Rinite Alérgica Tem Cura? Tratamento, Remédios e Dicas

🕐 26/09/2019

A rinite alérgica é uma alergia que afeta ao menos 10% da população mundial. Conhecida também como febre do feno, trata-se de uma resposta alérgica a alérgenos específicos como o pólen, que tende a ser o mais comum.

Vamos analisar se a rinite alérgica tem cura, mostrar como deve ser feito o tratamento, indicar os remédios mais usados e dar dicas de como aliviar esse desconforto que atinge cada vez mais pessoas.

Rinite alérgica

Quando o organismo entra em contato com uma substância tóxica, o corpo libera histamina, que é uma substância química natural que serve para defender o corpo de ameaças. Em uma reação alérgica, os mecanismos de defesa do nosso corpo confundem o alérgeno com uma substância nociva à saúde, liberando histamina para combater a substância.

Assim, em algumas pessoas, a liberação da histamina acaba causando os sintomas da alergia. A rinite alérgica apresenta sintomas característicos que normalmente incluem:

  • Espirros;
  • Nariz escorrendo;
  • Narinas entupidas;
  • Coceira no nariz e nos olhos;
  • Tosse;
  • Garganta seca ou áspera;
  • Dor de cabeça;
  • Olhos marejados;
  • Urticária.

Os principais alérgenos relacionados com a rinite alérgica são pólen, ácaros, caspa ou pelo de animais, saliva de animais como gatos e mofo. Também é possível que algumas pessoas apresentem rinite alérgica sazonal, isto é, devido à maior presença de pólen em algumas estações do ano como outono e primavera, por exemplo. Já a alergia do tipo perene pode ocorrer a qualquer época do ano devido a qualquer tipo de alérgeno.

Existem também fatores que podem desencadear ou piorar os sintomas da rinite alérgica, como fumaça de cigarro, contato com produtos químicos irritantes, tempo frio, umidade, vento, poluição e perfumes.

Tratamento

Como tratar a rinite alérgica? A rinite alérgica tem cura? A princípio, a condição pode ser tratada com medicamentos ou remédios caseiros ou ainda por uma combinação de vários tratamentos. Outra forma de tratar a rinite alérgica e evitar novas crises é evitando o contato com o alérgeno que desencadeou a liberação de histamina, mas nem sempre isso é possível.

Remédios

– Anti-histamínicos

Os principais remédios usados no tratamento da rinite alérgica são os anti-histamínicos. São medicamentos específicos que atuam impedindo a liberação de histamina. Sem histamina, os sintomas da alergia não são observados. Há vários anti-histamínicos que podem ser vendidos sem prescrição médica como a loratadina, cetirizina, fexofenadina, a difenidramina, a desloratadina, a levocetirizina e a cetirizina.

A grande maioria dos anti-histamínicos causa muita sonolência. Apesar de não precisarem de prescrição, é sempre recomendado consultar um médico para orientar sobre o melhor tratamento para a sua alergia.

– Descongestionantes

Os descongestionantes podem usados em tratamentos por curtos períodos, geralmente de 1 a 3 dias para aliviar os sintomas relacionados com o nariz entupido e a pressão na face. Usar descongestionantes por mais de 3 dias pode causar um efeito rebote, que significa que quando você interromper o uso, os sintomas podem voltar ainda mais fortes.

Os descongestionantes também podem ser vendidos sem prescrição médica e os mais populares incluem a oximetazolina, a pseudoefedrina, a fenilefrina e a cetirizina complexada com pseudoefedrina.

O uso de descongestionantes nasais não é indicado para pessoas com problemas cardíacos como ritmo cardíaco anormal, histórico de acidente vascular cerebral e pressão arterial alta, ansiedade, distúrbios do sono ou problemas na bexiga. Isso porque eles podem causar efeitos colaterais como aumento da pressão arterial, insônia, irritabilidade e dor de cabeça.

– Colírios e sprays nasais

Alguns colírios e sprays nasais podem ajudar no alívio da coceira nos olhos e nariz e outros sintomas na região dos olhos. Porém, seu uso também só deve ser feito a curto prazo, pois também pode ocorrer efeito rebote, como no caso dos descongestionantes.

