Sintomas da reação alérgica e o que fazer

Especialista:
atualizado em 13/11/2020

Reconhecer os sintomas da reação alérgica é importante para manter a calma e saber o que fazer. Saiba agora quais são os sintomas de uma reação alérgica e como proceder em situações de emergência.

Os sintomas dos mais diversos tipos de alergia acontecem por um mesmo motivo: uma reação ruim do sistema imunológico.

Certamente, o sistema de defesa do corpo humano é essencial para proteger nossa saúde contra agentes nocivos e causadores de doenças.

Mas há casos em que o sistema imune detecta substâncias inofensivas (como os alérgenos, por exemplo) e entende que elas são ameaças para a saúde.

Não se sabe exatamente por que o corpo reage dessa maneira. Mas em casos de agentes potencialmente nocivos à saúde, a reação alérgica é um importante mecanismo de defesa que serve para expulsa-los e proteger o organismo.

Uma reação alérgica pode ocorrer quando o corpo reage à ingestão de determinados alimentos ou quando há uma alergia a medicamentos, por exemplo.

Sintomas da reação alérgica

sintoma de reação alérgica

A causa, o tipo e a intensidade dos sintomas podem variar. Ainda assim, os sintomas de uma reação alérgica leve geralmente incluem um ou mais dos seguintes:

  • Erupção cutânea;
  • Coceira e vermelhidão no olho; 
  • Urticária na pele;
  • Congestão nasal;
  • Garganta irritada;
  • Olhos lacrimejantes.

Por outro lado, em reações alérgicas graves, sintomas mais sérios ou intensos podem ser observados, como por exemplo:

  • Diarreia e cólicas abdominais;
  • Dor ou aperto no peito;
  • Tontura e fraqueza;
  • Dificuldade para deglutir bebidas e alimentos;
  • Rubor facial;
  • Náusea e vômito;
  • Palpitações cardíacas;
  • Ansiedade;
  • Inchaço na região da face, olhos ou língua e no corpo;
  • Dificuldade para respirar e chiado no peito;
  • Inconsciência;
  • Mal estar;
  • Formigamento na boca;
  • Tosse e espirro;
  • Coceira no nariz e no céu da boca;
  • Pulsação nos ouvidos;
  • Febre;
  • Dor muscular ou nas articulações.

Além disso, vale ressaltar que os sintomas observados dependem também do tipo de alérgeno ou toxina que está causando a reação.

Alergias alimentares, por exemplo, costumam causar sintomas gastrointestinais como náusea, vômito, dor abdominal e diarreia, além de inchaço no rosto e na boca, urticária e formigamento na boca.

Por outro lado, as alergias respiratórias tendem a desencadear outro grupo de sintomas como espirros, coriza, olhos lacrimejantes, tosse e irritação no nariz e na garganta.

Por fim, há ainda os sintomas na pele que podem ser causados pela ingestão de um alimento contaminado, pelo uso de um creme ou remédio ou por uma picada de inseto.

Anafilaxia

Um tipo de reação alérgica muito grave é a anafilaxia, conhecida também como choque anafilático.

Essa reação representa um risco de vida e ocorre segundos após a exposição ao alérgeno. Os sinais de anafilaxia incluem:

  • Inchaço na garganta ou na boca; 
  • Falta de ar grave ou incapacidade total de respirar;
  • Pele ou lábios pálidos ou azuis;
  • Queda abrupta da pressão arterial sanguínea; 
  • Confusão mental;
  • Desmaio.

Assim, ao suspeitar que você está sofrendo um choque anafilático ou ao presenciar alguém tendo esse tipo de reação, ligue imediatamente para um serviço de emergência ou busque atendimento médico rapidamente.

O que fazer

Nem sempre é fácil identificar logo de cara a causa da sua reação alérgica, ainda mais quando ela causa falta de ar. Por esse motivo, buscar atendimento médico é muito importante. Aliás, veja também como diferenciar uma alergia do novo coronavírus

O primeiro passo é manter a calma, pois toda reação alérgica pode ser revertida se você buscar tratamento. As reações leves podem ser tratadas com medicamentos e com o auxílio de remédios caseiros que aliviam os sintomas.

No entanto, em casos mais graves é preciso buscar tratamento médico de emergência.

Emergência

Reações alérgicas graves são aquelas que causam sintomas que prejudicam a respiração ou alteram os batimentos cardíacos. Enquanto a ajuda médica não chega, aplique compressas frias nas partes do corpo em que houver inchaço para retardar a evolução dos sintomas.

Ao receber o atendimento médico, é provável que seja injetada uma dose de epinefrina (adrenalina) para desobstruir as vias respiratórias.

Aliás, se você já tiver um diagnóstico de alergia grave, você pode usar um injetor automático de epinefrina destinado a situações de emergência.

Reação alérgica leve a moderada

Nesse caso não há necessidade de sair correndo até o consultório médico, mas não deixa de ser importante consultar um profissional. Um médico pode avaliar o tipo de alergia e prescrever o medicamento adequado. 

Anti-histamínicos de uso oral ou tópico são úteis na maioria dos casos. De fato, eles ajudam a reduzir principalmente os sintomas respiratórios e as reações alérgicas na pele.

Atualmente, as melhores opções incluem a loratadina e a cetirizina, que são antialérgicos que não causam sonolência, por exemplo. A difenidramina ainda é o antialérgico mais popular, mas seu uso pode resultar em sono excessivo.

Descongestionantes nasais podem atuar no alívio de sintomas como a irritação na garganta, a coriza e a congestão nasal. 

Os anti-inflamatórios não esteroides ou os corticosteroides também podem ser usados quando há dor, inchaço ou cólicas causadas pela alergia. Aqueles na forma de pomadas podem ser aplicados na pele com sintomas alérgicos.

Conheça mais sobre suas opções medicamentosas e caseiras de remédios para alergia na pele mais usados.

Por fim, outros remédios como colírios para os olhos e pastilhas para a garganta podem ser usados para aliviar os sintomas.

Dicas práticas para reações alérgicas leves

  • Reduzir a umidade do ambiente aumentando a ventilação local em caso de alergia ao mofo;
  • Trocar roupas de cama e limpar a casa com frequência para evitar o acúmulo de pelos de animais ou ácaros;
  • Irrigar uma solução salina esterilizada no nariz para aliviar sintomas como coriza e congestão nasal;
  • Gargarejar uma solução salina para amenizar a irritação na garganta;
  • Aplicar compressas frias na pele quando houver coceira ou irritação devido a uma picada de insetos, por exemplo.

Em farmácias é possível encontrar soluções salinas esterilizadas e prontas para uso, mas você também pode preparar sua solução caseira.

De acordo com a American Academy of Allergy, Asthma & Immunology, uma solução pode ser preparada dissolvendo 3 colheres de chá de sal comum e 1 colher de chá de bicarbonato de sódio em 1 xícara de água previamente fervida. 

Prevenção 

teste de alergia

Caso você saiba que tem uma alergia, o ideal é se prevenir para evitar se expor ao alérgeno.

Fazer ajustes na dieta para evitar a exposição ao alimento ao qual você tem alergia, por exemplo, é indispensável para o tratamento a longo prazo.

Além disso, alguns profissionais da saúde defendem que quanto mais alimentos naturais você ingerir, melhor será para a sua saúde e menor será o risco de reações alérgicas.

Certamente, além de estar atento ao que você come, também é importante manter o seu ambiente limpo e arejado para evitar o acúmulo de agentes com potencial alérgeno como os ácaros, a poeira e os pelos de animais, por exemplo.

Reações alérgicas (especialmente aquelas causadas por alérgenos encontrados no ar) são comuns, mas se uma reação alérgica te causa muito desconforto ou você não sabe a causa, vale a pena consultar um alergista ou imunologista para fazer testes de alergia.

Esses exames servem tanto para avaliar a sua condição quanto para indicar medidas preventivas eficazes ou até tratamentos como a imunoterapia.

Curar a sua alergia ainda não é possível, mas enquanto a ciência não chega lá, você tem várias formas de lidar com ela e amenizar os sintomas.

Fontes e Referências Adicionais

Você tem algum tipo de alergia? Já sofreu uma reação alérgica grave? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...
Sobre Equipe Editorial MundoBoaForma

Quando se trata de saúde, é muito importante poder contar com uma fonte confiável de informações. Afinal de contas sabemos que o sua qualidade de vida e bem-estar devem estar em primeiro lugar para você. Por isso contamos com uma equipe profissional diversificada, com redatores e editores que desenvolvem um conteúdo de qualidade, adaptando-o a uma linguagem de fácil compreensão para o público em geral, tendo por base as mais confiáveis fontes de informação. Além disso todo artigo é revisado por profissional especialista da área, para garantir que as informações são verídicas. Tudo isso para que você tenha confiança no MundoBoaForma e faça daqui sua fonte preferencial de consulta para assuntos relacionados a saúde, boa forma e qualidade de vida. Conheça mais sobre os profissionais que contribuem para a qualidade editorial do portal.

Deixe um comentário