Homocisteína Baixa ou Alta – O que é, Exame e Tratamento

A homocisteína é um aminoácido naturalmente presente em nosso corpo como resultado de uma série de processos metabólicos. Não é possível obtê-la a partir da alimentação, uma vez que a homocisteína é produzida a partir de outro aminoácido, a metionina.

Níveis alterados de homocisteína no sangue estão associados a um maior risco de ataque cardíaco, AVC, arteriosclerose e até mesmo Alzheimer.

Saiba mais sobre o que significa um resultado de exame de homocisteína baixa ou alta, e conheça maneiras de restabelecer os valores normais de homocisteina no sangue.

O que é Homocisteína?

Toda a concentração de homocisteína presente em nosso organismo é produzida a partir da metionina, um aminoácido encontrado na carne vermelha, frutos do mar, laticínios e ovos.

Através da ação da vitamina B6, a homocisteína é transformada em cisteína (outro aminoácido), ou então pode ser convertida novamente em metionina com a ajuda do folato e da vitamina B12.

A cisteína desempenha importantes funções no corpo, sendo as principais a manutenção da forma e ligação celular, e também o metabolismo de diferentes metais (como o cobre, zinco e ferro).

Mais recentemente, descobriu-se também que a cisteína tem atividade antioxidante e hipoglicemiante.

Exame de Homocisteína

O médico poderá solicitar um exame de homocisteína quando houver um histórico familiar de complicações cardiovasculares, ou então caso o paciente esteja nos estágios iniciais de doença cardíaca.

Os níveis de homocisteína na circulação aumentam durante a vida adulta, e tendem a ser maiores entre os homens. Em geral, a quantidade de homocisteína encontrada no soro sanguíneo de uma pessoa é influenciada diretamente pelo tipo de dieta e histórico familiar.

A homocisteína é considerada normal quando os níveis do aminoácido estão entre 4 e 15 micromol/L (µmol/l). Já a homocisteína baixa é determinada por valores abaixo de 4 micromol/L.

Por sua vez, a homocisteina alta é caracterizada por valores do aminoácido acima de 15 micromol/L.

Homocisteína Alta

Esta é a alteração mais comum no exame de homocisteína, e ocorre quando a homocisteína não pode ser convertida em cisteína, ou então não consegue ser revertida em metionina.

A homocisteína alta não causa sintomas aparentes. Ou seja, você não “sente” que está com homocisteína alta, mas esta alteração no exame pode trazer uma série de complicações:

  • Quando níveis elevados de homocisteína se acumulam no sangue, as paredes internas dos vasos sanguíneos podem ser danificadas. Esse efeito pode provocar a formação de coágulos sanguíneos e aumentar o risco de arteriosclerose (entupimento parcial ou total das artérias);
  • Há uma relação entre os níveis de homocisteína e o tamanho das artérias carótidas que fornecem sangue ao cérebro. Em geral, quanto maior a concentração do aminoácido na circulação, menor o diâmetro da artéria. Isso se traduz em uma deficiência no fornecimento de oxigênio e nutrientes para os neurônios. Ou seja: maior risco de AVC;
  • Ainda não se sabe ao certo a causa, mas cientistas já observaram que há uma relação entre a homocisteína alta e um maior risco de fraturas ósseas, sobretudo em idosos;
  • Alzheimer e outros tipos de demência são mais comuns em pessoas com homocisteína alta no sangue;
  • De acordo com pelo menos dois estudos diferentes, a enxaqueca está relacionada com homocisteína alta;
  • Homocisteína alta também está ligada à perda auditiva, degeneração macular e artrite reumatoide;
  • Segundo uma revisão científica de 26 estudos publicada no Mayo Clinic Proceedings Journal, para cada 5 pontos de elevação na concentração de homocisteína no sangue, há um aumento de 20% no risco de desenvolvimento de doença coronária.

Causas da Homocisteína Alta

Entre as principais causas da homocisteína alta estão as deficiências de ácido fólico, vitamina B6 e vitamina B12. Isso se explica pelo fato de que, como vimos anteriormente, essas vitaminas atuarem como reguladoras da concentração de homocisteína na circulação.

Algumas doenças também podem causar a homocisteína alta. São elas a homocistinúria (excesso de homocisteína no sangue), doença renal, hipotireoidismo, determinados tipos de câncer (como o de mama e o colorretal) e Alzheimer.

Outros fatores de risco para a homocisteína alta são a idade, o sexo, o consumo de bebida alcóolica e a ingestão excessiva de carne vermelha.

Homocisteína Baixa

Um exame com valores abaixo de 4 micromol/L é indicativo de homocisteína baixa. Embora níveis elevados do aminoácido estejam associados a um maior risco de complicações cardíacas, uma deficiência grave de homocisteína também requer atenção.

A redução de homocisteína causa uma diminuição na disponibilidade de cisteína. Como resultado, há uma limitação na produção de sulfato, taurina e glutationa.

Pessoas com homocisteína baixa apresentam menor potencial para combater o estresse oxidativo (devido à interferência na produção de glutationa, um poderoso antioxidante) e os danos causados pela exposição a determinadas toxinas.

