Banha de Porco Faz Mal à Saúde?

Há uma dúvida constante sobre o que é melhor para cozinhar alimentos. São diversas as possibilidades: óleos vegetais, manteiga ou até mesmo banha de porco estão disponíveis para este fim. Será que banha de porco faz mal à saúde mesmo? Falou-se muito mal dela por muito tempo, mas parece que a comunidade médica está vendo um outro lado ultimamente. É sobre isso que vamos falar mais abaixo.

Antigamente, a banha de porco era extremamente usada nas cozinhas ao redor do mundo, pois além de terem pouca disponibilidade, era muito difícil obter óleos vegetais. Com a revolução industrial, surgiram diversos tipos de óleos vegetais que ganharam popularidade por terem menor teor de gorduras saturadas e colesterol.

Porém, nos anos 2000, a banha de porco voltou a ser usada. Um dos motivos é que a banha é livre de gordura trans, que é abundante nos óleos vegetais comercializados hoje em dia e muito prejudicial à saúde. E, portanto, fica a dúvida: qual é a opção mais saudável?

Vamos discutir abaixo se a banha de porco faz mal à saúde e qual a melhor opção para você utilizar na cozinha.

Banha de Porco

A banha de porco é uma gordura proveniente do porco. Ela pode ser obtida de diversas partes do animal e sua qualidade vai depender deste aspecto e do processo de obtenção ao qual o tecido adiposo do porco foi submetido. A banha possui como característica uma alta concentração de ácidos graxos saturados como os triglicerídeos e ausência de gordura trans.

Com a popularidade da diversidade de óleos vegetais disponíveis para a culinária, a banha de porco foi menos utilizada com o tempo, mas ainda há quem prefira esta fonte de gordura por acreditar que ela é mais saudável que os óleos vegetais e as manteigas.

A banha é um tipo de gordura de porco que pode ser usada para diversos fins, incluindo como base para produção de sabão e biocombustíveis. Porém, ela é mais frequentemente usada como uma alternativa à manteiga e outras gorduras.

O seu sabor suave, textura delicada e agradável sensação na boca fazem da banha uma escolha popular para cozinhar e assar alimentos como biscoitos, tortas, além de frituras como batatas fritas e carnes.

Grande parte da banha de porco é composta por gordura saturada. Os especialistas que defendem a banha de porco alegam que a gordura saturada é problemática quando está desbalanceada em relação às insaturadas, o que não acontece nesse caso.

A banha contém nutrientes que são benéficos para a saúde, como vitaminas B e C, cálcio, além de minerais como fósforo e ferro. Ela é isenta de carboidratos como açúcares, sendo uma opção para pessoas com diabetes, além de apresentar baixas quantidades de sódio.

Na verdade, a banha tem uma composição balanceada com cerca de 40% de gordura saturada e 45% de gordura monoinsaturada.

As gorduras insaturadas são consideradas boas, pois auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares, uma vez que possuem a aptidão de reduzir os níveis de triglicerídeos e o colesterol sanguíneo, elevando o HDL (colesterol bom) e diminuindo o nível do LDL (colesterol ruim). Como consequência, há uma redução da formação e manutenção de placas de gordura presentes no interior dos vasos sanguíneos, que podem levar à hipertensão arterial, ao infarto e ao derrame cerebral.

Entendendo a Composição das Gorduras

Há três principais tipos de gorduras encontradas nos alimentos: gordura saturada, gordura poli-insaturada e gordura monoinsaturada. Todos os óleos culinários são uma combinação desses 3 tipos de gordura, mas cada um difere nas quantidades de cada um dos tipos.

Saber qual tipo de gordura é melhor depende não só da composição de cada uma, mas também das condições em que ela será utilizada.

Em temperatura ambiente, devemos optar por gorduras com alto teor de gordura insaturada e baixos níveis de gorduras saturadas e trans. Porém, quando gorduras e óleos são aquecidos, devemos estar mais atentos, pois é possível que a estrutura química desses compostos seja alterada, trazendo malefícios à saúde.

