Homem com gases

20 Remédios para Gases Intestinais Mais Populares

As queixas sobre gases intestinais são uma das mais frequentes e mais comuns nos consultórios médicos. Este sintoma pode estar associado a inúmeros problemas gastrointestinais, sendo de fundamental importância uma análise completa para que se avalie corretamente a causa do problema e também para que sejam recomendados os melhores tratamentos para cada paciente.

O uso de remédios para gases intestinais pode auxiliar bastante na melhoria da qualidade de vida dos pacientes, que podem também precisar de mudanças nos hábitos, principalmente alimentares.

Vamos conhecer os 20 remédios para gases intestinais mais populares e também alguns tipos de remédio caseiro para gases e barriga inchada.

O que são gases intestinais?

Os gases intestinais são produzidos naturalmente no organismo em função de muitos processos metabólicos. Em geral, cada pessoa produz, por dia, uma média de um litro de gases intestinais, porém, estes valores podem variar bastante devido aos tipos de alimentos que cada pessoa ingere ao longo do dia. Cerca de dois terços dos gases presentes no tubo digestivo são provenientes do ar que ingerimos diariamente e apenas um terço destes gases são de fato produzidos pelos intestinos.

A principal causa do aumento dos gases no tubo digestivo está relacionada à deglutição do ar que pode acontecer enquanto realizamos as refeições ou enquanto bebemos algum líquido. Alguns hábitos podem aumentar a ingestão de ar, como o consumo excessivo de bebidas gasificadas (no caso os refrigerantes, por exemplo) e o hábito de mascar chiclete, que aumenta a produção de saliva e também pode contribuir para o aumento do volume de ar ingerido.

Os gases produzidos pelo intestino delgado e grosso, que correspondem a aproximadamente um terço do total, são compostos por diferentes gases e 99% deles são considerados inodoros, incluindo o nitrogênio, o oxigênio, o hidrogênio, o anidrido carbônico e o metano. Uma pequena parte desta composição, porém, é formada por sulfuretos, que são responsáveis pelo odor desagradável causado pelos gases intestinais.

Mais da metade dos gases intestinais é formada por nitrogênio, que tem sua origem no ar que engolimos e também tem uma parte dissolvida no sangue. Os gases produzidos pelo organismo são o hidrogênio, o anidrido carbônico e o metano, também chamado de gás natural. Estes são resultado da reação química do ácido clorídrico liberado no estômago, dos ácidos graxos e também dos aminoácidos presentes na alimentação.

Quais são as causas dos gases intestinais?

A produção de gases intestinais é um processo natural do organismo. No entanto, existem muitos problemas que podem estar associados à produção excessiva de gases intestinais. Estes gases podem causar grande desconforto em diversos casos, pois provocam a distensão abdominal, podendo também causar muito constrangimento social. Os gases intestinais podem ser expelidos tanto pela boca, via oral (no caso dos arrotos), como via anal (flatulência).

Entre as maiores causas que estão associadas à produção de gases intestinais estão o consumo de alguns alimentos que provocam gases. Parte dos gases é produzida no intestino por carboidratos que não são quebrados no estômago. Como o intestino não produz enzimas o suficiente para digerir os carboidratos, eles serão fermentados por bactérias. Em função disto, há maior produção de gases intestinais. Quando a dieta é rica em fibras e em carboidratos, algumas pessoas podem ter maior produção de gases intestinais.

Agora, vejamos, a seguir, 20 remédios para gases intestinais para aprender mais sobre sua ação no organismo:

1. Dimeticona

A dimeticona é um dos remédios para gases intestinais mais usados. Ele pode ser usado via oral e tem a capacidade de reduzir os gases do aparelho digestório, além de ajudar no alívio da dor e na redução do desconforto abdominal.

Este remédio pode ser comprado em forma de comprimidos, gotas ou cápsulas gelatinosas em farmácias. O medicamento é recomendado para pacientes com acúmulo de gases no estômago e no intestino, para alívio das dores abdominais ou cólicas provocadas pelos gases intestinais.

2. Simeticona

A simeticona é outro remédio para gases que é indicado para pacientes com excesso de gases no aparelho digestivo, auxiliando na redução das dores abdominais e na redução do inchaço. Este remédio é conhecido por auxiliar o rompimento das bolhas dos gases e por poder ajudar os gases a passarem pelo sistema digestivo, informou a Mayo Clinic, organização da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares dos Estados Unidos.

O medicamento também pode ser utilizado como auxiliar no preparo de pacientes para alguns exames médicos, tais como a endoscopia digestiva e a colonoscopia.

