O Que São Carnes Processadas e Quais os Riscos de Consumi-las

Especialista:
atualizado em 27/12/2019

As carnes processadas estão presentes na mesa de muitos brasileiros, mas vários estudos realizados ao longo dos anos ligaram um maior consumo deste tipo de alimento a problemas de saúde. Por isso, é muito importante saber o que são as carnes processadas para poder evitar o seu consumo e assim manter uma vida mais saudável.

Uma carne processada é um alimento que foi modificado para ter um prazo de validade maior ou para alterar o seu sabor. Os principais métodos de produção são: curar, defumar ou adicionar sal, açúcar, conservantes e/ou gorduras. Saiba mais em detalhes o que são esses processos aqui.

Há vários tipos de carnes processadas presentes no mercado, e muitas pessoas as consomem sem ter o conhecimento do quão mal elas podem fazer. Veja agora uma lista das mais populares:

  • Charque;
  • Carne enlatada;
  • Linguiça calabresa;
  • Bacon;
  • Carne defumada;
  • Salsicha;
  • Hambúrgueres processados;
  • Embutidos (mortadela, salame, presunto, peito de peru e peito de frango);
  • Carne enlatada;
  • Nuggets.

Consumo de carne processada está associado a um estilo de vida pouco saudável

De acordo com novas pesquisas, esse tipo de carne tem sido associado a vários problemas de saúde, incluindo o câncer. Vários estudos que foram realizados ao longo dos anos ligaram o maior consumo deste alimento a problemas de saúde.

Há muito tempo, várias pessoas já sabem do mal para a saúde que o consumo excessivo deste alimento causa, e por isso, ele é mais comum entre as pessoas com hábitos de vida pouco saudáveis.

É possível que os elos encontrados entre doenças e as carnes processadas existam em parte porque as pessoas que as consomem tendem a fazer outras coisas que não estão associadas a uma vida saudável. Por exemplo, é mais comum que pessoas que fumam consumam maiores quantidades deste alimento.

A maioria dos estudos observacionais sobre carne processada e resultados de saúde tentam corrigir esses fatores, no entanto, os estudos encontraram consistentemente fortes ligações entre o consumo de carne processada com várias doenças crônicas.

Ligação entre carne processada e doenças crônicas

Os estudos sobre o consumo de carnes processadas em pessoas são todos de natureza observacional, e embora eles não possam provar que este alimento as causou, eles mostram que as pessoas que comem carne processada são mais propensas a ter algumas doenças como:

  • Câncer de estômago, próstata, pâncreas, intestino, mama e colorretal;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica;
  • Hipertensão arterial (pressão alta);
  • Doença cardíaca.

Mesmo assim, as evidências são convincentes, já que há fortes e consistentes ligações e todos os resultados são apoiados por estudos realizados em animais. Por exemplo, estudos em ratos mostraram que comer carne processada aumenta o risco de câncer de intestino.

De acordo com um estudo do National Institutes of Health, as pessoas que consomem mais carnes processadas têm um aumento de morte por doença cardiovascular. Um estudo publicado no JAMA – The Journal of the American Medical Association, constatou que, no ano do estudo, o consumo de carne processada estava ligado a 57.766 mortes por doenças cardiometabólicas.

O que não há dúvida é que as carnes processadas contêm compostos químicos nocivos que podem aumentar o risco de doenças crônicas.

Carne processada x câncer

Pesquisas atuais mostram que existem certas substâncias químicas presentes nas carnes vermelhas e processadas que tornam esses alimentos cancerígenos.

Por exemplo, quando uma substância química chamada heme que está presente na carne vermelha é quebrada no intestino, substâncias químicas N-nitroso são formadas.  Pesquisas revelaram que essa substância danifica as células que revestem o intestino, o que pode levar ao câncer de intestino. Esses mesmos produtos químicos também se formam quando a carne processada é digerida.

Além disso, os conservantes de nitrito e nitrato usados para preservar a carne processada produzem esses produtos químicos N-nitroso e podem levar ao câncer de intestino.

A carne defumada, que também é um tipo de carne processada, leva à formação de várias substâncias que são potencialmente nocivas, como os hidrocarbonetos aromáticos policíclicos ou HAPs, uma grande classe de substâncias que são formadas quando a matéria orgânica é queimada, e numerosos estudos realizados em animais mostram que alguns HAPs podem causar câncer.

Esses alimentos geralmente também são ricos em cloreto de sódio, que também é conhecido como sal de cozinha ou sal de mesa. E, embora eles estejam longe de serem os únicos alimentos com um alto teor de sal, para muitas pessoas, contribuem significativamente para o aumento do consumo de cloreto de sódio, podendo desempenhar um papel importante na hipertensão e doenças cardíacas, especialmente para as pessoas com uma condição chamada de hipertensão sensível ao sal.

Vários estudos observacionais ainda indicam que dietas ricas em sal podem aumentar o risco de câncer de estômago.

Isso acontece porque uma dieta com alto teor de sal pode aumentar o crescimento de Helicobacter pylori, também conhecida como H. pylori, uma bactéria que causa úlceras estomacais, que são um importante fator de risco para o câncer de estômago.

Quando carnes ou peixes são cozidos sob alta temperatura, como quando são grelhados ou fritos, formam-se as aminas heterocíclicas (AHC), que podem ser encontradas em quantidades maiores nas salsichas, bacon frito e hambúrgueres de carne. Numerosos estudos indicam que a ingestão de carne muito bem passada pode aumentar o risco de câncer no cólon, próstata e mama. O nível de AHCs pode ser minimizado usando métodos de cozimento suaves, como grelhar em fogo baixo ou cozinhar no vapor.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) determinou que estas carnes processadas são alguns dos principais contribuintes para o câncer colorretal, classificando-os como cancerígeno para os humanos. Apenas uma salsicha ou algumas tiras de bacon consumidas diariamente aumentam o risco de câncer em 18%. O Fundo Mundial para Pesquisa do Câncer (WCRF) e o Instituto Americano para Pesquisa do Câncer (AICR) também descobriram que “as evidências sobre carnes processadas e câncer são claras”.

Comer 50 gramas de carne processada diariamente também aumenta o risco de câncer de próstata, pâncreas e mortalidade geral por câncer. Um estudo realizado com mais de 200.000 mulheres descobriu que comer cerca de 20 gramas deste alimento por dia, o que é menos da metade de uma salsicha comum, aumenta em 21% o risco de câncer de mama.

Recomendações

A Organização Mundial da Saúde recomenda que, para reduzir o risco de câncer, as pessoas devem consumir carnes processadas de forma moderada. Algumas orientações dietéticas também recomendam limitar o consumo de carne vermelha, mas estas são mais focadas principalmente na redução de ingestão de gordura e sódio, que são fatores de risco para doenças cardiovasculares e obesidade.

Veja aqui se comer carne vermelha faz mal à saúde.

Para reduzir o risco de câncer, o Cancer Council da Austrália, recomenda não consumir nada de carne processada, mas o ideal é conversar com o seu médico sobre os riscos deste alimento para a sua saúde ou com um nutricionista para que ele possa indicar qual a melhor dieta para você.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já sabia o que são carnes processadas? Tem o costume de consumi-las com frequência e pretende agora mudar a sua alimentação? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário