Home » Suplementos » Remédios » Imipramina Emagrece ou Engorda?

Imipramina Emagrece ou Engorda?

Quem tem a necessidade de usar medicamentos que geralmente causam efeitos colaterais não tão agradáveis, como é o caso dos antidepressivos, provavelmente se preocupa com as reações e consequências que a substância prescrita pelo médico possa trazer ao seu organismo.

  Continua Depois da Publicidade  

E se nem sempre é possível deixar de tomar um remédio ou trocá-lo por outro para não sofrer prejuízos, algo que pode ajudar a amenizar o problema é conhecer maiores informações sobre o componente antes de começar o tratamento com ele.

E é por isso que vamos apresentar informações sobre o medicamento Imipramina e responder algumas perguntas sobre ele. O que é essa substância? Para que ela serve? Será que Imipramina emagrece ou engorda?

O que é?

Produzida pelo laboratório Funed, Imipramina é classificada na categoria dos antidepressivos tricíclicos. Ela é um medicamento utilizado no tratamento de depressão mental, depressão associada à ansiedade ou distúrbios de personalidade, depressão neurótica, reativa ou de esgotamento e distúrbios depressivos de humor.

O remédio também pode ser prescrito nos casos de pré-senilidade e senilidade (processo de envelhecimento) relacionados a hipocondria, choro compulsivo e perda de controle emocional. Ainda é usado para tratar síndromes depressivas que surgem em decorrência de arteriosclerose (doença degenerativa das artérias, caracterizada pelo endurecimento e perda de elasticidade da parede das artérias), acidente vascular cerebral (AVC), doença de Parkinson, doenças crônicas e alcoolismo.

  Continua Depois da Publicidade  

Outras situações em que pode ocorrer a indicação da Imipramina por parte do médico são os ataques de pânico, o pavor noturno, a enurese noturna – que é o ato de fazer xixi na cama durante a noite – e em condições dolorosas crônicas.

Disponível em embalagens com 20 unidades de comprimidos revestidos de 25 mg, o medicamento também pode ser utilizado por crianças. Entretanto, para os pacientes adultos ou em idade infantil, ele deve ser usado somente sob recomendação do médico e comprado apenas mediante apresentação da receita.

Imipramina emagrece? 

Na bula da substância, a perda de peso está listada como uma das reações adversas trazidas por ela, logo pode-se afirmar que o uso Imipramina emagrece. No entanto, o esperado não é que esse efeito seja observado em muitos usuários do remédio, tendo em vista que ele está classificado na categoria dos efeitos colaterais secundários, relatados em casos isolados.

Porém, como não é impossível que isso aconteça, quem já sofre com a magreza em excesso deve ter cuidado, procurar manter uma dieta saudável com um equilíbrio de nutrientes e calorias e conversar com o médico responsável pelo tratamento sobre quais medidas podem ser tomadas para evitar que o problema seja agravado.

Por outro lado, quem sofre com o excesso de peso não deve nem ao menos cogitar a possibilidade de ingerir Imipramina como forma de ganhar uma forcinha no processo de emagrecimento. Em primeiro lugar, porque é improvável que esse efeito seja experimentado, já que é raro que aconteça e em segundo lugar porque ele é um medicamento que deve ser usado somente nos casos indicados pelo médico e que traz diversos efeitos colaterais desagradáveis.

Imipramina engorda?

Isso porque ainda nem mencionamos que o ganho de peso também é relatado como uma das reações adversas do composto. Só que ao contrário do emagrecimento, é observado frequentemente que a Imipramina engorda, então esse efeito não é listado como raro de ocorrer como a perda de peso.

  Continua Depois da Publicidade  

Desse modo, os pacientes que não desejam e/ou não podem engordar, precisam ter um cuidado especial com a sua alimentação durante o período do tratamento, sem exagerar nas calorias e comidas engordativas, que podem piorar o problema, até porque o aumento do apetite também pode ser uma das consequências do uso do medicamento, estimulando ainda mais a elevação do peso.

