Hidróxido de Alumínio – Para Que Serve, Fórmula e Posologia

Se você já precisou tomar antiácidos por causa de alguma doença ou desconforto gastrointestinal, é bem provável que já tenha ouvido falar ou usado o hidróxido de alumínio.

O hidróxido de alumínio é um dos antiácidos mais comuns usados no tratamento de dores de estômago, indigestão e azia.

Nesse artigo, vamos mostrar para que serve o hidróxido de alumínio e como ele deve ser tomado.

Hidróxido de alumínio – O que é?

O hidróxido de alumínio – encontrado também por nomes comerciais como Aludroxil, Nephrox, Amphojel e Anternagel – é muito utilizado como um antiácido no tratamento de desconfortos gastrointestinais e diversas doenças. O Simeco Plus é uma versão muito conhecida do hidróxido de alumínio, mas que na verdade é uma fusão entre hidróxido de alumínio e hidróxido de magnésio em uma mesma fórmula.

Sua fórmula química é Al(OH)3. Trata-se de um composto alcalino de alumínio que atua neutralizando o ácido já presente no estômago, mas não impede a produção de mais ácido.

Assim, ele pode ser usado em conjunto com outros medicamentos como os bloqueadores H2 como a ranitina e a cimetidina e os inibidores da bomba de prótons como o omeprazol que agem reduzindo a produção de ácido estomacal.

Para que serve

Além de ser utilizado no alívio de sintomas relacionados à azia, à dor de estômago e à indigestão, o hidróxido de alumínio também pode ser utilizado como medicamento para casos de problemas renais, desidratação, abuso de álcool e constipação grave.

O medicamento também é usado para tratar úlceras pépticas, inflamação no esôfago, acidez gástrica e hiperfosfatemia, dentre outras condições de saúde.

Posologia

Segundo as informações da bula, o hidróxido de alumínio deve ser tomado entre as refeições ou antes de dormir.

A dosagem de hidróxido de alumínio vai depender da condição a ser tratada. Sua ação tende a ser muito mais rápida do que de outros antiácidos por estar disponível na forma líquida. É indicado agitar bem o frasco antes de tomar pois isso pode melhorar o gosto do remédio.

Geralmente, uma suspensão líquida de hidróxido de alumínio apresenta cerca de 320 miligramas de hidróxido de alumínio em cada 5 mililitros do remédio, mas também existem versões em comprimidos mastigáveis de hidróxido de alumínio que devem ser usados de acordo com orientação médica ou segundo as instruções encontradas na bula.

As informações detalhadas sobre doses encontradas na bula do medicamento são as seguintes:

  • Uso adulto: Adultos ou crianças acima de 12 anos de idade devem usar cerca de 5 a 10 mililitros de 1 a 3 horas após as refeições e/ou logo antes de dormir.
  • Uso pediátrico: Já crianças entre 4 a 7 anos de idade devem tomar apenas o equivalente a 1 colher de café de 1 a 2 vezes por dia cerca de 1 hora depois das refeições. Já aquelas entre 7 e 12 anos podem tomar 1 colher de chá.

Doses adultas específicas

– Dose adulta para úlcera duodenal, úlcera gástrica, refluxo gastroesofágico e esofagite erosiva

No tratamento das condições acima, é comum a dosagem oral entre 500 a 1.500 miligramas de 4 a 6 vezes por dia ou segundo orientações médicas no caso de comprimidos ou de 10 a 40 mL divididos em até 6 doses durante o dia na suspensão oral.

– Dose adulta para síndrome de Zollinger-Ellison

Nesses casos, é indicado uma dose que pode variar de 500 a 3.600 miligramas ou de 10 a 55 mL por via oral de 4 a 6 vezes ao dia ou de acordo com o que o médico orientar.

– Dose adulta para hiperfosfatemia

No tratamento da hiperfosfatemia, é recomendado tomar entre 500 a 1.000 miligramas ou 10 a 25 mL de hidróxido de alumínio por via oral até 4 vezes por dia.