Em altas temperaturas, as gorduras sofrem reações de oxidação, que é o que acontece quando elas reagem com oxigênio no ar para formar substâncias como aldeídos e peróxidos lipídicos. À temperatura ambiente, essas reações também podem ocorrer quando as gorduras estão expostas ao ar, embora isso ocorra bem mais lentamente.

Quando as gorduras ficam rançosas, é um indício de que elas foram oxidadadas a substâncias como os aldeídos citados anteriormente. Esses aldeídos formados são considerados toxinas, pois ao consumi-los ou inalá-los, mesmo em pequenas quantidades, há um risco associado ao aumento do risco de câncer e doenças cardíacas.

Estudos

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Montford revelou que cozinhar com óleos vegetais pode não ser tão saudável. Isso porque durante o aquecimento em altas temperaturas, esses óleos podem liberar substâncias tóxicas que podem causar câncer.

No estudo, foram analisados diversos tipos de óleos vegetais, manteiga e banha de porco após o aquecimento e foi observado que óleos vegetais como o óleo de girassol, óleo de milho e óleo de côco liberam grandes quantidades de toxinas, enquanto que o azeite, a banha de porco e a manteiga liberam quantidades bem menores. Isso ocorre porque as gorduras presentes na banha de porco são monoinsaturadas ou saturadas, o que dá uma maior estabilidade ao produto durante o aquecimento.

Assim, óleos de milho e de girassol, considerados benéficos á saúde, só são realmente benéficos se consumidos em temperatura ambiente, pois sua alta quantidade de óleos poli-insaturados tornam-nos bastante instáveis quando aquecidos, podendo gerar gorduras saturadas e liberar toxinas.

A sua origem também é importante para saber se a banha de porco faz mal à saúde. O neuroendocrinologista e professor de fisiologia Thomas Sherman, da Universidade de Georgetown, diz que estudos demonstram que a gordura de vacas e suínos alimentados com pastagem tem maiores níveis de gordura mono e poli-insaturadas do que os animais que são alimentados com grãos. Isso leva a um melhor balanceamento de tipos de gorduras, o que é saudável.

De acordo com ele, além do consumo da banha em si, o segredo está em uma dieta balanceada com diferentes tipos de alimentos com baixos teores de açúcar e carboidratos, ricos em frutas e legumes e com diversidade de gorduras saudáveis.

Benefícios

Apesar de apresentar aproximadamente 20% menos gordura saturada do que a manteiga, a banha tem uma maior quantidade de gorduras monoinsaturadas, que são conhecidas por diminuir o colesterol LDL (colesterol ruim), e não apresenta gordura trans.

– A banha de porco é estável quando aquecida 

A banha de porco é termicamente estável e não libera toxinas quando aquecida a altas temperaturas, deixando o alimento mais crocante sem fazer fumaça.

Gorduras saturadas têm ligações simples entre os átomos de carbono da cadeia de ácido graxo. Essas ligações em ácidos graxos são muito fortes e dificilmente são rompidas quando aquecidas e são, portanto, mais estáveis ​​ao calor.

Já as gorduras monoinsaturadas têm uma dupla ligação na molécula de ácido graxo. Tais ligações duplas são mais fracas e instáveis ​e podem ser quebradas quando o composto é submetido ao calor intenso, como em uma fritura. As gorduras poli-insaturadas são as mais instáveis, porque têm diversas ligações duplas na cadeia de carbono, e não apenas uma, como nos monoinsaturados. Quando essas ligações duplas se quebram na presença de ar e calor, a gordura sofre um processo de oxidação.

Uma gordura oxidada significa que ela gerou radicais livres, que por sua vez, podem prejudicar as células do nosso organismo. Esses radicais livres são responsáveis por diversos problemas de saúde, como inflamações e reações químicas indesejadas.

