Diabético pode comer cuscuz?

Especialista da área:
atualizado em 18/09/2021

O cuscuz é uma receita típica da culinária da região nordeste do nosso país. A sua receita básica é preparada a partir de uma mistura de farinha de milho, fubá ou flocos de milho pré-cozidos, água e sal, em um aparelho chamado de cuscuzeira.

  Continua Depois da Publicidade  

O cuscuz de milho é um alimento rico em vitamina A, nutriente que faz bem para a saúde da pele e da visão. É ainda uma importante fonte de vitamina do complexo B, como o ácido fólico (vitamina B9) que é fundamental para a saúde, especialmente na gestação, e é abundante em fibras, que contribuem com a saciedade do organismo,

Apesar de ser um alimento rico em glúten e carboidratos, o cuscuz não possui alto teor de sódio, gorduras saturadas e colesterol. Além disso, contém baixa quantidade de calorias e pode ser adicionado às dietas, desde que consumido com moderação.

Mas será que é todo mundo que pode saborear este alimento? Será que o diabético pode comer cuscuz? Veja então a maneira ideal de se consumir esse tipo de carboidrato sem que ele afete a sua saúde e aproveite também para conhecer os melhores alimentos para serem consumidos pelos diabéticos.

cuscuz

Fibras e proteínas

Um dos pontos a favor do cuscuz na dieta de quem tem diabetes é o fato dele ter fibras e proteínas. Mesmo ele não sendo rico nesses nutrientes, a simples presença destes componentes contribui para baixar o índice glicêmico das refeições. A fibra é um nutriente limita a absorção de glicose por parte do organismo, o que contribui com o controle dos níveis de açúcar no sangue.

Uma porção de 100 g de cuscuz cozido tem 25 g de carboidratos, 2 g de fibras e 2,16 g de proteínas. Em comparação, 100 g de arroz branco cozido tem 28 g de carboidratos, 0,2 g de fibras e 2,5 g de proteínas.

A contagem de carboidratos

A contagem de carboidratos é parte relevante da dieta dos diabéticos porque este nutriente é constituído por blocos de moléculas de açúcar, que após sua digestão, são convertidos em moléculas menores que serão utilizadas como fonte de energia.

  Continua Depois da Publicidade  

Não podemos definir uma quantidade ideal de carboidratos a ser consumida por refeição ou diariamente na dieta dos diabéticos, pois a taxa ideal varia de pessoa para pessoa. De acordo com informações da Associação Americana de Diabetes, cada organismo responde de maneira diferente em relação à alteração dos níveis de glicose no sangue ao entrar em contato com determinado alimento.

Portanto, ao ser diagnosticado com diabetes, o ideal é conversar com o médico e o nutricionista a respeito da montagem da nova dieta, e verificar com estes profissionais qual o limite de carboidratos que se deve consumir por refeição.

Índice glicêmico do cuscuz

O índice glicêmico (IG) está relacionado à velocidade com que a glicose presente em um alimento se torna disponível na corrente sanguínea. E quanto maior o IG mais rapidamente isso acontece, o que provoca aumentos súbitos e imediatos de glicose no organismo.

O índice glicêmico do cuscuz é 65. Alimentos com um IG de 56 a 69 são alimentos glicêmicos médios. Alimentos com baixo índice glicêmico têm um valor igual ou menor que 55. Alimentos com alto índice glicêmico (70 e acima) podem aumentar o nível de açúcar no sangue rapidamente.

Portanto, mesmo o cuscuz possuindo inúmeros nutrientes que auxiliam no funcionamento do organismo e do metabolismo, é importante não exagerar no seu consumo, uma vez os derivados do milho (como a farinha de milho, o fubá e os flocos de milho) devem ser ingeridos com moderação pelos diabéticos.

Mais informações sobre a diabetes 

diabtes

A diabetes é uma condição de saúde caracterizada pelo descontrole dos níveis de açúcar no sangue. O quadro da doença é desenvolvido quando o organismo não é capaz de produzir insulina ou não consegue utilizar de maneira adequada o hormônio que a produz (resistência à insulina). A insulina trabalha justamente no controle da quantidade de glicose encontrada no sangue.

  Continua Depois da Publicidade  

Uma vez que o paciente é diagnosticado com a diabetes, ele precisa seguir um tratamento para controlar suas taxas de glicose no sangue ou poderá sofrer danos em seu sistema nervoso, órgãos e vasos sanguíneos.

Parte da estratégia utilizada no tratamento é a transformação dos hábitos alimentares em uma dieta que favoreça o controle das taxas de açúcar no sangue.

Entre os sintomas da diabetes, encontram-se, a sede e fome excessiva, infecções frequentes nos rins, na pele e na bexiga, demora na cicatrização de feridas, alterações na visão, formigamento nos pés, furúnculos, vontade frequente de urinar, emagrecimento, fraqueza, fadiga, nervosismo, mudanças de humor, náuseas e vômito.