Doses pediátricas específicas

– Dose pediátrica para hemorragia gastrointestinal:

Em casos de hemorragia gastrointestinal que afetam crianças, a dose pode variar de acordo com o peso e a idade do paciente.

Assim, bebês de até 1 mês devem tomar de 1 a 2 mililitros de hidróxido de alumínio por quilo de peso corporal a cada 4 horas ou de acordo com a necessidade especificada por um médico.

Bebês entre 1 mês e 1 ano devem tomar uma dose de 2 a 5 mililitros a cada 1 ou 2 horas ou segundo orientações de um médico.

Crianças entre 1 e 12 anos devem usar de 5 a 15 mililitros a cada 1 ou 2 horas ou seguir as recomendações médicas.

– Dose pediátrica para úlcera péptica

Bebês de 1 mês a 1 ano devem tomar a dose máxima de 1 a 2 mililitros por quilo por dose a cada 1 ou 3 horas ou de acordo com a sugestão médica.

Crianças que apresentam idade entre 1 a 12 anos podem usar de 5 a 15 mililitros de hidróxido de alumínio a cada 3 a 6 horas ou a cada 1 a 3 horas, segundo instruções médicas.

– Dose pediátrica para hiperfosfatemia

Crianças de 1 a 12 anos de idade podem usar de 50 a 150 miligramas por quilo por dia. Tal dosagem deve ser dividida em doses menores que devem ser tomadas a cada 4 ou 6 horas.

Outras informações da bula

As informações sobre dosagens mencionadas acima podem variar de acordo com a orientação médica e com o laboratório que produz o medicamento, pois podem ocorrer leves variações em relação à quantidade de hidróxido de alumínio por mililitro do remédio.

O remédio não deve ser tomado por mais que 2 semanas sem orientação médica.

O medicamento deve ser armazenado em um local com temperatura amena e abrigado da umidade, do calor e da luz.

Efeitos colaterais

Embora pareça inofensivo, o hidróxido de alumínio também pode causar efeitos adversos, principalmente se usado em excesso. Alguns desses efeitos são:

  • Sonolência extrema;
  • Dor ao urinar;
  • Dor de estômago intensa;
  • Constipação;
  • Cansaço ou fraqueza muscular;
  • Fezes com sangue;
  • Perda de apetite;
  • Gosto ruim na boca;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Constipação;
  • Tosse ou vômito com sangue.

Também podem ocorrer sintomas de uma reação alérgica que podem incluir urticária, inchaço no rosto, nos lábios, na língua ou na garganta além de dificuldade para respirar.

É indicado evitar tomar outros medicamentos ou suplementos no período de 2 horas antes ou 2 horas depois de tomar o hidróxido de alumínio devido ao risco de interações medicamentosas que podem prejudicar a ação de um dos medicamentos.

Outros fármacos podem ter sua absorção prejudicada devido ao uso de antiácidos como o hidróxido de alumínio. Medicamentos como os suplementos de ferro, a digoxina, o pazopanib, alguns antibióticos como a ciprofloxacina e a tetraciclina podem não ser totalmente absorvidas pelo corpo por causa do alumínio. Desta forma, evite tomar tais medicamentos ao mesmo tempo e informe seu médico sobre quaisquer outros remédios e suplementos vitamínicos que você usa para evitar problemas.

O hidróxido de alumínio deve ser usado com muito cuidado e sempre sob orientação médica em pacientes que sofrem de condições de saúde como diarreia crônica, hipofosfatemia, insuficiência renal, doença hepática ou insuficiência cardíaca. O medicamento também não deve ser usado durante a gravidez ou a lactação.

Ao observar desconfortos gastrointestinais frequentes, é indispensável procurar um médico para avaliar a condição. O tratamento com hidróxido de alumínio deve ser sempre orientado por um profissional para evitar efeitos colaterais desagradáveis e a visita ao médico é sempre importante para ter certeza do que está sendo tratado.

Referências Adicionais:

Você já tomou o hidróxido de alumínio? Que condição foi diagnosticada e como foi o seu tratamento? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe um comentário