Queijo Gorgonzola Faz Mal?

Especialista:
atualizado em 27/12/2019

Você faz parte do grupo daqueles que amam ou daqueles que não gostam do queijo gorgonzola? Este queijo é originário da Itália, preparado a partir do leite da vaca, conta com uma textura firme e friável (que se fragmenta com facilidade) e é conhecido como fonte de proteínas e cálcio.

Ele é apresentado como um dos queijos de pasta azul mais antigos, do tipo mole, e pode ser servido ao lado de vinhos como: Bordeaux Blend (vermelho), Zinfadel e Sauternes.

Além disso, é possível encontrar o queijo gorgonzola em receitas de patês, pizzas, tortas, quiches, saladas, pastéis, suflês e coxinhas, por exemplo

Mas será que comer o queijo gorgonzola faz mal?

Você já deve ter ouvido alguém dizer ou lido em algum lugar que muito sódio faz mal para a saúde, não é mesmo? Pois é justamente o teor de sódio do queijo gorgonzola um dos motivos para tomarmos cuidado e não exagerar na quantidade e nem na frequência em que consumimos o alimento.

A lista a seguir vai mostrar o teor de sódio que pode ser encontrado em diferentes marcas de queijo gorgonzola:

  • Queijo gorgonzola da marca Tirolez: 468 mg em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Quatá: 330 mg em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Spoleto: 540 mg em duas pegadas ou 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Polenghi: 411 mg em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Cruzília: 330 mg de sódio em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca São Vicente: 285 mg em uma fatia de 30 g.

Mas por que será que o consumo de queijo gorgonzola faz mal em excesso por conta do fato de ingerir muito sódio. Qual é o problema com o mineral?

Ainda que o corpo humano necessite do sódio para o controle da pressão arterial e do volume do sangue e para o funcionamento adequado dos músculos, a ingestão de uma quantidade elevada do nutriente não é nada boa para o organismo.

Os adultos saudáveis não devem consumir mais do que 2,3 mil mg de sódio diariamente, indivíduos com pressão arterial alta não devem ingerir mais do que 1,5 mil mg do mineral e quem tem insuficiência cardíaca congestiva, cirrose do fígado e doença renal podem precisa consumir quantias muito menores do que essas.

A Associação Americana do Coração recomenda que os adultos limitem a sua ingestão de sódio para 1,5 mil mg do nutriente por dia.

Consumir quantidades excessivas de sódio pode provocar problemas como retenção de líquidos, endurecimento dos vasos sanguíneos, pressão arterial alta, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca, informou a Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

As gorduras saturadas

Outro motivo para se entender que abusar do queijo gorgonzola faz mal e que o seu consumo deve ser feito com moderação é o fato do alimento poder apresentar uma concentração expressiva de gorduras saturadas em sua composição.

Em um artigo publicado, a nutricionista Bonnie Taub-Dix contou que antes se tinha a gordura saturada como veneno, mas que agora ela parece não ser tão ruim quanto se pensava.

Entretanto, a nutricionista disse que isso não significa que a gordura saturada seja sempre boa para o nosso organismo. Norris destacou em seu artigo que segundo a Associação Americana no Coração, é preciso limitar o consumo de gorduras saturadas para 13 g por dia em uma dieta de 2 mil calorias diárias.

De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, comer muita gordura saturada é um dos grandes fatores de risco para o desenvolvimento de doença no coração.

Um artigo da Escola Médica da Universidade de Harvard dos Estados Unidos classificou as gorduras saturadas como as gorduras do “meio termo”, nem boas nem ruins.

Segundo a publicação, uma dieta rica em gorduras saturadas pode elevar os níveis totais de colesterol e aumentar o colesterol ruim, também chamado de LDL, que incita a formação de bloqueios nas artérias do coração e outros locais do corpo.

Segundo a Escola Médica de Harvard, é por esse motivo que a maioria dos especialistas em nutrição recomenda limitar o consumo de gorduras saturadas a um teor correspondente a menos de 10% das quantidades consumidas diariamente.

