Biscoito Recheado Faz Mal?

Especialista:
atualizado em 23/09/2020

Quando bate a fome e a gente não tem muito tempo para preparar ou sair para procurar uma comida saudável para comprar, fica bem fácil cair na tentação de fazer um lanchinho com algo mais prático, que já vem pronto para o consumo e é fácil de encontrar, além de saboroso.

Um desses lanchinhos são os biscoitos recheados, que achamos em diversos modelos, sabores, tamanhos e marcas em uma série de estabelecimentos como lojas de conveniências, supermercados, mercadinhos e shoppings, por exemplo.

Mas será que o biscoito recheado faz mal? Até onde isso é verdade e como a guloseima pode prejudicar a nossa saúde?

O colesterol

Podemos afirmar que o biscoito recheado faz mal por conta das gorduras trans que estão presentes em sua composição em geral, que são adicionadas para oferecer consistência e aumentar o seu prazo de validade.

A ciência indica que a gordura trans aumenta os níveis do colesterol ruim. A elevação do colesterol ruim no organismo contribui com o acúmulo de placa de gordura nas artérias. As gorduras trans também colaboram com a obstrução das artérias, que são um sinal de doença cardíaca e aumentam os riscos de ter ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC).

Estudos populacionais indicam que as gorduras trans podem elevar o risco de desenvolver diabetes. Pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard sugerem que substituir as gorduras trans por gorduras poli-insaturadas pode diminuir o risco de diabetes em 40%.

Alimentos como peixes, frutos do mar, óleo de linhaça e nozes servem como fonte de gorduras poli-insaturadas.

Hiperatividade e déficit de atenção

Uma reportagem listou, com a ajuda de nutricionistas, os 10 tipos de alimentos mais prejudiciais à saúde. E advinha quem marcou presença na lista? Isso mesmo, o biscoito recheado.

De acordo com a matéria, o biscoito recheado faz mal porque é composto por aditivos, que servem para dar cor ao produto, deixando-o mais vistoso e atrativo ao paladar, e que estão associados a problemas como a hiperatividade e o déficit de atenção, alertou a reportagem.

O biscoito recheado e o aumento de peso

Outro ponto a favor da ideia de que o biscoito recheado faz mal é o fato da guloseima estar associada ao aumento de peso.

De acordo com informações colhidas, uma porção de três unidades de 30 g de biscoito recheado pode apresentar entre aproximadamente 112 a 148 calorias, dependendo da marca e do modelo do produto.

Não podemos considerar esse número baixo, especialmente quando notamos que se trata de uma porção tão pequena. A situação piora quando comparamos o biscoito recheado com um lanchinho muito mais nutritivo do que ele, como é o caso de morangos, que contêm 32 calorias a cada porção de 100 g.

A ideia de que o biscoito recheado engorda ganha ainda mais força quando ele é consumido de maneira exagerada. Com base nos dados da tabela acima, se a pessoa comer 10 unidades, estará ingerindo de uma só vez por volta de 373,5 calorias até cerca de 493,5 calorias.

E não é tão difícil assim se empanturrar com o biscoito recheado, já que uma pesquisa apontou como ele pode ser viciante. Uma pesquisa mostrou que o biscoito recheado é tão viciante para o cérebro quanto a cocaína ou a morfina. O estudo foi feito por pesquisadores de uma instituição de ensino de Connecticut, nos Estados Unidos, que utilizaram uma marca famosa de  biscoito recheado em seus experimentos.

Os pesquisadores compararam também esses resultados com testes feitos com os animais na presença de morfina ou cocaína e identificaram que nos casos das três substâncias, os ratos ficaram o mesmo período de tempo no lado em que o produto em questão havia sido colocado.

Quando os bichinhos comiam o biscoito, uma proteína chamada c-Fos foi ativada em uma área do cérebro que é conhecida como o centro do prazer. Isso indica quantas células foram ativadas em determinada área do cérebro na presença das drogas ou do biscoito, explicou o professor da instituição de ensino que coordenou a pesquisa, Joseph Schroeder.

No final das contas, o biscoito recheado ativou mais células nessa região do cérebro do que a cocaína e a morfina, sugerindo que uma combinação de gorduras e açúcar pode agradar mais o cérebro do que as drogas.

Ainda que o estudo tenha sido realizado com ratos, os pesquisadores alegaram que é provável que ele tenha relevância para os seres humanos e poderia explicar por que algumas pessoas não conseguem comer somente um biscoito por vez.