Entretanto, a Mayo Clinic destacou que são poucas as evidências clínicas que indicam que a simeticona é eficiente para amenizar os sintomas dos gases.

3. Carvão ativado

O carvão ativado é outro produto mencionado pela Mayo Clinic como uma opção de remédios para gases intestinais. Conforme a organização, ao ser ingerido antes e depois de uma refeição, ele pode auxiliar a diminuir os sintomas.

Porém, existem alguns problemas em relação ao carvão ativado: pesquisas não mostraram um benefício claro do produto neste sentido, e ele pode interferir com a habilidade de absorver medicamentos e pode manchar o interior da boca e as roupas.

4. Beladona

Este medicamento também é um dos remédios para gases intestinais mais populares. Ele é muito utilizado para problemas de má digestão, para cólicas intestinais, dores de cabeça causadas por problemas de digestão, azia e mau hálito, ajudando no combate dos gases através do estímulo de produção da bile.

5. Alfa Galactosidase

De acordo com informações da Mayo Clinic, esta é a substância ativa de alguns medicamentos que podem auxiliar a diminuir os sintomas dos gases em algumas pessoas. Segundo a organização, ele ajuda na decomposição de carboidratos em feijões e outros vegetais e deve ser ingerido logo antes de fazer uma refeição.

6. Suplementos de lactase

Ainda conforme a Mayo Clinic, os suplementos com a enzima lactase podem auxiliar a digerir o açúcar dos produtos laticínios, a lactose, diminuindo os sintomas para quem é intolerante à lactose. No entanto, a organização ressaltou que mulheres que estejam grávidas ou no período de amamentação precisam conversar com o médico antes de utilizar suplementos de lactase.

Além disso, quem tem a intolerância à lactose precisa confirmar com o médico se o uso desses suplementos de lactase é uma forma apropriada para lidar com a condição, tendo em vista as particularidades do seu quadro, e consultar o profissional a respeito de qual suplemento de lactase é o mais indicado para o seu caso.

7. Chá de erva-cidreira

O chá de erva-cidreira é um excelente remédio caseiro para gases e barriga inchada. Este chá possui propriedades medicinais que ajudam a reduzir a formação de gases no intestino, auxiliando também no tratamento da prisão de ventre, que é uma das causas do acúmulo de gases. Este chá pode ser feito sozinho ou pode ser tomado com outros tipos de chás.

8. Chá de gengibre

O gengibre possui inúmeras propriedades, sendo um excelente anti-inflamatório natural, auxiliando na redução das dores musculares, podendo ser usado no alívio de sintomas como náuseas e vômitos, além de ser um ótimo remédio caseiro para gases e barriga inchada. Este chá pode ser feito sozinho ou em conjunto com outros tipos de chás.

O gengibre contribui com a digestão e melhora cólicas graças ao fato de diminuir os espasmos musculares.

Entretanto, vale alertar o chá de gengibre não pode ser consumido por pessoas que sofrem com diabetes, por mulheres que estejam grávidas ou mulheres que se encontrem no processo de amamentação de seus nenéns.

A Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos alerta que pessoas que fazem uso de medicamentos diluidores do sangue (anticoagulantes) devem evitar os suplementos de gengibre, e mulheres que estejam amamentando e pessoas com distúrbios hemorrágicos, condições cardíacas e diabetes também devem evitar os suplementos de gengibre.

Quem tem histórico de problemas na vesícula biliar deve consultar o médico antes de tomar o chá de gengibre.

A regra geral consiste em não consumir mais do que 4 g de gengibre diariamente.

9. Chá ou infusão de anis, noz-moscada ou cardamomo

Chás ou infusões à base desses ingredientes favorecem a eliminação dos gases.

10. Chá ou infusão da canela

O chá ou infusão de canela é outra bebida que serve como um remédio para gases. Entretanto, é preciso tomar alguns cuidados com o consumo da canela.

Ela deve ser consumida com moderação por conta do risco de provocar danos ao fígado. A recomendação consiste em ingerir no máximo 6 g ou 1 ¼ de colher de chá da especiaria diariamente. Entretanto, recomenda-se que cada pessoa consulte o médico ou nutricionista para saber qual é a melhor porção de canela indicada para ela, visto que essas quantidades podem variar bastante.

O consumo diário excessivo da canela – além dos 6 g recomendados – pode provocar efeitos colaterais como intoxicação, irritação das mucosas e do intestino, alteração dos batimentos cardíacos, úlcera, alergias e o aumento do risco de hemorragias em pessoas que utilizam remédios anticoagulantes.

