O que é gatilho emocional e como lidar com ele

Especialista:
atualizado em 07/10/2020

Certos acontecimentos ou conversas sobre determinados tópicos funcionam como gatilhos que podem despertar emoções fortes e difíceis de controlar ou apenas desagradáveis. Saiba o que é o gatilho emocional e confira várias técnicas e dicas para lidar com ele de uma forma saudável.

Uma crise de ansiedade, por exemplo, pode ser desencadeada por um gatilho que muitas vezes a pessoa nem sabe o que é.

De fato, as emoções exercem um impacto muito grande nas nossas vidas. Aliás, quando não lidamos bem com as emoções negativas, podemos ter sintomas físicos e problemas de saúde como a pressão alta emocional, por exemplo.  

Por não compreender os sentimentos ou não saber lidar com eles, algumas pessoas podem desenvolver comportamentos nocivos para a saúde – como se alimentar mal ou dormir pouco, por exemplo.

Aliás, se você tem o hábito de comer para aliviar as emoções, tome cuidado pois isso não é nada saudável.

O que é gatilho emocional

mulher-sofrendo-com-gatilho-emocional

Qualquer tópico que causa desconforto emocional pode ser um gatilho emocional, como por exemplo:

  • Certas palavras;
  • Cheiros que remetem à alguma lembrança ou situação prévia;
  • Certos gestos que trazem lembranças desagradáveis;
  • Lugares em que algo ruim aconteceu.

De fato, o gatilho emocional geralmente surge após experiências negativas. Ele pode estar ligado as memórias, emoções, reações e comportamentos.

Em geral, os gatilhos são espécies de “sensores” que remetem a situações do passado como experiências da infância ou traumas que marcam a vida. Quando um gatilho é acionado, ele produz uma reação emocional ou comportamental semelhante ao vivido anteriormente.

Os gatilhos emocionais tendem a gerar sentimentos de frustração, insatisfação, raiva, estresse, culpa, tristeza, medo ou vergonha. Aliás, eles também podem ser responsáveis por sintomas de ansiedade.

Certamente, a partir do momento que você aprende a identificar os gatilhos, é possível tomar decisões mais conscientes em como responder a eles. Assim, é possível cuidar melhor da sua saúde mental e lidar de um modo mais saudável com as próprias emoções.

Identificando um gatilho emocional

A identificação de um ou mais gatilhos emocionais pode levar bastante tempo. No entanto, algumas dicas práticas que podem te auxiliar nesse processo são: 

Faça perguntas a você mesmo 

A ideia é tentar identificar acontecimentos ou temas que te geram sentimentos de inveja, frustração, ansiedade ou desconforto, por exemplo.

Tente se lembrar da última vez em que sentiu um desconforto emocional. Após isso, pergunte para si mesmo o que você estava fazendo ou pensando no momento. Tente lembrar se havia algum aroma ou som específico no ambiente e se havia mais alguém com você.

Enfim, apenas colete todas as informações que você se lembrar.

Escreva

Você pode complementar o exercício anterior registrando os seus pensamentos no papel.

Escreva sobre o evento que fez você se sentir mal. Anote suas memórias e descreva como você se sentiu e se comportou em cada situação.

Conheça melhor si mesmo

O autoconhecimento é uma prática que traz muitos benefícios para a vida. Além disso, ela também ajuda a identificar gatilhos emocionais.

Você pode reservar alguns minutos diários para anotar suas ideias, pensamentos e emoções. Dessa forma, você vai passar a compreender como reage a diferentes situações no dia a dia e tomar consciência de si mesmo.

Faça terapia

jovem-identificando-gatilhos-emocionais-na-terapia

A terapia cognitivo comportamental, por exemplo, pode ser muito útil para te ajudar a identificar gatilhos.

Procure um bom psicólogo e peça para que ele te oriente nessa nova fase de descobertas.