De acordo com Mary Enig, autora do livro ‘Conheça suas Gorduras’ (Know Your Fats), a banha é composta por 40% de gordura saturada, 50% de gordura monoinsaturada e 10% de gordura poli-insaturada.

Porcos cuja dieta é suplementada com grãos ou coco têm uma menor porcentagem de gorduras poli-insaturadas, o que é ótimo durante o aquecimento. Mesmo com a presença de gordura poli-insaturadas, a alta porcentagem de gordura saturada na banha acaba protegendo as gorduras mono e poli-insaturadas de sofrerem oxidação durante o aquecimento.

Como já vimos, para evitar a produção de toxinas como aldeídos, deve-se optar por um óleo que seja rico em gordura saturada ou monoinsaturada e pobre em gorduras poli-insaturadas, por serem termicamente mais estáveis e não liberarem toxinas.

A melhor opção seria o azeite de oliva, cuja composição apresenta cerca de 76% de gorduras monoinsaturadas, 14% de gorduras saturadas e apenas 10% de gorduras poli-insaturadas. Outra opção seria também o óleo de côco, devido ao seu alto conteúdo de gordura saturada. Apesar disso, devemos reduzir a frequência e, se possível, eliminar as frituras, particularmente as que ocorrem a temperaturas altas, já que frituras não são recomendadas para pessoas com alto colesterol e riscos de desenvolver doenças cardiovasculares.

A banha de porco apresenta cerca de 40% de gordura saturada, enquanto que os óleos vegetais apresentam menos de 10% da mesma gordura. Os óleos vegetais são uma ótima escolha quando consumidos em temperatura ambiente.

– Combate à Depressão

A banha é rica em ácido oleicos do tipo ômega 3, que estão relacionados com um menor risco de desenvolver sintomas da depressão.

– É boa para o coração

Quem consome banha de porco alega que a gordura é composta por aproximadamente 45% de gorduras monoinsaturadas, que são considerada boas para a saúde do coração.

É bastante difundido que gorduras animais aumentam o risco de doenças cardíacas. Porém, isso não passa de um mito, segundo muitos especialistas, e é uma questão polêmica. Um estudo com mais de 300 mil pessoas publicada no American Journal of Clinical Nutrition mostra que não há evidências de que o consumo de gordura saturada aumenta o risco de doenças cardíaca. Foi demonstrado ainda que uma dieta com baixo teor de gordura aumenta os triglicerídeos, e isso sim é um fator de risco para desenvolvimento de doença cardíaca.

Outro estudo Women’s Health Initiative envolveu 50 mil mulheres no período após a menopausa. Um grupo seguiu uma dieta de baixo teor de gordura, enquanto o outro continuou a comer normalmente, ingerindo gordura. Após 8 anos, não foi observada nenhuma diferença no desenvolvimento de doenças cardíacas entre as mulheres. Diversos outros grandes estudos não encontraram nenhuma prova de que há benefício para uma dieta de baixo teor de gordura. Além disso, a ingestão de gordura saturada aumenta o colesterol HDL, o que está associado a menores riscos de desenvolver doença cardíaca.

– Não apresenta odor nem cheiro

Diferente do óleo de côco, que transmite um certo gosto característico ao alimento, a banha de porco não apresenta sabor e assim não interfere no gosto da comida, podendo ser normalmente usada no preparo de qualquer alimento, inclusive em massas de torta.

– Mais barata

A banha de porco pode ser mais acessível e barata do que alguns óleos vegetais extremamente caros, como os óleos de canola e de girassol.

– Rica em vitamina D

A banha de porco é a segunda fonte alimentícia mais rica em vitamina D, logo depois do óleo de fígado de bacalhau. Isso se deve à grande capacidade dos porcos de sintetizar a vitamina D e armazená-las no seu tecido adiposo.

A vitamina D é uma vitamina lipossolúvel, por isso requer ácidos graxos para ser melhor absorvida e utilizada pelo corpo. Ela auxilia na absorção de cálcio, além de também ajudar na remoção de metais nocivos tóxicos, tais como cádmio, alumínio, estrôncio e atuar na produção e regulação de hormônios.

