Ribose: O Que é, Para Que Serve e Como Tomar

A Ribose é um açúcar natural que se desenvolve no nosso corpo a partir da glicose. Ela é um componente essencial na formação do ATP (Trifosfato de Adenosina), o composto que armazena e fornece energia a todas as células do organismo. A Ribose também ocorre no RNA (Ácido Ribonucleico), um dos principais mantenedores de informação nas células.

A ATP é usada rapidamente pelos músculos em exercícios de alta intensidade e o RNA é importante na síntese de proteínas.

A ingestão de suplemento de Ribose, chamado D-ribose, e bebidas energéticas que contêm esta substância é indicada para melhorar a energia e aumentar o desempenho durante exercícios físicos. Os suplementos aceleraram na recuperação do tecido muscular e diminuem o cansaço após os exercícios.

Nosso corpo consome energia que precisa ser constantemente reposta

A cada dia, o corpo produz e consome grandes quantidades de energia. O coração, por exemplo, armazena menos de um grama de energia, mas a cada dia chega a consumir quase 6.000 gramas de energia para bombear sangue e levar oxigênio aos tecidos em todo o corpo. Boa parte da energia usada pelo coração se encontra na Ribose. O suplemento de Ribose é conhecido como D-Ribose. Um tipo de carboidrato que serve para aumentar a energia celular através da ATP, ou Trifosfato de Adenosina.

A Ribose e o ATP – A fonte de energia das células

A energia que alimenta os nossos corpos é provida por uma pequena molécula: o trifosfato de adenosina, ou simplesmente ATP, um composto encontrado em todas as células do nosso corpo e onde praticamente toda a energia que utilizamos é produzida.

O ATP é feito, consumido, e processado por cada célula individualmente em um ciclo que mantém um fornecimento contínuo de energia. Para isso o nosso corpo se vale de processos metabólicos muito elaborados para se certificar de que essas fontes não se esgotem.

A estrutura do ATP – Como o corpo produz energia para se manter

A estrutura do ATP é simples. Ele é feito de três partes básicas: a primeira é a D-Ribose. A Ribose proporciona a base estrutural sobre a qual o ATP é construído e inicia o processo de síntese de ATP no corpo. Sem Ribose, o ATP não poderia ser formado e as nossas células seriam privadas de energia.

Vinculado à Ribose há um composto chamado adenina. Combinados, a Ribose mais a adenina formam a adenosina. A porção de adenina de ATP não é instantaneamente adicionada à molécula de Ribose na célula. A célula vai gradativamente adicionando adenina à Ribose. Quando o processo está completo, a adenosina é o resultado e temos a base para o ATP. Adicionam-se três moléculas de fosfato a essa estrutura.

A energia da molécula de ATP é encontrada nas ligações químicas que prendem estas moléculas de fosfato. Quando a ligação química que segura as moléculas de fosfato no lugar se quebra, ele libera energia química, que é transformada em energia mecânica na célula.

Nossos corpos precisam usar a estrutura básica da ATP repetidas vezes para manter o fornecimento de energia fluindo. Para fazer isto, as nossas células reciclam a molécula de ATP, que passa por uma nova fixação do grupo de fosfato para substituir a energia que foi utilizada. Este processo acontece em um ciclo contínuo e depende de níveis adequados de oxigênio em todas as suas fases.

O que acontece quando o fluxo de energia se desestabiliza

Enquanto estamos fisicamente bem e as células conseguem o suprimento adequado de componentes necessários, o ciclo de energia continua funcionando.

O problema vem quando as células são incapazes de obter oxigênio suficiente para manter o processo fluindo. Muitas condições podem afetar a forma como o oxigênio flui para nossas células, ou quão bem as nossas células podem usar o oxigênio que é fornecido.

A doença isquêmica do coração, por exemplo, restringe o fluxo de sangue para o músculo cardíaco, e isto pode influenciar o fluxo de sangue e a entrega de oxigênio para o resto do corpo. Outras doenças cardíacas, como insuficiência cardíaca congestiva ou cardiomiopatia, podem afetar de forma semelhante as funções do coração, e portanto a eficiência com que é capaz de fornecer sangue e oxigênio para os nossos tecidos.