Como lidar com o gatilho emocional

Algumas dicas podem ser importantes para você saber como lidar com o gatilho emocional e sofrer menos com essas situações:

Responsabilize-se pela sua reação ao gatilho

Estar consciente dos seus gatilhos emocionais é o primeiro passo. Mas assumir a responsabilidade em gerencia-los da melhor maneira possível é o passo principal para lidar melhor com suas emoções.

Sendo assim, não seja vítima das suas emoções, mas procure lidar com elas da melhor forma que puder.   

Reconheça que você está tendo uma reação a um gatilho

Os gatilhos emocionais causam não só um desconforto psicológico, mas também podem alterar a sua respiração, o funcionamento do seu intestino e o batimento do seu coração. Reconheça essas sensações e as aceite – sem julgamentos. 

Exercite a aceitação e não tente se livrar imediatamente do sentimento indesejado.

Esse passo é importante para não maximizar os sintomas físicos e causar danos reais ao seu corpo. Veja por exemplo como os seus sentimentos podem afetar a saúde do seu coração.

Avalie o que gerou a emoção ruim e se isso é realmente uma ameaça para você

Tente avaliar de onde a emoção veio e se o sentimento de frustração, medo ou raiva é real.

Muitas vezes, o seu cérebro associa uma palavra, gesto, sabor ou aroma a um trauma do passado e desencadeia uma emoção desagradável. Mas isso não quer dizer que algo ruim vai acontecer.

Analise os fatos e o ambiente ao seu redor e provavelmente você verá que não há nada a temer.

Escolha o que fazer 

Escolha como responder aos seus gatilhos. Pode ser difícil no início, mas exercite o poder que você tem de decidir como reagir.

Por exemplo, se um gatilho emocional faz você se sentir triste e desmotivado, decida se é assim que você deseja se sentir.

Pense no que você pode fazer para se sentir melhor e mãos à obra. É bem provável que não demore muito até que você comece a se sentir mais feliz e motivado novamente.

Mude o seu estado emocional

Assim que você for capaz de identificar um gatilho e adotar uma postura mais realista em relação a ele, você será capaz de praticar alguns exercícios para alterar o seu estado emocional.

Além de parar de tentar controlar as suas emoções o tempo todo e lidar de uma forma mais natural com seus sentimentos, uma das coisas que você pode tentar para se sentir mais calmo é a respiração diafragmática ou a meditação.

Dicas finais

Ao invés de fugir ou se entregar as suas emoções, enfrentar o gatilho emocional de uma forma consciente e realista pode ser muito melhor para a sua saúde emocional.

Se o seu gatilho emocional é causado por comentários ou ações de outras pessoas, tente observar:

A intenção da outra pessoa

Provavelmente a outra pessoa não toca em determinado assunto ou faz algo para nos chatear. Muitas vezes ela nem sabe dos seus traumas e dores.

Sua própria dor

É importante compreender a dor, senti-la e procurar maneiras de gerencia-la de uma forma que não te traga ainda mais prejuízos.

Lembre-se que você é humano e seja gentil consigo mesmo.

Por fim, não se culpe por emoções ruins e caso seja muito difícil implementar essas dicas no seu cotidiano, busque ajuda profissional de um psicólogo que poderá te guiar nesse processo de autoconhecimento.

Fontes e referências adicionais

Você já foi capaz de identificar algum gatilho emocional? Como lidou com ele? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dr. Rafael Ferreira de Moraes

Dr. Rafael Moraes formou-se em Medicina pela Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy em 2013. Pós-graduado em Psiquiatria pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde atuou nos atendimentos ambulatoriais da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e Casa de Medicina da PUC-Rio. Atualmente, exerce sua especialidade em três municípios do estado do Rio de Janeiro: Teresópolis, Magé e Rio de Janeiro, capital. Dr. Rafael é a promessa da Psiquiatria atual, jovem, que preza pelo acolhimento ao paciente unido ao que há de mais recente nesta área em constante evolução. Para mais informações, entre em contato com ele em sua conta oficial no Instagram (@rafafmoraes)

Deixe um comentário