O aumento repentino da ingestão de canela pode provocar desconforto gastrointestinal, irritação na boca, rubor e gengivite em algumas pessoas.

A especiaria não é recomendada para pessoas que sofrem com problemas cardíacos e não é indicada para mulheres grávidas porque pode aumentar as contrações do útero, o que eleva os riscos de aborto. Pessoas que têm úlceras não devem utilizar suplementos de canela.

Mulheres que estejam em processo de amamentação de seus bebês também não devem consumir a canela e quem tem problemas de circulação, nos fígados ou rins deve consultar o médico antes de ingerir a especiaria.

Apesar de ser associado a ações benéficas para pessoas que têm diabetes, existe a possibilidade de que a canela também interaja com medicamentos para tratar a doença. Assim, vale a pena consultar o médico se você for diabético para saber se pode ou não consumir a especiaria.

Caso esteja utilizando qualquer tipo de medicamento, além daquele que foi indicado para o tratamento da diabetes, consulte o seu médico para saber se não há risco de que a canela interaja com ele.

11. Chá de carqueja

O chá de carqueja também é um remédio para gases que possui diversas propriedades, como efeito laxante, anti-inflamatório, atuando como vermífugo, antibiótico e antigripal, sendo também composto por muitos nutrientes que podem atuar de forma benéfica no organismo.

Este chá é muito recomendado para tratar os problemas de má digestão e de acúmulo de gases intestinais, podendo ser usado logo após as refeições. Ele também pode ser preparado em conjunto com outros chás.

12. Chá ou infusão de erva-doce

Outro chá ou infusão indicado entre os remédios para gases intestinais é o chá de erva-doce, que evita as contrações musculares por meio da promoção do relaxamento da musculatura do intestino.

13. Chá ou infusão de hortelã-pimenta 

A hortelã-pimenta diminui os movimentos naturais do intestino, evitando que os gases sejam expelidos. Entretanto, a hortelã-pimenta não deve ser utilizada por pessoas que sofrem com a prisão de ventre.

14. Chá dente-de-leão

Esta erva tem inúmeros benefícios para a saúde, ajudando também a aliviar os sintomas dos gases intestinais em forma de chá. O dente-de-leão tem muitas propriedades nutritivas e medicinais, possuindo diversas vitaminas A, B6, E, K e C, além de minerais como o cálcio, o potássio, o magnésio, cobre e ferro.

15. Alho

O alho é um dos melhores remédios para gases intestinais, possuindo propriedades que ajudam a melhorar a digestão e também a reduzir as dores e o inchaço causados pelos gases intestinais. O dente de alho pode ser fervido em duas xícaras de água e bebido ao longo do dia como chá, podendo também ser utilizado junto com outros chás.

16. Salsa e salsinha

A sala fresca é outro remédio caseiro para gases e barriga inchada. Ela pode ser picada fresca ou usada como tempero seco, sendo acrescentada a diversos tipos de refeições e ajudando na redução dos gases intestinais.

17. Alimentos probióticos

Os alimentos probióticos ajudam a reduzir os sintomas de gases, pois atuam de forma a fortalecer as bactérias que são benéficas para a saúde e que podem deixar a função do cólon mais saudável. Existem muitos alimentos probióticos como o leite fermentado, o kefir e o iogurte, além dos suplementos probióticos.

18. Purificador de cólon

Uma das formas de reduzir a quantidade de toxinas e ajudar no tratamento de gases intestinais é uma limpeza de cólon. Existem alguns tipos de suplementos que funcionam como um purificador de cólon. Recomenda-se uma limpeza inicial de seis dias para a retirada da maior parte das toxinas e depois uma manutenção de duas a três vezes por semana.

19. Mudanças alimentares

A Mayo Clinic, organização da área de serviços médicos e pesquisas médico-hospitalares dos Estados Unidos, explicou que fazer algumas mudanças na alimentação pode diminuir a quantidade de gases produzidas pelo organismo ou contribuir para que eles se movimentem com maior facilidade pelo corpo.

A organização indica manter uma espécie de diário – que registre os alimentos que você consome, o horário em que as refeições ocorrem e o período e a forma pelos quais os sintomas dos gases aparecem, em um caderninho ou no celular, por exemplo – para auxiliar o médico a determinar quais as melhores alternativas de mudanças na sua alimentação para favorecer o seu quadro.