Muitas outras condições também podem afetar o fluxo de sangue ou de fornecimento de oxigênio. À medida que envelhecemos, por exemplo, nossos tecidos perdem a capacidade de utilizar o oxigênio de forma eficiente. O tecido mais velho tem mais dificuldade em manter a contínua demanda por energia.

Mesmo o exercício exagerado pode afetar a relação entre oferta e demanda de energia. Se vamos além do ponto em que nossas células estão produzindo energia, os níveis enérgicos diminuem.

Seja qual for a causa, quando nossas células e tecidos são incapazes de obter o oxigênio de que necessitam para manter o equilíbrio da oferta e demanda de energia, os resultados são semelhantes: fadiga, dor muscular, rigidez, diminuição da capacidade atlética e diminuição da qualidade de vida.

Para que serve a suplementação de Ribose

Embora ainda sejam necessários estudos mais aprofundados sobre a suplementaçaõ de Ribose, evidências sugerem que ela é benéfica para os doentes com insuficiência cardíaca congestiva, uma doença grave em que o coração não consegue bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades circulatórias do corpo. Um publicado pela revista científica European Journal of Heart Failure, a Ribose parece melhorar a função cardíaca e a qualidade de vida de pacientes com insuficiência cardíaca através do aumento dos níveis de ATP.

Evidências preliminares também indicam que a Ribose pode aliviar a dor e o cansaço em pacientes com fibromialgia e fadiga crônica. Em um pequeno estudo publicado em 2006 pelo Jornal de Medicina Alternativa e Complementar, os pacientes que tomaram cinco gramas de Ribose três vezes por dia durante 28 dias relataram alívio na dor e rigidez muscular e melhora na capacidade de superar a fadiga.

Outros estudos sugerem que a Ribose também pode ajudar a melhorar a tolerância do organismo aos exercícios de alta intensidade.

Veja também: O Que Tem nos Suplementos Pré Treino?

A ação da Ribose na recuperação de energia

Em uma pessoa saudável que se exercita intensamente durante alguns dias seguidos, é preciso mais do que três dias de descanso para as células se recarregarem completamente. Esta é uma situação típica de jovens atletas, que se exercitam todos os dias e não deixam seus corpos descansarem o tempo suficiente para restaurar a energia perdida. Em pouco tempo eles sentem fadiga, dores e fraqueza.

À medida que envelhecemos, ou se temos doenças cardíacas ou musculares, a situação é mais complicada. Neste caso, o curso normal das atividades diárias pode ser o suficiente para consumir totalmente a energia das células e tecidos e a falta de energia pode se tornar crônica, podendo haver dores na perna e rigidez muscular e dificuldade para cumprir as tarefas cotidianas, como subir escadas, por exemplo.

Substituir a energia que consumimos é de fundamental importância para manter o ciclo de recuperação das células e tecidos.

Este processo de recuperação de energia começa com a Ribose.

Nossas células utilizam este açúcar para iniciar a síntese de ATP, permitindo que elas se recarreguem e nossos corpos recobrem a energia perdida. Se não houver Ribose suficiente na célula para começar este processo vital, não podemos restaurar a energia perdida.

Veja também: Qual Suplemento Para Dar Energia Tomar?

Onde a Ribose é encontrada e como pode ser consumida

A Ribose pode ser encontrada na forma de pó puro, ou adicionada a bebidas, barras de cereais, e comprimidos. Acredita-se que a quantidade necessária para se obter benefícios terapêuticos seja encontrada apenas se consumir o pó diretamente. Isto porque uma dose eficaz de Ribose é muito para ser colocada em comprimidos ou cápsulas.

Há variações na dose recomendada para o consumo diário. Os valores variam entre meio grama até cinco gramas.

Bebidas e barras de cereais tendem a conter cerca de meio a um grama de Ribose. Assim, estes produtos podem ser adequados para serem consumidos por pessoas saudáveis ​​que procurem apenas manter o nível de energia.

Para pacientes com doença, no entanto, a quantidade presente nas bebidas e barras de cereais não seria suficiente para trazer benefício terapêutico. Nestes casos é preciso que um médico faça a prescrição da quantidade adequada.

Veja também: Tudo sobre suplementos para energia

Quando tomar Ribose

Em algum momento da vida todas as pessoas enfrentam situações em que a suplementação de Ribose poderia ajudar a superar sintomas como a dor e a rigidez causada pelo excesso de esforço muscular.

Vale lembrar que células e tecidos ficam rígidos quando eles não recebem oxigênio suficiente ou se os processos normais de reciclagem de energia são interrompidos.

Em situações onde as células utilizem energia mais rápido do que ela pode ser fornecida, ou quando haja incompatibilidade entre a oferta e a demanda de energia, nos sentiremos fracos e indispostos.

Nestes casos, diferentemente do que acontece com pessoas saudáveis, onde um bom descanso e alimentação correta são suficientes para repor os níveis de Ribose, a suplementação pode ser necessária.

O ideal é procurar ajuda médica para que o consumo de Ribose seja prescrito em quantidades ideais.

Ribose para quem pratica exercícios intensos

A prática de exercícios por mais de três vezes na semana já pode colocar uma pressão substancial sobre o coração e os músculos, deixando-os enfraquecidos para a próxima seção de exercícios.

Caso os atletas tomem Ribose antes, durante e depois dos exercícios físicos eles podem melhorar os níveis de energia e restaurar mais rapidamente o que foi perdido. Vale ressaltar que a intensidade de exercícios em relação à necessidade do uso da Ribose e a quantidade ideal a ser consumida é bastante relativa.

Pode ser que a perda de energia seja moderada para alguém que já esteja acostumado com exercícios bastante pesados. Já para outra pessoa, uma carga menor já comprometerá os níveis de energia.

Portanto é essencial observar a sensação de queda de energia durante a prática de exercícios. Outro fator importante é a idade, já que os processos metabólicos vão, em geral, se tornando mais lentos de acordo com o envelhecimento.

Como tomar a Ribose?

Um estudo importante feito pelo laboratório de fisiologia muscular da Universidade do Missouri observou que mesmo pequenas quantidades de Ribose, em um valor de aproximadamente 500 miligramas (metade de um grama), tomada via oral, aumentou substancialmente a recuperação da energia nos indivíduos testados, beirando os 100 por cento.

Quando a dose foi aumentada para um nível de aproximadamente 2,5 gramas, tomada via oral, a recuperação da energia foi cerca de 250 por cento. O equivalente a uma dose de cinco gramas aumentou a taxa de recuperação energética em 350 por cento.

Dessa forma, conclui-se que a quantidade ideal de Ribose a ser ingerida realmente depende da intenção e das atividades de cada pessoa.

Se o objetivo é dar ao seu coração e aos músculos um impulso para ter certeza que eles estão mantendo um grau de energia saudável, você pode começar com pouco.

No entanto, para aumentar o desempenho atlético, reduzir a dor e a rigidez após os exercícios, ou dar aos músculos um impulso de recuperação depois de algum trabalho extenuante ou exercício, pode ser preciso uma quantidade maior.

Se o objetivo for superar os efeitos da fadiga persistente ou dor muscular crônica, uma quantidade ainda mais pode ser necessária.

Em caso de doença cardíaca, doença vascular periférica ou outras condições crônicas que impactem no metabolismo de energia, pode ser necessária uma suplementação mais intensa.

Dosagem indicada em casos específicos

– Para manter um nível de energia saudável para o coração e músculos: Tomar de 2 a 5 gramas (cerca de meia colher de chá de Ribose) diariamente;

– Como preventivo de doenças cardiovasculares, para os atletas que querem se recuperar mais rapidamente após exercícios de alta intensidade, e para as pessoas saudáveis ​​desempenhando atividades físicas exaustivas: Tomar de 5 a 7 gramas (cerca de uma colher de sopa de pó de Ribose) por dia.

É preciso lembrar que uma consulta com um médico especializado é fundamental e as sugestões acima são genéricas.

É recomendado que as doses diárias não sejam tomadas de uma só vez. Na verdade, doses mais frequentes e menores são melhores do que as doses menos frequentes e maiores.

Para tomar doses diárias de até 10 gramas, é ideal que a quantidade seja dividida em duas ingestões diárias.

A Ribose deve ser tomada de manhã e no jantar ou imediatamente antes e após os exercícios se ela for utilizada como coadjuvante destes.

A partir de 10 gramas, o ideal é tomar em três doses diárias.

Se você aumentar o nível de Ribose e não sentir os benefícios da suplementação, significa que você não precisa daquela quantidade. A maioria das pessoas normais não precisará de mais do que 10 gramas por dia.

Possíveis efeitos colaterais do consumo de Ribose

Efeitos colaterais comuns à ingestão de D-Ribose são tipicamente leves e de natureza gastrointestinal. Pesquisas mostram que o consumo de até cinco gramas divididas em até três vezes ao dia, tomado com alimentos, é seguro.

O risco de efeitos colaterais aumenta com doses maiores.

De acordo com um estudo publicado em 2007 na edição da revista Sports Medicine Reports, o suplemento D-Ribose pode causar inchaço, desconforto abdominal, fezes soltas e náuseas.

Reduza o consumo, ou interrompa o uso se estes sintomas se tornarem incômodos ou não desaparecem com o uso continuado do suplemento.

De acordo com o professor de Medicina Clínica e de Saúde Pública Dr. Weil, diretor do Centro de Medicina Integrativa Arizona na Universidade do Arizona, a Ribose é quimicamente um açúcar, e sua ingestão deve ser acompanhada por um profissional. Ele reconhece que quando tomado na dose recomendada é improvável que a Ribose faça mal, mas é preciso estar ciente de ao ingeri-la adicionada a produtos como incluindo bebidas energéticas, você pode estar recebendo mais do que você pensa. Segundo ele, o ideal seria limitar a ingestão a não mais do que cinco gramas três vezes ao dia.

Você acredita que precisa da suplementação de ribose? Qual dos motivos relatados acima seria o seu? Alguma pessoa a recomendou para você? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (64 votos, média: 3,75 de 5)
Loading...

12 comentários em “Ribose: O Que é, Para Que Serve e Como Tomar”

  1. Estou perdendo mue ito da estrutura osseomuscular e com uma fadiga cronica intensa
    e fraqueza generalizada no corpo todo e muito dores nas pernas. A ribose pode me a
    judar? obrigado. Joao

  2. eswtou tomando d ribose 40 mg boswelia 150 uc2 20mg carisoprodol de arginina 80mg uncaria 100mg sinto fraquesa sono nao tennho vontade de nada so dormir muito estranho sera que e esse remedioou ou outros que tomo

  3. Li numa revista espanhola k é bom para quem sofre de fibromialgia sofro mto com fadiga insónia e dores musculares faço hidroginástica diariamente tenho 72 anos agradeço a vossa informação cumprimentos bem haja

  4. Venho sentindo um cansaço fora do normal por conta do dia a dia corrido com trabalho e faculdade. Gostarias de saber se a D ribose me ajudaria a ter mais disposição

  5. Minha mãe está com cá e sua médica ortomolecular indicou a D-Ribose, por conta da doença ela já tem desconforto abdominal e náuseas. Sua alimentação tem restrição do açúcar. Fiquei super em dúvida se os efeitos serão realmente positivos no caso dela. Vc pode me ajudar a entender pq seria eficiente ela consumir a d ribose? Obrigada

  6. A Ribose é açúcar, sendo assim, pode ser indicado para pessoas diabéticas que apresentam fadiga, cansaço e falta de ânimo?

  7. Olá
    Eu tenho fibromialgia,trato há 5 anos com reumatologista e pratico atividade física. Me interessei pelo suplemento e gostaria de maiores detalhes para consumo… Existe alguma marca indicada e alguma forma mais específica de consumo? Devo tomá-lo com Whey antes do treino? Ele é em pó também ou cápsula?

    • A Ribose pode ser encontrada na forma de pó puro, ou adicionada a bebidas, barras de cereais, e comprimidos. Acredita-se que a quantidade necessária para se obter benefícios terapêuticos seja encontrada apenas se consumir o pó diretamente.

      • Eu fui diagnosticada com anemia ferropriva e convivo com algumas dores musculares, principalmente após atividades físicas ou dias com rotinas mais exaustivas. Quem me recomendou a D Ribose foi um médico endocrinologista.

Deixe um comentário