Grávida pode beber energético?

Especialista da área:
atualizado em 29/10/2021

O energético é uma bebida que promete aumentar o foco, disposição e estado de alerta. Porém, existem riscos associados ao consumo de bebidas desse tipo durante a gravidez.

  Continua Depois da Publicidade  

Apesar de consumir bebidas energéticas eventualmente durante a gravidez não fazer mal, o ideal mesmo é evitar a ingestão de energéticos nesse período. Para ter uma ideia, os próprios fabricantes dessas bebidas não recomendam o consumo de seus produtos por mulheres grávidas ou lactantes.

Na gestação, o feto recebe todos os nutrientes ingeridos através da placenta e isso inclui os componentes do energético que pode conter cafeína, açúcar, sódio e outros ingredientes que precisam ser ingeridos com cautela durante a gestação devido ao risco de crescimento inadequado do feto, parto prematuro e até mesmo o aborto espontâneo

Quais são os riscos de tomar energético na gravidez?

energético

Por causa dos riscos que o bebê poderia sofrer, não existem pesquisas em humanos sobre o efeito dos energéticos em gestantes. Mas um estudo publicado em 2018 na revista Biomedicine & Pharmacotherapy feito com camundongos grávidas mostrou que os camundongos recém-nascidos apresentaram estresse oxidativo, lesão nos tecidos e alterações comportamentais como a ansiedade.

De acordo com uma pesquisa publicada na revista científica Advances in Nutrition em 2016, as bebidas energéticas podem aumentar a pressão arterial e acelerar o batimento cardíaco da mulher, e essas consequências podem afetar o bebê.

Muita cafeína

Tais efeitos negativos podem estar relacionados à mistura de ingredientes ou ao excesso de cafeína nessas bebidas. Uma lata de 250 mL de energético pode conter 80 mg ou mais de cafeína.

Além disso, por se tratar de uma substância estimulante, ela pode causar irritabilidade, nervosismo e insônia. Vale lembrar que muita cafeína pode causar cansaço e dores de cabeça. Existe também um receio sobre a relação entre o excesso de cafeína e o aumento do risco de aborto ou de má formação do feto.

  Continua Depois da Publicidade  

Por todos esses motivos, é melhor limitar a cafeína na gravidez. De acordo com orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), as mulheres grávidas ou que estão amamentando devem ingerir no máximo 200 mg de cafeína por dia.

xícara de café

Açúcar

Mas o problema não é só a cafeína. A maioria dos energéticos apresenta açúcar em sua composição e essa substância em excesso pode prejudicar a saúde da mulher e do bebê.

Os altos níveis de açúcar em algumas bebidas energéticas podem aumentar a liberação de insulina e de glicose no sangue. A princípio, isso dá uma injeção de ânimo no organismo, mas pouco tempo depois ocorre a queda brusca nos níveis de glicose, o que pode gerar cansaço e falta de energia.

Muito açúcar na dieta também pode aumentar o risco de diabetes gestacional e causar ganho de peso. 

Sódio e outros ingredientes

O sódio presente nos energéticos pode contribuir para o surgimento de complicações na gravidez, incluindo a hipertensão e a arritmia cardíaca.

Além disso, podem existir ingredientes adicionais como adoçantes sintéticos ou extratos de ervas como ginkgo biloba e ginseng que também não são ideais para mulheres grávidas devido à falta de estudos sobre a segurança e o efeito desses compostos no organismo da gestante.

  Continua Depois da Publicidade  

Devo beber energético na gravidez?

gestante

A grávida pode tomar energético, mas para evitar riscos, o aconselhável é não ingerir energéticos na gestação. No entanto, se ainda assim você optar por tomar a bebida, consuma apenas eventualmente e com moderação. Além disso, redobre os cuidados com o restante da sua alimentação para não abusar do açúcar, da cafeína ou do sal. 

Se possível, troque o energético por bebidas mais saudáveis como chás livres de cafeína, sucos e água de coco, por exemplo. Uma alimentação saudável e variada fornece energia de forma equilibrada e constante no seu dia. Dessa forma, ao seguir uma alimentação mais equilibrada, é provável que você não sinta a necessidade de tomar bebidas energéticas. 

Fontes e referências adicionais

Você já conhecia os riscos associados ao consumo de bebidas energéticas durante a gravidez? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é Nutricionista - CRN-RJ 0510146-5. Ela é uma das mais conceituadas profissionais do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition.

Deixe um comentário