Hiperventilação: o que é, causas e o que fazer

Especialista da área:
atualizado em 14/02/2022

Você já deve ter visto uma cena em algum filme ou série de alguém respirando num saco de papel. Esse personagem está retratando uma crise de hiperventilação, que é quando a respiração fica curta e acelerada. 

Apesar do exemplo com o saco de papel, a técnica não é recomendada para solucionar o problema de hiperventilação. É mais válido se acalmar e esperar que a respiração normalize.

  Continua Depois da Publicidade  

Hiperventilação
A cena clássica de respiração pelo saco de papel não é das técnicas mais recomendadas para a hiperventilação

Veja o que é a hiperventilação, as possíveis causas e o que fazer.  

O que é a hiperventilação?

A hiperventilação é uma respiração mais curta e acelerada. Numa situação normal, uma pessoa respira de 12 a 15 vezes por minuto, o que mantém seus níveis de oxigênio e gás carbônico equilibrados. Na hiperventilação, a pessoa passa a expirar mais vezes, liberando mais gás carbônico do que deveria, e isso reduz seus níveis no sangue.

Como consequência, ocorre o estreitamento dos vasos sanguíneos que irrigam o cérebro, manifestando sintomas de tontura e formigamento nos dedos. Em casos mais graves, uma pessoa pode até perder a consciência por causa dessa alteração no sangue. 

Outro problema decorrente da diminuição da concentração de gás carbônico no sangue é o aumento do pH sanguíneo, condição chamada de alcalose, quando o nível do pH fica acima de 7,45. Nessa condição, além da hiperventilação, podem ocorrer problemas graves de rigidez muscular e convulsão. 

O que pode causar a hiperventilação?

Vale mencionar que a hiperventilação não é uma doença, mas pode estar presente em diversos distúrbios psicológicos e doenças. Ou, pode acontecer como um episódio pontual, após um esforço físico intenso ou uma viagem para locais com altitude muito elevada. 

  Continua Depois da Publicidade  

Desordens de ansiedade, pânico e estresse

mulher nervosa e ansiosa
Crises de ansiedade podem desencadear casos de hiperventilação

Crises de ansiedade e ataque de pânico são momentos em que os sintomas comuns da ansiedade se tornam mais intensos

São como episódios súbitos de muito medo ou de estresse agudo, que disparam uma resposta de luta ou fuga, como se houvesse um perigo iminente. O corpo, então, mobiliza suas energias e forças, como se fosse enfrentar um animal selvagem ou correr uma maratona. 

Assim, a pessoa que está vivenciando uma crise de ansiedade ou um ataque de pânico fica com a respiração bastante ofegante, que é a hiperventilação. Juntamente com ela, ocorre o aumento da frequência cardíaca, sensação de tontura e de desmaio. 

Exercício físico intenso

Quem nunca se sentiu ofegante ao subir um lance de escadas ou correr por alguns metros? É comum a respiração ficar ofegante com uma atividade física intensa, principalmente quando não estamos acostumados. 

A hiperventilação decorrente do exercício físico intenso diminui à medida que você pratica exercícios físicos regularmente, porque o seu corpo vai ganhando condicionamento físico.

Com a prática, o lance de escadas que te deixava ofegante, já não deixa mais. O trajeto no qual você caminhava rápido e já sentia falta de ar, não causa mais essa desagradável sensação.

  Continua Depois da Publicidade  

Viagem para lugares com altitude elevada

Como a pressão atmosférica e a quantidade de oxigênio são menores em altitudes elevadas, fica mais difícil de respirar. Acima de 2000 metros, já é comum observar a ocorrência de hiperventilação. 

É por isso que a escolha da Cidade do México, situada a 2300 metros acima do nível do mar, para a realização dos jogos olímpicos em 1968, fez com que os atletas tivessem que passar por um processo de aclimatação e treino na altitude. 

Assim, se você for viajar para regiões muito altas, pode ser que encontre dificuldade para respirar e perceba a hiperventilação ocorrer.  

Insuficiência cardíaca

O sistema circulatório e respiratório estão intimamente relacionados. Nos pulmões, o oxigênio que inspiramos do ar passa para o sangue, e o gás carbônico passa do sangue para os pulmões, para ser expirado. 

Quando uma pessoa sofre de insuficiência cardíaca, quer dizer que seu coração não bombeia o sangue com a eficiência que deveria, isso faz com que algumas células não recebam a quantidade de oxigênio necessária. 

Para tentar compensar essa falta de oxigênio, os pulmões começam a trabalhar mais, para inspirar mais oxigênio do ar e mandar para os pulmões, caracterizando a hiperventilação.

  Continua Depois da Publicidade  

Infecções pulmonares

As infecções pulmonares, como a pneumonia, causam hiperventilação. Isso ocorre porque as infecções são causadas por microrganismos, como vírus, bactérias e fungos. Quando esses invasores entram no organismo, o nosso sistema de defesa é ativado. 