– Corticosteroides

As substâncias corticosteroides podem ser usadas como um tratamento a longo prazo para rinite alérgica, pois não causam efeito rebote. Esses medicamentos atuam na inflamação e na resposta do sistema imunológico ao alérgeno. Eles podem ser comprados com ou sem prescrição médica. Exemplos de corticosteroides nasais que são aplicados na forma de sprays no nariz são a fluticasona, a mometasona, o budesonida e a beclometasona.

Já um corticosteroide oral na forma de comprimidos é a prednisona, que deve ser prescrita por um médico. O uso prolongado de prednisona pode estar associado a problemas como catarata, fraqueza muscular e osteoporose. Portanto, trata-se de um medicamento de uso oral a curto prazo para o tratamento da rinite alérgica.

– Cromolina sódica ou Atrovent

Esse é um medicamento usado no tratamento de asma que, em alguns casos de rinite alérgica, pode ser indicado pelo médico. A cromolina sódica atua aliviando os sintomas da rinite através da inibição da liberação de histamina.

Outro remédio para asma que pode ser indicado pelo médico é o Atrovent nasal, que ajuda a aliviar o corrimento nasal pois impede que as glândulas do nariz produzam excesso de líquido. Porém, seu uso pode causar efeitos adversos como secura nasal, hemorragia nasal e dor de garganta.

– Modificador de leucotrieno

Esse medicamento é usado apenas quando outros métodos de tratamento não surtem efeito. Ele atua no bloqueio da ação dos leucotrienos, que são substâncias presentes no sistema imunológico que causam sintomas de alergia como a produção excessiva de muco. Esse remédio é extremamente eficaz no tratamento da asma induzida por alergia e em alguns casos de rinite.

Porém, alguns efeitos colaterais desse remédio incluem dor de cabeça e em alguns casos pode causar reações psicológicas como agitação, comportamento agressivo, depressão e pensamentos suicidas.

– Imunoterapia

A imunoterapia consiste em um tratamento a longo prazo que envolve a aplicação de injeções de alérgenos que vão aos poucos acostumando o seu organismo com a substância que causa a alergia. Dessa forma, as injeções funcionam diminuindo a resposta imunológica a alérgenos específicos ao longo do tempo até que o alérgeno não cause mais a liberação de histamina pelo organismo ou libere bem pouco da substância, tornando os sintomas alérgicos quase imperceptíveis.

Esse tratamento pode ser combinado com o uso de medicamentos para controlar os sintomas e deve ser feito com acompanhamento de um alergista ou profissional qualificado. A imunoterapia ainda é capaz de evitar complicações da rinite alérgica como desenvolvimento de asma e outras alergias mais graves.

– Imunoterapia sublingual

O princípio é semelhante ao descrito anteriormente. Porém, esse tratamento não envolve injeções e sim o uso de um comprimido embaixo da língua que contém o alérgeno ou uma mistura deles. Esse tipo de tratamento funciona bem com alérgenos como pólen, pelos de gatos, ácaros e algumas ervas. A imunoterapia sublingual também deve ser feita com acompanhamento médico e pode causar efeitos colaterais como coceira na boca ou irritação na orelha e garganta.

– Acupuntura

Algumas pessoas já vêm tentando o uso da acupuntura para tratar os sintomas da rinite alérgica. Porém, os estudos feitos até agora não foram capazes de confirmar melhorias significativas com a aplicação da técnica.

Remédios caseiros

De acordo com o Centro Nacional de Saúde Complementar e Integrativa dos EUA (National Center for Complementary and Integrative Health), existem alguns remédios caseiros que podem ser úteis no tratamento de rinites sazonais. Porém, mais pesquisas científicas nesta área ainda são necessárias para provar a eficácia desse tipo de tratamento.

Apesar de não haver dados suficientes que comprovem a sua eficácia, diversos relatos indicam que os métodos caseiros a seguir são seguros e aliviam os sintomas da rinite alérgica.