Causas da Homocisteína Baixa

Baixas concentrações de homocisteína no sangue podem ser causadas pelo uso de medicamentos como antibióticos, anticonvulsivantes, tamoxifeno e pílulas anticoncepcionais.

Mais comumente, a queda é resultado do uso de suplementos de vitaminas do complexo B ou ácido fólico (este último regularmente prescrito para gestantes).

Como Baixar a Homocisteína Alta?

O tratamento para a homocisteína alta consiste em fazer alterações no estilo de vida e na dieta. Em alguns casos específicos, o médico poderá prescrever suplementos para estabilizar as taxas de homocisteína na circulação.

  • Mudanças alimentares: é importante reduzir o consumo de carne vermelha, ao mesmo tempo em que se aumenta a ingestão de alimentos ricos em vitaminas B12, B6 e folato. Fígado, salmão, gemas, semente de abóbora, ameixas secas, feijão, lentilha e espinafre são todos alimentos que podem ajudar a reduzir os níveis de homocisteína;
  • Hábitos: reduzir o consumo de cafeína, bebidas alcoólicas, parar de fumar, praticar atividade física e baixar o peso (a obesidade está associada à homocisteína alta) são atitudes que podem ajudar a baixar a homocisteína;
  • Suplementos: o tipo e a dosagem dos suplementos para baixar a homocisteína deverão seguir orientação médica. Nos casos em que as alterações na dieta não foram suficientes para reequilibrar as taxas de homocisteína, o médico poderá sugerir o uso de ômega 3, taurina, ácido fólico, vitamina B6 e vitamina B12.

É importante ressaltar, porém, que profissionais da área médica não recomendam o uso de vitaminas ou outros suplementos para baixar a homocisteína como meio de prevenção contra doenças cardíacas.

Tratamento para a Homocisteína Baixa

Quando a pessoa é diagnosticada com a homocisteína baixa na circulação, o sistema imune acaba tendo dificuldades para responder adequadamente ao estresse oxidativo.

Por outro lado, é importante lembrar que apenas o médico poderá definir se o seu caso exige um tratamento para homocisteína baixa.

Em caso afirmativo – ou seja, em que seja de fato necessário elevar a homocisteína – o tratamento consiste em:

  • Reduzir a ingestão das vitaminas B6 e B12: enquanto a vitamina B6 está presente em grãos e cereais, a B12 é encontrada sobretudo em carnes e laticínios;
  • Diminuir o consumo de alimentos ricos em folato: espinafre, lentilha, abacate, alface.

Referências adicionais:

Você já fez algum exame que tenha identificado a homocisteína baixa ou alta? Que tipo de tratamento foi repassado? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (45 votos, média: 3,69 de 5)
Loading...

13 comentários em “Homocisteína Baixa ou Alta – O que é, Exame e Tratamento”

  1. minha filha foi diagnostica com homocistinuria ,ou seja a homocisteina quando inciou tratamento esta em 60 apos começar a usar medicaçoes chegou a ir a 300 e alguma coisa mais no se adaptou a nenhuma medicaçao ou dieta

  2. Boa tarde!
    Minha mãe precisará fazer exam d homocisteína. Ela fz o exam d sangue solicitado p médico, mas esse específico, o hosp Do Rocio, ñ realiza via SUS. Ela precisará fazer particular. Minha mãe estivera intern neste hospitak em 2015, realizando cateterismo e dps angioplastia. Minha mãe, 83 anos completos, qual pode ser a situação dla neste exam e qual a RELEVÂNCIA deste exam, p ela, q já tem um histórico d cateterismo e angioplastia?
    Obgdo!
    Gengiskan Ant° Wolff de Abreu

      • Minha hemocisteina está alta, vitamina B12 baixa, ácido fólico baixo,Gama-Glutamil Transferase baixa,Capacidade de Fixação Latente do Ferro alto ,Capacidade de Fixação Latente do Ferro baixo alguma ligação entre esses outros resultados ,gostaria de saber mais sobre hemocisteina em relação aos demais exames obrigada

  3. Olá, desde minha gestação em 2016/2017 tomo ácido fólico, 5mg, diariamente para manter os níveis de homocisteína (dentro da média, valor baixo – 4,55). E incrivelmente, no meu caso, não tive mais importantes dores de cabeça, pois eu sofria com terríveis dores de cabeça provocadas pela enxaqueca. Claro que também alterei o anticoncepcional (agora tomo Nactali continuamente – mas creio que a combinação dos dois fatores foi responsável por esta melhora.

      • BOA TARDE.

        VOCÊ JÁ FEZ EXAME DA HOMOCISTEINA,?VAMOS FAZER ALGUMAS SIMULAÇOES,

        1- SE NO EXAME DA HOMOCISTEINA ESTIVER A CIMA DE 10 nanomol/ dl ,DEVE FAZER SUPLEMENTAÇÃO DE SEGUENTES VITAMINAS

        A-VIATAMINA B6 300 mg 1X dia.
        B-METILFOLATO 5 mg. 1 X dia.
        c-VITAMINA B12.1 mg, 1 X dia,na forma sublingual,

        ARLINDO C.VERZA.
        TERAPEUTA ORTOMOLECULAR e
        HOMEOPATA

Deixe um comentário