– Sustentável

O uso da banha de porco acaba sendo uma opção sustentável, já que desta maneira todas as partes do porco serão aproveitadas.

– Boa para cozinhar

Segundo a culinária tradicional dos nossos antepassados, cozinhar com banha de porco gera alimentos deliciosos e crocantes.

– Fonte de colesterol, mas… 

A banha de porco é um dos alimentos mais ricos em colesterol. O aumento dos níveis de colesterol está relacionado a períodos de estresse ou de inflamações no corpo.

No entanto, estudos mostram que o consumo de colesterol não apresenta uma relação de causa e efeito com os níveis de colesterol no sangue. Isso ocorre porque o corpo produz o colesterol que ele precisa. Pesquisas mostraram que o consumo de ovo, por exemplo, que é muito rico em colesterol, não aumenta os níveis de colesterol no corpo. No entanto, pessoas que têm tendência a ter o colesterol elevado devem consumir esses alimentos com moderação.

O fornecimento de colesterol através de gorduras de boa qualidade reduz a carga sobre o corpo para produzir colesterol. O colesterol dietético de alimentos como a banha suporta o manejo da inflamação e a produção de hormônios.  Além disso, vários estudos associam baixos níveis de colesterol no sangue a maiores riscos de mortalidade, depressão, demência e Alzheimer.

Estes compostos não naturais também podem ter efeitos adversos nas membranas celulares e no sistema imunológico, podendo promover inflamação, câncer e envelhecimento acelerado.

Resumindo, após o azeite, a banha de porco é considerada a melhor fonte de gordura. O azeite tem cerca de 77%, enquanto que a banha tem cerca de 48% de gordura monoinsaturada, uma fonte de ômega 3 associada a menores riscos de desenvolver depressão.

Um estudo de 2005 na Tailândia também relatou que o ômega 3 tem benefícios contra o câncer e pode diminuir o risco de câncer de mama. Essas mesmas gorduras monoinsaturadas são responsáveis ​​pela redução dos níveis de LDL enquanto deixam os níveis de colesterol HDL (bom) estáveis.

Calorias e consumo da banha de porco

Em uma porção de banha de porco, há aproximadamente 115 calorias, cerca de 13 gramas de gordura total e 5 gramas de gordura saturada. Uma pessoa que segue uma dieta de 2.000 calorias por dia e come apenas uma porção de banha está consumindo entre 20-25% da necessidade diária de gordura total e 33% do recomendado de gordura saturada. A banha também contém cerca de 6 gramas de gordura monoinsaturada e 1,5 gramas de gordura poli-insaturada em uma única porção.

A American Heart Association recomenda limitar a gordura a não mais de 25% a 35% total de calorias consumidas diariamente – cerca de 500 a 700 calorias ou entre 56 e 77 g de gordura total por dia para aqueles que seguem uma dieta de 2.000 calorias por dia.

Dicas

Para evitar a oxidação, mantenha sempre os óleos ao abrigo da luz, e tente não reutilizá-los, pois isso leva à acumulação dos produtos secundários gerados no aquecimento.

É preciso tomar cuidado com as banhas de porco disponíveis em supermercados, pois a maioria destes produtos são hidrogenados para que durem mais tempo, prejudicando a qualidade da gordura ao gerar gordura trans.

Portanto, se não são aquecidas, as gorduras poli-insaturadas (óleos vegetais e girassol, por exemplo) ainda são vistas como uma opção saudável. Essas gorduras reduzem o colesterol ruim e diminuem o risco de acidente vascular cerebral e doenças cardíacas. Além disso, as gorduras saturadas ou não devem sempre ser usadas ​​com moderação para manter uma dieta balanceada.

Você acredita que a banha de porco faz mal à saúde, ou é uma opção melhor que muitos óleos vegetais? Tem o costume de usar que tipo de gordura na cozinha? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (122 votos, média: 3,81 de 5)
Loading...