– Irrigação salina nasal

Esse é um remédio caseiro que costuma funcionar muito bem. Basta comprar uma solução salina pronta em uma farmácia ou preparar sua própria em casa. Misture uma colher de chá de sal e uma pitada de bicarbonato de sódio (opcional) em 2 xícaras de água morna. Usando uma seringa ou um bulbo nasal, lave as narinas fazendo com que a solução entre por uma narina e escorra através da outra. Repita o processo quantas vezes forem necessárias para limpar o canal nasal e sentir alívio.

– Urtiga

A urtiga é um planta que pode ser usada como agente anti-histamínico e anti-inflamatório para tratar alergias sazonais como a rinite alérgica. Seu uso é capaz de promover alívio rápido de sintomas como congestão nasal, coceira, tosse e espirros.

Basta adicionar 1 colher de sopa de folha de urtiga seca em uma xícara de água quente. Depois disso, cubra a mistura e deixe em infusão por cerca de 5 minutos. É indicado beber a mistura de 2 a 3 vezes por dia até os sintomas desaparecerem. Além do chá, existem suplementos de urtiga que podem ser usados para esse fim.

– Vitamina C

A vitamina C apresenta propriedades anti-histamínicas que podem ajudar no alívio dos sintomas da alergia. Além disso, suas propriedades antioxidantes ajudam o sistema imunológico a ficar mais forte, prevenindo processos inflamatórios que podem ser desencadeados e encurtando a duração da crise alérgica.

Além do próprio suplemento de vitamina C, a substância pode ser encontrada em diversos alimentos como laranjas, limões, uvas, kiwi, morango, tomate e brócolis.

– Inalação de vapor

Inalar vapor é muito bom para quem sofre de rinite alérgica. O vapor ajuda a limpar a passagem nasal do excesso de muco e da presença de agentes irritantes. Uma dica é despejar água fervendo em um recipiente grande, adicionar algumas gotas de um óleo essencial para potencializar os efeitos e inclinar-se cuidadosamente até o recipiente para inalar o vapor.

Inale profundamente por cerca de 5 a 10 minutos e depois disso limpe e assoe o nariz para descongestionar as narinas. A adição de óleos essenciais funciona como um tipo de aromaterapia. Muitas vezes, apenas um banho quente é o suficiente para aliviar os sintomas desagradáveis.

– Mel

Apesar de conter pólen em sua composição, o mel pode ser usado por algumas pessoas que apresentam sintomas de rinite alérgica. Nestes casos, o mel funciona como um tipo de imunoterapia em que a própria substância irritante é usada no tratamento. Porém, é preciso ter cautela e introduzir o mel aos poucos para observar se haverá uma reação alérgica ou não.

– Cúrcuma

A cúrcuma é um poderoso agente antioxidante e anti-inflamatório que promove um reforço ao sistema imunológico reduzindo sintomas como congestão nasal, tosse, boca seca e espirros. É possível preparar uma mistura de mel com 6 colheres de sopa de açafrão. Tomar 2 colheres da mistura por dia pode aliviar os sintomas da rinite alérgica. Também é possível tomar o suplemento ou usar o açafrão e a cúrcuma em receitas do dia a dia.

– Probióticos

Um estudo de 2013 realizado por pesquisadores da China mostrou que o probiótico Lactobacillus acidophilus pode ajudar a diminuir a frequência e intensidade dos sintomas de rinite alérgica. Probióticos podem ser encontrado em iogurtes ou na forma de suplementos. Além de ajudar no alívio dos sintomas, esses organismos são capazes de deixar o sistema imunológico mais forte.

– Alho

O alho contém quercetina em sua composição, que é um anti-histamínico natural que apresenta também propriedades antibióticas, antivirais e reforçam o sistema imunológico. É possível mastigar cerca de 2 a 3 dentes de alho ao dia ou incluir alho cru em receitas na cozinha.

– Gengibre

O gengibre funciona como um anti-histamínico natural que tem propriedades antivirais, antibacteriana e anti-inflamatórias, além de impulsionar o sistemas imunológico, ajudando então a combater espécies nocivas ao organismo e a aliviar sintomas da rinite.

