Paroxetina

Paroxetina Engorda ou Emagrece?

Uma preocupação que provavelmente passa pela cabeça de parte dos pacientes diagnosticados com depressão e que têm o uso de um medicamento antidepressivo prescrito pelo médico é o tipo e quantidade de efeitos colaterais que tal remédio poderá trazer para eles.

E se para ter sucesso no tratamento e finalmente se livrar da doença é necessário obedecer as recomendações do médico e não deixar de ingerir a substância indicada por ele, existe uma forma de se prevenir e tomar precauções para amenizar as reações adversas trazidas pelo produto: pesquisar, se informar e conhecer quais são elas.

E é exatamente isso o que nós faremos, ao falar sobre a Paroxetina, um tipo de antidepressivo. Do que se trata esse medicamento? Será que Paroxetina engorda ou emagrece? E quais os seus possíveis efeitos colaterais?

O que é? 

Encontrado para venda em embalagens de 20 ou 30 comprimidos revestidos de 20 mg e produzido pelo laboratório Medley, Paroxetina é um antidepressivo da categoria dos inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS) de uso adulto, que só pode ser comercializado mediante apresentação de receita médica.

A sua utilização é indicada para todos os tipos de depressão, o que inclui a depressão reativa, a grave e a que vem acompanhada de ansiedade. O remédio ainda pode ser prescrito para tratar os sintomas ou prevenir o transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e a doença do pânico, acompanhada ou não de agorafobia (medo de andar nas ruas sozinho ou estar em lugares fechados com muita gente).

Seu uso também pode ser recomendado para os casos de fobia social, transtorno de estresse pós-traumático, transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM, que se trata de uma tensão pré-menstrual mais intensa e severa que traz uma mudança de humor perturbadora) e para lidar com os sintomas e prevenir o retorno do transtorno de ansiedade generalizada.

Paroxetina engorda?

Apesar do aumento de peso ou a elevação do apetite aparecerem listados na bula do medicamento como alguns de seus efeitos colaterais, não é possível descartar a ideia de que a Paroxetina engorda.

Primeiro porque uma das reações trazidas por ela é a astenia, que é o mesmo que fadiga, algo que pode diminuir a quantidade de atividades físicas praticadas pelo usuário do remédio, reduzir o seu gasto calórico e fazer com que ele acumule um maior número de calorias e engorde. Esse efeito está classificado como comum, ou seja, que é observado entre 1 em cada 10 e 1 em cada 100 pacientes.

E segundo porque de acordo com uma compilação de remédios de uso contínuo, que podem alterar o peso dos pacientes, realizada pelo diretor-chefe do Harris County Hospital District, Ryan Roux, da cidade de Houston, nos Estados Unidos, foi identificado que a Paroxetina engorda sim.

E conforme artigo publicado pelo médico, PhD e diretor do Programa de Saúde Mental da Mulher do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP), Joel Rennó Júnior, em seu blog no site do Estadão, a Paroxetina provoca um ganho de 7% em relação ao peso corporal do usuário, quantidade que é maior que a observada em outros tipos de antidepressivos como a Fluoxetina e a Sertralina.

Logo, é importante que a pessoa que recebeu a indicação de seu médico para usar o remédio tenha em mente que a Paroxetina engorda em alguns casos. Nesse sentido, o que pode ser feito é um ajuste na alimentação, de modo a manter um equilíbrio entre nutrientes e calorias e que não haja exageros, para não piorar ainda mais o problema. E se o incômodo causado nesse sentido for muito grande, o paciente também pode conversar com o seu médico sobre a possibilidade de trocar o medicamento por outro que não cause tantos transtornos.

Paroxetina emagrece? 

Pode parecer estranho, mas também não podemos descartar a possibilidade de que a Paroxetina cause uma diminuição no peso do usuário. É que uma das reações adversas relatadas na bula como comum é a diminuição do apetite.

Tal efeito que traz a redução no tamanho das porções das refeições e na quantidade de calorias ingeridas diariamente pode promover o emagrecimento. Como perder peso sem a necessidade ou intenção não é algo saudável, a sugestão que deixamos é que você se esforce para seguir uma alimentação saudável e balanceada, para fornecer ao seu organismo os nutrientes que ele necessita, caso venha a experimentar a falta de fome durante o tratamento.

E ao perceber que as alterações no seu peso estão muito fortes, seja em relação ao aumento, seja em relação à redução, não deixe de informar o seu médico para que ele possa verificar qual procedimento deve ser tomado para lidar com a questão.

Outros efeitos colaterais 

Além do aumento de peso e da perda de apetite, Paroxetina pode trazer outros efeitos colaterais:

  • Sangramento anormal na pele e membranas mucosas;
  • Trombocitopenia – nível baixo de plaquetas no sangue;
  • Urticária;
  • Angioedema – alergia que ocorre nas camadas mais profundas da pele;
  • Síndrome de secreção inapropriada do hormônio antidiurético (SIADH);
  • Sonolência;
  • Confusão;
  • Hiponatremia – taxa baixa de sódio no sangue;
  • Reações maníacas;
  • Tremor;
  • Vertigem;
  • Distúrbios extrapiramidais – como doença de Parkinson e movimentos e tremores involuntários no corpo;
  • Convulsões;
  • Agitação, alucinações, taquicardia, tremores e outros sintomas da síndrome serotoninérgica;
  • Visão turva;
  • Taquicardia sinusal – espécie de arritmia cardíaca;
  • Aumento ou diminuição transitória da pressão arterial em pacientes cm histórico de hipertensão e ansiedade;
  • Náusea;
  • Diarreia;
  • Vômito;
  • Formigamento;
  • Queimação;
  • Constipação;
  • Boca seca;
  • Elevação das enzimas hepáticas;
  • Sudorese;
  • Erupção cutânea;
  • Retenção urinária;
  • Disfunção sexual;
  • Secreção imprópria de leite nas mamas e excesso na produção de prolactina, o hormônio responsável pela produção de leite;
  • Edema periférico – inchaço nos tornozelos, pés ou pernas;
  • Dor ou fraqueza nos músculos.

Contraindicações e cuidados

Não é indicado que a Paroxetina seja administrada às mulheres grávidas ou que estejam amamentando os seus bebês, crianças, pacientes com problemas hepáticos e que tenham hipersensibilidade à paroxetina.

Outra recomendação é que o usuário não consuma bebida alcoólica durante o tratamento e que o medicamento não seja ingerido ao mesmo tempo que algum remédio da classe dos inibidores de MAO, também utilizados no tratamento da depressão, ou menos de duas semanas após a finalização do uso desse tipo de substância. Da mesma forma, eles não devem ser ingeridos em menos de duas semanas após a interrupção da utilização da Paroxetina.

Ela também não deve ser consumida ao mesmo tempo que a tioridazina, um remédio indicado para tratar a esquizofrenia.

Além disso, é fundamental que você obedeça as orientações do seu médico em relação à frequência, dosagem e duração do tratamento; informe a ele sobre outros remédios que você esteja tomando antes de iniciar o uso da Paroxetina, conte-o sobre os efeitos colaterais que venha a sentir e, obviamente, utilize somente se ela for receitada pelo profissional.

Você conhece alguém que tenha utilizado o tratamento e afirme que a Paroxetina engorda? Tem medo de usá-la e acabar experimentando este efeito colateral? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (190 votos, média: 3,80 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)



ARTIGOS RELACIONADOS

83 comentários

  1. Boa tarde Cátia!
    Acredito que não volta mais ao peso normal senão por exercício físico acompanhado de dieta alimentar.
    Mas é um excelente recurso pra tirar as pessoas do grupos de risco.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*