Outra reação trazida pela Imipramina é a fadiga, algo que pode fazer com que o usuário limite a sua quantidade de atividade física praticada diariamente e diminua o seu gasto calórico. Com um número maior de calorias acumuladas no corpo, ele terá uma tendência maior a engordar.

Ao experimentar um crescimento grande no peso corporal durante o tratamento com o composto, a sugestão é que você procure o seu médico e converse com ele sobre o que fazer para reverter a situação ou a respeito da possibilidade de trocar a substância por outra que não cause o problema.

  Continua Depois da Publicidade  

Efeitos colaterais

Além da fadiga, crescimento do apetite, da perda e aumento de peso, Imipramina também pode trazer os seguintes efeitos colaterais:

  • Sonolência;
  • Visão turva;
  • Confusão;
  • Delírio;
  • Constipação – principalmente nos pacientes da terceira idade;
  • Diminuição da libido;
  • Desmaios;
  • Rapidez ou irregularidade nos batimentos cardíacos;
  • Alucinações – especialmente para as pessoas que possuem doença de Parkinson;
  • Perda de controle do equilíbrio;
  • Nervosismo;
  • Agitação;
  • Problemas para urinar;
  • Tremores;
  • Desequilíbrio no andar;
  • Lentidão;
  • Rigidez nos braços ou pernas;
  • Dificuldade para falar ou engolir;
  • Ansiedade;
  • Aumento dos seios;
  • Secreção inapropriada de leite – em mulheres;
  • Maior sensibilidade à luz;
  • Irritabilidade;
  • Contração muscular;
  • Zumbidos ou ruídos nos ouvidos;
  • Convulsão;
  • Erupção cutânea;
  • Prurido – coceira ou comichão na pele causado por uma irritação intensa;
  • Febre;
  • Dor de garganta;
  • Inchaço na face, língua ou testículos;
  • Problemas nos dentes ou gengivas;
  • Fraqueza;
  • Amarelamento dos olhos ou pele;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Náusea;
  • Dificuldade para dormir;
  • Vertigem;
  • Secreção inapropriada do hormônio antidiurético;
  • Ataque epilético;
  • Hipotensão postural – queda de pressão arterial ao levantar-se após deitar-se;
  • Taquicardia;
  • Diarreia;
  • Insônia;
  • Mioclonia – movimento muscular involuntário;
  • Impotência sexual;
  • Palpitação;
  • Elevação da pressão arterial;
  • Perda de cabelo;
  • Estomatite – inflamações na boca;
  • Pneumonia;
  • Aumento ou redução da taxa de açúcar no sangue;
  • Púrpura – aparecimento de manchas roxas na pele, mucosas e órgãos;
  • Alterações sanguíneas.

Contraindicações e cuidados

Imipramina não deve ser administrada a pessoas que sofram com os estágios agudos do infarto do miocárdio e nem a pacientes com hipersensibilidade aos antidepressivos tricíclicos benzodiazepínicos.

Seu uso não pode ser feito ao mesmo tempo ou durante um intervalo de 14 dias pelas pessoas que utilizam inibidores de MAO, medicamentos que também são utilizados no tratamento de depressão e não deve ser administrado ao mesmo tempo que um inibidor reversível seletivo de MAO.

Pacientes com glaucoma de ângulo fechado, bloqueio cardíaco, hipertrofia ou doença crônica na próstata, paralisação do íleo (parte do intestino delgado responsável por levar o bolo alimentar até o começo do intestino grosso), tumor no tecido de glândulas (feocromocitoma), alterações na condução cardíaca, insuficiência cardíaca congestiva e convulsões não são aconselhados a usarem o remédio.

Em mulheres grávidas, a Imipramina está classificada na categoria de risco D, ou seja, é um medicamento que deve ser administrado somente em casos de risco de vida ou doenças graves em que não existam substâncias mais seguras ou eficientes, já que pode causar riscos ao bebê. Portanto, ao receber a indicação do remédio, a futura mamãe não pode deixar de informar o médico a respeito de sua gestação, se ainda não tiver dito.