Uma dica de consumo é adicionar uma colher de sopa de gengibre ralado com um pouco de canela em uma xícara de água quente. De modo opcional, você pode adicionar algumas gotas de limão e um pouco de mel. O chá pode ser tomado até 3 vezes ao dia. Outra dica é mastigar o próprio gengibre ou adicioná-lo em outras receitas.

– Vinagre de maçã

Por fim, o vinagre de maçã é outro remédio caseiro com propriedades antibióticas e anti-histamínicos que ajuda a reduzir a intensidade dos sintomas como congestão nasal, dor de cabeça e espirros frequentes. O vinagre também desempenha um papel fundamental na regulação do sistema imunológico do organismo.

Basta adicionar 2 colheres de chá de vinagre de maçã a um copo de água morna. Para adicionar um gosto melhor, inclua 1 colher de chá de mel e um pouco de suco de limão. Tome a bebida cerca de 3 vezes ao dia até que os sintomas melhorem.

Dicas gerais

Há algumas dicas caseiras que podem ser usadas mas que dependem muito do tipo do alérgeno que causa a alergia.

Para a rinite sazonal ou relacionada ao pólen, algumas dicas incluem usar ar condicionador ao invés de abrir as janelas.

Para quem tem alergias relacionadas a ambientes fechados, é possível usar um desumidificador ou um filtro de ar particulado de alta eficiência para ajudar no controle da alergia.

Se a sua alergia é a ácaros, lave as roupas de cama, travesseiros e cobertores em água quente e com frequência. Evitar o uso de tapetes ou limpá-los com frequência, de preferência usando um aspirador de pó pela casa, também pode ajudar no alívio da alergia.

Outras dicas

Se você já sabe o motivo de sua rinite alérgica, o mais eficaz é evitar o contato com a substância que causa a alergia. Dessa forma, é possível adotar algumas medidas preventivas quanto aos alérgenos abaixo.

  • Pólen: Se a sua alergia é a pólen em certas épocas do ano, alguns especialistas recomendam que você tome anti-histamínicos antes da primavera, por exemplo. Isso pode evitar a ocorrência de sintomas da rinite alérgica quando a primavera chegar. Além disso, tente manter suas janelas fechadas para evitar a entrada dessa substância através do vento. Na internet, é muito fácil encontrar informações sobre a contagem de pólen de acordo com o clima e evitar sair ao ar livre quando a contagem de pólen está alta. Na maioria das vezes, a contagem de pólen é alta quando o dia está úmido e com muito vento ou no início da noite. Outra dica é, ao entrar em casa, tomar banho e trocar de roupa imediatamente para evitar os sintomas alérgicos.
  • Ácaros: Para diminuir a exposição aos ácaros, mantenha sua casa limpa e livre de umidade. Use aspirador no chão e panos úmidos para limpar o pó dos móveis para evitar que seja espalhado poeira pela casa. Outra dica interessante é usar água morna ou quente para lavar roupas e, como já foi mencionado, trocar as roupas de cama com frequência.
  • Pelos ou saliva de animais: Se você é alérgico a pelos ou saliva de animais, o ideal é que você não tenha um em casa. Se ainda assim você tiver ou queira ter um animal em casa, é imprescindível que você o mantenha limpo e sempre lave as mãos após brincar ou passar as mãos no animal. Além disso, não deixe que o bichinho entre no seu quarto ou suba na sua cama para que não fiquem resquícios de pelos no local onde você vai dormir.

Rinite alérgica tem cura?

Atualmente, a rinite alérgica não tem cura. Porém, é possível tentar tratamentos de imunoterapia, por exemplo, para tentar acostumar o organismo com a substância causadora da alergia, o que pode diminuir drasticamente ou até mesmo eliminar os sintomas.

Porém, é absolutamente possível gerenciar os sintomas e adotar medidas preventivas para evitar crises de rinite alérgica, principalmente se você souber a causa da sua alergia.

Fontes e Referências Adicionais:

Você imaginava que a rinite alérgica tem cura? Já usou algum dos remédios ou tratamentos que listamos acima? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...

1 comentário em “Rinite Alérgica Tem Cura? Tratamento, Remédios e Dicas”

Deixe um comentário