Diabético Pode Comer Milho?

Especialista:
atualizado em 26/12/2019

A partir do momento que uma pessoa é diagnosticada com diabetes, ela provavelmente já sabe que precisará modificar os seus hábitos alimentares.

Isso porque o tratamento da doença é conhecido por incluir estratégias como a aplicação da insulina e a utilização de remédios, a prática de exercícios físicos e cuidados com a alimentação, de acordo com informações da Sociedade Brasileira de Diabetes.

Por exemplo, mais abaixo vamos analisar com cuidado se o diabético pode comer milho, que é rico em amido, um tipo de carboidrato.

A doença

Antes de procurar entender se o diabético pode comer milho, vamos conhecer melhor a condição, o que vai ser muito útil para entendermos melhor como o milho pode atuar na dieta de quem sofre com a doença.

Pois bem, a diabetes é definida como uma doença crônica em que o corpo não produz o hormônio insulina ou não consegue utilizar adequadamente a insulina que possui. Esse hormônio é responsável por controlar a quantidade de glicose no sangue e necessário ao corpo para que ele possa utilizar a glicose obtida por meio da alimentação como fonte de energia.

Em um quadro de diabetes, a glicose não é usada apropriadamente e o seu nível fica alto, causando uma hiperglicemia. Entre os sintomas da doença, encontram-se: muitas idas ao banheiro, principalmente no período noturno, sentir muita sede, ficar mais cansado do que o habitual, perder peso sem tentar, coceira ou candidíase genital, cortes e feridas que demoram mais tempo para serem curados e visão borrada.

Ao apresentar esses sintomas, é fundamental procurar o médico para descobrir se tem ou não a condição e dar início ao tratamento adequado. Até porque a doença pode provocar uma série de complicações quando não é tratada.

Por exemplo, a permanência do quadro de hiperglicemia por longos períodos pode causar danos a órgãos, vasos sanguíneos e nervos do organismo. Além disso, a diabetes pode trazer outras complicações como doença renal, danos nos nervos, má circulação, formigamento, dor, fraqueza e perda de sensibilidade nos pés e membros inferiores, pele seca, aparecimento de calos e problemas nos olhos.

Mas a lista não termina por aí, a doença também pode causar a pressão arterial alta, o aumento das chances de ter um acidente vascular cerebral (AVC), a síndrome hiperosmolar não cetótica (SHNC, caracterizada por hiperglicemia, extrema desidratação e alteração no nível de consciência) e gastroparesia (demora no esvaziamento do estômago).

Tendo em vista todos esses riscos, é fundamental seguir corretamente o tratamento prescrito pelo médico, não é mesmo? As informações são da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), da Associação Americana de Diabetes e do site Diabetes UK.

E então, o diabético pode comer milho?

O milho é rico em amido, um tipo de carboidrato que pode elevar rapidamente os níveis de açúcar no sangue.

De acordo com a nutricionista e mestra em nutrição Amy Long Carrera, ½ xícara de milho cozido ou ½ espiga de um milho grande contém 15 g de carboidratos.

Entretanto, Carrera afirmou que eles podem sim ser parte de uma dieta saudável quando consumidos em moderação. “Ainda que você tenha diabetes, o seu plano alimentar deve incluir porções pequenas de alimentos com carboidratos como frutas, cereais, iogurtes, grãos e vegetais ricos em amido”, completou a nutricionista.

Além disso, o milho é um alimento nutritivo que contém fibras, ferro, fósforo, magnésio, manganês, selênio, vitamina A, vitamina B1, vitamina B2, vitamina B3, vitamina B6 e vitamina B9 (folato/ácido fólico) em sua composição.

No mesmo sentido, ainda que os vegetais ricos em amido como o milho tragam mais carboidratos e elevem mais os níveis de açúcar no sangue do que os vegetais sem amido como brócolis e espinafre, eles não devem ser cortados da dieta justamente porque fornecem nutrientes adicionais.

Porém, a publicação enfatizou que esses vegetais ricos em amido precisam ser consumidos em porções adequadas dentro da dieta do diabético.

A contagem de carboidratos na dieta do diabético

Em seu artigo, a nutricionista Carrera afirmou que a maioria das pessoas com diabetes deve consumir entre 45 gramas a 60 gramas de carboidratos em cada refeição.

No entanto, como cada pessoa possui um organismo diferente e o seu próprio quadro de diabetes com suas características particulares, não podemos definir um limite na ingestão de carboidratos que deva ser obedecido por todos os diabéticos.

Portanto, ao ser diagnosticado com diabetes, o ideal é conversar com o médico e o nutricionista a respeito da montagem da nova dieta e verificar com os profissionais qual o limite de carboidratos que deve consumir por refeição e por dia.

Como consumir o milho na dieta para diabetes

Já vimos que dentro de determinados limites, o diabético pode comer milho, sim. Uma dica é consumir o milho ao lado de alimentos que sejam fontes de proteínas e gorduras para atenuar o efeito dos carboidratos do vegetal em relação aos níveis de açúcar no sangue.

Para caber adequadamente em uma dieta para diabéticos, a porção do milho por refeição deve ser limitada a ½ xícara de grãos de milho por refeição, no máximo.

Cuidados importantes

A primeira consulta com o nutricionista deve acontecer logo depois do diagnóstico da diabetes para que a ansiedade em relação à alimentação seja amenizada e possa ocorrer logo a melhora da glicemia.

A base da dieta para o diabético é a alimentação saudável, que considera todos os grupos de alimentos. Porém, o tratamento é individualizado e a quantidade de comida consumida varia de acordo com o caso de cada paciente.

Durante a consulta, o nutricionista faz entrevistas e exames para obter todas as informações necessárias para definir qual a melhor dieta para o paciente em questão. Além disso, ao longo do tratamento, o paciente pode conversar com o profissional para tirar todas as dúvidas que venha a ter em relação à sua dieta.

Ou seja, ainda que possamos ter uma noção se o diabético pode comer milho ou não, não somos capazes de determinar algo que funciona para todos os diabéticos porque cada quadro apresenta suas especificidades e necessidades.

Portanto, este artigo serve como informação, não como prescrição. Se você foi diagnosticado com a diabetes, é fundamental que siga todas as orientações do seu médico e nutricionista em relação ao tratamento, incluindo como o milho pode entrar na sua dieta, tendo em vista as características particulares do seu quadro.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar se diabético pode comer milho ou não? Possui essa condição? Tem costume de comer milho ou gosta muito deste vegetal? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (6 votos, média: 4,33 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário

6 comentários em “Diabético Pode Comer Milho?”

  1. Eu quero muito encontrar um(a) nutricionista, que me ajudasse a fazer uma diabética, montar meu cardápio. Já fui em 2 nutricionistas, mais acho que errei no profissional, 1 me fez comer 3 x mais, e acabei engordando, a outra me disse para tomar alguns sucos que me davam dor de barriga!!! Mesmo eu argumentando que como pouquinho, ninguém acredita! Estou bem perdida!!! E o Açucar não baixa, não como doces… hoje estava 124, tomo glifage 500 2x ao dia, não baixa mais do que isso….Se alguém puder me indicar, um profissional de nutrição que realmente me ajude. ficarei grata.

  2. Eu não sabia, e nunca tinha ouvido falar, se diabéticos podem ou não comer milho.
    O Pior é que achei que podia, comprei 6 espigas, e já cozinhei 3. Morrendo de vontade!!