Paracetamol ou Ibuprofeno: qual é melhor tomar?

Especialista da área:
atualizado em 14/06/2022

O paracetamol e o ibuprofeno são remédios que não faltam nas bolsas e caixinhas de medicamentos da maioria das pessoas. Mas, você sabe qual é melhor tomar para aliviar a dor? 

Tanto o ibuprofeno quanto o paracetamol são usados para o alívio de vários tipos de dor, mas apresentam princípios ativos e mecanismos de ação diferentes em nosso organismo. 

  Continua Depois da Publicidade  

O paracetamol tem ação analgésica e antipirética, por isso é indicado para alívio de dores leves e moderadas, e para baixar a febre. O ibuprofeno, por sua vez, é um anti-inflamatório não esteroide (AINE), indicado para tratar dores leves e moderadas associadas a inflamações. 

Por conta dessas diferenças, é importante saber em que momento é melhor tomar o ibuprofeno e o paracetamol.

Existem algumas condições de saúde que limitam o uso desses medicamentos. Nesses casos, o médico ou médica deve prescrever a menor dose efetiva, pensando no menor tempo possível de uso do medicamento. 

Veja quando é melhor tomar o paracetamol e quando o ibuprofeno é mais indicado. 

Quando tomar o paracetamol?

Paracetamol
O paracetamol é indicado para tratar dores leves e moderadas

O acetaminofeno, mais conhecido como paracetamol, é um medicamento com propriedades analgésicas e antipiréticas (antitérmicas), indicado para o controle da dor e da febre.  

  Continua Depois da Publicidade  

Dores no corpo causadas por gripes e resfriados são comumente tratadas com paracetamol. Dor no dente, dor de cabeça e dores nas costas, também. 

O paracetamol não é tão efetivo para as dores crônicas, por isso não é indicado para o tratamento das artrites e dores musculares, por exemplo. 

Assim, o paracetamol é indicado para tratar dores leves e moderadas, que não estejam associadas a inflamações, pois ele não possui atividade anti-inflamatória. 

Como o paracetamol age

O paracetamol age aliviando as dores através da inibição da produção das prostaglandinas, que são sinais químicos similares aos hormônios. Elas são produzidas e liberadas em locais onde houve algum dano, lesão ou invasão microbiana. 

Essa ação inibitória na cascata de produção das prostaglandinas pode promover o alívio da dor em 45 a 60 minutos, após a ingestão do medicamento. A duração do efeito analgésico pode chegar a até 4 horas, sendo o efeito máximo percebido na janela de 1 a 3 horas, após a administração do remédio. 

Como o paracetamol também possui ação antipirética, ele age no sistema nervoso central, estimulando o hipotálamo a iniciar mecanismos de redução da temperatura corporal. Por isso, o medicamento é muito utilizado para baixar a febre em situações de gripe e resfriado comuns.  

  Continua Depois da Publicidade  

Recomendações de uso do paracetamol

O paracetamol pode ser encontrado com diferentes nomes comerciais, entre eles: 

  • Tylenol
  • Dorfen 
  • Vick Pyrena 
  • Naldecon
  • Acetamil 
  • Dôrico
  • Termol
  • Trifene
  • Unigrip

O paracetamol pode ser encontrado na forma de comprimidos e de solução oral. Outras formas de apresentação são a suspensão oral e os sachês.

A dose diária total é de 4000 mg de paracetamol, que equivale a 8 comprimidos de 500 mg e 5 comprimidos de 750 mg. Não se deve exceder 1000 mg por dose, ou seja, você só pode tomar 2 comprimidos de 500 mg por vez ou 1 comprimido de 750 mg. Deve-se dar um intervalo entre as doses de 4 a 6 horas

Grávida pode tomar paracetamol?

Durante a gestação, o paracetamol deve ser usado apenas com prescrição médica, utilizando a menor dose efetiva, pelo menor tempo possível. 

Entre os analgésicos e antipiréticos, o paracetamol é, sem dúvidas, a opção mais segura para as gestantes. Porém, toda medicação pode apresentar efeitos colaterais que precisam ser levados em consideração, para garantir a saúde da mãe e do bebê. Em alguns casos, ele é contraindicado no primeiro trimestre da gestação.  

A automedicação com o paracetamol durante a gravidez pode:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Aumentar os riscos de distúrbios no desenvolvimento do sistema nervoso central do bebê, como o transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). 
  • Aumentar os riscos de mau desenvolvimento do sistema urogenital e reprodutivo.
  • Atrapalhar o desenvolvimento fetal.

O uso do paracetamol durante a gravidez deve ser avaliado pela equipe médica que está acompanhando a gestação. Nessa avaliação, os profissionais comparam os riscos e os benefícios do uso do medicamento. Se os benefícios superarem os riscos, então é feita uma prescrição individualizada para a gestante. 

Quando não tomar o paracetamol

O paracetamol não deve ser o analgésico de escolha para dores de causas inflamatórias. 

Também não deve ser usado por pessoas com problema no fígado ou que ingerem bebidas alcoólicas em excesso. 

Isso porque o fígado é o órgão que faz a metabolização deste medicamento. A sobrecarga do fígado em pessoas com problemas hepáticos ou dependentes de álcool pode aumentar os riscos de uma hepatite medicamentosa. 

