Diabético Pode Comer Caqui?

Especialista:
atualizado em 06/05/2020

Veja se um diabético pode comer caqui ou se a fruta está entre os alimentos que precisar ser evitados por quem é diagnosticado com a doença.

Originário da China, o caqui é uma fruta de coloração vermelha/laranja que tem um sabor doce, considerado por alguns semelhante ao mel.

O alimento serve como fonte de nutrientes como a vitamina C, carboidratos, fibras, potássio, cobre, manganês, vitamina A, vitamina B6, vitamina E e vitamina K. O caqui também é conhecido por conter dosagens de vitamina B1, vitamina B2, vitamina B9, magnésio e fósforo, além de fornecer antioxidantes.

Não à toa existem tantos benefícios do caqui para a saúde e boa forma.

Olhando assim, a fruta realmente parece uma excelente opção para uma dieta saudável. Mas será que ela é permitida para todas as pessoas? Por exemplo, será que o diabético pode comer caqui ou ele está entre os piores alimentos para diabéticos?

Conheça a diabetes

Conhecer melhor a condição é importante para conseguir entender melhor se o diabético pode comer caqui ou não.

Pois bem, a diabetes é uma doença caracterizada pelo desenvolvimento de níveis muito elevados de glicose (açúcar) no sangue. Essa substância é a maior fonte de energia para o nosso organismo e é oriunda dos alimentos que consumimos nas refeições.

Uma pessoa é diagnosticada com a condição quando o seu corpo não dá conta de produzir uma quantidade suficiente ou qualquer quantia de insulina ou não consegue utilizar o hormônio adequadamente.

Isso faz com que a glicose permaneça no sangue e não atinja as células do organismo, já que a insulina é justamente responsável por auxiliar a glicose obtida através da dieta a chegar até as nossas células e ser utilizada como energia.

Ao descobrir que sofre com a doença, é fundamental que o paciente não perca tempo e obedeça a todas as orientações que forem passadas pelo médico para o seu tratamento.

Até porque, com o passar do tempo, ter níveis elevados de glicose no sangue pode gerar uma série de complicações como doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral (AVC), doença nos rins, problemas nos olhos, doenças dentárias, danos nos nervos e problemas nos pés. As informações são do Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais (NIDDK, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

E então, será que o diabético pode comer caqui?

Segundo o nutricionista e consultor da Diabetes UK (Associação Diabética Britânica), Douglas Twenefour, as frutas não devem ser excluídas da alimentação das pessoas que sofrem com diabetes porque, ao lado dos vegetais, elas diminuem os riscos de desenvolvimento de doenças como hipertensão, doenças no coração, AVC, obesidade e alguns tipos de câncer.

De acordo com Twenefour, “é ainda mais importante para as pessoas com diabetes comer mais frutas e vegetais, já que essas condições têm mais tendência de afetá-los”. O especialista ainda afirmou que as frutas não aumentam as taxas de glicose no sangue de uma maneira tão acentuada quanto outras comidas com carboidratos como pão branco e pão integral.

As frutas têm muitos benefícios para a saúde – elas contêm vitaminas, minerais, fibras que saciam e antioxidantes. As frutas podem ser benéficas para um plano de dieta para diabetes se consumidas com moderação. A chave para comer fruta é certificar-se de consumir os tipos certos nas porções apropriadas.

Mas isso não significa que o consumo de frutas na dieta do paciente com diabetes possa ser feito de qualquer maneira: a fruta é um carboidrato e carrega um açúcar natural conhecido pelo nome de frutose.

Os carboidratos do pão, do leite, do iogurte, das batatas ou das frutas são decompostos e se tornam açúcar ou glicose. Por essa razão é recomendado que as pessoas que têm diabetes monitorem quantos carboidratos elas consomem, incluindo as porções de frutas.

Além, disso, a Associação Americana de Diabetes adverte que os melhores tipos de frutas para quem tem a doença são as frescas e congeladas.

Segundo nutricionistas, as frutas ricas em fibras ou que podem ser consumidas com casca ajudam a diminuir a velocidade de absorção do o açúcar no sangue, mantendo a glicemia mais controlada.

Sobre o caqui em particular, ele faz parte do grupo de frutas que devem ser consumidas com moderação pelas pessoas com diabetes. Uma porção de 100 g do alimento possui 20,4 g de carboidratos.

Para evitar o aumento rápido da glicemia, uma boa dica é consumir as frutas juntamente com alimentos ricos em fibras, proteínas ou gorduras, ou na sobremesa das refeições principais, como o almoço ou o jantar.

Mais sobre a contagem de carboidratos na dieta do diabético

De acordo com a Associação Americana de Diabetes, a contagem de carboidratos é uma das diversas alternativas de dieta que podem ser empregadas para controlar os níveis de glicose no sangue dos diabéticos, utilizada com maior frequência por pessoas que tomam insulina duas vezes ou mais a cada dia.

O método consiste em contar a quantidade em gramas de carboidratos de cada refeição, combinando com a dose de insulina. Segundo a instituição, com o equilíbrio correto da prática de atividades físicas e do uso de insulina, essa dieta com contagem de carboidratos pode auxiliar a controlar as taxas de glicose no sangue.

Entretanto, a associação alertou que a quantidade de carboidratos que cada diabético pode consumir em cada refeição deve ser definida em conjunto com o médico responsável pelo tratamento. Ou seja, o limite é individualizado e determinado pelo profissional de saúde conforme as necessidades de cada paciente, que variam de pessoa para pessoa.

Ao saber o limite de carboidratos que pode ingerir por refeição, o diabético poderá usar essa informação como base para calcular a porção de caqui que pode comer por vez, sem deixar de levar em conta o teor de carboidratos do restante da refeição na hora de fazer esse cálculo.

Isso com moderação e cautela e sempre sob a orientação do médico e do nutricionista, que provavelmente darão recomendações não somente com base na quantidade de carboidratos do caqui, mas também no tipo de carboidrato encontrado na fruta.

É de suma importância o acompanhamento de diabéticos junto a um nutricionista, pois a partir do controle glicêmico podes-e prevenir doenças futuras associadas ao diabetes.

Até porque podem haver exceções à regra de não proibir frutas para quem tem diabetes: é possível que isso ocorra quando o paciente também apresenta algum tipo de complicação renal.

Lembre-se ainda de que este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir as recomendações profissionais e qualificadas do médico e do nutricionista.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Referências Adicionais:

Você já se perguntou se diabético pode comer caqui? Já foi diagnosticado com a condição? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário