É Possível Comer Fora Com Segurança Durante a Pandemia de COVID-19?

Especialista:
atualizado em 08/06/2020

Embora os números nacionais da pandemia do novo coronavírus ainda sejam bastante altos, a quarentena começou a ser flexibilizada em diversos lugares no Brasil.

Assim, com a permissão de restaurantes, lanchonetes e cafés para receber os clientes em seus salões, a pergunta que pode surgir é: será que é possível comer fora com segurança durante a pandemia? A preocupação é bastante válida, uma vez que um teste mostrou como um vírus pode se espalhar rapidamente em um restaurante.

A atividade não é livre de risco

Para que possam funcionar, os restaurantes, lanchonetes, cafés e outros estabelecimentos que vendem e servem comida devem se adaptar e aderir a medidas de prevenção contra a propagação do novo coronavírus.

Isso inclui, por exemplo, ter um ambiente com boa ventilação, dispor menos mesas e cadeiras no salão e deixá-las bem separadas a uma distância de dois metros umas das outras, encher o ambiente de álcool em gel, disponibilizar máscaras faciais para os funcionários e impedir que clientes sem máscaras entrem no local, aderir aos cardápios descartáveis e não servir os pratos no balcão, apenas nas mesas.

Alguns estabelecimentos também adotaram o uso de utensílios descartáveis e pagamento sem contato, além de terem passado a checar a temperatura de seus funcionários e clientes.

Ainda que tudo isso possa atrapalhar o contágio, é importante ter em mente que as medidas não tornam o ato de sair para comer fora uma atividade 100% livre do risco de contágio pelo novo coronavírus.

Segundo a professora assistente de epidemiologia da Universidade de Boston nos Estados Unidos, Eleanor Murray, não há uma maneira de tornar o ato de comer fora uma experiência completamente livre de riscos.

Murray elencou os fatores associados ao risco de transmissão da COVID-19 em um restaurante que devem ser levados em consideração: “Quanto tempo você passa perto de outras pessoas, quão perto você está delas, se você está em um espaço fechado, em um (espaço) mais ventilado ou em um espaço exterior, quão fisicamente lotado está e quanto dessa aglomeração é com pessoas com que você tipicamente não tem contato. Potencialmente, os restaurantes atingem o pior lado dessas coisas”.

Além disso, o diretor do departamento de medicina de emergência da Universidade Atlântica da Flórida nos Estados Unidos, Patrick Hughes, apontou que é muito fácil para as gotículas com germes se espalharem entre as pessoas que compartilham uma refeição na mesma mesa.

A decisão depende do contexto

Para quem mora em uma região onde o problema com o novo coronavírus está intenso, a professora de epidemiologia alerta que sair para comer pode não ser uma decisão sábia. Mas como saber se esse é o caso da minha cidade? Murray indica olhar para a trajetória dos casos nas últimas duas semanas.

“A contagem de casos de hoje vai contar quantas pessoas foram testadas, mas não (mostra) necessariamente todos que estão infecciosos agora porque as pessoas podem ficar infecciosas talvez por até duas semanas antes de desenvolver sintomas. Você quer pensar sobre (se) os casos estão caindo na sua área? Eles estão chegando a um ponto em que estão baixos e é razoável estar em um cenário um pouco mais lotado do que você estava em março e abril?”, argumentou a professora de epidemiologia.

Avalie o seu grau de risco

Antes de tomar a decisão de comer fora ou não, além de pensar sobre o nível do risco de transmissão presente no estabelecimento é necessário avaliar o próprio grau de risco que você já possui, como fazer parte de um grupo de risco associado à COVID-19, que inclui ser idoso ou doente crônico, ou morar com alguém que faz parte do grupo de risco.

Vale lembrar que além de ser idoso ou doente crônico, existem outros fatores que aumentam os riscos em relação ao novo coronavírus: estar acima do peso, ser fumante ou ter o hábito de consumir bebidas alcoólicas.

O fato de uma pessoa ser do grupo de risco ou morar com alguém do grupo de risco e trabalhar fora já expõe ela e sua família ao perigo do novo coronavírus, portanto, acrescentar um perigo extra ao sair para comer fora provavelmente não vale a pena.

Dicas para quem achar que vale a pena correr o risco

Se depois de fazer essa análise, você tomar a decisão de sair para comer fora, fique atento às dicas de segurança para ter alguma proteção contra a contaminação pelo novo coronavírus. Mas saiba que é muito mais inteligente escolher pedir comida em casa, sabendo como desinfetar embalagens de alimentos que chegam por delivery.

A primeira dessas dicas é escolher um estabelecimento de confiança para fazer a sua refeição, que você saiba que está se esforçando para obedecer todas as regras e cuidados de prevenção para dar segurança aos clientes, inclusive indo além do que as autoridades exigem. Em outras palavras, o local deve ter dominado as estratégias de higiene para impedir a propagação do novo coronavírus e outros germes.

O especialista em doenças infecciosas e cofundador da Rede Global de Doenças Infecciosas e Epidemiologia (GIDEON, sigla em inglês) Stephen Berger alertou que é realmente importante escolher um estabelecimento que esteja comprometido com as medidas de higiene e prevenção contra a COVID-19 porque é impossível que em um momento ou outro não haja algum tipo de contato entre você e o funcionário que te atende.

Esses pontos de contato se dão quando o garçom pega o seu pedido, informa sobre os pratos especiais ou entrega a sua comida, exemplificou o cofundador da GIDEON. “Eles não podem levar a sua comida sem encostar no seu prato. É por isso que você vai querer procurar restaurantes realmente comprometidos com o controle da infecção e que deem licenças médicas aos seus empregados, que modo que eles não trabalhem doentes”, ressaltou Berger.

Outra dica que vale a pena seguir é a de optar por comer ao ar livre na área exterior de um estabelecimento, onde as mesas fiquem separados por aproximadamente dois metros ou mais, aconselhou Murray. Melhor se a distância entre uma mesa e outra for maior que dois metros, porque se a pessoa da mesa da frente recostar bem atrás na cadeira onde está sentada, o espaço entre você e ela será diminuído.

Berger enfatizou a importância de escolher um estabelecimento que respeite a regra do distanciamento de dois metros e afirmou que um espaço grande, aberto e ventilado é preferível. Um estudo apontou que pode haver risco de transmissão do novo coronavírus pelo ar em locais com má ventilação.

“Antes de sentar e pedir pelo cardápio, confirme se a equipe do restaurante está usando máscaras e se essas máscaras cobrem os seus narizes e bocas”, acrescentou o especialista em doenças infecciosas. Outro ponto importante a se observar os escolher um local para comer fora é se os funcionários conseguem lavar as mãos com frequência.

Murray advertiu que o contato com outras pessoas e o contato com áreas onde muitas pessoas passam como o banheiro também representam riscos de infecção. Portanto, é melhor não usar o banheiro do estabelecimento ao comer fora. A professora de epidemiologia aconselhou ainda a limitar o tempo que fica dentro do restaurante.

“Se você está no mercado e passa por alguém no corredor, o risco não é tão alto quanto se você estiver sentando em um restaurante por uma, duas, três horas ou por quanto tempo você estiver jantando sem a máscara. O principal mecanismo pelo qual o novo coronavírus se espalha é pelas gotículas respiratórias e pessoas jantando em um restaurante não são capazes de controlar (isso)”, avisou Hughes.

Embora não seja possível usar a máscara ao comer, você pode usá-la do caminho de casa até o restaurante, tendo o cuidado de não encostar nela sem lavar muito bem as mãos depois de ter tocado em algum objeto.

Após tirar a máscara, Murray orienta a guardá-la em um saquinho plástico bem limpinho, desinfetar as mãos e começar a comer. Antes de colocar a máscara reserva, as mãos deverão ser muito bem desinfetadas novamente. Saiba mais sobre como usar corretamente uma máscara facial contra o novo coronavírus.

Já o diretor do departamento de medicina de emergência da Universidade Atlântica da Flórida também lembrou da importância de lavar as mãos com frequência (ou passar álcool em gel) enquanto estiver comendo fora e de não tocar os olhos, nariz ou boca com as mãos.

Fontes e Referências Adicionais:

Você está seguindo a quarentena e evita sair para comer fora em restaurantes? Pretende continuar dessa forma ou vai ceder à flexibilização? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário