Do Que é Feita a Salsicha – Composição, Ingredientes e Cuidados

Especialista:
atualizado em 29/01/2020

Apesar de todos sabermos que a salsicha é um alimento democrático, nem todos sabem ao certo do que é feita a salsicha. Abaixo, você irá conhecer a composição, quais são os ingredientes e quais os cuidados que se deve ter ao consumi-la, sabendo que ela não é tão saudável.

O preço acessível, a facilidade do manuseio e o preparo rápido faz com que inúmeras pessoas recorram à salsicha na hora de preparar suas receitas, garantindo uma boa adesão nas mais diversas regiões, mesmo tenho conhecimento de que ela é um dos piores alimentos para a saúde.

Embora muitas pessoas consumam esse embutido frequentemente, sua composição continua sendo uma incógnita para muitos.

Carne suína, bovina e de frango é a matéria-prima do alimento que é utilizado como recheio do tradicional cachorro quente. No entanto, o que entra na fabricação não são os cortes privilegiados. Continue lendo e saiba do que é feita a salsicha.

Aproveite também para conhecer algumas receitas de cachorro quente light e de cachorro quente Dukan.

Do que é feita a salsicha?

A iguaria é um embutido (carne processada) criado para aproveitar as sobras de carnes e os pedaços menos apreciados. Os ingredientes que a compõem, no entanto, dependerão da variedade.

As salsichas de carne bovina e suína podem conter restos de cortes tradicionais e outros pedaços que, normalmente, não são consumidos, como bochechas, língua e vísceras.

De acordo com a lei brasileira, até mesmo carne de cabeça, estômago, rins, tendões, gorduras, coração e miolos podem incorporar a receita desse embutido.

O mesmo ocorre na fabricação de salsichas de frango. As partes comestíveis menos privilegiadas do animal são misturadas à receita para formar a salsicha.

No entanto, muitas pessoas acreditam que a fabricação desse alimento é algo feito sem higiene ou fiscalização. Hoje em dia quase não há contato humano durante o processo, já que ele é quase inteiramente automatizado, desde a seleção dos cortes, à mistura e cozimento, assegurando um processo mais limpo do que se imagina.

Uma forma de conhecer os demais ingredientes do que é feita a salsicha é lendo os rótulos presentes nas embalagens. Isso é possível de ser feito quando o produto não é comprado a peso.

Nos rótulos, há a lista de ingredientes de maneira decrescente. Isso quer dizer que os primeiros ingredientes posicionados na lista são os que estão em maior quantidade na mistura.

Como é feita a fabricação da salsicha?

A preparação da salsicha passa por diversas etapas, ainda que de forma automatizada.

A primeira etapa consiste no pré-cozimento das aparas, que ajudará a separar tecidos conjuntivos de gorduras, músculos e vísceras.

Em seguida, é feito o corte de pedaços previamente congelados. Esses cortes são transformados em pequenos pedaços que, após passar pelo cutter, uma máquina que transforma esses retalhos em uma espécie de farelo, recebem adição de sal, conservantes, temperos e amido de milho, para dar consistência à mistura.

Esse procedimento resulta em um produto feito metade de carne, e metade de outros ingredientes.

Quando essa mistura sai do maquinário, inicia-se o processo de embutimento. A pasta é inserida dentro das tripas. Após serem fechadas, elas cozinham em uma estufa, por cerca de meia hora.

Após esse processo, elas são resfriadas com o auxílio de uma ducha de água gelada, ajudando a eliminar os possíveis micro-organismos que possam estar na mistura.

A embalagem a vácuo assegura um período de validade maior ao embutido.

Quais são os efeitos da salsicha na alimentação?

A salsicha é alimento muito artificial, com apenas 50% de carne em sua composição.

Para elencar os prós e contras do consumo desse embutido, é preciso considerar que se trata de algo rico em gordura saturada, sódio, conservantes e colesterol. Todos esses elementos são prejudiciais à saúde. No entanto, o consumo ocasional pode não representar grandes danos à saúde.

Sylvie Tremblay, mestre em biologia molecular e celular no Canadá, aponta que as salsichas são alimentos utilizados como fonte de proteína, vitamina B12 e ferro.

Ainda segundo Tremblay, o embutido fornece os nove aminoácidos necessários em uma dieta. Mas a entusiasta também pondera e endossa a orientação de limitar o consumo, devido à alta presença de gordura saturada.

Esse tipo de gordura é responsável por elevar os níveis do colesterol ruim no organismo, sendo um potencial risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Já o alto teor de sódio pode ser um fator preocupante para quem é hipertenso, pois eleva a pressão arterial. Veja em mais detalhes como e por que salsicha faz mal à saúde.

Qual a variedade de salsicha mais saudável?

É possível encontrar no mercado brasileiro salsichas feitas de aparas de carne bovina, suína e de frango.

As versões feitas com carne de ave são as menos prejudiciais, pois o índice de gordura saturada é menor em relação às outras opções.

No entanto, pessoas hipertensas ou com triglicerídeos altos devem restringir o consumo do alimento, mesmo as variedades feitas a partir da carne de frango.

Efeitos de carnes embutidas no organismo

O preparo de carnes embutidas inclui a adição de aparas de carnes bovinas, suínas e de aves a outros ingredientes como amido, conservantes, sódio e temperos. Essa mistura nada nobre, que pode ser saborosa para muitos, também pode ser prejudicial à saúde, principalmente quando o consumo é irrestrito e frequente.

Em um estudo feito pelo National Health and Nutrition Examination Survey, identificou-se a relação do consumo de carnes embutidas com a epidemia de hipertensão. Além disso, o consumo frequente de salsicha e carnes embutidas pode estar associado ao surgimento de complicações pulmonares e câncer de estômago e intestino.

– Nitrito

O nitrito é o principal conservante utilizado em carnes embutidas como a salsicha.

David Paik, professor de medicina na universidade de Columbia, nos Estados Unidos, afirma que os efeitos dessa substância no organismo, quando age em conjunto com colágeno ou elastina, podem causar enrijecimento arterial. Esse, por sua vez, representa um marcador de hipertensão.

Os compostos N-nitroso são substâncias potencialmente causadoras de câncer que são formadas a partir de nitrito de sódio que é adicionado às carnes embutidas.

Utiliza-se esse ingrediente para preservar a cor avermelhada das carnes como salsicha, presunto, mortadela, dentre outras; para aprimorar o sabor, evitando a rancidificação – oxidação da gordura; e para impedir a proliferação de bactérias, que também ajuda a melhorar o sabor do alimento.

No entanto, o nitrito na carne processada pode se transformar em compostos nocivos de N-nitroso, como as nitrosaminas, que são formadas quando os produtos à base de carne processados ​​são expostos a altas temperaturas, como ao grelhar as salsichas.

Estudos em animais indicam que as nitrosaminas podem desempenhar um papel importante na formação do câncer de intestino.

– Cloreto de sódio

As salsichas, assim como as demais carnes embutidas, são ricas em cloreto de sódio – o sal de mesa que consumimos em casa para temperar alimentos. Há milhares de anos esse ingrediente é utilizado para conservar comidas.

Consumir grandes porções de sódio diariamente é prejudicial à saúde de qualquer pessoa, mas é especialmente mais perigoso para as pessoas hipertensas, pois além de elevar a pressão arterial, contribui para o desencadeamento de doenças cardiovasculares.

Além disso, diversos estudos de caso vêm indicando a relação que há entre dietas ricas em sal e ao surgimento de câncer de estômago. Isso pode ser endossado por estudos que mostram que esse tipo de dieta pode aumentar o crescimento de Helicobacter pylori, uma bactéria que causa úlceras estomacais, sendo, portanto, um fator de risco para a doença cancerígena.

Esses são apenas alguns dos ingredientes utilizados na fabricação do alimento, mas que podem representar risco à saúde quando são consumidos em excesso.

Cuidados ao consumir salsicha

Como pôde ser percebido, embora esse seja um alimento que tenha caído no gosto dos brasileiros e de pessoas de outras nacionalidades, em termos nutricionais, a salsicha é super pobre.

No entanto, como se trata de um alimento fácil de preparar e com um bom custo-benefício, muitas pessoas não querem deixar de consumi-lo.

Dessa maneira, além de saber do que é feita a salsicha, um dos principais cuidados que se deve ter ao consumir esse tipo de alimento – e os demais embutidos – é recorrer às marcas conhecidas e que são submetidas a rigorosos processos de higienização, como a Anvisa exige.

Além disso, é importante limitar o consumo para que não haja excesso de substâncias nocivas no organismo. Isso é especialmente importante para as pessoas hipertensas ou com problemas cardiovasculares.

Vídeo:

Gostou das dicas?

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia do que é feita a salsicha? Consome com frequência? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário