Sertralina dá sono? Efeitos colaterais e posologia

Especialista:
atualizado em 26/03/2021

A sertralina é um medicamento indicado para o tratamento de diversos problemas de saúde mental, como a depressão e a ansiedade, mas seu uso vem sempre acompanhado de dúvidas, como: Dá sono? Tem efeitos colaterais? Funciona mesmo?

  Continua Depois da Publicidade  

Por isso, vamos conhecer melhor este medicamento e seus efeitos colaterais, entender como ele funciona e descobrir se a sertralina dá sono ou não.

Entretanto, é importante lembrar que este artigo tem caráter meramente informativo, e que não substitui as orientações de um especialista.

O que é sertralina?

A sertralina, ou cloridrato de sertralina, é um antidepressivo da classe de inibidores seletivos da recaptação da serotonina, e é usado como tratamento de uma série de problemas psiquiátricos, como:

  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Síndrome disfórica pré-menstrual (também conhecida como transtorno pré-menstrual – TPM);
  • Transtorno de estresse pós-traumático;
  • Síndrome do pânico;
  • Transtorno obsessivo compulsivo.

Seu efeito se deve ao aumento da quantidade de serotonina no cérebro, que levaria à melhora dos sintomas dos problemas citados acima.

pílulas em um vidro

Sertralina dá sono?

A sonolência é um dos efeitos colaterais que o uso da sertralina pode trazer, mesmo que não ocorra com todas as pessoas. E essa informação está presente na própria bula do medicamento.

Mas esse não é o único efeito que o medicamento pode causar, como veremos mais adiante.

Outros efeitos colaterais da sertralina 

Além do sono, a sertralina pode causar outros efeitos colaterais, e os mais comuns são:

  • Insônia ou sonolência;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Desconforto gástrico, como enjoo, constipação e diarreia;
  • Mudanças no apetite, podendo aumentar ou diminuir;
  • Diminuição da libido
  • Agitação e ansiedade;
  • Bruxismo;
  • Tremores;
  • Rubor, ou vermelhidão no rosto;
  • Palpitações;
  • Boca seca.
pessoa deitada no sofá dormindo

Sinais de alerta

Muitas pessoas demoram para buscar tratamento para transtornos mentais, pois acham que o que elas estão sentindo é apenas algo passageiro, como tristeza, mau humor ou desânimo.

E realmente existem situações nas quais as mudanças de humor são passageiras. Entretanto, muitas vezes essas mudanças são sintomas de algum problema que precise de tratamento, e por isso, listamos alguns sinais de alerta:

  Continua Depois da Publicidade  

  • Humor deprimido, sem causa aparente ou durando muito tempo;
  • Euforia, animação excessiva;
  • Agressividade;
  • Isolamento;
  • Mudanças no apetite;
  • Perda de desejo sexual;
  • Falta de interesse em atividades que antes te davam prazer;
  • Mudanças no padrão de sono;
  • Fadiga sem motivo aparente;
  • Sentimentos de culpa ou de inutilidade;
  • Agitação ou inquietação;
  • Dificuldade para pensar, se concentrar ou tomar decisões;
  • Pensamentos recorrentes sobre morte ou suicídio;
  • Tentativa de suicídio.

Mas é importante lembrar que cada pessoa é única, e a apresentação dos sintomas pode ser bem diferente de uma para a outra.

Por isso, o ideal é ficar atendo às mudanças de comportamento, como por exemplo, alguém que antes era tímido e amistoso, de repente se tornar agressivo.

Outras formas de tratamento

Embora o tratamento com medicamentos como a sertralina seja essencial para a melhora dos sintomas, é importante lembrar que existem outras medidas que, associadas ao uso do remédio, podem ajudar a sair mais rápido da crise.

São as chamadas “medidas não-farmacológicas”, e envolvem normalmente mudanças nos hábitos diários e na alimentação, além do uso de tratamentos como a psicoterapia.

São elas:

1. Exercícios físicos

Os exercícios físicos, principalmente os aeróbicos, como caminhar, correr, andar de bicicleta e nadar, aumentam os níveis de endorfina no cérebro, levando assim a uma melhora do humor.

Isso acontece porque o aumento da endorfina pode aliviar sintomas da depressão e promover uma sensação de bem-estar.

Por isso, a prática de atividades físicas é recomendada tanto como uma forma de prevenção quanto como parte do tratamento de problemas como depressão e ansiedade.

  Continua Depois da Publicidade  

corrida casal correndo

2. Alimentação

Existem alimentos que ajudam a melhorar a produção de neurotransmissores, contribuindo assim para a melhora do humor.

Por isso, cuidar da sua dieta é fundamental para tratar e prevenir diversos problemas de saúde, incluindo depressão e ansiedade.

Os principais alimentos que devem ser incluídos no dia a dia são:

3. Psicoterapia

A maioria das pessoas responde melhor a remédios como a sertralina quando combinam o tratamento medicamentoso com a psicoterapia.

A terapia com um bom psicólogo pode te ajudar a lidar melhor com a doença, além de identificar o seguinte: 

  • Problemas emocionais que podem prejudicar a sua saúde, os seus relacionamentos e a sua comunicação com os outros;
  • Gatilhos que causam pensamentos e sentimentos desagradáveis;
  • Formas de enxergar os problemas com outros pontos de vista.

Existem vários tipos de terapia, como psicanálise, junguiana e cognitivo-comportamental. E, além disso, é importante lembrar que cada pessoa pode se adaptar melhor a cada abordagem terapêutica.

Contraindicações

Apesar de ser um medicamento seguro, existem algumas contraindicações para o seu uso. São elas:

  • Alergia à sertralina ou a algum componente da formulação;
  • Pessoas que estejam em uso de medicamentos da classe inibidores da monoaminoxidase (IMAO), como a fenelzina;
  • Pessoas em uso do medicamento pimozida.

Como usar?

A dose ideal de sertralina vai depender do problema que será tratado, e apenas o médico poderá defini-la.

Mas, de forma geral, ela é usada uma vez ao dia, pela manhã ou à noite, e a dose máxima recomendada é de 200 mg por dia.

Dicas e cuidados

  • Medicamentos como a sertralina podem demorar algumas semanas para começarem a fazer efeito. Então, é normal que no início do tratamento você não note melhora dos sintomas;
  • Para melhorar os resultados do tratamento medicamentoso, é importante associá-lo com psicoterapia, além de realizar algumas mudanças de estilo de vida;
  • Por fim, sempre siga as orientações do seu médico, e não pare de tomar o medicamento sem a orientação dele.
Fontes e referências adicionais

Você já tinha ouvido falar que a Sertralina dá sono, ou percebido esse efeito colateral ao tomar o remédio? Já informou ao seu médico? Comente abaixo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (202 votos, média: 3,96 de 5)
Loading...
Sobre Marcela Gottschald

Marcela Gottschald é Farmacêutica Clinica - CRF-BA 8022. Graduada em farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2013. Residência em Saúde mental pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Experiência em pediatria e nefrologia, com ênfase em unidade de terapia intensiva. Ela faz parte da equipe de redatores do MundoBoaForma.

  Continua Depois da Publicidade  

Deixe um comentário