26 comentários em “Banha de Porco Faz Mal à Saúde?”

  1. A GORDURA DE PORCO É CONSUMIDA A MILENIOS E É MUITO MAIS SAUDÁVEL DO AS OUTRAS.PESQUISEM!

  2. Na parte do texto de “benefícios”. o LDL citado é o “mau colesterol” e não o “Bom”, o certo seria o HDL.

  3. Beth
    Então é por isto que muitos em açougue compram a banha de barriga. Não sabia deste detalhe.
    Obrigada pela orientação. E com esta matéria pude me esclarecer sobre os benefícios da banha de porco, que tinha tanto receio.

  4. Vocês sabem a diferença entre banha e gordura de porco? A banha é a que envolve os intestinos (na barriga) esta é a melhor.
    Gordura está por baixo da pele e na carne. É menos melhor. Mesmo assim é melhor que os óleos vegetais hidrogenados.

  5. creio que tudo de mais e veneno,principalmente nos casos de gorduras animais ou vegetais se consumidos em doses pequenas, creio que não fara mal a minguem.

    • A banha de porco foi uma recomendação de um médico, já que temos casos na família de alto colesterol e triglicerídeos altos, foi recomendado o uso de banha, ou azeite ou óleo de coco e evitar ao máximo as frituras. Pois tudo que é demais realmente faz mal

  6. Eu compro o toucinho no acougue derreto no fogào e guardo na geladeira dois quilos da pra mim que sou sozinha…..esta ceeto?

  7. Meus antepassados usaram banha de pouco e eram muito mais saudavel do que a minha geração. De um certo tempo passei a usar a banha de porco depois de muita leitura. Me acho bem melhor porque o meu colesterol passou a ficar alto e hoje está num nível melhor e meu peso estabilizado. Mas os médicos sempre a condenar a banha de porco. A indústria no comando.

  8. A partir de observar que a digestão estava pesada, cozinhando com óleo de soja, passei a usar a banha de porco. Além de melhorar consideravelmente o sabor do feijão,da carne e outros alimentos, percebi que minha digestão ficou normal! Em minha infância só comi usando a banha e depois de 55 anos de vida, volto a esse costume que está me fazendo muito bem, sem exageros é claro!!!

  9. tenho feito uso da banha a pouco tempo meus avos sempre usaram tenho duvidas sobre essas que vendem no super mercado compro da sadiA

    • Boa tarde, li hoje este artigo. Pois queria provar a minha filha que a banha de porco era melhor. Me surpreendeu o quanto ela é melhor.
      É referente a sua pergunta referente a Banha comprada em mercado, eu já utilizei, mas estas devem ter conservantes e química para durarem mais. Eu compro em uma cidade próxima, de porco caipira. O sabor é otimo. Se não conhecer ninguém, deve achar em algum FEIRA.
      Um abraço e saúde!

    • Leda, costumo comprar banha de porco em açougues aqui da minha cidade. Eu particularmente não confio em banhas de pouco industrializadas, pois tem a sua origem duvidosa, sem falas em outros aditivos nada saudáveis.

  10. passei a cozinhar a pouco tempo com banha vou fazer us exame pra ver mais meus avos sempre cozinharam com baha de porco mais era aquela da roça essa que vende em super mercado tenho duvidas?

  11. Cozinho muito com azeite, mas me disseram que se o azeite ir ao fogo ele perde as suas propriedades e passa a ser maléfico à saúde. Agora estou cheio de dúvidas em qual óleo usar pra fritura.
    Banha de porco, azeite ou óleo de coco.

    • Parece ser verdade, meu pai tinha colesterol bastante alto, na época em que cozinhavamos com óleo vegetal, agora temos utilizado banha de porco e seu colesterol foi bastante reduzido. Não sei se foi um evento isolado, mas espero ter ajudado com esse comentário

Deixe um comentário