Quando tomar o ibuprofeno?

Ibuprofeno
O ibuprofeno é indicado para dores associadas a inflamação

O ibuprofeno é um anti-inflamatório não esteroide (AINE), usado para tratar dores associadas a processos inflamatórios. O ibuprofeno também tem atividade antipirética, ou seja, diminui a febre. 

O ibuprofeno é eficiente contra dores leves e moderadas, comuns em situações de:

  • Gripes e resfriados
  • Dor de garganta
  • Dor de cabeça
  • Enxaqueca
  • Dor de dente
  • Dor nas costas
  • Cólica menstrual
  • Dor muscular

Diferentemente do paracetamol, o ibuprofeno é indicado para dores associadas a doenças articulares crônicas, que apresentam muita inflamação, como artrite reumatóide e osteoartrite.

O ibuprofeno também é indicado para tratar dores comuns em pós-operatórios, condições em que o paracetamol, geralmente, não é eficiente para aliviar a dor. 

Como o ibuprofeno age

O ibuprofeno é um inibidor não seletivo das enzimas cicloxigenase (COX-1 e COX-2), fundamentais para a cascata de produção dos mediadores da inflamação e da dor, que são as prostaglandinas. 

O ibuprofeno também age no sistema nervoso central, estimulando o hipotálamo a regular a temperatura, quando ela está elevada. 

O ibuprofeno age mais rapidamente do que o paracetamol. Após 15 a 30 minutos da administração, seus efeitos já podem ser sentidos e podem durar até 6 horas. 

Recomendações de uso do ibuprofeno

O ibuprofeno pode ser encontrado nas farmácias e drogarias com diferentes nomes comerciais: 

  • Advil
  • Alivium
  • Dalsy
  • Buscofem
  • Artril 
  • Ibupril
  • Motrin IB 

O ibuprofeno está disponível na forma de comprimidos revestidos, cápsulas e em suspensão oral (gotas).

É recomendado tomar o ibuprofeno juntamente com as refeições ou com leite, para minimizar os sintomas gastrointestinais. 

A dose diária máxima de ibuprofeno para pessoas acima de 12 anos é de 3200 mg, sendo que a dose recomendada é de 600 mg, de 3 a 4 vezes ao dia. Para pacientes pediátricos, a dose recomendada depende do peso, não podendo exceder a dose total de 800 mg em 24 horas. Deve-se dar um intervalo entre as doses de 6 a 8 horas. Para mais informações sobre a posologia, confira este artigo.     

Grávida pode tomar ibuprofeno?

Nos primeiros dois trimestres da gravidez, o ibuprofeno se encontra na categoria de risco B, o que significa que estudos em animais não demonstraram risco ao desenvolvimento fetal. Mas, não há estudos controlados em mulheres grávidas, para garantir a ausência de riscos. 

Sendo assim, nesse período, o médico ou médica que acompanha a gestante faz a avaliação dos riscos e benefícios e, se necessário, prescreve a menor dose efetiva do medicamento, para ser usado pelo menor tempo possível. 

Já no último trimestre da gravidez, o medicamento se enquadra na categoria de risco D, sendo assim contraindicado, devido aos riscos de complicações no parto e ao desenvolvimento do bebê. 

Quando não tomar o ibuprofeno

Como o ibuprofeno é um inibidor não seletivo da ciclooxigenases, ele inibe a COX-1, importante para a manutenção da integridade da parede do estômago. Por isso, pessoas com úlcera e sangramentos gastrointestinais não devem utilizar o medicamento. 

O ibuprofeno também não deve ser usado por pessoas que fazem tratamento com o ácido acetilsalicílico (AAS), que tenham insuficiência renal, hepática ou cardíaca grave. 

O paracetamol e o ibuprofeno podem ser tomados juntos?

O paracetamol e o ibuprofeno podem ser usados em conjunto, desde que prescritos por um médico ou médica. Mas, eles não devem ser administrados ao mesmo tempo, devendo ser intercalados com intervalos de 4 horas entre um e outro. 

Fontes e referências adicionais

Você sabia que o paracetamol e o ibuprofeno apresentam propriedades diferentes? Em quais situações você costuma usar o paracetamol e o ibuprofeno? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média 5,00)
Loading...
Sobre Dr. Lucio Pacheco

Dr. Lucio Pacheco é Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião geral - CRM 597798 RJ/ CBCD. Formou-se em Medicina pela UFRJ em 1994. Em 1996 fez um curso de aperfeiçoamento em transplantes no Hospital Paul Brousse, da Universidade de Paris-Sud, um dos mais especializados na Europa. Concluiu o mestrado em Medicina (Cirurgia Geral) em 2000 e o Doutorado em Medicina (Clinica Médica) pela UFRJ em 2010. Dr. Lucio Pacheco é autor de diversos livros e artigos sobre transplante de fígado. Atualmente é médico-cirurgião, chefe da equipe de transplante hepático do Hospital Copa Star, Hospital Quinta D'Or e do Hospital Copa D'Or. Além disso é diretor médico do Instituto de Transplantes. Suas áreas de atuação principais são: cirurgia geral, oncologia cirúrgica, hepatologia, e transplante de fígado. Para mais informações, entre em contato.

Deixe um comentário