Especialista da Área:

Abóbora Dá Gases?

Precisamos contar com uma diversidade de alimentos saudáveis em nossas refeições para nutrir o organismo, e a abóbora certamente é um deles. Veja se, no entanto, o consumo de abóbora dá gases ou se essa não precisa ser uma das preocupações de quem consome o alimento.

A abóbora serve como fonte de diversos nutrientes que nosso corpo necessita para funcionar, como fibras, potássio, cobre, manganês, ferro, magnésio, fósforo, vitamina A, vitamina B1, vitamina B3, vitamina B5, vitamina B6, vitamina B9 (folato), vitamina C e vitamina E.

Isso sem contar que a fruta – sim, tecnicamente, a abóbora é considerada uma fruta – contém antioxidantes e já foi associado ao benefício de estimular o nosso sistema imunológico.

Aproveite para conhecer em detalhes todos os benefícios da abóbora e veja também algumas receitas com abóbora low carb para dar uma variada na sua dieta.

No entanto, será que ao consumirmos a abóbora para obter os seus benefícios saudáveis, podemos ganhar um excesso de flatulência em contrapartida?

Será que a abóbora dá gases?

De acordo com informações de um documento de nutrição oncológica a respeito de escolhas de alimentos para diminuir os gases da BC Cancer, instituição da Columbia Britânica, no Canadá, a abóbora é um dos alimentos que costumam produzir gases no organismo.

Por outro lado, um artigo publicado afirmou que, graças ao fato da abóbora ser pobre em amido e açúcar, a ingestão do alimento não deve provocar gases ou inchaço.

No mesmo sentido, a nutricionista e mestra em nutrição Aglaee Jacob escreveu que, quando se trata da produção de gases dentro do organismo, a abóbora costuma ser bem tolerada.

Nutricionistas apontam alimentos cozidos como a abóbora, a abobrinha, a batata, a berinjela, a cenoura, o chuchu, o cogumelo, o inhame, a mandioquinha e o tomate sem pele e sem semente como itens associados à menor produção de gases.

Como eles são ricos em água e fibras que ajudam o intestino a funcionar corretamente, diminuem a produção de gases. Beber água também ajuda a eliminar a flatulência e, por isso, é recomendado beber 1,5 a 2 litros de água por dia, recomendam os especialistas.

Apesar de existirem alguns alimentos capazes de promover a flatulência, eles não atuam da mesma maneira para todas as pessoas. Os alimentos tendem a produzir mais gás no intestino quando existe um desequilíbrio entre as bactérias, benéficas e patogênicas presentes no intestino, e isso é muito particular a cada indivíduo.

A síndrome do intestino irritável

Quando analisamos se a abóbora dá gases, não podemos deixar de abordar a síndrome do intestino irritável, uma condição que tem os gases e o inchaço abdominal como sintomas comuns.

  Continua Depois da Publicidade  

A abóbora é um alimento que deve ser consumido com moderação dentro da dieta para síndrome do intestino irritável, graças ao fato de apresentar uma quantidade moderada de oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e poliois fermentáveis (FODMAPs).

Esses FODMAPs são formas de carboidratos fermentáveis de cadeia curta. Uma dieta rica em FODMAPs pode aumentar os gases, inchaço, dor e diarreia em algumas pessoas que sofrem com distúrbios do intestino irritável. Uma dieta pobre nesses tipos de carboidratos já mostrou diminuir os sintomas comuns para as pessoas que são sensíveis ao FODMAP.

Logicamente, se você sofre com a síndrome do intestino irritável ou outra doença semelhante, precisa seguir toda a dieta e todo o tratamento que for recomendado pelo médico que cuida do seu quadro.

Lembre-se de que este artigo serve somente para informar e jamais pode substituir as orientações médicas.

A culpa não é somente da alimentação

Além de saber se a abóbora dá gases, é importante conhecer quais outros fatores – que não se resumem apenas àquilo que comemos e bebemos em nossas refeições – podem interferir na produção de gases no organismo.

O PhD e professor clínico associado de nutrição da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, Charles Mueller explicou que os gases que soltamos não são produzidos somente pelos alimentos que consumimos, mas também pelo ar que engolimos ao comer rápido, que acaba passando pelo trato gastrointestinal.

No mesmo sentido, o gastroenterologista, professor clínico associado de medicina da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, e PhD David Poppers esclareceu que os gases são uma combinação entre dois fatores: o ar que engolimos, ao comermos muito rapidamente, e o alimento que consumimos.

A nutricionista Abby Langer explicou ainda que doenças gastrointestinais sérias também podem ser a principal causa dos gases. Eles ainda podem estar relacionados ao uso de alguns medicamentos e a problemas na flora intestinal, completou a especialista.

“Para aqueles que não têm um problema de fundo (para provocar os gases, como as doenças gastrointestinais), a quantidade de gases que nós temos está diretamente relacionada com a quantia de alimento e/ou ar não digerido no nosso cólon. Se estamos comendo coisas que o nosso corpo não está decompondo, nós vamos ter gases”, completou Langer.

Ainda que seja constrangedora, a flatulência é uma função normal do corpo, completou o PhD Charles Mueller. Ele alertou ainda que devemos nos preocupar mais quando não estivermos soltando gases do que quando a flatulência aparecer.

Mueller orientou também a procurar o auxílio médico quando ocorrerem mudanças nos hábitos intestinais que não se resolvem sozinhas como cólicas, inchaço, prisão de ventre, diarreia, não ter flatulência alguma ou o aparecimento de muitos gases.

Vídeo:

Gostou das dicas?

  Continua Depois da Publicidade  

Você já tinha percebido que a abóbora dá gases para você? Consome com frequência em sua dieta? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo muito solicitada para palestras, consultoria a empresas e atendimento personalizado para atletas, pessoas com condições especiais de saúde e pessoas que desejam melhorar a forma física de forma saudável. É a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España). É também membro da International Society of Sports Nutrition. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma. Dra. Patricia Leite é uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário