Serotonina

Serotonina Alta – Sintomas, O Que Significa, Causas e Dicas

O cérebro possui substâncias que são fundamentais para a manutenção do bem estar e de muitos processos no organismo. Os neurotransmissores são substâncias químicas produzidas nos neurônios capazes de conduzir e transmitir informações através da sinapse.

A serotonina, a dopamina e a noradrenalina são os principais neurotransmissores e qualquer alteração nos níveis destas substâncias pode ter muitas causas e gerar diversos sintomas.

Apesar de ser uma substância fundamental para o organismo, aumentar os níveis de serotonina pode levar à síndrome da serotonina, uma condição potencialmente fatal. Vamos conhecer o que é o problema de serotonina alta, saber o que significa isto e quais as principais causas e sintomas deste transtorno.

O que é a serotonina e para que serve no organismo?

A serotonina, conhecida como 5-hidroxitriptamina ou 5-HT, é uma monoamina neurotransmissora que é sintetizada pelos neurônios serotoninérgicos e que desempenha um papel fundamental no Sistema Nervoso Central. A serotonina é produzida a partir do aminoácido L-triptofano, conectando-se a vários receptores, agindo, assim, no trato gastrointestinal, nas plaquetas, no sistema cardiovascular, no sistema nervoso e nos músculos esqueléticos.

A serotonina participa de diversas funções, atuando na liberação de alguns hormônios, auxiliando na regulação do sono, no controle do apetite, promovendo o controle da temperatura corporal, na coagulação sanguínea, ajudando na manutenção do humor, nas diversas funções cognitivas, promovendo o aumento da libido e também atuando na atividade motora. A serotonina é muito utilizada em diversos medicamentos para o tratamento da depressão devido às suas propriedades.

Cerca de 90% da serotonina existente no corpo humano é produzida no intestino, indicando que o controle adequado dos níveis de serotonina intestinal pode proporcionar um equilíbrio entre o sistema nervoso entérico e o sistema imunológico. A síntese da serotonina também depende da quantidade de triptofano livre no plasma, que é o aminoácido precursor desta substância.

O triptofano é um nutriente muito importante para o organismo, também encontrado em alimentos ricos em proteínas, como a carne, o peixe, o peru e os laticínios.

Quais as principais alterações na serotonina no organismo?

Podemos ter níveis adequados de serotonina no corpo através de uma alimentação saudável e equilibrada, contendo, principalmente, alimentos ricos em carboidratos saudáveis, assim como com a prática de exercícios regularmente. Com o estilo de vida inadequado e o excesso de estresse, os níveis de serotonina podem sofrer alterações no organismo, gerando diversos sintomas que podem impactar na qualidade de vida dos pacientes.

As alterações na serotonina podem acontecer devido aos baixos níveis desta substância no organismo, sendo, normalmente, causada pela deficiência no consumo de vitamina B6 ou pelo consumo excessivo de proteínas. Os principais sintomas relacionados à baixa quantidade de serotonina são fadiga, perda de apetite, dores abdominais, enxaqueca, problemas de sono, alterações intensas de humor, perda do interesse sexual, ansiedade e quadros de depressão.

Os alimentos que podem aumentar os níveis de serotonina normalmente são ricos em carboidratos complexos e em minerais como o cálcio e o magnésio. Entre os principais alimentos estão o espinafre, que é rico em cálcio, assim como os leites e derivados, o feijão e as amêndoas que contêm bons níveis de magnésio. Além destes minerais, os alimentos contendo triptofano também podem aumentar os níveis de serotonina no organismo. O abacate, a batata, a beterraba, a banana e os alimentos contendo proteínas são ricos em triptofano.

O que significa a serotonina alta?

A serotonina alta também é outro tipo de alteração relacionada a esta substância. Este problema também é chamado de síndrome de serotonina, e acontece quando os níveis de serotonina estão muito elevados e se acumulam no organismo.

O excesso de serotonina no organismo pode trazer muitos problemas ao paciente, e ocorre, principalmente, devido à utilização de medicamentos inibidores de receptação de serotonina para o tratamento da depressão que podem causar aumento nos níveis de serotonina.

Pessoas com a síndrome da serotonina alta podem apresentar muitos sintomas leves, sendo os principais as náuseas, diarreia, disfunção erétil, tremores, aumento dos batimentos cardíacos, pressão arterial elevada, inquietação, confusão, pupilas dilatadas, perda de coordenação, contração muscular, transpiração, dores de cabeça, enxaqueca, insônia, além de quadros de alucinação.

Com o agravamento do problema e quando os níveis de serotonina estão muito elevados, podem surgir sintomas mais graves e perigosos, entre eles a febre alta, convulsão, batimentos cardíacos muito irregulares, inconsciência e até mesmo óbito, caso estes sintomas não sejam adequadamente tratados. Na presença de algum destes sintomas, procure a orientação de um médico.

A síndrome de serotonina alta ocorre quando a sinapse é estimulada acima do desejável e isto pode acontecer em função da ingestão de uma ou mais substâncias que podem causar o aumento da serotonina, sendo comum nos casos de pessoas com problemas de depressão, de transtornos de ansiedade ou transtornos alimentares e que utilizam medicamentos para promover o aumento desta substância.

Muitas substâncias podem aumentar de forma considerável os níveis de serotonina, tais como os suplementos de triptofano, as drogas como anfetaminas ou a cocaína, medicamentos que aumentam a sensibilidade destes receptores (como o lítio), drogas para parar de fumar, estimulantes deste receptor (como o LSD), alguns antidepressivos que causam a destruição da serotonina dentro da célula, além dos inibidores de receptação da serotonina, como a fluoxetina, a sertralina, a paroxetina, entre outros.

Algumas condições crônicas podem ser causadas por níveis persistentes de serotonina alta. Os níveis elevados desta substância podem levar à hipertensão pulmonar e espessamento das válvulas do coração. A serotonina também estimula os osteoclastos, que são as células que degradam o osso, e a serotonina alta pode levar à osteoporose.

Como resolver o problema de serotonina alta?

Existem várias maneiras de diminuir dos níveis de serotonina quando estes estão muito elevados. As mudanças na alimentação são importantes. A gelatina ou colágeno são substâncias que podem diminuir a produção e a absorção de serotonina. A redução da quantidade de alimentos que contêm triptofano também é importante, promovendo uma dieta baixa em carboidratos e mais alta em proteínas.

O médico também poderá recomendar o uso de medicamentos que auxiliam na redução dos níveis desta substância no organismo ou a mudança dos medicamentos que estão sendo utilizados pelo paciente. O uso de alguns suplementos como o BCAA também podem afetar a absorção do triptofano no cérebro, causando a redução da serotonina.

Conclusão 

A serotonina participa de diversas funções, atuando na liberação de alguns hormônios, auxiliando na regulação do sono, no controle do apetite, promovendo o controle da temperatura corporal, ajudando na manutenção do humor, nas funções cognitivas, no aumento da libido e também na atividade motora.

Além da serotonina baixa, a serotonina alta também é outro tipo de alteração relacionada a esta substância, podendo trazer muitos sintomas como agitação, alterações mentais (ansiedade, confusão, inquietação, alucinações, coma), arrepios, espasmos musculares, febre, diarreia, tremores, sudorese intensa, reflexos neurológicos aumentados, movimentos descoordenados, alterações na pressão sanguínea, náuseas, temperatura corporal aumentada, vômitos, alucinações, ritmo cardíaco rápido, entre muitos outros.

Referências adicionais: 

Você já percebeu algum dos sintomas de serotonina alta no organismo como os que citamos acima? Que tipo de tratamento o médico receitou? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (9 votos, média: 4,44 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*