Tramadol

Tramadol Engorda? Para Que Serve e Efeitos Colaterais

O Cloridrato de Tramadol é um medicamento analgésico que pode ser utilizado para aliviar a dor com intensidade de moderada a grave. O remédio pertence à classe dos opioides e atua no sistema nervoso central do organismo.

O seu uso é oral, adulto e pediátrico, acima dos 12 anos de idade. Antes de começar a usar o medicamento é necessário consultar o médico, pois automedicar-se é uma atitude que representa riscos para a saúde. Além disso, o remédio não pode ser comercializado sem a apresentação da receita médica.

As informações são da bula do Cloridrato de Tramadol da Cimed, disponibilizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Será que Tramadol engorda?

Agora que já sabemos para que serve o remédio, podemos seguir em frente e verificar se Tramadol engorda mesmo ou não.

Pois bem, para fazer isso, resolvemos verificar o que a bula do Cloridrato de Tramadol da Cimed, disponibilizada pela ANVISA, nos conta a respeito disso.

No documento, as alterações no apetite são apresentadas como um dos possíveis efeitos colaterais do medicamento, porém, são classificadas como uma reação adversa rara, ou seja, que ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam o Cloridrato de Tramadol.

Ou seja, se a pessoa que toma o medicamento experimentar alterações em seu apetite no sentido do aumento, é possível que ela ganhe peso. Entretanto, não podemos afirmar que Tramadol engorda todas as pessoas, tendo em vista que o efeito colateral de alteração do apetite é raro.

De qualquer forma, se você perceber que engordou durante o seu tratamento com o remédio, principalmente se for um aumento de peso expressivo, informe ao médico a respeito disso para que ele verifique o que pode ter provocado o seu ganho de peso e recomende o que deve ser feito em relação a isso, determinando como proceder em relação ao uso de Tramadol.

Efeitos colaterais de Tramadol

De acordo com a bula do Cloridrato de Tramadol da Cimed, disponibilizada pela ANVISA, o medicamento pode provocar os seguintes efeitos colaterais:

  • Convulsões epilépticas – principalmente quando as doses de Tramadol excedem o limite superior de dose diária recomendada, sendo elevadas, e quando o remédio é tomado ao mesmo tempo em que outros medicamentos que podem induzir convulsão;
  • Risco de levar à dependência física e psicológica;
  • Reações alérgicas (por exemplo, dificuldade em respirar, respiração ruidosa, inchaço da pele) e choque (falha súbita da circulação) ocorreram em casos muito raros;
  • Efeitos no coração e circulação sanguínea (palpitação, batimento acelerado do coração, sentimento de desmaio ou colapso) – podem ocorrer particularmente em pacientes na posição em pé ou sob estresse físico;
  • Batimento cardíaco lento;
  • Aumento na pressão sanguínea;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Sonolência;
  • Sensações anormais (coceira, formigamento, dormência);
  • Tremor;
  • Contrações musculares;
  • Movimento descoordenado;
  • Perda transitória da consciência (síncope);
  • Transtorno da fala;
  • Alucinação;
  • Estado de confusão;
  •  Transtornos do sono;
  • Delírio;
  • Ansiedade;
  • Pesadelos;
  • Queixas psicológicas após o tratamento com Cloridrato de Tramadol – sua intensidade e natureza podem variar (de acordo com a personalidade do paciente e duração da terapia), isto pode aparecer como uma alteração no humor (muitas vezes muito bom humor, ocasionalmente humor irritado), alterações na atividade (usualmente supressão, ocasionalmente aumento) e percepção cognitiva e sensorial diminuída (alterações nos sentidos e reconhecimento, que podem levar a erros em julgamento);
  • Sinais de abstinência – podem ocorrer com a interrupção abrupta do tratamento;
  • Visão borrada;
  • Dilatação excessiva das pupilas (midríase);
  • Constrição da pupila (miose);
  • Respiração lenta – a respiração pode ficar mais lenta caso as doses recomendadas sejam excedidas, ou se outros medicamentos que deprimem a função cerebral sejam tomados ao mesmo tempo;
  • Encurtamento da respiração (dispneia);
  • Piora da asma – houve relatos, porém, não foi estabelecido se Tramadol foi a causa;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Constipação (intestino preso/prisão de ventre);
  • Boca seca;
  • Urgência para vomitar (tentar vomitar sem conseguir);
  • Problema de estômago (sensação de pressão no estômago, distensão abdominal);
  • Diarreia;
  • Sudorese (hiperidrose);
  • Reações da pele (coceira, erupção da pele);
  • Músculos fracos;
  • Aumento de enzima hepática;
  • Passagem da urina com dificuldade ou dor;
  • Passagem de menos urina que o normal (disúria);
  • Fadiga.