O sistema de defesa, que é o sistema imunológico, envia várias células para combater os invasores e ativam uma resposta inflamatória

A inflamação causa inchaço das vias aéreas e acúmulo de líquido nos alvéolos e espaços intersticiais, um problema popularmente conhecido como água no pulmão. Isso dificulta a troca gasosa de oxigênio e gás carbônico, causando a sensação de falta de ar e respiração ofegante. 

Asma e outras doenças pulmonares obstrutivas crônicas (DPOC)

Asma
As crises de asma trazem consigo episódios de hiperventilação

O principal sintoma da asma e de outras doenças pulmonares obstrutivas crônicas, como enfisema pulmonar e bronquiolite, é a dificuldade de respirar. Isso acontece porque há um estreitamento dos brônquios, canais por onde o ar passa para chegar até os pulmões.

Além do estreitamento dos brônquios, também há maior produção de muco, dificultando ainda mais a respiração. Como resposta a esses problemas, ocorre a hiperventilação, numa tentativa de aumentar a entrada de oxigênio nos pulmões. 

Essas crises, em que se nota a hiperventilação, normalmente acontecem quando a pessoa é exposta a algum alérgeno, fumaça, frio ou outro fator que desencadeia o problema. 

Cetoacidose diabética

É uma complicação do diabetes do tipo 1, que ocorre quando não há insulina suficiente no corpo, o qual começa a usar a energia das reservas de gordura e músculo. 

Isso produz ácidos sanguíneos em excesso, as cetonas, que causam hiperventilação com falta de ar ou respiração muito acelerada, sede excessiva, vontade frequente de urinar e náuseas. 

Veja também: Cetoacidose diabética – O que é, sintomas, causas e tratamento

Anemia

Na anemia há uma deficiência de hemoglobina no sangue, a proteína responsável por captar o oxigênio e transportá-lo a todas as partes do corpo.

Com menos hemoglobina disponível para entregar o oxigênio aos órgãos do corpo, a hiperventilação ocorre como uma forma de captar mais oxigênio do ar, para suprir a necessidade do organismo.  

O que fazer quando estiver com hiperventilação

O tratamento da hiperventilação depende da causa e tem como objetivo reduzir a frequência da respiração, para que ela retorne ao normal. 

Quando a hiperventilação é causada por questões psicológicas, como ansiedade, pânico e estresse, o tratamento pode incluir: 

  • Medicações prescritas por um psiquiatra
  • Terapia com um psicólogo
  • Grupo de apoio
  • Práticas de autocuidado: exercícios físicos, dieta saudável, sono regular, exercícios de relaxamento e lazer. 

Durante uma crise de ansiedade, você também pode colocar em prática algumas técnicas de respiração, que ajudam a acalmar e reduzir as frequências cardíaca e respiratória, normalizando as funções do seu corpo e trazendo sensação de bem-estar, veja alguns exercícios

Como mencionado, a hiperventilação também pode ocorrer como consequência de algumas doenças, por isso é válido agendar uma consulta médica, para investigar qual a causa do problema e tratá-la adequadamente. 

Os exames que podem ser solicitados na investigação da causa da hiperventilação são: 

  • Gasometria do sangue arterial 
  • Oximetria de pulso
  • Radiografia do tórax
  • Hemograma
  • Análise bioquímica do sangue
  • Eletrocardiograma
  • Varredura de ventilação e perfusão pulmonar

Com esses exames, o médico poderá identificar se você tem alguma doença pulmonar, cardíaca ou se tem algum desequilíbrio bioquímico no sangue. A partir disso, é só seguir com o tratamento adequado, que o problema de hiperventilação é resolvido. 

Quando a hiperventilação é uma emergência

Você deve ir até a emergência, quando a hiperventilação estiver acompanhada dos seguintes sinais e sintomas: 

  • Coloração azulada ou acinzentada da pele, unhas, gengiva, lábios ou ao redor dos olhos (cianose). 
  • Dor no peito
  • Febre
  • Falta de ar
  • Dificuldade para respirar
  • Confusão mental
  • Desmaio
Fontes e referências adicionais

Você já teve uma crise de hiperventilação? Conseguiu identificar a causa? Qual ou quais tratamentos mencionados você gostaria de tentar? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Equipe MundoBoaForma

Quando o assunto é saúde, você tem que saber em quem confiar. Sua qualidade de vida e bem-estar devem ser uma prioridade para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada e altamente qualificada, composta por médicos, nutricionistas, educadores físicos. Nosso objetivo é garantir a qualidade do conteúdo que publicamos, que é também baseado nas mais confiáveis fontes de informação. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados à saúde, boa forma e qualidade de vida.

Deixe um comentário