Quem já experimentou um ou mais dos sinais listados acima, deve buscar ajuda médica para verificar se possui ou não a doença. E uma vez que a diabetes for diagnosticada, é fundamental seguir corretamente o tratamento recomendado pelo médico para não sofrer com nenhum tipo de complicação.

Além da mudança na alimentação, o tratamento indicado para a doença pode incluir a prática de atividades físicas, a checagem da glicemia, a aplicação de insulina, o uso de medicamentos, o cuidado com a saúde bucal, o controle do estresse, a eliminação do cigarro e a diminuição do consumo de bebidas alcoólicas.

  Continua Depois da Publicidade  

Vídeos

Tabela nutricional completa do cuscuz

Veja abaixo a tabela nutricional completa por 100 g de cuscuz de milho, cozido, com sal.

Cuscuz de milhoPor 100 g
Calorias112 kcal
Carboidrato25,3 g
Proteína2,16 g
Gorduras0,68 g
Gorduras saturados0,20 g
Gorduras monoinsaturados0,20 g
Gorduras polinsaturados0,30 g
Gorduras transNA
Fibra alimentar2,05 g
ColesterolNA
Cálcio1,54 mg
Ferro0,17 mg
Sódio247 mg
Magnésio2,72 mg
Fósforo23,2 mg
Potássio10,9 mg
Zinco0,20 mg
Selênio1,18 mcg
Vitamina A (RE)9,22 mcg
Vitamina A (RAE)4,61 mcg
Alfa-tocoferol (Vitamina E)0,07 mg
Vitamina B60,06 mg
Equivalente de folato65,7 mcg
Fonte: Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO)

Você já ouviu falar que o diabético pode comer cuscuz? Já foi diagnosticado com a condição e precisou mudar hábitos alimentares? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (28 votos, média 4,07)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário

19 comentários em “Diabético pode comer cuscuz?”

  1. Ja tenho quase 9 anos que sou diabetico e nunca tive uma orientação adequada de um profissional na área da diabetes… me ajude por favor…

    Responder
  2. Fui pré diabético até 2006 sou diabético desde 2012 como de tudo tomo cervejas duas ou três vezes por semana, a única coisa que me incomoda é meu nervo ciático

    Responder
  3. Sou pré diabético faço atividade física,corrida e malhação. Faço uso de metformina 500. Evito doces e como alimentos integrais e passarei a comer cuscuz. Minha taxa varia entre 100 e 105 e a glicemica 5,7.

    Responder
  4. Não sou diabetica .O médico disse que meus exames estão no limite. E devido a isso tem mais de anos que suspendi doces, derivados de farinha de trigo, arroz, refrigerantes e não bebo e não fumo e estou com os sintomas citado acima relacionados a diabéticos.

    Responder
  5. Como JÁ tinha dito descobrir pouco tempo a diabetes não está sendo fácil lidar…comia de tudo bebia agora não posso…a minha diabetes está quase 300 fazer dieta e exercício…e acreditar que vou ficar boa.

    Responder
  6. Força de vontade para manter o hábito alimentar, sem açúcar e trigo, e fazer caminhadas ou execícios. Você, e ninguém mais, vai conseguir.

    Responder
  7. Sou diabética há seis anos ,tomo glifage 500 mg cinco comprimidos por dia ,glicazida 60 mg dois por dia.
    Não estou conseguindo tomar o glifage por ser muito grande, minha garganta está machucada . Não sei o q fazer .

    Responder
    • ana paula procure o link os videos do DR.ROCHA ele tem videos e livros com receitas e ja muitos deixaram de tomar remedios e vivem na dieta muito boa dele para começar ele adota pela manha omelete com fibras (linhaça , salsa , cebola, chia , etc eu faço para meu marido regue com azeite de oliva extra vigem e toda alimentaçao eu suo oleo de coco ele toma um glifage por dia ainda nao fomos ao endocrinologista ja fomos a nutricionista ela passou a dieta dele em todos horarios e tb os lanches ach oque voce precisa de se cuidar mais ir ao endocrino , nutricionista procure na internet DR ROCHA ,tem tb Lair ribeiro ensina muito e Dr Daylan SIEBRA OK BOA SORTE

      Responder
  8. Sou diabética tomo oremédio Glifage XR 850, Essa semana tive um pico de glicose foi à 359 fui para as pressas no hospital me aplicaram Insulina e soro por vomitei.muito e com diarréia.Agora até passar para o Endócrinologista para mudar o remédio pra Insulina mudei totalmente a minha alimentação até passar pelo médico.Tirei todos os carbonatos, doces, refrigerantes, fritutase em fim o açúcar e o que se torna açúcar no sangue da minha vida!!

    Responder