O uso do produto deve ser feito com cuidado pelas pessoas portadores de doença cardíaca e pelos idosos, já que causa uma série de efeitos no sistema cardiovascular e de alucinações e delírio mental.

O uso de álcool precisa ser feito com bastante cautela enquanto o paciente estiver tomando Imipramina, pois o remédio aumenta a influência desse tipo de bebida. O mesmo ocorre com os depressores do sistema nervoso central, também conhecidos como calmantes, que antes de ser consumidos ao mesmo tempo que a Imipramina, devem ser autorizados pelo médico.

Como a substância causa sonolência e cansaço, é preciso tomar cuidado ao trabalhar com máquinas perigosas ou exercer alguma outra atividade que exija alerta.

Além disso, antes de se submeter a uma cirurgia, com médico ou dentista, é fundamental informar o profissional a respeito do uso de Imipramina. E tendo em vista que os seus efeitos duram até três a sete dias após a interrupção do tratamento, é importante continuar a ter cautela em relação às reações adversas do remédio durante esse período.

E claro, o mais importante: mesmo sabendo que a Imipramina emagrece ou engorda em determinadas ocasiões, de forma alguma o produto deve ser utilizado sem a recomendação e prescrição do médico especialista. 

Você conhece alguém que utilize o tratamento e afirme que a Imipramina engorda ou que emagrece? Tem receio de utilizar e sofrer estes efeitos colaterais? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (74 votos, média: 3,99 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite
  Continua Depois da Publicidade  


ARTIGOS RELACIONADOS

23 comentários

  1. Gente se o médico receitou e porque ele sabe . Isso aqui é só uma observação , não fiquem neoróticos será que vocês não confiam nos seus médicos .e outra o que emagrece não é remédio não é o equilíbrio ,se vocês fizerem uma alimentação saudável não vai nem precisar tomar esse tipo de medicamento fica a dica .

  2. oi fiz uso de imipramina receitado pelo medico a alguns anos atrás pois estava num quadro de depressão muito forte não conseguia dar conta de minhas atividades do dia a dia isso já fazem vinte e nove anos hoje estou com cinquenta e quatro anos e percebi que não sei se por conta da menopausa sinto que a depressão quer voltar; também fiquei hipertensa comprei o remédio por conta própria mas não sei se vou tomar pois também estou acima do peso mas na época que usei a imipramina foi muito bom pois em uma semana de uso sumiram todos os sintomas da depressão tomei só dois meses parei por conta própria continuei o tratamento só com psicologo

  3. Comecei a tomar imipramina há uma semana.. ganhei de uma amiga que faz uso . Ela disse que iria me ajudar com a ansiedade..simplesmente estou me sentindo bem melhor, quase não estou fumando..

  4. Olha no.meu caso foi ótimo tinha muita ansiedade já dei bulimia já tomei vários antidepressivos porque dei depressão pós-parto a14 anos de todos os remédios que já tomei em minha vida esse foi o melhor eu Tinha muita taquicardia por causa da ansiedade tomava até seis atenolol por dia achando que era pressão alta visto que também sou hinpertensa mais Depois que a médica mudou meus remédios de ansiedade pra imipramina minha vida virou outra já emagreci 4kilos com ela e minhas batedeiras no coração pararam eu amei esse remédio muito obrigada

  5. Ana Lúcia Alves da Silva

    Olá, eu tomo imipramina a mais de doze anos, é uma medicação excelente, mas ao longo dos anos pude perceber que muita coisa me aconteceu, como: aumento da pressão arterial, aumento das mamas, perda de peso, muita dor de garganta, febre sem motivo aparente, insônia, dor de cabeça e problema muito sério no intestino o qual fez com perdesse cinco quilos nos últimos quarenta dias, só pude perceber agora que a maioria dos problema que estou sentindo estão ligados ao uso da imapramina ao longo dos anos, o que me ajudou é o mesmo que trouxe mais problemas.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*