Ao experimentar qualquer um dos efeitos colaterais mencionados na lista acima ou ainda alguma outra reação adversa, procure imediatamente a ajuda do médico, mesmo que o problema não aparente ser grave.

Isso é fundamental para verificar a seriedade da reação, receber o tratamento apropriado, caso seja necessário, e saber como proceder de maneira segura em relação à continuidade da utilização do medicamento.

Tome cuidado com a interrupção abrupta do tratamento com Tramadol e descontinue o uso do remédio sempre com a autorização do médico e conforme as orientações do profissional.

Contraindicações e cuidados com Tramadol

Cloridrato de Tramadol é contraindicado para os seguintes casos:

  • Pessoas com alergia ao cloridrato de tramadol ou qualquer outro dos componentes da fórmula do medicamento;
  • Pacientes em intoxicação aguda com álcool, pílulas para dormir, analgésicos ou outras drogas psicotrópicas (remédios que afetam o humor e as emoções);
  • Indivíduos em tratamento com inibidores da MAO (medicamentos para a depressão) o) ou tiver tomado inibidores da MAO nos últimos 14 dias antes do tratamento com cloridrato de tramadol;
  • Pessoas que têm epilepsia com crises de convulsão não estão controladas adequadamente por tratamento;
  • Como substituto na abstinência de narcóticos;
  • Mulheres grávidas – o uso crônico do medicamento durante a gravidez pode levar à síndrome de abstinência nos recém-nascidos;
  • Mulheres que estejam amamentando.

Quem faz parte dos seguintes grupos precisa conversar com o médico antes de utilizar o Cloridrato de Tramadol:

  • Das mulheres que desconfiam que estão grávidas ou planejam ter uma gestação;
  • Dos que pensam ser viciados em outros analgésicos (opioides);
  • Dos que sofrem de transtornos de consciência (pensar que vai desmaiar);
  • Dos que estão em estado de choque (um sintoma disto é o suor frio);
  • Dos que sofrem do aumento da pressão no cérebro (possivelmente depois de um dano na cabeça ou doença cerebral);
  • Dos que têm dificuldade para respirar;
  • Dos que têm tendência à epilepsia ou convulsões – o risco de uma convulsão pode aumentar;
  • Dos que sofrem com doenças no fígado ou nos rins.

Antes de iniciar o tratamento, é preciso avisar o médico caso já tenha sofrido com um dos problemas mencionados acima no passado. O profissional também deve ser comunicado caso algum desses problemas ocorra durante o tratamento com o remédio.

Para os pacientes com tendência para abuso de medicamentos ou que são dependentes de medicamentos, o tratamento com o Cloridrato de Tramadol deve ser realizado somente por períodos curtos e sob estrita supervisão médica.

É essencial informar ao médico a respeito de qualquer medicamento, suplemento ou planta medicinal que esteja utilizando antes de dar início ao tratamento para que o profissional verifique se não faz mal usar o Cloridrato de Tramadol e a substância em questão ao mesmo tempo.

A ingestão de álcool não deve acontecer durante o tratamento com o medicamento, sob o risco do seu efeito ser intensificado.

O remédio pode provocar sonolência, tontura e visão borrada, prejudicando as reações. Quando esse prejuízo ocorrer, o paciente não pode dirigir um carro ou outro veículo, utilizar equipamentos elétricos ou operar máquinas. As informações são da bula do Cloridrato de Tramadol da Cimed, disponibilizada pela ANVISA.

Para evitar problemas, obedeça todas as recomendações do médico em relação ao tratamento com o remédio.

Atenção

Este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir a consulta ao médico e a leitura da bula do remédio antes do início do tratamento. Não comece a usar um medicamento sem antes conversar com o médico e ler toda a bula.

Você conhece alguém que tenha tomado e afirme que o Tramadol engorda? Tem receio de utilizar este medicamento por conta desse e outros possíveis efeitos colaterais? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...
Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite - (no G+)


ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*