E sobre as gorduras trans, elas engordam mais do que outras comidas mesmo quando o mesmo número de calorias é consumido.

Segundo Pesquisadores da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, concluiu-se que esse tipo de gordura aumenta a quantidade de gordura presente ao redor da barriga, não somente por meio da adição de novas gorduras, mas também movendo gorduras de outras áreas do corpo para a região abdominal.

De acordo com pesquisas, dietas ricas em gorduras trans provocam uma redistribuição de tecido de gordura para o abdômen e levam a um peso corporal maior, mesmo quando há o controle de calorias.

Há ainda a questão do açúcar: duas unidades de biscoito recheado carregam uma quantidade correspondente a duas colheres de sopa de açúcar. Isso corresponde a aproximadamente 5,8 colheres de chá de açúcar.

A recomendação é que as mulheres não ingiram mais do que seis colheres de chá de açúcar por dia e que os homens não consumam mais do que nove colheres de chá da substância diariamente.

E vale lembrar que o consumo exagerado de açúcar está associado ao aumento do peso. Segundo o Serviço Nacional de Saúde (NHS, sigla em inglês) do Reino Unido, comidas ricas em açúcar costumam ser também ricas em calorias e o consumo frequente desses alimentos pode contribuir com o desenvolvimento do sobrepeso.

A organização também afirmou que há alguma evidência de que dietas ricas em açúcar estão associadas com a elevação do teor energético da alimentação de uma maneira geral, o que pode provocar o aumento de peso ao longo do tempo.

Os perigos de estar acima do peso

Obviamente, os biscoitos recheados não podem ser considerados os únicos culpados pelo aumento de peso – isso é resultado de toda uma alimentação de baixa qualidade e do estilo de vida. Porém, como vimos acima, o consumo do quitute pode ajudar a engordar, principalmente quando a sua ingestão ocorre de maneira excessiva.

Vale ressaltar que o ganho de peso não é um problema sozinho e que não é uma mera questão estética: pesar mais do que se deve traz consigo uma série de riscos para a saúde.

De acordo com o Instituto Nacional de Diabetes e de Doenças Digestivas e Renais (NIDDK, sigla em inglês) do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, o sobrepeso e a obesidade estão associados ao aumento do risco de desenvolvimento dos seguintes problemas de saúde:

  • Diabetes do tipo 2;
  • Pressão arterial alta (hipertensão);
  • Doença no coração;
  • AVC;
  • Alguns tipos de câncer;
  • Apneia do sono;
  • Osteoartrite;
  • Doença hepática gordurosa;
  • Doença renal;
  • Problemas na gestação como glicose alta no sangue (hiperglicemia), pressão alta e elevação dos riscos de ter um parto cesariano.

O NIDDK também alertou que para as mulheres grávidas, o excesso de peso pode trazer problemas de saúde de curto e de longo prazo para a mãe e para o bebê.

O excesso de açúcar

Acabamos de ver que os biscoitos recheados são ricos em açúcar. E não é simplesmente em relação ao peso que o excesso de açúcar do biscoito recheado faz mal.

Açúcar demais na dieta está associado a problemas como cáries nos dentes, inflamação, piora da dor nas articulações, aumento dos riscos de ter artrite reumatoide, aceleração do envelhecimento da pele, aumento do risco de desenvolver diabetes do tipo 2, doença no coração, ataque cardíaco e AVC, danos nos rins e prejuízos à saúde sexual.

Então, eu nunca mais posso comer biscoito recheado?

Não necessariamente. Nada é proibido, porém, alimentos como o biscoito recheado devem ser consumidos com menor frequência.

Ou seja, você não precisa necessariamente excluir o biscoito recheado da sua vida. Entretanto, precisa aprender a consumi-lo de maneira moderada, comendo uma porção pequena por vez e evitando comer essas besteiras o tempo todo.

Como vimos acima, a guloseima pode ser bastante viciante, então, o cuidado deve ser redobrado para não acabar com um pacote de uma vez só.

Fontes e Referências Adicionais: 

Você já imaginava que o biscoito recheado faz mal? Tem costume de comê-lo como um lanche durante o dia com frequência? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

5 comentários em “Biscoito Recheado Faz Mal?”

  1. o problema é a correria do dia a dia. quem faz faculdade, trabalha e tem muitas outras responsabilidades tem um vida super ocupada não tem tempo para preparar comida saudável todos os dias.