, mesmo se não imaginar se tratar de um problema tão grave assim.

Isso é necessário para identificar a real seriedade do sintoma em questão, receber o tratamento apropriado e saber se pode continuar ou não a fazer uso do medicamento.

As contraindicações e os cuidados que se deve ter Epocler e Engov

Essas informações também é essencial para escolher o medicamento a ser utilizado porque no caso de um deles ser contraindicado para você, a possibilidade de utilizá-lo já poderá ser descartada.

Segundo a bula do medicamento, Epocler não pode ser utilizado por:

  • Pessoas com hipersensibilidade a qualquer dos componentes da sua fórmula;
  • Pessoas que sofrem com doenças graves no fígado como a cirrose hepática em decorrência do consumo de bebidas alcoólicas;
  • Pessoas com menos de 12 anos de idade.

O documento também alerta que Epocler não pode ser consumido em jejum, pois há o risco de que isso resulte em problemas gástricos.

As mulheres grávidas e aquelas que amamentam não podem usar o remédio sem antes consultar o médico e ambas precisam informar ao médico a respeito da ocorrência da gestação ou amamentação durante ou após a finalização do tratamento com o medicamento.

Agora sobre Engov: a bula do remédio afirma que ele é contraindicado para:

  • Pessoas com histórico de hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da sua formulação;
  • Pessoas com histórico de alcoolismo crônico;
  • Uso simultâneo a outras substâncias que deprimem o sistema nervoso central;
  • Uso simultâneo a bebidas alcoólicas;
  • Pessoas que sofrem com úlcera gastroduodenal;
  • Mulheres grávidas;
  • Pessoas com suspeita de dengue ou que já tiveram a doença diagnosticada;
  • Menores de 12 anos de idade.

A utilização do medicamento exige cautela em pacientes que têm a função renal comprometida e em pacientes com diabetes, pois ele contém açúcar em sua composição, avisa a bula. O documento também alerta que o remédio é composto por um corante amarelo que pode causar reações alérgicas como a asma brônquica em quem sofre com alergia ao ácido acetilsalicílico.

As mulheres que amamentam devem consultar o médico antes de tomar Engov porque ele pode ser excretado no leite materno. A bula adverte ainda que o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas durante o tratamento, uma vez que a sua habilidade pode estar afetada.

O documento também destaca que Engov pode causar doping e fazer mal ao ser usado ao mesmo tempo em que certos medicamentos. Portanto, se você faz uso de qualquer remédio, suplemento ou planta, consulte o médico para saber se não pode ser prejudicial incluir o uso de Engov.  

A melhor maneira de tomar a decisão

É consultar o médico antes de fazer a escolha entre Epocler ou Engov, contando a ele qual problema você deseja sanar com um dos remedinhos. O profissional é qualificado para analisar o seu caso e a formulação de ambos para determinar qual é mais indicado e seguro para o seu caso, assim como para definir em que dosagem e por quanto tempo você deve tomar o remédio escolhido.

E se o problema não for resolvido?

Caso depois de escolher entre Epocler ou Engov, você perceber que o problema não melhorou ou que o mesmo retornou, procure o médico e informe-o a respeito disso, sem esquecer de contar ao profissional qual remedinho você escolheu usar para lidar com o sintoma em questão.

Isso é importante para que o médico analise o seu caso, determine qual pode ser a real causa do problema e indique um tratamento verdadeiramente eficaz para o seu caso.

Atenção: este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir a consulta ao médico e a leitura da bula em sua íntegra, que devem ocorrer antes de iniciar o uso de qualquer tipo de medicamento, o que inclui Epocler e Engov.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia qual o melhor entre o epocler ou engov? Qual é melhor para você? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na área de transplantes na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2010. Dr Lucio Pacheco é um profundo estudioso na área de doença hepática e escreveu dezenas de livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico - cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D´Or e do Hospital Copa D´Or. É diretor médico do Instituto de Transplantes. Tem vasta experiência na área de Medicina, com ênfase em Transplante hepático, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia,e transplante de fígado. Dr. Lucio é uma referência profissional em sua área e autor de artigos científicos e diversos. Para mais informações, entre em contato com ele.

Deixe um comentário