O pessoal da Mayo Clinic listou alguns alimentos que podem ter o seu consumo modificado nas refeições como forma de auxiliar o tratamento dos gases:

  • Alimentos ricos em fibras: segundo a Mayo Clinic, comidas ricas em fibras como cebolas, feijões, brócolis, couve-de-Bruxelas, couve-flor, repolho, aspargo, alcachofra, pera, maçã, pêssego, ameixa seca, trigo integral e farelo podem provocar os gases. A dica é experimentar quais afetam mais o seu organismo e evitar o consumo desses alimentos durante algumas semanas e, então, retornar gradualmente o seu consumo. Entretanto, vale alertar que é necessário conversar com o médico e ter o acompanhamento do profissional durante todo o processo para se certificar de manter uma dieta saudável, com uma ingestão saudável de fibras – que são necessárias para a saúde do organismo;
  • Produtos laticínios: a diminuição da ingestão desses alimentos da dieta pode amenizar os sintomas, informou a Mayo Clinic, que também aconselhou a experimentar produtos laticínios livres de lactose ou produtos à base de leite que tenham a enzima lactase para auxiliar a digestão;
  • Substitutos do açúcar: a Mayo Clinic também recomendou eliminar ou diminuir os substitutos do açúcar utilizados nas refeições ou experimentar novos substitutos para o ingrediente;
  • Frituras ou comidas gordurosas: outra orientação consiste em cortar as frituras ou os alimentos gordurosos, pois a gordura atrasa a liberação de gases do intestino;
  • Bebidas gaseificadas: elas também devem ser eliminadas ou reduzidas da rotina de quem sofre com os gases intestinais;
  • Suplementos à base de fibras: para quem faz uso deste tipo de suplemento, a recomendação é conversar com o médico a respeito da quantidade e do tipo de suplemento de fibras que é mais apropriada para o seu caso;
  • Água: para prevenir a prisão de ventre, o conselho da Mayo Clinic é tomar água juntamente com as refeições e com os suplementos de fibras.

É importante que qualquer alteração que você fizer na sua alimentação em prol do tratamento dos seus gases intestinais tenha a orientação do médico para evitar que o fornecimento de nutrientes e energia ao seu organismo seja atrapalhado, algo que pode prejudicar a sua saúde.

20. Hábitos que podem ser úteis

A Mayo Clinic também apontou algumas mudanças no estilo de vida que podem ser úteis para quem sofre com os gases intestinais.

São elas:

  • Comer porções menores de alimentos;
  • Comer devagar;
  • Mastigar completamente a comida;
  • Evitar mascar chiclete;
  • Evitar doces duros;
  • Evitar beber líquidos com canudo;
  • Checar as dentaduras para ver se elas não estão mal encaixadas (ir ao dentista para ajeitar, caso elas estejam);
  • Não fumar;
  • Praticar exercícios físicos.

Atenção 

Este artigo jamais pode substituir o diagnóstico ou a prescrição do médico. Portanto, antes de utilizar qualquer um dos remédios para gases intestinais descritos acima, você precisa consultar o médico para que o seu tratamento seja realizado com segurança.

Os medicamentos – naturais, à base de ervas ou de laboratório – possuem contraindicações e podem provocar efeitos colaterais. Isso sem contar que ao usar um remédio, chá, suplemento ou planta sem o acompanhamento médico, corre-se o risco de utilizar uma dosagem inapropriada que seja ineficiente, ou pior, faça mal ao organismo.

Além disso, é só em uma consulta médica que podemos descobrir se realmente há um problema de gases intestinais, que tipo de problema é esse e qual o tratamento que devemos seguir para cuidar da condição em questão.

Não caia na besteira de utilizar um medicamento sem a orientação do médico simplesmente porque você conhece alguém que teve bons resultados com ele. Tenha em mente que cada pessoa possui o seu próprio organismo com o seu próprio quadro de problema no fígado e, portanto, o que dá certo para uma pessoa pode fazer mal para outra.

Conclusão

Os gases intestinais são produzidos naturalmente no organismo em função de muitos processos metabólicos. Poucas pessoas sabem, mas a principal causa do aumento dos gases no tubo digestivo está relacionada à deglutição do ar.

Alguns hábitos podem aumentar a ingestão de ar, como o consumo excessivo de bebidas gasificadas e também o hábito de mascar chiclete, além de alguns alimentos. Existem muitos problemas que podem estar associados à produção excessiva de gases intestinais e que podem ser resolvidos com alguns remédios para gases intestinais.

Entretanto, é fundamental que esses medicamentos – naturais, de ervas ou de laboratórios – sejam utilizados somente com o acompanhamento e a orientação do médico para que o problema dos gases intestinais seja tratado corretamente e que sejam evitados prejuízos para a saúde.

Você já precisou utilizar algum destes remédios para gases intestinais? Sofre com esse problema frequentemente e é algo que lhe incomoda? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*