Uma meta-análise de 21 estudos indicou que não existem evidências suficientes para concluir que a gordura saturada aumenta o risco de ter doenças cardíacas, mas que trocar as gorduras saturadas pelas gorduras poli-insaturadas – que são consideradas gorduras boas – pode sim diminuir as chances de ter doença cardíaca, completou a publicação.

Ainda de acordo com o artigo da Escola Médica de Harvard, outros dois grandes estudos concluíram que trocar a gordura saturada pela gordura poli-insaturada ou por carboidratos ricos em fibras é a melhor forma de diminuir os riscos de desenvolvimento de doença no coração, mas que substituir a gordura saturada por carboidratos altamente processados poderia gerar o efeito contrário.

A lista a seguir vai nos mostrar qual o teor de gorduras saturadas que pode ser encontrado em diferentes marcas do queijo gorgonzola:

  • Queijo gorgonzola da marca Tirolez: 7 g de gorduras saturadas em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Quatá: 4 g de gorduras saturadas em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Spoleto: 6 g de gorduras saturadas em duas pegadas ou 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Polenghi: 5,5 g de gorduras saturadas em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca Cruzília: 4 g de gorduras saturadas em uma fatia de 30 g;
  • Queijo gorgonzola da marca São Vicente: 5,4 g de gorduras saturadas em uma fatia de 30 g.

O queijo gorgonzola durante a gestação

Será que o queijo gorgonzola faz mal para uma mulher grávida? Bem, queijos de pasta mole (queijos-creme) e queijos de pasta semimole como a gorgonzola podem, em alguns casos, fazer mal para o bebê que ainda não nasceu.

Por isso, aconselhamos conversar com o médico a respeito dos riscos de consumir esses tipos de queijo e saber quais devem ser evitados ao longo da gravidez.

Segundo a Associação Americana da Gravidez diversos tipos de queijos de pasta mole como a gorgonzola, o brie, o feta, o camembert, o roquefort e queijos de estilo mexicano como o branco e o fresco podem aumentar o risco de desenvolver a infecção pela bactéria listeria.

As mulheres grávidas têm 20 vezes mais chances de serem infectadas pela listeria do que os outros adultos e a infecção com a bactéria está associada ao uso de leite não pasteurizado na produção do queijo.

Segundo a Associação Americana da Gravidez, a listeria pode cruzar a placenta quando entra no organismo, infectar o feto e provocar envenenamento do sangue.

A doença provocada pela bactéria listeria pode trazer os seguintes sintomas: febre, dores musculares, perturbação estomacal e diarreia, além de dor de cabeça, confusão, pescoço rígido, falta de equilíbrio e convulsões quando a infecção afeta o sistema nervoso. Alertamos que o médico deve ser procurado imediatamente caso a pessoa achar que possa ter a doença.

Entretanto, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos estipula que os queijos de pasta mole como a gorgonzola podem ser consumidos caso haja a indicação na embalagem de que ele é pasteurizado.

De qualquer forma, se você está grávida, haja com segurança e cheque direitinho com o médico para saber quais queijos pode e quais não pode comer.

Atenção

Precisamos registrar que não submetemos os queijos mencionados neste artigo a análises nutricionais, apenas reproduzimos as informações nutricionais fornecidas pelos portais de tabelas nutricionais da internet.

Fontes e Referências Adicionais:

Você já tinha ouvido falar que o queijo gorgonzola faz mal? Pretende excluir ou evitar o consumo no seu dia a dia? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (8 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...
Sobre Dra. Patricia Leite

Dra. Patricia é uma das nutricionistas mais conceituadas do país, sendo uma referência profissional em sua área e autora de artigos e vídeos de grande sucesso e reconhecimento. Tem pós-graduação em Nutrição pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Nutrição Esportiva pela Universidad Miguel de Cervantes (España) e é também membro da International Society of Sports Nutrition. É ainda a nutricionista com mais inscritos no YouTube em português. Dra. Patricia Leite é a revisora geral de todo conteúdo desenvolvido pela equipe de redatores especializados do Mundo Boa Forma.

Deixe um comentário